.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Multa Moral para Deficientes de Caráter


-Estádio Orlando Magic-

As marcas destinadas a estacionamento em shoppings, supermercados, teatros, estádios, enfim em todos os lugares onde os seres humanos transitam, devem ser respeitadas e entendidas sem brigas ou discussões quando tem uma indicação de que está ali para servir à pessoas idosas ou com deficiência e mobilidade reduzidas.

Eu não sei se os novos tempos aqui no Brasil, onde a população anda tão desalentada com os desmandos, corrupção galopante, falta de punição e de ética dos nossos representantes públicos, como também a própria educação que já não é mais a mesma, está enfraquecida com a falta de prestígio dos governos. O fato é que cresce a cada dia e em todos os lugares deste nosso imenso território, o descumprimento às leis, o desrespeito às mesmas, que existem e são para serem cumpridas. Mas, infelizmente nada! Pelas ruas, no trânsito chegando até os estacionamentos, vemos atitudes de causar indignação, causando desconforto e falta de mobilidade para idosos ou pessoas com deficiência física e que necessitam se locomoverem com facilidades.

Ao contrário deste nosso triste panorama, o primeiro mundo, cada vez mais se empenha em incluir crianças, jovens e idosos para usufruir o que há de melhor em seus países. Na imagem acima vemos adultos paraplégicos jogando basketball no intervalo do principal jogo da arena do Orlando Magic nos Estados Unidos, e a torcida vibra e torce junto, sem nenhum desrespeito ou apatia.

Os ônibus, em Toronto, por exemplo, têm um dispositivio para facilitar a subida e descida dos passageiros, principalmente dos deficientes físicos ou idosos, pois eles se abaixam ao nível da calçada para que entrem com mais comodidade.
Em Washington pude presenciar um casal de anões paraplégicos em suas cadeiras de rodas bem equipadas, lendo e escolhendo tranquilamente dentro da mesma  livraria e quando quiseram ir embora, havia uma saída específica para tais cadeiras. Mais completo ainda foi o transporte que os levou embora - uma ambulância, pedida por celular por eles, para determinada hora, e lá estava o motorista pronto para baixar uma rampa e ajudá-los a subir confortavelmente em seu transporte diário.
Em Portugal e Paris, muitos idosos andam em esteiras rolantes para chegarem aos níveis de metrôs que os levarão ao lugar desejado, tudo com calma e muita civilidade.

Enquanto nosso país não tiver estas comodidades para oferecer aos nossos velhos e deficientes físicos uma forma digna, civilizada e acima de tudo, consciente, na observância e no respeito às tais vagas marcadas para estas pessoas em qualquer estabelecimento público, o jeito é nós mesmos começarmos a agir e demonstrarmos nossa indignação e repulsa a tais atos.

Noutro dia, indo com minha mãe a um grande supermercado aqui da cidade em que moro, percebi que todas as vagas marcadas no chão para idosos estavam ocupadas e a última que faltava, o carro à minha frente, com três jovens, estacionou sem a mínima preocupação naquela vaga que ficava mais próxima ao elevador e que facilitaria a locomoção para minha mãe, por exemplo. Sairam rindo, falando entre si e nenhum deles percebeu ou falou que ali não era adequado estacionar.  Em seguida, chegaram duas mulheres, jovens ainda, e abriram a mala de um outro carro também estacionado numa daquelas vagas e, rindo, colocaram suas compras dentro do carro e foram embora. Eu fiquei abismada de presenciar tantas pessoas sem noção e sem educação, praticando o mesmo ato.  Na saída procurei o responsável pelo estacionamento que disse-me ser impossível fazer alguma coisa, pois toda hora uma pessoa age assim e se eles chamam atenção, respondem com grosseria e colocam o carro de qualquer jeito.

É quase impossível desses infratores receberem multas, afinal não há tantos guardas municipais para isto ou se há, eles não cumprem suas funções como deveriam. Sabemos que as coisas funcionam a partir do momento em que as pessoas sentem no bolso de verdade.

A blogueira Mari Hart e mãe de três filhos, um deles Léo, um simpático e inteligente garotinho tetraplégico e
que em sua lida diária convive com dificuldades para sua acessibilidade, encontra na mãe alguém que não desanima e luta como uma verdadeira leoa exigindo o que é de direito para seu filho e, consequentemente, para outras pessoas com o mesmo problema que ele.  Então, ela exige respeito num país como esse de difícil entendimento e aceitação das leis. Nesse post aqui, poderão ver um pouco de sua luta e de como está a situação na falta de educação e amor ao próximo que vemos por aí.

Conversando com ela pelo Facebook, pedi-lhe que me enviasse uma cópia do documento que uma amiga dela lhe deu há tempos, e que agora poderá ser uma arma que todos nós podemos usar contra estes caras de pau, sem coração e sem noção que estão se alastrando pelas cidades - uma "Multa Moral" que você poderá imprimir e guardar em seu carro para quando ver um desses 'deficientes de caráter' estacionados em lugares não permitidos.  Eu já fiz as minhas e em breve terei o prazer de deixar um desses papéis no vidro de uma dessas abomináveis criaturas.

Multa Moral


26 comentários:

✿ chica disse...

É impressionante o despreparo que temos e vemos por aqui. Minha mãe precisa cadeira de rodas pra se locomover e quando queremos levá-la à algum lugar, não encontramos veículos para transporte de cadeirante. Uma grande dificuldade. Hoje ela usará um deles,que com muito sacrifício foi conseguido.

Adorei essa idéia de multa moral e devemos mesmo colocar nos vidros em todos os lugares em que notarmos o desrespeito!

Impressioante como ele existe! Pena! Será que um dia o Brasil chega lá? beijos,chica

Ana Paula disse...

Beth é mesmo lamentável a falta de respeito que vemos por aí. Eu utilizo transporte público e seja no metrô ou em ônibus é o mesmo descaso com os assentos reservados. As pessoas usam e ainda dormem... talvez assim não vejam quem realmente precise daquele lugar. Falta educação, falta se colocar no lugar do outro, falta amor ao próximo.
Muito legal essa multa. Vou providenciar sulfite amarelo para dar mesmo um bom efeito e andar por aí!
Beijo

Elisa Zambenedetti disse...

Oi, Beth!
Muito importante seu post.
Uma vez levei uma amiga tetraplégica numa pizzaria aqui em Salvador, chama-se Cheiro de Pizza e fica no Dique do Tororó. Quando chegamos ao estacionamento, havia um carro parado em frente a rampa para cadeirantes e o motorista estava dentro do carro.
Ao nos aproximarmos pensamos q ele moveria seu carro para que pudéssemos subir pra calçada, mas não, e o guardador de carros do estacionamento saiu de mancinho pra não se envolver.
Tive que pedir ao "cidadão" que estacionasse em outro lugar, pois mesmo vendo a nossa dificuldade em subir a calçada, por iniciativa própria a criatura não se moveu.
Na saída, dei aquela bronca no cara do estacionamento, mas, é isso. As pessoas se importam com si mesmas.

Priscila Ferreira disse...

Beth, adorei o post!
Período passado fiz um trabalho na faculdade sobre os PNE ( deficientes, gestantes e idosos) e percebi que é assim mesmo, o 'pessoal' pouco liga para isso. Acho uma falta de respeito com aqueles precisam de mais cuidado!

E a moral do trabalho foi que todos estamos sujeitos a isso.
Deficiência não é só de quem nasce, também pode ser adquirida, por mais chocante que seja, quem garante que amanhã não será um de nós?!

E os idosos, são o nosso futuro!
Adorei a multa de moral!
beijos dinda!

Taia Assunção disse...

É realmente um absurdo e o pior, é que levaremos 'séculos' para chegar a esse nível de acessibilidade que existe no Velho Mundo e nos EUA. Menina, a galinha que tu me enviastes, veio viver aqui no Congo ;-) rsrsrsrs...beijocas!

Heloísa disse...

Beth,
Muito interessante essa multa moral, que pode ser um dado a mais na tentativa de educar e civilizar nosso povo.
Infelizmente a falta de educação e de civilidade é quase que uma regra geral. É a educação que deve ser dada pelas famílias. Como está falha, as escolas precisariam trabalhar nesse sentido. Só com a educação, atitudes desrespeitosas seriam eliminadas.
Beijo.

Mari Hart disse...

Post super completo, repleto de informações extremamente necessárias para nos dar a real noção de valores e respeito ao próximo.

Obrigada por me dar as mãos nessa luta, que como sempre digo, deveria ser de todos e não somente de deficientes e seus famiiares, mas por um futuro mais digno!

Vou compartilhar!

Bjo grande!

Diacuy Piccione disse...

Beth, eu adorei e vou imprimir a multa moral, deveria ter multa moral para quem desrespeita vagas de idosos tb.
beijo

Palavras Vagabundas disse...

Sempre fico indignada, em supermercado então, ninguém respeita! Vou copiar e levar comigo.
bjs
Jussara

Loise Anacleto disse...

Oi Beth!
ADORO teu Blog!!!!
De grande importância esse post e a multa moral é mais uma chamada na conciência. legal!
Aqui em Florianópolis acontece o mesmo o desrespeito e falta educação do brasileiro não está só nas vagas para deficientes mas em muitas outras coisas.
O brasileiro devia fazer um estagio na Alemanha de tudo que está precisando no Brasil,rs
Aqui no sul as pessoas jogam lixo no chão, no teatro, cinema, comerciantes jogam esgoto direto na lagoa mais famosa da cidade, e por aí vai...
Ah! Quanto as vagas de idosos, preciso também para minha mãe de 87 anos que tem parkinson e não encontro nenhuma, porque muitas pessoas de 60 anos se consideram idosas e se benefeciam dessa lei, então fica bem difícil encontrar vagas já que o numero de idosos cresce a cada ano. imagina?
Eu adoro o nosso Brasil mais tem muitas leis que precisam revisadas e muitas coisas melhoradas.

Beijão grande
Loise

Márcia Cobar disse...

Belo texto Beth, tanto o seu quanto o da Mãe Polvo.
A multa moral se aplicaria perfeitamente a uma prima minha que é palhaça nata, mas na circunstância que vou descrever aqui, uma baita idiota.
Ela estacionou o carro numa vaga reservada a deficientes e, como não tem deficiência alguma, saiu do carro mancando, com meio palmo de língua pra fora e o braço torcido.
Quando entrou no shopping, ela caiu na gargalhada, tamanha a proeza que tinha realizado...
Isso foi real. E reflete como muitos brasileiros encaram o respeito: o levando na brincadeira...
Uma pena...
Beijo
Márcia

Calu disse...

Clap, Clap, Clap...por cada linha de teu excepcional texto, Betinha.Temos de nos indignar com tantos descasos e desrespeitos rotineiros em nossas cidades.Sentimo-nos aviltados todo o tempo.Poderes públicos, infra-estruturas, instituições...civilidade e sociabilidade inexistentes,e impostos exorbitantes fazem parte da triste realidade em nosso país.Vamos nos unir ao "Indignai-vos" e botar a boca no trombone.
Tirarei cópias da multa-moral e os prepotentes que me aguardem.
Bjos solidários, amiga.
Calu

Lúcia Soares disse...

Beth, é preciso que exista atitude, da parte de quem sofre esses desaforos, como a Meri Hart sempre tem feito.
Em Brasília, as vagas para idosos só acontecem (pelo menos nos shoppings por onde andei) se seu carro tem um adesivo, fornecido não sei lhe dizer por que orgão, só assim estão aptos para ocupar as vagas.
Aqui em BH temos os ônibus que descem uma plataforma, mecanicamente, para que os cadeirantes entrem e saiam dos ônibus. Nem todos os ônibus a têm, mas toda linha tem que ter um certo número de carros circulando com esse acesso, o que é indicado no para-brisa dos ônibus, para avisar aos cadeirantes ou seus acompanhantes.
Não acho que um estacionamento deva ignorar esses abusos, se há fiscalização ela tem que ser efetiva, lá dentro. Aqui pagamos caro em estacionamentso, então todos os direitos têm que ser respeitados, né?
Acho que uma ação efetiva de cada um vai acabar conscientizando esses folgados, que a nada nem a ninguém respeitam.
Mas, como vc disse, se vemos a bandalheira rolando solta lá em cima, como os folgados cidadãos vão ter medo de alguma coisa?
Estou do seu lado, com minha indignação.
Beijo!

Luciana Souza disse...

Oi Beth
Concordo plenamente contigo, é a mesma coisa nos supermercados, a fila preferencial, outro dia estava com minha mãe nela, e um sujeito estava na minha frente, eu educadamente perguntei a ele se ele sabia que aquela fila era para idosos e gestantes, ele falou um monte de palavrões, e sabe o que é pior? O filho pequeno dele viu tudo, então o filho vai ser pior que ele! Infelizmente. O respeito é tudo! Sempre ensino para meus filhos.
Bjs. Fique com Deus!

Luciana Souza disse...

Oi Beth
Concordo plenamente contigo, é a mesma coisa nos supermercados, a fila preferencial, outro dia estava com minha mãe nela, e um sujeito estava na minha frente, eu educadamente perguntei a ele se ele sabia que aquela fila era para idosos e gestantes, ele falou um monte de palavrões, e sabe o que é pior? O filho pequeno dele viu tudo, então o filho vai ser pior que ele! Infelizmente. O respeito é tudo! Sempre ensino para meus filhos.
Bjs. Fique com Deus!

Georgia Aegerter disse...

Beth, muuito oportuno este teu post.

Eu uma vez estacionei numa vaga dessa na escola de musica da minha filha,para levá-la à porta do curso, foram 5 minutos qdo voltei eu já tinha recebido uma multa caríssima por sinal. Postei isso na Saia Justa quando me aconteceu.

Aqui a gente nao vê ninguém usando essas vagas...

Bjos e parabéns pela postagem

Georgia Aegerter disse...

Beth, muuito oportuno este teu post.

Eu uma vez estacionei numa vaga dessa na escola de musica da minha filha,para levá-la à porta do curso, foram 5 minutos qdo voltei eu já tinha recebido uma multa caríssima por sinal. Postei isso na Saia Justa quando me aconteceu.

Aqui a gente nao vê ninguém usando essas vagas...

Bjos e parabéns pela postagem

Inaie disse...

Na Nova Zelandia as velhinhas andam numas motos ( que nao sao motos) especiais. Vira e mexe aparece um caso nos jornais de velhinhas de 85 anos que atropelaram outra velhinha, com suas motoquinhas.
Eu acho civilizado!

E não basta ser evlhinho ou ter deficiencia fisica para parar nas vagas. Vc precisa que o carro esteja devidamente identificado, senão leva multa por parar indevidamente.

Um dia a gente chega lá

Beth/Lilás disse...

Amigos,

Hoje, fui de novo ao mesmo supermercado, desta vez com minha mãe e irmã, juntas verificamos que havia mais de 8 carros parados nas vagas para deficientes, todos sem o devido adesivo e também nas de idosos.
Não tem jeito, o povo não tá nem aí!
Deixei em dois parabrisas a Multa Moral. Pena que não fiquei lá para observar as caras dos donos dos carrões quando voltaram, mas imagino que tenham ficado indignados e talvez até rasgado o papel. Não importa! Acho que da próxima vez não voltarão a parar naquelas vagas.
Não coloquei nos outros porque não queria gastar tantos papéis, mas vou fazer muitas cópias agora, resolvi que vou botar pra quebrar, pelo menos aqui em Nikiti.
Façam também, deixem que a pessoa pense no ato absurdo que está cometendo.
beijos cariocas

===================================


Camille disse...

Muito bem dito Beth e excelente ideia essa da multa moral. Vou aderir. Hoje mesmo vi um homem uniformizado como um guarda, um policia, na fila do caixa eletronico. Quando chegou a minha vez de ser a primeira a unica caixa livre era a caixa para pessoas com necessidades especiais. Ouvi uma voz: aquela la. E disse: não. Aquela la é para deficientes. O guarda nem pestanejou, passou a minha frente. Em seguida uma velhinha apareceu e ficou esperando um tempo que nao calculei, mas foi suficiente para eu parar , perguntar coisas ao ajudante do caixa, voltar a usar a caixa e o cara la. Se o guarda não respeita, é uma piada. Vai ver ele so se sente guarda quando esta na área dele. Quando esta fora, é um marginal como outro qualquer. O mesmo se aplica a esses garotos que voce viu: sao gente quando estão na sua "tribo", quando nao estão, não passam de serem irracionais e deviam ir para o zoo. Beijos e parabens pelo post.

pensandoemfamilia disse...

Infelizmente, estamos nesse cícul vicioso que vai tomendo conta da população brasileira. As pessoas não ligam para as leis e muito menos com o próximo.
Na Europa tudo funciona e o país segue dando dignidade e cobrando deveres do cidadãos.
Bjs.

Que tal um café lá no meu espaço???

Teresinha disse...

Olá Beth,
O descaso e o desrespeito estão ai para qualquer um ver e muitos sentem na pele esse problema.
Queria estar lá para ver a cara do pessoal. Estou de acordo e apoio essa ideia.
Outra coisa...Vai no meu blog e veja a minha postagem e me ajuda a divulgar, pois nunca fiz uma blogagem coletiva.
Beijos mil

Jeanne Geyer disse...

muito boa a ideia e copiei a multa, vou começar a usar também, pode ser que alguém crie vergonha na cara...
bjs

http://eubipolarbuscandoapaz.blogspot.com.br/

Allan Robert P. J. disse...

"Enquanto nosso país não tiver estas comodidades para oferecer..."

Oi Beth,

Não acredito que sejam comodidades, não. Acho que é o respeito pelo direito de ir e vir do ser humano, com regras claras para facilitar o convívio em sociedade. E quem não respeita as regras, deveria ser marginalizado.

Boa reflexão.

:)

Georgia Aegerter disse...

Beth, isso mesmo, faca mais cópias. Esta é uma causa da Mae Gaia e vc é uma mae natureza.

Bjos

ML disse...

Estacionar em vaga reservada é coisa de gentinha porcariinha.
A gente fica até constrangido/a pelo/a "espertinho/a" .
REBOCA o carro do/a malandro/a!!!

bjnhs