.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Pela paz e cooperação, sem robô dourado.

"Se quiser ir apenas rápido, vá sozinho; 
se quiser ir longe, vá com alguém"
(Ditado africano)

Quem tem mais de cinquenta anos ainda lembra com carinho do alerta que era feito pelo robô B-9 da série televisiva Perdidos no Espaço. "Perigo, Perigo!" Alertava ele para proteger a família Robinson das armadilhas siderais e das maldades do vilão, Dr.Smith, um humano super narcisista, enrolado e que só olhava pro seu próprio umbigo.

Até que um robô ia bem nos dias de hoje! Eu gostaria de ter um amigo assim, que andasse comigo em certos lugares para me alertar e me guardar, quem sabe eu iria fazer coisas que sinto vontade, mas me sinto travada, com medo, como por exemplo, trabalhar em ajuda comunitária numa dessas favelas da minha cidade. Iria eu e meu robô dourado, abrindo caminho, avisando que sou da paz e que só queria levar conhecimento, alguma ajuda moral e financeira para os velhos, crianças ou necessitados.  Mas, agora, a ameaça maior vem de nós mesmos, de nossos semelhantes que não deixam o mundo melhorar e se unir em paz. Apesar de sermos animais gregários, vemos que tem crescido assustadoramente o segregamento por conta da ignorância, do preconceito e do egoísmo de alguns. 

Somos um animal frágil e a nossa fragilidade é tão grande que necessitamos viver juntos o tempo todo para que tenhamos força e desde o início da nossa espécie, quando estávamos nos estruturando, foi a capacidade de cooperação, o esforço coletivo que nos fez sobreviver por todas estas centenas de anos.

Se nos uníssemos de verdade agora, deixando de lado o individualismo, marca de nosso tempo, não precisaríamos de robô nenhum, claro!
Como eu sei que no mundo atual, união é coisa cada vez mais difícil, continuo sonhando com meu robô dourado, me orientando e alertando "Perigo, Perigo!" 
E assim, faço da minha vida uma demonstração de paz, a fim de agregar mais e, dentro do possível, ajudar quem eu posso e tanto necessita. E mesmo sem robô para nos proteger, podemos fazer o melhor dentro de nosso alcance, procurando olhar pro lado, entender o que está se passando com o outro, solidarizar-se em campanhas de ajuda aos nossos semelhantes e aos apelos da natureza e dos animais.

Só pra relembrar esta série incrível dos anos 60 - Perdidos no Espaço.

A Família Robinson, Dr.Smith e o famoso robô B-9-Tumblr










14 comentários:

✿ chica disse...

Beth,seria muito bom um robozinho assim. Mas, como é impossível, devemos seguir nossa intuição e ela fala muito. E esse robô pode vir do Alto!! E, de repente , em nosso ouvido aparece a vozinha: Não vai! Vira! Aí é perigoso! E por aí ,vai!

Infelizemnte temos vontade de fazer muito mais e não podemos. Temos medo dos nossos irmãos homens... A coisa anda num ponto tal que até para colocar um trabalhador, pedreiro, encanador dentro de nossas casas, precisaríamos ter esse robô,rs... Mas, vamos em frente e não deixemos o medo nos estancar!!!

beijos,lindo dia e fds! chica

Teresinha Ferreira disse...

Olá amiga Beth,
Nossa, fiquei aqui lembrando do Dr. Smith e do robô com aquela voz incrível...kkkk
Quem não gostaria de ter um robô por perto... Ah!!! Um anjo da guarda de lata para nos proteger. Seria ótimo mesmo.
Concordo que o individualismo impera o mundo atual. Cada um por si e Deus por todos.
Tenho fé e esperança que um dia as coisas terão outro rumo e que possamos caminhar livremente sem medo.
Beijos mil

pensandoemfamilia disse...

Oi Beth
Foi fundo na baú de boas lembranças. Acho que seu sonho é o alerta do desamparo que todos vivenciamos. Somos um ser social, só que nos dividimos, subdividimos e nos tornamos um que se sente perdido neste contexto de desigualdades e violências.
Bjs.

Nane Cabral disse...

Beth, como seria bom um robô mesmo. Mas ainda há esperança em encontrar essa companhia boa em alguém próximo. Ás vezes só nos falta coragem, mas é bom arriscar de vez em quando né? Amei seu post. Vc conseguiu expressar um sentimento comum. Beijinhos e um ótimo final de semana! Nane www.vovoqueensinou.blogspot.com

ONG ALERTA disse...

Acredito que chegaremos a ter robôs dentro de casa, mas assim o ser humano vai deixar de conviver com ser humano.
Beijo Lisette

Calu B. disse...

Betinha,
que lembrança deliciosa unindo o passado ao presente em considerações sensacionais; de fato nosso instinto gregário tem enfrentado barreiras assustadoras provocadas por nossos iguais e produzindo resultado adverso a ele.
Um robô dourado cairia bem em nossas empreitadas diárias.
Mais uma ótima prosa por aqui.
Bjkas,
Calu

Ana Paula disse...

Nada mal a proteção dourada que também nos traria uma boa dose de coragem. Infelizmente não dá para negar que em muitas situações nossos semelhantes nos enchem de medo e por isso entendo que muitas vezes a nossa vontade não consegue sair para a ação.
Tomara um dia próximo, tudo isso mude.
Beijo!

Bombom disse...

Olá Beth, excelente reflexão que nos trazes, tão actual e tão realista.
Como é possível não conseguirmos confiar nos nossos "irmãos" Homens?
Como chegámos a este ponto, de só contarmos connosco e de ignorarmos os que mesmo ao nosso lado precisam de ajuda?
Na corrida vertiginosa em que se tornou a vida nas cidades, esquecemos certas verdades ancestrais e seus valores, que foram sendo substituídos ao longo das últimas décadas. Passámos a aceitar os contra-valores da ambição, da superioridade, do dinheiro, do Ter em vez do Ser...
Por isso, estamos hoje num beco do qual só poderemos sair, se reflectindo como tu fizeste hoje, soubermos pôr em prática os verdadeiros Valores que nossos Pais nos transmitiram.
Obrigada por este belo texto! Um abraço da Bombom

Julia disse...

Me ha encantado tu post, tienes cosas muy interesantes, felicidades por tu bloc. Te invito a visitar el mio, esta semana damos la bienvenida al verano con un monton de propuestas interesantes. Espero que te guste y te hagas seguidora y si ya lo eres gracias por tu visita. Elracodeldetall.blogspot.com

Silvana Haddad disse...

Beth:
Fui super fã desse seriado.
E na falta de um robô, temos (pra quem acredita, claro) um anjo da guarda, a nos proteger dos perigos.
E concordo com a Chica, nossa intuição está aí, a nossa disposição sempre.
Basta disposição pra escutá-la....
Boa semana.
Bjs.:
Sil

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida amiga hoje vim te desejar uma abençoada semana.
E para dizer que estou voltando aos pouquinho, pois a vida real está exigindo um pouquinho mais de minha atenção. Estava sentindo muitas saudades de vir aqui!
abraço fraterno
Maria Alice

Maria Francisca disse...

Olá, Beth.
Viva Terezinha que nos colocou em contato. Parabéns pelo blog e pelo texto, entretanto, eu não gostaria de um robô comigo não. Gente, mesmo, de carne e osso, mas o mundo está difícil, tem razão,porém, como disse Drumond, a vida é uma ordem...
Beijos,
Maria Francisca

Maria Célia disse...

Oi Beth, tudo bem?
Eu adorava Perdidos no Espaço, era minha série predileta.
Nada mal se pudéssemos contar com a ajuda de um robô para nos alertar contra os perigos.
Infelizmente, suspeitamos de tudo e de todos, perdemos a confiança em nossos semelhantes.
Um beijo.

Anne Lieri disse...

Ai Beth,eu era fã desse seriado! Não perdia um! Amei o seu texto e de fato vemos a solidariedade cada dia menos e é preciso cultivá-la mais em nós! bjs,