.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Precisa-se de justiça



Brooke Shaden


“Toda a vida da alma humana é um movimento na penumbra. Vivemos, num lusco-fusco de consciência, nunca certos com o que somos ou com o que nos supomos ser. Nos melhores de nós vive a vaidade de qualquer coisa, e há um erro cujo ângulo não sabemos.
Somos qualquer coisa que se passa no intervalo de um espetáculo; por vezes, por certas portas, entrevemos o que talvez não seja senão cenário.
Todo o mundo é confuso, como vozes na noite”.
Bernardo Soares(heterônimo de Fernando Pessoa)
Livro do Desassossego


Em outras palavras - eu não acreditei quando vi hoje, mais uma vez pela tv, uma idosa com Alzheimer, magra, debilitada, não oferecendo nenhuma resistência, sendo mal tratada pela cuidadora e descoberta pelas câmeras instaladas pela família.
Realmente, "por vezes, por certas portas, entrevemos o que talvez não seja senão cenário".
Este e muitos outros de diversos aspectos, são dramas humanos pungentes que assolam o mundo e que nos arrebata a alma para a tristeza e desesperança.
E é neste mundo sombrio que devemos debater sobre as muitas questões morais que nos afetam, e que as prisões sejam verdadeiras para estes bandidos. Por mais confuso que se apresente este tempo, ainda estamos nele e por isso não devemos nos isentar de demonstrar nossa indignação e ajudar a iluminar o mundo com justiça.
















15 comentários:

✿ chica disse...

Beth, a cada noticiário ficamos mais indignados! Tantas coisas somos obrigadas a ver acontecendo e pior, ficando impunes, ou apenas fazendo de conta de a justiça existe. São presos e depois logo liberados. Que não paremos de gritar e nos indignar! Não podemos nos acomodar e aceitar como verdade o que temos diante dos olhos.Isso é gritante! Lindo fds! bjs,chica

Ivone disse...

Bom dia linda amiga Beth, o que me chamou a atenção em ler aqui foi a frase de Bernardo Soares, heterônimo de Fernando Pessoa, adoro-o, li o livro.
Mas vi e, também como você, me indignei!
Quanta covardia, nem sei até quando iremos ver isso, pessoas que escolhem cuidar de idosos e não são nem um pouco sensíveis!
Enfim... Há de haver alguma justiça, pelo menos é o que se espera!
Abraços linda amiga!

Maria Célia disse...

Bom dia, Beth
Falou muito bem, carecemos de mais justiça, apesar de muitas vezes não acreditarmos que ela exista.
Entretanto, como você disse: vivemos neste tempo e não devemos perder a esperança e nem deixar que atos abomináveis passem em branco, ainda que na maioria das vezes pouco ou nada possamos fazer.
Um beijo, querida.

Beatriz disse...

Querida Beth!
É tanta coisa absurda que acontece por aí que ficamos meio que arrebatados com tudo isso. Mas a reação é necessária e deve ser precisa. Não devemos deixar que a vida seja apenas um cenário. O pior é que casos assim acontecem todos os dias, inclusive com animais também. A punição deveria ser tão severa que ninguém mais tivesse coragem de ultrapassar os limites. Acho que falta um pouco de delicadeza nos seres humanos em geral... Bom passar aqui e refletir!

beijinhos mil!!!!

Bia

Calu B. disse...

Betinha,
a visão desta reportagem me chocou tanto que não consegui terminar de vê-la.São tamanhas injustiças, descasos, desrespeitos sequenciais a nos toldar a vida, anos nublar a alma, mas não iremos nos acomodar diante disto tudo, nunca mesmo.
Oportuno grito de alerta!
Bjkas, amiga.
Calu

Dra. Cristiane Marino disse...

Olá Beth, lindo trecho de Pessoa.
Sim, temos que trabalhar por justiça, mas não podemos permitir que a nossa chama seja apagada pelos atos daqueles que estão vivendo na escuridão.
Precisamos manter nossa luz, caso contrário as sombras reinarão.
Bjs

Cristina Pavani disse...

Olha, Alfazema, minha bivó foi cuidada pelas netas - só de um filho eram sete! A nora dela, minha avó, necessitou de cuidadoras semanais e revesamento dos oito filhos aos fins de semana.
E com o encolhimento das famílias, sem netas a postos, também nos deveremos ficar à mão de estranhos... a demência é herança cruel da longevidade.

Abraço reflexivo

Coluna da Mi disse...

Oi Beth!
Eu não cheguei a ver essa matéria, li alguma coisa sobre isso no Facebook, que já tem tragédias e bizarrices o suficiente.
Pode me achar alienada, mas tenho evitado ultimamente, para minha própria sanidade mental, noticiários que só mostram desgraça.
Não que elas não devam ser denunciadas e mostradas, mas o mais triste é que raramente a justiça em nosso país é feita e isso só nos entristece mais e mais.
Beijos e tenha um bom fim de semana.

http://colunadami.blogspot.com.br

Célia Rangel disse...

Vemos a cada momento espetáculos deprimentes com nossos idosos, nossos doentes. Não há mais solidariedade ou compaixão. Não há sequer o pensamento de que um dia você também poderá passar por isso. Indignação mesmo com corruptos, corruptores e cuidadores sem nenhuma condição - marginais todos!
Abraço.

ONG ALERTA disse...

Carecemos de pessoas que podem fazer diferente neste país...
Beijo Lisette

Bia Hain disse...

Olá, Beth! Não há como negar o quanto a violência gratuita está sendo difundida. Intolerância, barbárie, agressividade, tem demonstrado o quanto o ser humano está regridindo, apesar da disponibilidade de informação e tecnologia. O que acontece, afinal? Falta amor... como fomentar amor em pessoas tão duras e crueis com os outros? Um abraço!

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Beth
Eu vi e está cada vez mais aumentando a violência das cuidadoras que podem só querer o alto dinheiro que o cargo lhes pode proporcionar... é pena!!
Coitados dos idosos que necessitam!!!
Bom fim de Domingo!!!
Bjm fraternal

Maria Grinheiro disse...

Olá Beth.
A degradação a que estão entregues nossos idosos é intolerável. Não é só aí, no Brasil, aqui em Portugal também há monstruosidades - falsos asilos têm sido detectados e fechados, também se tem descoberto a violência não só física como psicológica e económica (posse inapropriada das parcas reformas) dentro das próprias famílias (se é que isto pode ser em algum lugar do mundo "família").
É uma miséria vergonhosa que necessita de intervenção urgente do Estado e da sociedade.
bjos

Léia Silva disse...

Tenho evitado ver telejornais, pois deprimo-me.
Aqui na Itália comecei até ter medo de sair de casa, pois aqui a violência contra a mulher é inacreditável.
Revoltante saber que uma pessoa doente e indefesa é maltratada dessa maneira.
Bjim
Léia

Lúcia Soares disse...

Beth, minha mãe tem 2 cuidadoras, que se revezam dia sim, dia não. Ficamos de olho, e como temos ainda 1 irmãos em casa, é mais fácil a vigilância.
Uma das coisas mais angustiantes é precisar de quem cuide de nós na velhice!
Beijo.