.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Quem sabe, se mudarmos o caminho?


-Pinterest-

Você tem o seu caminho. Eu tenho o meu.
O caminho correto e único não existe.

"Eis o trecho de um poema de Robert Frost:

            Diante de mim havia duas estradas.
            Escolhi a estrada menos percorrida
            E isso fez toda a diferença.

Seguindo a mesma linha, M. Scott Peck, em A trilha menos percorrida, adverte que nada é fácil quando saímos da rota mais comum: "É humano - e sábio - temer o desconhecido, ficar ao menos um pouco apreensivo ao embarcar em uma aventura.  No entanto, é somente com as aventuras que aprendemos coisas importantes."

Ele explica, em seu livro, que o crescimento pessoal é uma tarefa árdua e complexa, que dura a vida toda, e um caminho no qual não existem muitos atalhos, basicamente porque os atalhos são construídos, passo a passo, com as pegadas das próprias pessoas.  No entanto, essa maneira de caminhar em direção ao desconhecido contém sabedoria e realização.  Para Peck, é provável que nossos momentos mais sublimes ocorram quando nos sentirmos profundamente abatidos, infelizes ou descontentes.   É somente nesses momentos que, movidos pela insatisfação, seremos capazes de sair da trilha já percorrida e buscar respostas mais verdadeiras em outros caminhos."



-Extraído do livro Nietzsche para estressados de Allan Percy.




16 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Concordo inteiramente Betita. A felicidade acomoda. Infelizmente o ser humano precisa ser sacudido por dúvidas, perguntas e questionamentos...só o enigma do desconhecido, a tristeza, a insatisfação nos fazem procurar o caminho que nos faça mais feliz. Beijos,

✿ chica disse...

Quando não nos sentimos bem num caminho, vamos em busca de outro e essa escolha nos cabe...Linda escada cheia de flores que adoooooooooooooro!beijos,chica

Toninhobira disse...

Creio que sim Beth, as nossas maiores revoluções sempre se processam na adversidade.Os caminhos menos percorridos, as vezes estão isentos das armadilhas da vida.Uma bela reflexão.
Meu abraço de paz.
Bju.

Somnia Carvalho disse...

meo! lilas fiquei louca pra ler esse livro do scot!

de fato meus momentos mais dificeis me deram material para crescimento... todos eles!

nao da pra voce esquecer no banco do onibus para eu pegar quando terminar? naquela campanha do livro! rs...

quanto post bom pra comentar! ui ui ui!

Mery disse...

"Sair da trilha, depois momentos infelizes, movidos pela insatisfação"
Sei não, me pego sempre na trilha errada...que dó!
Beijos da Mery.

Lúcia Soares disse...

É por não ousar que caimos na mesmice, na medicoridade, não, Beth?
Sinto falta de ser mais ousada, de acreditar mais em mim e menos no que os outros vão pensar sobre mim.
A cada dia temos novo caminho pela frente.
Se tiver uma escada florida como esta para galgar, tudo fica mais bonito!
Beijo!

Valéria disse...

Oi Beth!
O caminho é revelador. Ousar e trilhar caminhos desconhecidos nos faz crescer, mas nem sempre buscamos estes caminhos. Existe uma máxima que diz que devemos ter coragem para deixar de andar no carrossel e tentar a montanha russa. Belo texto e a imagem é inspiradora!

Beijo carinhoso!

pensandoemfamilia disse...

Oi Brth
Puxando "para minha sardinha", as crises são possibilidades de mudanças.
A angústia é um incômodo e pode possibilitar mudanças. Trilhar o novo assusta, porém nos enriquece.
Muito boa a reflexão.

Taia Assunção disse...

Eventualmente me pergunto se tomamos a direção certa. É duro ficar longe dos filhos. Mas se pararmos para pensar é quase inevitável, a diferença foi que quem saiu fomos nós. Amei as imagens dos ciganos e quando a 'caca' que há dentro da cabeça de alguns donos de animais que insistem em emporcalhar as ruas, só posso dizer: lamentável. Obrigada pela visita no endereço novo. Beijocas congolesas.

Celina Dutra disse...

Oi Beth,

Desafios amedrontam, mas, se encarados com coragem e conhecimento, são fantásticos para o crescimento pessoal e, às vezes, de outras pessoas e até de uma comunidade, um estado, um país!

A insatisfação pode possibilitar mudança quando não nos acomodamos na autopiedade!

Discordo totalmente que os momentos mais sublimes provavelmente ocorram em situações de insatisfação descontentamento. Os momentos mais sublimes podem ocorrer a todo instante na vida se aprendemos a descobrir alegria no que a maioria classifica como "menor". E isto independe de termos ou não problemas concretos pra resolver na vida.
Excelente possibilidade de reflexão! Obrigada, Beth!

Dani dutch disse...

web-mãe querida, vim aqui buscar inspiração, e como sempre vc nos proporcionando posts maravilhosos.
bjuss e bom fim de semana

Wanderley Elian Lima disse...

Quem vai pelo caminho mais fácil, tem medo da vida.
Bom findi
Bjux

Paloma disse...

BETH, me detive diante da imagem colocada, fascinada com o caminho mostrado. No meu romantismo exagerado, fiquei imaginando percorrer aquele caminho florido pela mão de alguém.

Beijos

Menina no Sotão disse...

Eu confesso achar triste ter que esperar a tristeza e o descontentamento pra mudar de rota, direção, aprender um novo caminho. Mas fazer o que? Somos humanos limitados a nós mesmos. rs

bacio

Cantinho She disse...

Gostei demais de ler esse seu post, foi importante pra mim, obrigada por compartilhar. E Beth que caminho lindooooooooooooooo! ;)
Beijo, beijo

Lizete Delmonte Ferraz disse...

"...Para Peck, é provável que nossos momentos mais sublimes ocorram quando nos sentirmos profundamente abatidos, infelizes ou descontentes."

Concordo plenamente. É nesse momento que levantamos os olhos para o alto e deixamos de olhar só para nós e procuramos algo fora de nós, uma força maior, que na verdade, lá dentro sabemos existir. Mas nesses momento é que conseguimos perceber que não somos super-heróis e precisamos também desta força externa e sublime...para nos conduzir nesses momentos de desilusão...

Beijos