.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Uma observação por um mundo melhor



Narrativa ;


" Um menino de 9 anos que passava a mão no bumbum das meninas em sala de aula e a mãe de uma delas procurou a direção da escola, fez a reclamação e os pais do menino foram chamados . Esclareceram o assunto em bom nível e decidiram não levar à mídia por considerarem que este era um episódio que poderia ser resolvido por todos sem alarde ou constrangimento para as crianças e seus pais. Ficou no âmbito da escola e das famílias."


Quem comentou o assunto foi o conceituado jornalista da Bandeirantes, Ricardo Boechat, que eu admiro por sua postura ética ao levantar assuntos de interesse para o povo, por seu senso de justiça, clareza e objetividade.  Ele não citou nomes, apenas comentou o fato para poder emendar com um comentário que eu mesma já gostaria de ter escrito por aqui, mas como não sou jornalista e hoje em dia, a chatice do "politicamente correto", impede-nos de levantar certos temas, deixou-me então encorajada para abordar este assunto.


Boechat dizia que suas filhas, crianças ainda, adoram as músicas de Lady Gaga, e quando estão com ele em casa ou no carro pedem para ouvi-la e seguem cantando ou dançando juntos os hits da cantora.


Mas, noutro dia, enquanto malhava na academia, ele observou que acoplado à esteira tinha uma pequena televisão que sintonizava um canal de vídeos musicais e, pela primeira vez, interessou-se em ouvir e ver os vídeos.  A cantora era Lady Gaga em seu clip de sucesso e que  eu também não aguento mais assistir  quando estou malhando na academia, pois ninguém é de ferro para suportar tantos "Alejandros", ditos repetidamente numa só música, sem contar as caras e posições eróticas a qual apresenta em quase todos seus vídeos. 


Além de Lady Gaga, tem Pit Bull, Usher, Rihanna, Black Eyed Peas, existem outras dezenas de vídeos no estilo kama-sutra pop music. Mas, tudo bem, somos adultos e ninguém ali vai ficar roxo ou vermelho, embora muitas vezes dá uma certa 'vergonha alheia' em compartilhar numa tv gigante cenas insólitas e constrangedoras!


Assim , Boechat viu pela primeira vez o vídeo da cantora que suas filhas adoram e sabem, inclusive, cantar um ou outro pedacinho das tantas músicas de sucesso que ela tem e ficou temeroso que elas também assistissem o mesmo.
Se vocês, como ele, nunca viram ou ouviram esta música e o vídeo, vale a pena clicar embaixo e assistir para entender claramente o que escrevo a seguir:  (as cenas mais picantes começam a partir de 2:23min)
Sim, é de tirar o fôlego!  A música gruda nos ouvidos e por isso criancinhas ou até mesmo nós, podemos repetir o refrão massificado facilmente, sendo que ela não exprime o que as imagens apresentam. Acontece que o vídeo não é para criancinhas, nem mesmo adolescentes que ainda estão na formação de seus valores , entretanto, tudo isso se passa de dia, a qualquer hora pelas tvs do nosso país. 


O jornalista Boechat assistiu ao vídeo por volta das 11 da manhã, pelo canal Multshow,  inclusive fez questão de dizer que não tinha nada contra o canal , nem por Lady Gaga que, tanto ele quanto eu, consideramos uma grande artista, criativa, influente no meio musical, compositora, produtora musical e envolvidíssima com o mundo da moda, mesclando fashion e música, em performances incríveis nos palcos .  Seu estilo teve forte inspiração em Madonna, David Bowie, Cher, Grace Jones e no próprio Michael Jackson. Ela é inquestionável, portanto, em matéria de talento.

Quando um jornalista de peso, como Ricardo Boechat em seu programa diário,  faz um comentário onde coloca o seu entendimento e crítica a respeito de alguém público e com o qual concordei plenamente, pois, como fez questão de enfatizar, não tem nada contra Lady Gaga, mas sim pelo que ela e tantos outras celebridades têm  inspirado aos jovens e crianças pelo mundo à fora, estabelecendo uma estética que é copiada, muitas vezes sem maldade, como foi o caso do menininho de 9 anos, passando a mão nos bumbuns das coleguinhas na escola. Afinal, como explicar para uma criança nesta idade que aquilo que ela vê pelo vídeo, de alguém que ela tanto admira,  não se pode fazer, repetir, porque é feio, porque é errado ou inconveniente???


Ele exemplificou com Lady Gaga porque havia visto o vídeo no dia anterior e lembrou do caso do menininho, associando com isso o que está ocorrendo de uma maneira geral com as cabecinhas infantis, o que esta forma de expressão que a tv passa, o quanto de mal está influenciando em nossos filhos ou netos.
Mas, existem também outras influências até bem mais perniciosas e que entram em chamadas diurnas, não respeitando os horários em que menores de 16 anos estão em casa e podem ter acesso a tudo isto.


(Não sei se alguns de vocês tomaram conhecimento de que a Justiça Federal negou o pedido de liminar formulado pelo Ministério Público Federal para que a Globo, não transmitisse, nas edições do "BBB", cenas que pudessem estar relacionadas à prática de crimes.  Liberou geral, como diz a gíria!  Estava, ontem, no jornal esta notícia, que passou quase despercebida, em notas menores para não fazer muito alarde.)


Você poderá dizer que nada disso influenciará as crianças se elas tiverem uma boa educação ou bons valores no seio familiar.  Tudo bem, acredito também, porém é fato comprovado que a estética passada através das músicas e imagens, podem influenciar o espectador. 
Diante de uma televisão ou um computador somos submetidos a experiências que podem instigar, influenciar e até mesmo confundir as mentes, principalmente as infantis. E este processo é direcionado para todas as idades, pois quando um comercial de carro é feito, tomam o cuidado de unir a música ao objeto, muitas das vezes, inserindo lindos modelos homens ou mulheres para influenciar subliminarmente no inconsciente do espectador e possível comprador. As sensações ou percepções que absorvemos não é somente sobre o belo, sublime ou poético, mas também sobre o feio, desagradável, bizarro e trágico.  Hoje em dia, estas mídias têm papel significativo sobre uma sociedade e já pude observar bem de perto, o quanto de pessoas ficam melancólicas, depressivas, violentas, mal humoradas, vendo programas que transmitem uma energia pesada e negativa . 


Quando estamos por perto podemos blindar nossas crianças , até mesmo os mais velhos, para que não fiquem expostas a  baixarias, tristes e violentos programas levados ao ar no cotidiano,  já que não mais podemos sequer contar com a ação fiscalizadora das Autoridades e muito menos com o bom senso das direções das emissoras . Assim,  temos que estar atentos principalmente ao que a televisão e o computador nos oferecem; separando, assistindo, desligando ,dando  ibope ou não, deletando, compartilhando - sempre que possível, protegendo nossas crianças e jovens para um futuro alegre e saudável .




















-Imagem Google Campanha contra violência infantil.







27 comentários:

Maria Célia disse...

OI Beth
Muito bom seu texto, você como sempre
caprichou nas palavras e passou a mensagem muito bem.
Hoje em dia tudo é muito escancarado, tudo liberal, tudo pode, e com isto as pessoas de um modo geral, vão sendo influenciadas, e as consequências muitas vezes trágicas.
É uma pena que seja assim.
Beijo.

Misturação - Ana Karla disse...

O que nossas crianças assistem não é de fiscalização exclusiva dos responsáveis, mas de uma questão de bom senso por parte de quem exibe.
Por mais que fiquemos atentos as "censuras", as crianças de uma forma ou de outra tem acesso em algum outro lugar.
As censuras não censura tudo e até mesmo em filmes infantis podemos ver violências.
Beth, muito bom o texto e um alerta para ficarmos cada vez mais atentos.
Muitas crianças não tem ainda discernimento para entender que o que vemos na TV não pode ser feito na nossa vida real e aí acontece essas coisas.
Bom final de semana bem lindo pra você.
Xerosssssssssssssss

✿ chica disse...

Estar de olho no que nossas crianças assistem é importante.

Porém alertá-los, conversar é importante, pois a partir do momento que entram no mundo, desde as escolinhas, entram em contato com outras cabeças , de outros pais.

E tem muitos que tudo pode e tuuuuudo permitem, pra serem bonzinhos, amiguinhos dos filhinhos "queridinhos"...

Depois todos tem que aguentar!!! As ferinhas estarão à solta!!

Lindo texto,Beth!! beijos,tudo de bom,chica

Georgia disse...

Bethinha que bom que vc trouxe prá este assunto escrito por uma pessoa de de respeito e valor no mundo jornalistico.

Ontem mesmo ao ler com o Christian sobre o show que a Madona fez na Turquia onde ela coloca o peito para fora, eu disse a ele: O que ela quer com esta atitude já sendo uma cantora consagrada.

Fazer polemica me respondeu ele.

No caso da Lady Gaga, nem sei. A música é tudo isso que ele escreveu e o perigo que tem esses refroes. A Viviane, canta o refrao, porque é mesmo empolgante, mas nunca viu é claro o video.

O Daniel está entrando nesta idade e sei que daqui a pouco teremos que sentar com ele para vermos juntos isso e discutirmos a questao.

Sim, vamos assistir juntos porque nao quero que ele fique com cara de bobo qdo os outros meninos discerem que assistiram e quero que ele já tenha uma opiniao formada.

O perigo amiga é por todos os lados, já havia este mesmo perigo no teu tempo, no tempo do teu filho e sempre haverá. Cabe a nós como pais estarmos atentos, assim como os teus pais estiveram.


Um grande beijo e parabéns pelo post.

Simplesmente: Sensacional!

Maria Luiza disse...

Beth, você foi uma voz que se elevou para nos alertar, pois hoje em dia, tudo está liberado e o que é pior, verdadeiras monstruosidades para a formação de caráteres nobres, éticos e bons! Parabéns pela partilha, aliás li os posts anteriores e estão fantásticos. Fique com Deus, que sua semana seja ótima e cheia de novidades boas! Grande abraço! Beijos!

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Olá! Adorei seu texto e vou te dizer que aqui em casa ouvíamos estas músicas no carro e um dia aconteceu o mesmo comigo quando vi o vídeo clip e fiquei chocada...não tem como não se chocar...é realmente um kamasutra em clips disfarçado...e isso faz com que as crianças se acostumem com o que acham que é o normal para os dias de hoje!
Adorei seu texto...parabéns!
Te desejo um ótimo final de semana com sol e bons pensamentos!
Beijos
CamomilaRosa

Ana disse...

Muito, muito bom!
As crianças tem um universo de informações e é difícil, até para os pais mais atentos, monitorar 24 horas por dia o que elas estão assistindo...
Não sei qual a solução.
Não queremos filhos desinformados ou alienados. Mas também temos que garantir que sejam poupados de certas coisas, enquanto ainda são crianças...
Enfim, há muito o que se pensar sobre isso.

Beijos, Beth!

Menina no Sotão disse...

Mil desculpas caríssima, mas nAo concordo com o ponto de vista do jornalista - acho que o problema principal da sociedade esta na forma como as coisas sao abordadas. Você falou que em uma criança de nove anos. Mão na bunda. E isso pra mim ganhou um tom muito denso. Errado? Porque? Esse deveria ser o tema. Tratamos o corpo humano como sendo feio, sujo e por aí vai. Se tirássemos essa conotação do dia a dia ficaria muito mIs fácil educar crianças que ao contrario do que pensa os adultos sao seres sexuais sim só que a compreensão deles não vai na mesma proporção dos adultos e seus fantasmas. A sociedade e muito hipócrita. Não conheço as musicas daLady Gaga e nem mesmo seus vídeos. Não fã o meu estilo.
O problema da televisão esta em quem assiste, ela só mostra aquilo que as pessoas querem ver porque trabalham em pro da audiência. E as pessoas de hoje
Nomeou tempo a novela das nove era algo proibido em casa porque era novela para adulto.
Se o sexo fosse tratado de maneira natural, sem tabus e fressuras não teríamos motivos pra discutir por exemplo os seios da Madona. Ontem um bispo disse em uma entrevista que a culpa da pedofilia e das crianças porque elas provocam, então e isso? Sempre se pode apontar o dedo na direção do outro?
Eu respeito a sua opinião e até entendo, mas tive uma educação aberta onde aprendi que sexo e coisa natural e meu corpo e o que eu não tenho de mais bonito.
Talvez se os pais tivessem mais preocupação com a educação dos filhos, mas há muitas crianças educando crianças. E a ideologia tola de passar a peteca para outro, as vezes até para a televisão...

Bacio

Ps. Não fique brava comigo, e apenas uma opinião. rs

Beth/Lilás disse...

Claro que não fico, caríssima, cada um tem e deve expor sua opinião e a sua é esta, tudo bem, não deixa de ser uma opinião super válida também.
obrigada por participar, mesmo não concordando. bacio carioca

=====================================

jose claudio disse...

Oi, Beth. Muito bacana a sua abordagem.

O Millor disse certa vez que "o futebol é o ópiodo povo e a mídia é o traficante". Eu estendo isso para outros espetáculos ditos de arte. Tudo bem, podem alegar o livre arbítrio, o poder sobre o controle remoto, mas, então , porque não massacram-nos também com cultura clássica da música, da pintura, da escultura, da literatura, etc. ? O recurso da repetição usado nas propagandas de mercadorias, pega, vira hit, cult e desejo de consumo. Se o mesmo fosse feito com coisas mais inteligentes (no meu modo de ver), acho que a contribuição seria muito maior para a sociedade como um todo.

Acho que isso passa (fenômenos como essa tal de Gagá). Mas apenas onde os pais oferecem opções mais consistentes de história sociologia e cultura para os filhos. O restante continua a vida inteirinha cultivando mediocridades e efemeridades, fazendo a alegria e enchendoas contas bancárias desses "artistas". No final de muitos anos, você olha para trás e pergunta: qual o legado que essa arte deixou para a humanidade?


Abraços. Paz e bem.

Toninhobira disse...

Adorei voce trazer a analise de Ricardo, sou um piolho dele pela BANDNEWS FM,pois meu radio veicular é travado nela, pelo conteudo de informação e analises inteligentes e cruas de nosso cotidiano.Pois bem Beth,o final do texto reforça o que ja se vem recitando em versos e prosas, o cuidado como o que é oferecido em forma de masssificação.Quando escrevo sobre infancia e passado gosto de usar sempre a expressão pre-televisão,pois depois dela tivemos uma mudança brusca nos comportamentos principalmente nas crianças em geral,bem como na globalização de porcarias em todas as areas.Urge talvez leis para que se tome providencias no sentido de proteger pessoas bem educadas como muitos pensam que estariam imunes e não estão.
Muito boa Beth esta sua preocupação, que deve ser geral.
Belo domingo com alegria na familia.
Um abraço de paz e luz.
Bjo.

Valéria disse...

Oi Beth!
Muito pertinente seu alerta!
Acho que é uma lavagem cerebral nas crianças principalmente, o que as mídias fazem, não é a toa que existem pessoas especializadas para criar o que nos entra goela abaixo. Coitadas das crianças que são massacradas com tantas informações distorcidas e de pior qualidade. Quando não é por um lado é por outro. Elas precisam mesmo é serem muiiito bem orientadas para não se deixarem levar assim.
Tento perfeito!
Beijinhos, um lindo domingo e uma feliz semana!

ML disse...

Mega pertinente, Beth. Tem um comercial de que gosto muito - acho sensacional - e que diz mais ou menos isso: "acredite, as crianças não estão preparadas para isso".
Não é censura , é apenas pertinência.

bjnhsssssssss

Wilqui Dias disse...

Oi minha gatona antes de tudo, desculpas pela demora em vim lhe visitar, mas enfim cá estou e claro muiiiiiiiito obg pelo carinho sincero e natural é reciproco.
Sobre seu post, eu nao sou lá essas coca cola de cultura pra falar sobre o que é ou nao correcto culturalmente, mas na minha leiguice assumida, eu nao vejo nada de culto em Lady Gaga nao, acho ela bizarra e meio doida, sempre penso que essa criatura tem serias crises existenciais, e que toda essa forma estranha em que ela se porta é apenas uma válvula de escape....
Também acho que pessoas assim nem imaginam como devem afectar directa e indirectamente a sociedade e de alguma influenciar o meio social.
Sei lá talvez seja mesmo esse o objectivo, mas tem tempo e idade pra tudo e 9 anos nao é definitivamente a idade de mao na bunda.
bjs

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Adorei essa postagem. Depois de 29 anos (idade da minha filha mais velha) e hoje com meu neto de 3 anos, vejo como tudo está mudado. Os valores estão se perdendo e com ele os programas de TV e a liberação de cenas em horários impróprios. Quantas vezes, vamos assistir um filme com nossos filhos ou com pessoas idosas e ficamos constrangidas com cenas que são mostradas por ai. Não que eu seja careta, pois jogo e sempre joguei aberto com minhas filhas e agora com meu neto vou agir da mesma forma.
Sabe, concordo com o que foi dito em alguns comentários. Acho que devemos educar os filhos e mostrar a realidade dos fatos. Mas... O nosso papel é saber o momento certo para tal. Criança copia tudo que vê e escuta, por isso o cuidado deve ser redobrado.
Em relação a moda, vejo que as crianças, principalmente as meninas estão vestindo roupas de adultos, deixando de lado a graciosidade dos vestidinhos. Usando salto alto e tendo comportamento que não condiz com a idade.
Isso se aplica a cópia de danças sensuais que vejo por ai. Crianças dançando e imitando cantoras e mostrando gestos que está fora de questão.
Acho que os pais devem conversar com os filhos sobre sexo, drogas etc, mas pera lá... Tudo na vida tem o momento certo.
Isso que eu penso.
Amei estar por aqui.
Beijos mil

Paloma disse...

BETH, tudo aqui escrito corresponde a realidade. Os meios de comunicação têm muita influencia sobre as crianças e os jovens. E o nível está muito baixo.A impressão que se tem é de que não há mais sensura e tudo é permitido. Infelizmente.

Abraços

Márcia Cobar disse...

Oi Betinha! Como sempre você abordando temas delicados com uma sutileza maravilhosa!
Achei até engraçado o jornalista mencionar a Lady Gaga, eu fui a um show dela na Nova Zelândia e até pra mim, mulher adulta, a coreografia estava demasiadamente erótica! O problema é que havia crianças, muitas delas na platéia, além de milhares de adolescentes.
Não sei afirmar se os sentidos de uma criança processam essas informações vindas da letra, do clipe, mas acredito que o que repetidamente vemos (nesse sentido, em vários artistas) torna-se algum tipo de padrão. Padrão esse que passa a ser reproduzido, às vezes burramente, para o desespero dos pais e da família.
Entendo o desespero o jornalista que você mencionou, acho que sentirei a mesma repulsa, o mesmo terror. Mas o que fazer se o pop vulgar vende mais que a música de qualidade?
Eu nunca vi um clipe com sinfonias clássicas.
Melhor desligar a tv e tapar os ouvidos...
Bjs querida!
Márcia

Sylvia Regina Marin disse...

Ah minha querida amiga,você tem absoluta razão. A gente tem que tratar o sexo com naturalidade, mas erotizar as crianças, antes de elas terem capacidade para entender o que vêem, é um crime. Tenho visto tanta coisa que considero errada e os adultos sem noção colaborando com essa precocidade sexual ... Que Deus nos ajude! Beijos.

Regina Rozenbaum disse...

Serei jogada aos leões se te disser que não tinha visto esse vídeo? Ou ainda que não agrado nem um cadim dessa Lady(?)Quanto ao tema abordado (muito bem, pra variar)digo-lhe que são tantos os estímulos recebidos pelas crianças - inclusive pelos papais super, mega, ultra modernos - que fica uma missão quase impossível exercer o "controle". Começa de pequenos com as roupinhas...já observou? Esse final de semana mesmo vi uma menina que visualmente parecia ter uns 16 anos e só tem 11! Em cima do salto alto (uns 07cm ou mais)suas roupas denunciavam uma "periguete" de 1ª. Com jeito questionei a mãe, que me respondeu: ah Regina, se não acompanhar o mundo ela se sentirá um peixe fora d'água! É? Então tá! Depois, quando chegam lá no consultório questionando o que está acontecendo com minha filha, onde foi que erramos (absoluta falta de limites, vícios, etc e tal)é trabalho que não acaba mais! Atualmente é assim...tudo equivocadamente, penso eu, an-te-ci-pa-do. Queimam-se etapas fundamentais no desenvolvimento da criança e logo recolhem o carvão.
Uma coisa tenho ainda que acrescentar... O erotismo humano não é maior ou menor em decorrência de restrições exteriores, mais ou menos moralistas; que engano! O caráter enviesado do nosso erotismo é constitutivo do próprio ser humano, daí a poesia que se renova em todas as épocas para tentar dizer o que fica sempre no não dito, independente das supostas liberalidades externas.
Beijuuss, amaaada, n.a.

Calu disse...

Altamente oportuno este post, Betinha.

Repito sem cessar que a TV educa__para o bem e para o mal. Que é urgentemente necessário que os pais conscientes fiquem atentos à programação que suas crianças assistem, já que a mídia é terra de ninguém e prevalece a briga por maior audiência seja a qualquer preço.

Há décadas que a influência negativa de costumes avessos invade as casas das famílias brasileiras, robotizando padrões, sexualizando precocemente as crianças, instigando exageradamente o consumo e criando celebridades, no mínimo, questionáveis.
As crianças e jovens são diretamente fisgados por imagens e maneirismos.Como não dispoem de conhecimento e nem auto-crítica para avaliarem o que lhes é enfiado goela abaixo, reproduzem como autômatos, atitudes bizarras, e às vezes, reprováveis.
Se em tempos passados cabia aos pais cuidar, proteger e suprir as necessidades de seus filhos, agora estas ações ganharam cunho multiplicativo de enormes proporções, diante das aberrações a que estão expostos.

Aplaudo continuamente tua perfeita interação acerca destas situações.

As crianças agradecem teu alerta.
Bjinhos,
Calu

Elisa T. Campos disse...

Beth
Um grito de alerta pertinente.
Infelizmente somos nós que devemos escolher o que as nossas crianças assistem o tempo todo na mídia.
Obrigada pela oportuna postagem

bjs.

Socorro Melo disse...

Beth,

Excelente a sua abordagem. Olha, do jeito que a coisa corre frouxa, tenho medo do que pode ocorrer com as futuras gerações. Tudo é permitido, já dizia São Paulo, mas, nem tudo é lícito. Acho que o conceito de liberdade atual é muito perigoso. Não sou a favor da censura, mas, sou contra a libertinagem e a anarquia. E é o que temos visto.

Um abraço
Socorro Melo

Heloísa disse...

Beth,
Acho que a televisão tem uma influência muito perniciosa sobre as crianças.
Tudo passa, em qualquer horário.
Ainda que as crianças recebam uma boa formação, em casa, sempre ficarão resquícios das más influências.
Beijo.

Lúcia Soares disse...

Beth, seu texto está ótimo , só não concordo quando vc diz que Lady Gaga "é inquestionável, portanto, em matéria de talento". Para mim ela não vale nada, é completamente produto da mídia. Mas isso é questão de opinião, apenas.
Criar filhos nunca foi tarefa fácil e hoje em dia é pior, pois realmente os pais estão à mercê da TV, da internet, enfim, das mídias que envolvem as vidas até deles mesmos, nem lhes dando parâmetro para uma boa criação das suas crianças. O mundo está de pernas pro ar! rsrs
(Beth, vi a foto que ilustra seu post no FB e achei-a totalmente inadequada, fiquei incomodada com a ousadia, fiquei com pena da menininha, enfim, para mim ela foi de um mau gosto total. Perdoa, minha amiga, se estou sendo chata nas observações, mas divergência de opinião, sem indelicadezas, sempre é válido, né? Se preferir, não publique meu comentário, ainda mais que ando muito ácida mesmo!).
Beijo!

Beth/Lilás disse...

Claro que sim, Lúcia, é importante que cada um tenha sua opinião a respeito do que leem e em sites.
A foto é de uma campanha que vi semana passada no Face de uma amiga e versava sobre Violência Infantil. O assunto que postei aqui, de uma certa forma trata desse tema também, já que não temos proteção nenhuma de autoridades sobre isto, a não ser a de nós mesmos enquanto pais ou avós.
A imagem é forte, principalmente para nós brasileiros, pois aqui no país não temos o hábito de encarar os problemas com campanhas
que atinjam de verdade as pessoas, por isso achei-a forte, impactante, mas extremamente significativa, por isso coloquei-a aqui.
obrigada pela sua participação ativa e sempre atenta.

======================================================================

Isabel disse...

Beth, eu acho que se tivesse filhos iria ser um pouco radical com a educação deles. Eu iria reduzir o tempo de exposição à televisão e ao computador, porque eu acho que são uma fonte de "poluição" da mente infantil. Acho que aquelas cabecinhas deviam ser poupadas a tanta porcaria que passa na TV e que está disponível tão facilmente na internet.
Bjs

Anna Monte Alegre disse...

Oi Beth!

Muito bom o texto e muito bem colocado!
Temos que proteger os nossos pequeninos que nao podem se proteger sozinhos!

bjsss