.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Só alguns minutinhos


Eu ando com uma grande dificuldade para meditar, fechar os olhos e me transportar, nem que por um minutinho sequer, para um nirvana, um lugar mais zen dentro de mim mesma.  Talvez por estar muitos dias sem sair do centro urbano onde moro e, portanto, não tenho tido este prazer que me faz restabelecida no final de uma semana e pronta para enfrentar uma nova pela frente. Preciso acender minha luz interior e só consigo isso quando me conecto diretamente com a natureza. É nela que está a minha força, minha capacidade de entender melhor aos outros e a mim mesma. Mas, não estou falando de religião, rezar ou algo assim parecido. Não!  Falo da sensação de ficar quieta com minha mente, num estado de completo relaxamento psicológico.

Tenho amiga que diz nunca poder deixar de morar no Rio porque não se acostumaria jamais com a calmaria de cidades menores, e que prefere toda a confusão urbana do que a pasmaceira ou falta de opções que tem uma cidade com menos recursos. E vejo por aí muita gente que pensa assim também e está sempre à procura de algo depois de um dia exaustivo de trabalho, pois quando não arranja um curso para fazer, fica pelo centro mesmo em happy ends ou algum programa cultural ou social.
Na terça-feira passada, conversei com uma vizinha que trabalha todos os dias num lugar bem longe daqui, na região oeste do Rio, e vai pra lá de carro, dirigindo, enfrentando tráfego tumultuado, trabalha o dia todo numa universidade como Pedagoga Chefe e é o tipo exato de pessoa que estou lhes falando, quase uma workaholic, sem tempo, com problemas de insônia, reclamando que nem nas férias consegue descansar, pois justamente aí é que ela acaba se cansando mais porque viaja e é sempre pro exterior, fazendo das férias uma correria atrás de coisas para ver e conhecer.

Quanta gente hoje em dia está assim; ou trabalha muito e fica sem tempo para si ou para a família ou aquelas que não trabalham fora, mas o cotidiano de ansiedade, insatisfações,rotina,  falta de tempo para se cuidar, acaba levando-os para o mesmo buraco negro - não conseguem se sintonizar com algo maior, algo que os façam sentir-se leves e em paz interior.

Buscando no Google sobre meditação e relaxamento, achei este videozinho abaixo, fofo, rapidinho, de uma campanha antiga, feita para criar a paz pessoal num ambiente global de constante caos e mudança, Just a Minute é o que ela sugere, apenas alguns minutos de sintonia com o universo, durante o dia a dia conturbado que todos os humanos urbanóides, estressados e ocupados como nós vivem, podendo fazer com que sua bateria recarregue e passe luz, inclusive, a outros que dela necessitem e que estejam por perto.

Vejam que sugestão fácil e inteligente, sem precisar deslocar-se de sua própria cidade:


Os indianos acreditam que em um minuto de silêncio interior, no final de todo nosso dia mesmo sem nos darmos conta, estaremos mais harmoniosos, tolerantes e em paz. Não custa nada tentar, não é mesmo?




21 comentários:

Toninhobira disse...

Video fantastico Beth.Eu creio, que todos precisamos deste "Just a minute" é preciso se permitir nesta pausa.As vezes perdemos a condição humana e nos robotizamos nesta corrida louca.Que voce possa se dar neste minuto sempre. Meu abraço mineiro.

Orvalho do Céu disse...

Olá, Bethinha
Que está com luz... perpassa o brilho... outro vê a luz... e se ilumina pelo "iluminado"...
Meditei aqui...
Estou super bem com paz interior e vou dormir em paz...
Bjs e ótimo fim de semana

✿ chica disse...

Eu no momento e só até amanhã, tenho a válvula de escape e um relaxamento lindo: o mar,que me dá calma,relaxa só de o olhar.

Depois, na cidade...bem, isso é o DEPOIS,rsrs bjs,chica

Yasmine Lemos disse...

Concordo com vc Beth, lendo o texto de Norma sobre a agonia que está as cidades ,só sinto vontade de me refugiar perto da natureza que ainda existe.
beijos e um fds em paz

Lizete Delmonte Ferraz disse...

É só alguns minutinhos...,né? e se fizermos isso, não nos faltará energia para enfrentar tudo o que vier, com mais calma, sabedoria, serenidade e amor.

E como no vídeo, quando estamos energizados somos até capazes de ajudar a quem precisa.

Um dia lindo, querida!
bjs
Liz

Menina no Sotão disse...

Eu gosto das horas do dia que não se movimentam, sabe? Não é mais madrugada, mas também não é dia ainda e o silêncio é quase pleno. É como se a natureza a minha volta fizesse uma pausa de um minuto ou dois para se preparar para as insanidades humanas. As sombras se desfazem, eu fecho os olhos, medito, sonho, vago, me perco e quando abro meus olhos novamente, lá está o dia e suas cores claras...
Por isso que eu digo que a cidade está lá fora, mas não dentro de mim e olha que vivo em São Paulo. rs

bacio carissima

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

é só um minutos, mas que faz uma diferença...adorei o vídeo, querida mãe Gaia.

ih, esse discurso do "preciso da agitação da cidade grande", só fala quem nunca morou uns tempos em lugar calmo.
vejo aqui mto disso, o pessoal vem pra cá, mora nessas cidades pequenas do Japão e falam "como eu conseguia morar em São Paulo"?
rs

a cabeça muda, é só o povo se sintonizar melhor com o eu interior.

bjs e bom dia! ótima reflexão

pensandoemfamilia disse...

Oi Beth
Fizemos post como a mesma temática abordando de formas diferentes. Desejei hoje colocar-me em uma outra dimensão e fiz o post.
bjs, Bom final de semana

José Sousa disse...

Olá queria amiga Beth!
Adorei este seu post! Muito mesmo Viu?
Fico te esprando lá nos meus blog's! Me segue lá no "Transpondo Barreiras".

Um beijo bem grande e bom fim de semana

Celina Dutra disse...

Beth,

Adoro me calar interiormente... tenho facilidade para fazer isso. Amo o silêncio, especialmente a tranquilidade interior. Faz tanto bem!
Adorei o vídeo. Excelente reflexão.

Girassóis nos seus caminhos.
Beijos

Lúcia Soares disse...

Beth, o vídeo é deveras inspirador.
Sem energia não somos nada, e para nos energizarmos temos que estar em sintonia com a natureza, ou com a paz interior.
Diferentemente de você, eu medito em oração. Por uma decisão minha, ainda adolescente, comecei a rezar o terço todos os dias, chova, vente ou faça sol. Entendia que me sentia bem quando rezava, e incorporei esse hábito à minha vida.
Dura, em média, 20 minutos, e é quando paro e penso (enquanto as palavras das orações correm por minha mente) no que quero ou preciso. Faço delas (as orações) o meu mantra.
Meditar é basicamente voltar-nos para nosso interior, mas enquanto rezo entro em sintonia comigo e com Deus, o que me ajuda a aceitar muita coisa, entender tantas outras, ou continuar não aceitando nem entendendo, mas tendo, pelo menos, força interior para seguir. (meio louco, mas é isso! rsrs).
Bom fim de semana!

ManDrag disse...

O vídeo diz tudo.

Abraços, com Paz e Luz

Maria Luiza disse...

Concordo em tudo com o que disse a Lucia Soares. Eu tenho o hábito como o dela de recitar o terço, como ela disse um mantra. Ela disse tudo o que sinto perfeitinho. Um lindo e abençoado final de semana, OK? Bjbjbj!!!

Valéria disse...

Oi Beth!
Adorei o video!
E pensar que é um pouco que faz toda a diferença! Buscar no seu interior um equilibrio básico para se energizar e viver melhor, pelo menos tentar, não é?

Beijão e um fds de muita luz!

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Adorei o vídeo. Realmente, precisamos de um tempo para desconectarmos. Pelo menos para mim, neste momento, não está sendo nada fácil me desligar, mas sei que é necessário. Até mesmo para recarregar as baterias.
Se você falasse com a Marina, eu garanto que ela ia falar pra você fazer yoga.rsr..
Bom final de semana.
Bjs mil

Pitanga Doce disse...

Chiuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu. Estou em silêncio.

Eduardo disse...

Beth, eu tambem acho que a reflexão é muito importante. Os orientais recomendam observar uma pedra crescer. Eu tenho algumas sugestões para recarregar o cérebro: procurar entender o tamanho do universo; entender o nada e o infinito... Pensar no sentimento humano e no dos outros animais. Pensar na não existência. E agora o mais difícil de todos: não pensar em coisa alguma por 5 minutos.
Um abraço
Shrek

Somnia Carvalho disse...

querida lilas amiga,

adorei o post, tao voce, tao necessario e energizante... vi o video e cai de amores. alem de lindissimo e profundo... ja passei adiante.

beijos e que bom que ce tem a serra pra recarregar a energia amiga! e ai nao e egoista e passa adiante.

tenho a mesma dificuldde em muitos momentos, sou mais o tipo barulhenta... por isso preciso da arte, da musica para ter os momentos de acender a luz interna de novo.

boa noite!

ML disse...

Indianos, povo paciente... Já esteve por lá, Beth? Eu, nunca.
Pelo que me disseram, para dizer o mínimo, estranha-se...

bjnhs

ML disse...

PS: de todo o modo, aprecio a filosofia deles: no respeito às vacas então ("e deixa que digam, que pensem , que falem", ou alguma coisa como isso) sou 100% fã!

bjnhs

Heloísa disse...

Beth,
Lindo o vídeo.
Mais uma vez parabéns, e obrigada, por tudo isso que você compartilha.
Beijo.