.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

"A sobrevivência da humanidade, depende da nossa alfabetização ecológica." F.Capra



São 6:45hs de uma manhã azul e estamos diante da boca de um túnel que atravessará para o outro lado do bairro. Centenas de carros parados no sinal vermelho. Assim que ele abre, como se uma bandeira de Fórmula 1 fosse baixada, os carros disparam e entram no túnel, alguns passam de uma faixa pra outra sem sequer acenar com a seta, empurram o veículo pra frente de outro que vem também na mesma velocidade. Tudo se passa como num filme de ação, como se atrás de cada veículo não houvesse vidas frágeis e humanas.
Assim acontece todos os dias numa cidade grande ou mesmo em algumas pequenas, mas que o número de carros parece superar o de gente.

“A humanidade geme, meio esmagada sob o peso do progresso que conseguiu. Ela não sabe o suficiente que seu futuro depende dela. Cabe-lhe primeiro ver se quer continuar a viver. Cabe-lhe indagar depois se quer viver apenas, ou fazer um esforço a mais para que se realize, em nosso planeta refratário, a função essencial do universo, que é uma máquina de fazer deuses”.
Henri-Louis Bergson (1859-1941)

Cresce em mim e em muitas outras pessoas, a vontade de não estar nesta situação diária e tão cansativa. Uma necessidade de contato com natureza, com menos presença humana e suas necessidades urbanóides que, ao fim de um dia e mais outro, cansam e estressam, fazendo-nos adoecer e curtir pouco a vida. Pois certamente este crescimento ilimitado da economia, não leva ao crescimento qualitativo e que aprimora a nossa qualidade de vida.

Até mesmo o Papa Francisco, reconheceu a interdependência da natureza em sua Encíclica divulgada pelo Vaticano ("mas nossos políticos não conseguem conectar os pontos." - "temos que redefinir nossa visão de progresso" - "Nem todo crescimento é bom, pois pode, por exemplo, se valer de exploração excessiva de recursos naturais, combustíveis fósseis e desigualdade de renda", justificou o Pontífice).
O Papa Francisco é mais do que um pastor de almas, mas um grande estadista e tem orientado o mundo para esta visão maior de integração homem-natureza.

O PhD em Física, escritor e ambientalista austríaco, Fritjot Capra, está em Cuiabá esta semana e faz palestras neste Congresso Internacional de Sustentabilidade, e uma de suas falas mais importantes neste evento diz:

"Uma comunidade sustentável tem de ser projetada de uma forma que não interfira na maneira natural de como a natureza sustenta a vida.”
” [A alfabetização ecológica] Tem que se tornar uma competência crítica para políticos, empresários, indústria, universidade, todos os níveis. É preciso compreender os princípios básicos da ecologia e aplica-los.”
O que parece a nós, ainda, algo inatingível neste século, na Alemanha, por exemplo, já existem comunidades como em Vauban, Friburgo, com um ilustre exemplo de estilo de vida e resoluções sustentáveis aplicadas por aproximadamente 5,5 mil moradores, que poderiam servir de inspiração para todos os demais habitantes deste planeta.

As casas foram construídas para funcionar como micro usinas de energia elétrica, gerando mais energia do que consumindo. Sendo assim, a energia extra é compartilhada para a rede pública. Já as coberturas das casas contam com sistema de captação de água da chuva, utilizada para irrigação e uso sanitário.

Em 2009 o número de pessoas que não usam carro chegou a 70% em Vauban. A maioria dos moradores opta pelos bondes que andam sobre a grama, caminhadas e uso de bicicletas para se locomover na comunidade, que possui ciclovias em praticamente todas as ruas, que contam também com coletores de resíduos para reciclagem.

Mais fotos e ideias de planejamento de Vauban estão disponíveis AQUI.


Todos os dias, milhares de pessoas sonham, imaginam suas vidas dentro de um mundo melhor e mais justo. E isso é bom, faz parte do nosso crescimento espiritual também, nos alimenta, nos impulsiona face às dificuldades, nos injeta esperança e vontade de fazer algo para provarmos a nós mesmos o quão brilhante somos como seres humanos.


"Não há nada como o sonho para criar o futuro. Utopia hoje, carne e osso amanhã."
-Victor Hugo















14 comentários:

Cristina Pavani disse...

Texto lindo, alfazema... E como eu te entendo!
Ultimamente as crianças estão sendo alfabetizadas desde a creche para a ecologia. Pouco a pouco conseguiremos amenizar os danos.
Aqui no interior, já vemos morros devastados que começam a virar nova capoeira - a mão de obra rural é escassa e não compensa plantar ali.
Vemos também o número de nascimentos diminuindo, o que demandará menos da natureza.

O túnel da foto, abarrotado, me deixa totalmente claustrofóbica! O que acontece se algum carro bate naquele emaranhado?

Falando em Alemanha, o Brasil ainda não devastou tanto quanto a Europa, talvez a reversão comece a ocorrer numa década. Espero!

Beijin reflexivo do interior

✿ chica disse...

Adorei teu post e o texto, com as informações. Todos cada vez mais, aliás deveríamos ter nos interessado há muiiiiiiiito tempo atrás em saber nos comportar diante do mundo, da natureza que ganhamos intacta ... Mas até agora, pouco em prol dela foi feito! Há muito a aprender e fazer. Mas sempre é tempo! bjs, chica

✿ chica disse...

Beth, vi agora e olha o

Maria Célia disse...

Sensacional, Beth, como sempre você dando um show com seus textos muito bem escritos, alguém que escreve com conhecimento de causa e luta por aquilo que acredita.
Lamentavelmente o progresso desordenado traz consequências desagradáveis e maléficas aos seres humanos. Estamos sentindo na pele aqui em nosso país.
Adorei saber sobre Vauban, que bacana, deve ser uma delícia morar numa cidade como esta.
Um beijo, querida.

Ana Paula disse...

Beth, eu estou tão desanimada quanto a essa alfabetização ecológica em nosso país.
Energia vinda do sol? E quem "ganhará" se ela é gratuita?
Acho que infelizmente essa é a lógica neste nosso país solar.
Falta muito, mas ver os exemplos que vem dessas cidades já é um alento.
Vamos fazendo nossa parte. Um dia, quem sabe...
Papa Francisco é mesmo de uma grandeza além da religião!
Beijo.

Josiane Cavalli disse...

Obrigada pela visitinha lá no blog. E um ótimo fim de semana.
bjss
http://josianecavalli.blogspot.com.br/

Lúcia Soares disse...

Beth, o progresso nem sempre traz coisas boas, mas ainda assim é necessário, senão estaríamos na idade da pedra, ainda. O que não pode é devastar, sem repor. A natureza está a serviço do homem, mas temos que usá-la com racionalidade. Parece que os que têm o poder - financeiro, comercial, seja o que for - não se interessa pelo futuro, só quer o imediatismo. Na Europa, muitas das soluções são para suprir a falta do natural, mas o que importa é que eles sabem usar da maneira correta.
Não há mundo ideal, há pessoas que o fazem assim.
E, olha, o pensamento de Henri-Louis Bergson foi muito à frente dos problemas atuais. Homem de visão.
gosto demais dos seus posts, que esclarecem e me ajudam a refletir.
Beijo e bom fim de semana.

Socorro Melo disse...


Olá, Beth!

Bom estar aqui, outra vez... Estou voltado, aos poucos.

Boa abordagem, amiga. É preciso acima de tudo onscientização, educação mesmo, para o cuidado com a casa comum, como diz o Papa Francisco. Li a Encíclica Laudato Si e me encantei. Também me assustei com a realidade que a maioria desconhece. É preciso agir urgentemente.

Grande abraço
Socorro Melo

Lení disse...

Bah, Bety! Muito bom o teu post.(Como sempre) Se não cuidarmos do que a natureza nos proporciona...de quê adiantará o futuro? Os países do 1º mundo acordaram, depois de muitos estragos. Vi florestas lindas(Floresta Negra, Alemanha) mas com resquícios de muita poluição. Estão fazendo a parte deles. Façamos a nossa tmb. Bjos e um espichado e gostoso finde.

Beatriz disse...

Ah,como eu gostaria de morar em um lugar como este na Alemanha....
Temos um país imenso, cheio de belezas naturais e pessoas com boas ideias também, mas algo não deixa o barco andar! Parece que fomos contaminados pelos danos que a corrupção fez em nossa terra! O progresso é necessário sim, mas é preciso ser bem gerenciado, senão nada funciona direito. Na Suécia também já existem algumas vilas ecológicas com esta mesma ideia de sustentabilidade e de compartilhar os benefícios entre todos. Inclusive tem algumas vilas que compartilham apenas um carro elétrico (que não polui). As pessoas se revesam no uso do carro, é só avisar com antecedência, e só quando precisam ir a distâncias maiores ou fazer compras grandes. De outro modo, usam mesmo suas bicicletas ou patins. É tão simples, por que não fazemos aqui???

Beijinhos querida e um ótimo feriado aí nas montanhas (adivinhei?)!!!

Bia <°))))<
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Beth
Um post em base ao que precisaremos pra sobreviver ao caos reinante...
Tanta gente está bem a frente da maioria de nós em desenvolvimento por aí afora...
Vamos tentar melhorar sempre!
Bjm fraterno

Toninho disse...

Que beleza de postagem amiga, que precisa ser mais lida.
Você dá um belo exemplo de preocupação com esta vida massacrada que vivemos por aqui, fui no link e até o salvei nos favoritos.
Esta consciência com apoio das entidades e governo é um passo formidável na busca de vida melhor.
Parabéns amiga.
Amei esta postagem.
Abraços.
Bju de paz.

silvioafonso disse...

Está lindo o seu blog, mesmo que
tristes sejam suas matérias.

Um beijo e parabéns pela pesquisa.




.

Luciana Håland disse...

Também compartilho dessa vontade. Mais natureza, mais tranquilidade e paz.
Todo dia pela manhã também enfrentamos um engarrafamentozinho,agora esta mais brando infelizmente, e explico o infelizmente, pois é devido às demissões em massa que vem ocorrendo aqui. Volta pra casa depois do trablho também rola um congestionamento do trânsito, perdemos uns 30 minutos.

Beijo