.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

BC-Meu Herói ou Heroína da Infância



O primeiro super-herói que povoou meus pensamentos de criança, fazendo-me imaginar por mim mesma como seria ele, juntamente com seu eterno companheiro, o Moleque Saci. Era um personagem de um seriado da Rádio Nacional do Rio de Janeiro na década de 50 - Jerônimo, O Herói do Sertão - sempre nos finais das tardes onde o Brasil inteiro parava para ouvir tal seriado que era um verdadeiro sucesso.
Era ouvido pelo rádio, por que não havia televisão na maioria das casas naqueles idos.
Então, meu primeiro super herói foi um personagem sem rosto, feito na minha imaginação e olha, ele era lindo, um belíssimo homem montado num cavalo branco e que salvava a todos com sua coragem e a eterna  luta contra o mal, lema este que todo super-herói que se preza tem que levar muito a sério.

No intervalo entre o rádio e o aparecimento da Tv, a gurizada comprava nas bancas revistinhas, histórias em quadrinhos que ajudaram o nosso imaginário a fixar ideias e valores, tais como; caráter, justiça, bondade, maldade, força e vigor, paz e amor.  Eu tinha pilhas de revistinhas e meu super-herói favorito era o simpático rato Mickey Mouse. Coisa de menina, claro! Quem mais teria um super-herói rato a não ser as bobocas meninas dos anos 60/70, afinal o grande herói dos meninos era Fantasma - aquele que usava um anel para marcar os criminosos e outro para deixar a marca do bem naqueles que queria proteger, assim todos os meninos queriam ter um igual no dedinho.

Aí veio a televisão, eram as décadas de 60/70, e lá em casa um belo móvel de madeira num canto da sala, abrigava uma pequena tela por onde eram transmitidos e vistos, não só por nós, as crianças, assim como
pelos pais que amavam e acompanhavam conosco seriados que embalaram uma época, transformando-se em ícones inesquecíveis de magia,  força e justiça.

Força e justiça poderiam então intitular certos heróis da meninada naqueles anos 60 - O Zorro - por exemplo, além de bonito, com sua capa e máscara negra, lutava contra bandidos e deixava sua indefectível marca, feita com um chicote no peito do malfeitor e pulava em seu cavalo branco galopando altivo e virilmente.
Tarzan - era outro que nos encantava com sua força e luta para defender a floresta sendo um homem branco lutando contra outros brancos que não respeitavam aquele sagrado habitat.
Flash Gordon  - o primeiro homem num cenário espacial, despertando a curiosidade da gente com relação aos planetas e o questionamento se éramos ou não os únicos habitantes da Galáxia, dúvida esta que perdura até os dias atuais.
National Kid - era outra série na linha espacial, começando assim a invasão japonesa de seriados  em terras tupiniquins, muito amado pelas criancinhas por seu jeito puro e de bom moço.
O mais incrível deles era o Super-Homem e fez muito garoto querer pular de algum lugar alto com uma capa nas costas, imaginando-se com os mesmos super-poderes, descobrindo logo em seguida que não passava apenas de um pobre mortal.
-Heróis dos anos 60/70- imagens Google-

Além dos super-heróis de aparência humana, tínhamos também os heróis-animais - Rim Tim Tim era um íncrivel cão pastor que auxiliava os soldados de um forte apache e com o sucesso do seriado, venderam muitos brinquedos inspirados naqueles cenários de índios, cavalos, forte apache, e tudo que um garotinho sonhava.
A cadela Lassie também era amada por muitos, não só pela beleza e  porte altivo da sua raça Collie, como principalmente pela amizade e valentia para defender seus donos e salvar pessoas. E o lindo golfinho Flipper que alegrava as nossas tardes, salvando vidas pelo oceano afora.

Acho que todos nós gostamos dos super-heróis porque precisamos acreditar em alguém que faça justiça e que eleve o bem acima do mal, dando a esperança, mesmo que  fantasiosa, de um mundo melhor, mais amigo e confiável.

De todos eles, sem dúvida, o que ficará para sempre em meu coração é o Super-Homem, pela sua biografia, seu passado familiar fora e dentro de nosso mundo e por que ele eleva o homem com sua frágil aparência humana a uma grandeza de virtudes unida à força física, potencializando ao infinito as possibilidades e indo muito além, com amor,  para suportar sua existência neste planeta.

- O inesquecível Superman, Christopher Reeves- tumblr.-

-Imagem Wanderlust-
 Estes homens são lavadores de janelas em um hospital infantil em Pittsburgh. Heróis da vida real.


Esta foi minha participação na Blogagem Coletiva da Pandora e Alexandre Melo sobre "Herói ou Heroína da minha infância".
Participe você também, veja aqui as instruções.


- Pesquisa de Imagens - aqui. e tumblr.






25 comentários:

Lúcia Soares disse...

Beth, uma delícia viajar no tempo e relembrar tudo isso que vc citou.
Pena que novos super-heróis não surgiram (sei lá se sim! rs) e ainda vivemos dos mesmos da nossa infância e juventude.
Muito bom o post.
Beijo!

✿ chica disse...

Adorei e lembro do Jerônimo...Faz teeeeeeeeeeeeeeempo!!!rs

Ótima participação! beijos praianos,chica

Pandora disse...

Gente que postagem lindaaaaaaaaaaa!!!! Um toque de nostalgia, uma retrospectiva de como os heróis foram chegando ao Brasil e aquele toque pessoal necessario a toda postagem!!! Obrigada Beth pelo capricho!! Simplesmente amei!!!

(Beth, você conseguiu colocar o link no blog, tem um lá que não leva a blog nenhum.)

Irene Moreira disse...

Beth
Viajei o tempo amiga com sua postagem que descreve desde os heróis imaginários que se ouvia pela radio.
Tem muitos que meus irmãos é que gostavam muito.
Quanto ao Superman realmente o Chritopher Reeves é inesquecível.

Parabéns por essa participação fantástica.

Beijos

Alê Lemos disse...

Achei muito lindo vc falano do seu herói sem rosto. Também falei do Zorro, queria ter visto a série além dos filmes do Antonio Banderas (tenho uma queda por ele kkkk). Passou na band acho mas nao consegui acompanhar por causa da escola. Fiquei anos ouvindo sobre o flipper, o rin timtim, o nacional kid, flash gordon etc. Meus pais adoravam essas séries. Aliais meu pai me contou que ele lia quadrinhos da disney e teve todos os personagens em miniatura (ou qse todos) que os pais dele compraram nas lojas americanas. O Mickey é um fofo, claro que vale como herói! (eu andava com o meu pra cima e pra baixo) beijos

Luciano A.Santos disse...

Beth, quantos heróis.

E concordo com a Alê, foi lindo te ver falando do heróis sem rosto ;) Pelo que ando lendo na BC o Zorro está bem cotado, muita gente se lembrou dele, e isso é mais que merecido, por toda a importância que ele tem

Adorei sua postagem. Beijos.

Regina Rozenbaum disse...

É sempre uma viagem no túnel do tempo (e nem estamos no vídeo show)essas postagens suas. Jerônimo não é do meu tempo rsrs, mas os outros, hum nem te conto o que fazia pra assistir aos episódios.
Beijuuss moça show em escrever memórias e atualidades tb!
P.S: a postagem abaixo tá linda de viverrr e nosso Rubem é sem comentários!

Malú Oliveira disse...

Ahahah! Que legal! Deu até vontade de viver na época. Com certeza a emoção era bem maior!

Beijo e obrigada pela visita! :)

VaneZa disse...

Nossa! Que memória incrível você tem. Adorei as suas recordações... a contextualização... tudo. Realemente deve ter sido uma época maravilhosa.

Ah! Eu não sou tão nova assim, e, sim, minha mãe foi malvada!

BeijoZzz

Maria Célia disse...

Oi Beth
Esta postagem tem a minha cara, todos os meus super-heróis estão aí, que saudade, fantástica viagem a um passado rico de emoções e fantasias.
Beijo.

Clara Lúcia disse...

Superman, meu herói!!!

Me lembrei de tantos aqui... Tarzan, que saudades da sessão da tarde com Tarzan! Morria de medo daqueles vulcões, lavas.... areia movediça, que pavor!
Lassie, Flipper... que lembrança boa!

Amei o post! Bons momentos, ótimas lembranças!

Beijos

Priscila Ferreira disse...

Não conhecia o Jerônimo, O Herói do Sertão rs
Acho que nunca tive um herói na cabeça aiai
beijos

Lane Lee disse...

Que delícia de texto! As figuras heroicas transcendem gerações! Não conheci todos os que vc citou e por isso adorei a viagem no tempo...muito bom! Gosto muito do Zorro também, principalmente pq ele é uma personagem latina- o Banderas o imortalizou lindamente no cinema! Ótimo texto ! Parabéns! Beijos.


PS: Adorei o nome do Blog, é o apelido de uma grande amiga !

Alexandre Melo disse...

Que nostaaaalgico!! adorei!! História pura!! Quando você falou dos meninos com a capa amarrada no pescoço... kkkk... eu era um deles!! Abraço e obrigado por participar da nossa blogagem coletiva!!

Calu disse...

Betinha,
que painel completíssimo vc nos traz.Tua memória é prodigiosa, heim?Além de listar todos os que povoaram nossas infâncias ainda os descreveu com detalhes.Ficou um post lindo e imperdível.

Eu, com o cai-cai da net desde ontem corri pra postar o que pude compor, mas vc salvou nossa turma trazendo o Zorro, Tarzan,Flash Gordon e os adoráveis: Rin-tin-tin, Lassie e Fliper.
Parabéns , minha amiga.Amei tua participação.
Bjos,
Calu

Bombom disse...

Bela retrospectiva da BD de outros tempos! Em Portugal não passou a série de Januário, mas todos os outros são nossos conhecidos. Alguns deles chegaram até aos nossos dias, como o Super Homem e o Homem Aranha, que o meu neto adora!
Nesse tempo as histórias infantis tinham a preocupação de transmitir valores , tão importantes na construção da personalidade das crianças. Hoje parece que isso passou de moda e os valores são os americanos: sucesso, conquista, vale tudo, alpinismo social...
Foi bom relembrar outros tempos!
Cheguei há pouco da aldeia e trouxe-te o prometido. segue "dentro de momentos". Bjs. Bombom

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
você lembrou até do Flipper! Gostava do Zorro e seu chicote e adoro o filme com o Banderas! risos
Ei eu sou menina e gostava muito do Fantasma, já até postei sobre ele.
beijos
Jussara

Toninho disse...

Realmente voce descreveu bem esta infancia de imaginações Beth.Como não lembrar deste heroi do sertão?
Beleza sua construção nesta participação saudosista.
Gostei de me rever com as revistinhas.
Bons tempos.
Ah, claro que há saudades desta Minas e estarei por lá breve.
Um abração com minha admiração amiga.
Bjo.

Vivian Fernandes de Goes disse...

Olá,Beth/Lilás!

Linda participação!!Cheia de boas lembranças!Vi a pouco a da Calu!
Uma bela ideia desta blogagem coletiva!

*Voltei!rs
beijos!

Misturação - Ana Karla disse...

Beth!!!
Viajar no tempo com você mostrando esses super heróis foi mesmo muito massa.
Não sou bem desse tempo aí, mas lembro dos meus irmãos mais velhos sempre assistindo Fantasma, Lassie.
Mas o Super Homem passou por várias décadas.
Xero

Christian V. Louis disse...

Uma viagem no tempo e muita informação, eu não fazia ideia que existiam super-heróis através de rádios. Heróis que eram ouvidos, podem ser comparados aos heróis lidos da literatura, onde a maior parte fica por conta da imaginação das pessoas e isto que torna tudo mais interessante.
Parabéns pela participação!

=> CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

Inaie disse...

agora fiquei encafifada pensando quem era o meu super heroi favorito... nao me lembro!

Adorava o flipper e a lassie tb. :-)

ML disse...

"Super Legal", Beth!
Eu sou até hoje apaixonada pela Jeanne é um Gênio e pela Feiticeira. se bate reprise vejo.

bjnhs e ótimo final de semana!

ML disse...

Ia me esquecendo de dizer: o Flipper, hoje a sabe que ficou deprimidíssimo e que todas as gracinhas que esses bichinhos fazem nos Sea Worlds da vida não são para serem aplaudidas, né?
Esses anjos tem de viver livres, leves e SOLTOS!

bjnhssssssss

Teresinha disse...

Ah!!!
Que linda postagem!!! Recordar é viver... Esses personagens são demais...Até hoje gosto de ver alguns desenhos junto com o Taina... Curto todos...
Beijos mil