.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

O Livreiro do Alemão

Otávio Júnior - Folha.com


Otávio Júnior, um jovem de 27 anos que mora no complexo do Alemão no Rio, criou a Barracoteca, um lugar para todos da comunidade poderem curtir o prazer da leitura.

Ele se apaixonou por livros quando achou num lixão, uma caixa com brinquedos velhos e um livro, conta. "À tarde faltou luz e como não podíamos assistir a televisão preto e branco, lembrei do livro."
Ele ficou tão impactado com a descoberta da leitura que passou a matar aulas para ir até o centro do Rio e ficar dentro da Biblioteca do Museu da República, lendo e descobrindo um mundo maravilhoso que passou a descortinar-se para ele.  

Essa atitude pode ser interpretada pelo fato de que nos dias atuais as escolas não atraem ou despertam muitos jovens, principalmente os da classe carente, já que algumas oferecem somente paredes e depósito de alunos, e não escola como espaço de criação e processo de leitura.

No dia 22 de agosto será inaugurada oficialmente a Barracoteca Hans Christian Andersen no lugar de um antigo salão de forró no Morro do Caracol que fica neste imenso complexo chamado Alemão.

Ele conseguiu doação de parte dos livros pelo Ministério da Cultura e reuniu o restante do dinheiro necessário para a montagem deste projeto, cerca de 7.000 reais, através de um
blog que mantém na rede.  

Enquanto o fogo corria solto entre traficantes e polícia naquele imenso complexo de favelas, sem poder sair de sua própria casa, Otávio Júnior escrevia e hoje tem publicado o livro 
"O Livreiro do Alemão".

Leitura não é hábito e sim paixão, como diz nosso querido Rubem Alves.










19 comentários:

Beatriz disse...

Belo exemplo Beth!
Ah, se todos os brasileiros pegassem o mínimo que têm e fizessem o máximo que podem.......
Beijocas
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Bel Rech disse...

Que lição de vida!!!Tinha um tempo que a gente ganhava livros, hoje não..poderia ser uma mudança positiva atualmente e incentivar tantos que não tem livros o qe não podem comprar.
Paz e bem

Dulce disse...

São pessoas como essa que não me permitem perder a esperança nas novas gerações... Otávio Júnior é, sem dúvida, um iluminado.

Beijos e uma boa noite

Paloma disse...

Um bom exemplo a seguir por muitos outros. O gosto pela leitura, infelizmente, está tão fora de moda.

Alessandra disse...

Olá!
Vim te convidar para os 5 sorteios que estão acontecendo lá no blog!
Tem pincel Sigma,kit Mococa,Kit livro Querido John,tela réplica de Van Gogh e blusa LiliDavys!
Passa lá!
http://eutenhopressaemuitacoisameinteressa.blogspot.com

Abraço

Alessandra

pensandoemfamilia disse...

Muito interessante a atitude deste jovem. Exemplo a ser multiplicado, boas idéias que precisam ser divulgadas.
bjs

Menina no Sotão disse...

Que delícia perceber que os livros ainda conseguem exercer fascínio sobre as pessoas. Espero que essa paixão dele pelos livros seja altamente contagiante. rs

bacio e bom fim de semana

Heloísa disse...

Beth,
Esse é o tipo de notícia que deveria ser divulgada nas primeiras páginas dos jornais.
Maravilhosa!
Beijo.

Malu Machado disse...

Oi Beth! Vim te ver viu? e valeu o puxão de orelhas. rss Deixei resposta para vc no Absinto.

Agora, que bela informação. Adorei a história do Otávio. Não sabia disso. Vou divulgar sua postagem no Facebook. Este vale.

PS Hoje é um dia raro que vou poder visitar os amigos virtuais. Vc foi a primeira.

Beijo grande,

Glorinha L de Lion disse...

Discordo do sábio Rubem Alves. Leitura é um hábito sim e advém da paixão. Um hábito se forma pela repetição. Claro que é preciso um pouco de paixão, mas se não formarmos o hábito, a paixão não se manifesta, existe, mas não transparece.
Lindo exemplo de como mesmo onde não há chances ou oportunidades, se a semente está lá, ela germinará, apesar de tudo, beijos, bom fim de semana,

Calu disse...

Histórias como essa me empolgam, aumentam minha crença no ser humano e me dão a certeza de que há muito o que podemos fazer para melhorar o mundo de muitas pessoas que como esse jovem precisam sonhar e acreditar que é possível realizar o sonho sonhado.
Adorei teu post querida Beth.
Vc é uma das que fazem diferença aonde se encontra.
Tenha um lindo fim de semana.
Obs:estou com saudades. Quando vamos conseguir trocar nossos exemplares?
Bjos marítimos,
Calu

Laura disse...

Oi.

Leitura é vida, vida como eu, menina surda desde os seis anos, aprendi a ler e a querer saber mais e mais sobre o mundo...
Hoje já não é como antes, o pc substitui as horas que deveriam ser de leitura, e desaprende.se da escrita...é cada erro maior escrevendo.
Mas um dia os livros vão voltar a encher as estantes de todos e será um prazer partilhar livros com amigos que não os podem comprar.

Um beijinho da laura

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
tenho a maior admiração por gente assim, nada a ver, mas no contexto, na minha última mudança me desfiz de mais de 200 livros e nenhuma escola pública da minha região quis receber a doação!!!!!!
Quem quis e o fez com alegia foi justamente um centro comunitário dentro de uma comunidade carente, de tão pequena sequer é considerada uma favela. Fiquei feliz e espero que outros também tenham ficado.
bjs e bom fim semana
Jussara

Valéria disse...

Oi Beth!
Que belo exemplo a ser seguido! Linda iniciativa deste rapaz que descobriu um novo mundo, um novo horizonte! A leitura realmente transforma as pessoas pelas possibilidades de viagens que permite. A dele foi sensacional!

Grande beijo e um lindo domingo!

Cantinho She disse...

Que delícia de post e história. Muito bom! São seres humanos assim que nos enchem de esperança. Adorei!
Beijo, beijo

Beth/Lilás disse...

Rubem Alves costuma dizer que leitura não deve ser hábito; que hábito devemos ter de escovar os dentes, tomar banho. Leitura deve ser prazer.
E com isso paixão.

==========================================================================

Taia Assunção disse...

E viva os livros! Havia separado uma meia dúzia para os próximos três meses de Congo, mas tive que tirar da mala por causa do excesso de peso. Essa é uma das minhas maiores dificuldades por aqui, trouxe apenas dois e comprei um tablet para poder acabar com esse problema. Ler é tudo de bom. Belo trabalho esse. Beijocas e bom domingo para vocês.

ML disse...

tomara que esse cara vá longe: em marketing ele é fera: "barracoteca".

D+, né não?

bjnhs

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Que linda atitude. Aqui em SP, em uma comunidade, existe um senhor que tem um cinema onde mora. Semelhante a essa história. Nobreza de alma.

Beijos