.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Vida, a grande mãe que nos envolve.


Tumblr.

"Cada um ao seu modo contém a mesma essência divina que nos percorre a todos: a Vida.
Com isso perdemos o falso senso da 'nossa própria importância'.
Deixamos de ser o centro do universo. Mas o que perdemos em importância ganhamos em fraternidade: já não estamos sozinhos.
A vida é uma grande mãe que nos envolve."
(Rubem Alves)

Tenho lido, observado e me interessado muito pelo ser humano e sua interação como parte vital no mundo em que vivemos, pois isto me intriga a cada dia quando penso o quanto somos pequenos e ao mesmo tempo, elos tão importantes nesta cadeia que abastece o universo de vida e pulsação. 
Não obstante tantas coisas horríveis que o próprio homem comete contra si mesmo e contra a natureza e os animais, ainda assim, ele é a criação divina mais perfeita, com o campo energético que possui e que é alterado de acordo com a energia que o cerca, como as marés, as estações, o Sol, a Lua, os ventos, os furacões, os sons ... tudo em perfeita harmonia como o criador fez e conduz.
Esta visão da humanidade como parte da cadeia de Vida na Terra e no Universo instiga, atrai pela sua complexa e enigmática grandeza. Estamos nesta conexão conscientes ou mesmo inconscientes, mas tudo isso rege nosso universo e se resume em 

Vida
















terça-feira, 11 de agosto de 2015

Contra a caça no Zimbabwe e a morte do leão Cecil



Eu amo e respeito animais assim como os seres humanos, porque acho que estamos neste planeta azul, juntos, respirando o mesmo ar e dividindo a natureza, e não é por mero acaso, mas por sermos um único conjunto, sem parênteses ou interseções, colocados aqui para desfrutar a vida que nos foi concedida por algo maior, invisível e divino. Portanto, não acho justo que nós, animais racionais, subjuguemos ou maltratemos os irracionais.

Acreditar que os humanos são os filhos eleitos, e qualquer outra vida existente não passa de mera criatura sem alma, é um dos maiores equívocos do pensamento humano.
(autor desconhecido)

A morte absurda e sofrida do leão Cecil no Zimbabwe, suscitou muitos comentários e argumentações, algumas inclusive que eu discordo plenamente, como a comparação com a morte do leão e de tantos africanos que vem morrendo a cada dia na difícil travessia que fazem do continente africano para a Europa. Para mim, toda a vida neste universo tem valor e dor em sua perda.
Mas, o que interessa mesmo, não é a minha opinião e sim a constatação de que, apesar disso, evoluimos ao longo do último meio século e, graças à Internet, a indignação e interação nas redes sociais, o ato e seu autor foi imediatamente condenado.

Um escritor que me chamou a atenção e que li seu primeiro livro no mês passado - José Eduardo Agualusa - (escritor angolano), escreveu um excelente artigo em sua coluna, hoje em O Globo, que vale a pena ler na íntegra, por sua clareza de raciocínio e sensibilidade. Deixo abaixo o link e seu último parágrafo.


"...A relação do homem com os restantes seres vivos parece-me uma boa medida para aferir o grau de sofisticação moral e ética de uma sociedade. Bem sei que um sujeito pode ser cruel com os seus semelhantes e amar os passarinhos. Hitler era vegetariano e promulgou diversas leis destinadas a combater a crueldade contra os animais. Os talhos e os matadouros horrorizavam-no. Haverá por aí torturadores incapazes de matar uma mosca e assassinos profissionais que nos tempos livres se dedicam a salvar baleias. Também é possível ser toureiro e humanista, caçador e democrata, domador de leões e filantropo. Não falo, pois, de casos individuais. Falo de civilizações. Uma sociedade que se comove com a morte de um leão está provavelmente melhor preparada para amar e compreender o próximo. Em todo o caso, olhando para trás, para o abismo convulso por onde se precipita a história da humanidade, fico com a impressão de que o nosso progresso moral vem correndo em paralelo com o reconhecimento dos direitos dos outros seres vivos e o aumento da percepção de que estamos todos ligados.
Ao longo da História, aqui e ali, temos assistido a inúmeros momentos de refluxo civilizatório, alguns deles breves e brandos, outros longos e muitíssimo violentos. No fim, porém, sempre avançamos."





Nota: Infelizmente, o Zimbabwe suspendeu ontem a proibição de caça a leões, leopardos e elefantes, menos de 10 dias após a morte do leão Cecil que causou esta comoção internacional. A matança continua.










terça-feira, 4 de agosto de 2015

Buscando o sentido da vida.


Um dia eu fiz a mim mesmo uma pergunta:
Qual o sentido da vida, digo, o verdadeiro?
Complicado ... eu sei!
E suponho que você também já tenha se perguntado isso.
Então, eu comecei a observar as coisas ao meu redor: natureza, animais e principalmente pessoas.
Cada uma andando por aí, indo para o trabalho, para a escola, falando ao celular, ouvindo música,
ou em momentos de lazer, brincando com o cachorro, fazendo algum exercício, inventando coisas, namorando...
E pensei: o que move esta gente, porque fazem todas estas coisas?
E depois de muitas observações, reflexões e muitas conclusões, apenas uma me agradou:

A morte - sim, a morte!

É uma palavra forte, impactante, eu sei, mas define bem muitas de nossas ações.
Por qual outro motivo faríamos tudo que fazemos nesta vida?
É o fato de saber que um dia morreremos, que nos faz dar valor a tudo isso e a lutar por isso.
É por saber que um dia morreremos que amamos, perdoamos, sorrimos, choramos e sonhamos. É por saber que não temos todo o tempo do mundo e por querer aproveitar este precioso tempo que corremos atrás dos nossos objetivos.
Por isto nos entristecemos quando um erro nos coloca mais distante de outros ou de alguém.
Nosso tempo é ilimitado e curto, embora nunca seja tarde para se começar algo ou recomeçar.
Então ... ame, perdoe, sorria, chore, invente e aproveite.
Esteja perto de quem você ama, faça algo de bom para as pessoas, porque quando tudo isso acabar e você se for o que ficará será apenas o que você foi para as pessoas, a importância que teve na vida de cada uma delas e para o mundo, suas ações.
E mesmo que não esteja em presença, continuará vivo na memória de cada um.
Pense nisso!




Estas palavras estão num vídeo de John Von Achen sobre inspirações para quem busca o sentido da vida, como eu venho buscando a cada dia em que o sol nasce e eu me levanto, a cada noite em que a lua derrama sua luz sobre nossa Terra e me deixa intrigada com sua beleza e sua influência sobre nós,
quando vejo que as guerras insanas continuam a ceifar vidas e o ser humano cada vez mais fazendo tudo e se corrompendo pelo vil metal.

Neste processo fluente, cada experiência, boa ou má, nos ensina uma lição para que enfim encontremos o sentido da vida.
Eu, você e todos, estamos nesse processo, caminhando, aprendendo e ensinando. A morte nada mais é do que um outro estágio de nossa infinita existência. Assim eu acredito ... e você?



Entre o estímulo e a resposta existe um espaço. 
Nesse espaço está o nosso poder de escolher a nossa resposta. 
Na nossa resposta encontra-se o nosso crescimento e a nossa liberdade. 


 Viktor Frankl


Imagens Pinterest.