.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 7 de julho de 2011

É feio, mas eu também fiz.

 (Imagem Corbis)

É isso mesmo que vocês estão vendo!  Como assim, nunca colou?!  Nunca escreveu algumas fórmulas numa tirinha de papel ou na borracha?  Ah, não acredito!  Pois eu confesso: colei!

Nós, meninas, até debaixo da saia escondíamos algum papelzinho para puxar naquela questão tenebrosa de matemática que tinha uma fórmula que insistia em não colar em nossa cabeça, então estava lá no papelzinho colada: D = b²-4ac. 

Eu não sei se eu era boa em colar, com certeza não, mas era boa em fazer a cola.  Perdia tanto tempo escrevendo em letrinhas miúdas numa tirinha e depois ela virava uma sanfoninha que eu levava em todas as provas. Por desencargo de consciência, pois na verdade, de tanto escrever e ler sobre a matéria, acabava decorando ou estudando a mesma e na hora H eu nem puxava o tal papelzinho, pois lembrava de tudo, e acabava ficando lá, na barra da saia ou dentro do estojo de canetas e às vezes até escrito na perna ou numa borracha.  Ahhh, fala sério!  Eu nunca soube pra quê eu tinha que decorar tanta fórmula ou aqueles nomezinhos infames nas provas de Ciências!

Mas eu também era boa de dar cola e assim fazia em português ou francês numa permuta amigável com algum coleguinha que não era lá essas coisas nessas matérias, mas entendia muito de Ciências ou Geografia.

Colar tem arte, perspicácia e de um certo modo inteligência, pois nada adiantaria se algum colega me falasse baixinho a resposta da questão no.9 de uma prova de História, por exemplo, se eu não tivesse lido nada sobre a matéria, na certa deixaria em branco a resposta.  E inteligência foi o que faltou a um colega nos tempos de segundo grau, quando ao colar diretamente de um livro debaixo da carteira escolar, completamente absorto no que estava copiando, colocou tudo conforme lá estava, ficando assim no final: 'conforme descrito no capítulo III, página 159 do livro tal."
Ganhou um zerão da professora e a gozação de toda a turma depois.  

Esses pequenos "lembretes" que eu fazia nos tempos de ginásio vieram à minha lembrança há pouco, vendo um filminho bobo, desses de adolescentes americanos, puro passatempo para uma noite insone e fria como esta.

Nos dias de hoje em que abominamos ver as fraudes em todos os segmentos públicos, inclusive nas provas de exames escolares importantes pelo país, este ato perdeu aquele tom quase ingênuo praticado pelos alunos de antigamente.  Dizem até que jogadas sofisticadas, utilizando mecanismos tecnológicos como minicelulares ou canetas que fotografam a tela da prova do aluno ao lado, ou coisas desse gênero, já são hoje aplicados na forma de grandes golpes e que têm e devem ser combatidos veementemente.  E nos Estados Unidos já fazem monitoramento de provas, diretamente de uma sala, onde um fiscal acompanha os gestos de algum aluno suspeito, e de lá mesmo direciona um zoom sobre o espertinho e grava o delito em CD.   Uia, que fria!

Pois é, meus amigos, eu colei!  E atire a primeira pedra quem nunca o fez ou, pelo menos, tentou e não conseguiu, ou espichou o olho para a prova do colega do lado!

Tempos bons de colégio, mas o que eu contei ... por favor, abafa!







30 comentários:

Márcia Cobar disse...

Eita Beth, seu post me fez lembrar as colas que eu empreitava na escola... E quem nunca colou, que atire a primeira pedra!
E trocar prova, vc já fez? Eu sim... é tanta emoção, meu Deus! Eu escrevia a lapis pro meu cologa passar a limpo. E sempre rolava uma camaradagem posterior.
Cá entre nós, seu colega que copiou o livro todo mereceu um zero mesmo...
Bjs querida
Márcia

Celina Dutra disse...

Beth querida,

Bom dia!

Não atiro pedra em ninguém rsrs, mas eu nunca colei. Dava cola... no ginásio, francês, latim e português, e na faculdade, no básico, sociologia e antropologia. Tem uma grande empresária aqui em Brasília, que no básico, colou todas as minhas provas de sociologia. Mas já disse, não atiro pedra!

Girassóis nos seus dias!

Beijos

✿ chica disse...

Quem não deu uma espiadinha pro colega? Claro! Ninguém foi santo...
Mas foi só naquela fase em que nos "achamos",rs


Um lindo dia pra ti,beijos,chica

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Oi,linda! acredita que estou sem internet ainda? o sinal vem, fica dois minutos e cai. Estou louca!
Nem dá para ficar viajando por aqui!
eu tb colei na escola, claro, lógico!!! quem não cola não sai da escola???? ditado inteligente!!! mentirinha!!!! nunca se deve colar!!! hahaha!!!
Um dia lindo, Beteh! depois volto com mais tempo. Vai cair o sinal!!!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

nossa, como colei! hahaha principalmente matérias de exatas, que eu nunca gostei. colava tudo, era cola até na barriga!

mas como vc disse, acho que era algo mais inocente qdo a gente estudava... tinha um quê de aventura! hj tá tudo tecnológico demais, a cola não escapou disso.

bjs querida mãe Gaia. Feliz dia do Amor Eterno, Tanabata

Lúcia Soares disse...

Beth, acho que não vai ter pedra nenhuma atirada por aqui, não, viu?! rs Colei, também, não muitas vezes, pois era medrosa, tinha pânico de ser pega em flagrante.
De todo jeito, com sofisticação tecnológica ou não, cola é cola.
Mas não acho correto a sala ser vigiada por câmeras. Há coisas mais importantes numa escola do que querer pegar aluno colando. Enquanto isso, nos pátios, ou nas alamedas da própria escola, alguma coisa pode estar acontecendo...
Beijos saudosos.

Misturação - Ana Karla disse...

kkkkkkkkkkkkkkk
Beth, essa do rapaz copiar tudo, tudinho do livro, foi ótima.
Eu colei sim, e muitas vezes.
Mas acho que dei muito mais.
Porém não fui aluna nota 10.
Só passava me arrastando em Geografia, História, Ciências... sem falar na reprovação que nem me importei...buááááá!!!!!

Xeros

Lu Souza Brito disse...

Oi Beth,

Ahhh, eu também já colei, mas nao deu muito certo não. Sempre fui meio estabanada e ficava nervosa, ahaha. Mas passava bastante cola, até me cansar, porque, eu me matava de estudar e tirava 7 e aqueles que nem na escola iam direito ia pegando informações aqui e ali e tiravam mais nota que eu. Passei a ignorar os pedidos de cola - na escola, na faculdade, enfim.
Hoje em dia é tudo elaborado né? Caramba...
Meu marido diz, as provas dele na facu são assim, 5 ou 6 tipos diferentes. E os alunos sao dividos com outras turmas, fazendo provas de materias distintas.
Beijos

pensandoemfamilia disse...

Olá
Eu também abominava as fórmulas e as escrevia para socorro. Mas eu sempre tive muito receio de ser pega e mesmo fazendo muitas anotações pouco as usava. Lembrar desses tempos nos leva a muitas outras recordações.
bjs.

aminhapele disse...

Como diz,todas essas traquinices de adolescentes foram feitas em todo o Mundo e,que se saiba,não veio qualquer mal ao dito.
Aqui,na terrinha,aconteceu há poucos dias uma coisa mais rara:no exame final de acesso a magistrados(judiciais ou do Ministério Público),quase 200 foram apanhados no copianço!
Já não jovene e irresponsáveis adolescentes.São homens e mulheres que,amanhã,estarão num Tribunal para nos julgarem!
Nenhum foi expulso da carreira...

Pitanga Doce disse...

Mulher, se você tem coragem de anunciar isso na Rede, quem sou eu pra fazer doce? hehehe

A minha cola era possível porque o colégio era só feminino. Eu e as outras diabas, íamos de meia calça e era aí, nas coxas que a gente encaixa o papel. Depois era só levantar a saia enquanto a professora estava de costas. Quando era professor e que tinha de ter um certo cuidado e sempre ficava uma de "vigia". (ó meu Deus que Julinha jamais leia isto!) hehehe

Quanto ao teu colega que copiou até o rodapé do livro, devia estar dormindo, coitado, e a prova devia ser de Filosofia, num sábado às sete e meia da manhã. É obra!!!!

Boa tarde Beth.

Essa coisinha branca caindo aqui? É neve que veio lá do Sullll?

Palavras Vagabundas disse...

kkkk
Beth eu tenho consciência que se não tivesse as colas de Física eu não tinha saido do colegial, era péssima na matéria e decorar formula nem pensar.
Pedra, que pedra?
bjs
Jussara

Mari Hart disse...

auhhuahuahuhuahuauh.... tô morrendo de rir!!! Se eu não tivesse colado, trocado provas em troca de favores, acho que estaria na escola até hoje! kkkkkkkk... eu nunca tinha parado p/ pensar por esse lado, é preciso inteligência p/ isso né!? rs... [ABAFA o caso!] rs

Marli Borges disse...

Beth, legal esse post.
Você sabia que, aqui em POA, no segundo grau, tem professores que dão pontos para quem fizer a melhor cola? (mais bonita e mais bem resumida). Pois é, chegaram à conclusão que, enquanto faz cola, o aluno estuda e aprende. Mas funciona assim: se pegarem colando é zero mesmo, sem choro.

Eu aplaudo. Se colei? Raramente. Mas fiz muita cola, daquelas tipo microfilme, lembra? Com a letrinha bem miudinha, micro, micro, metros emetros de filme... Dava um trabalhão!! Mas eu acabava aprendendo a matéria e nem precisava colar. Tu vês, e agora a nova pedagogia se deu conta do estudo que envolve a cola. Interessante.
Bjssssssss

Lucia Maria disse...

Eu colei muuuuuito no meu tempo. Inclusive conheci minha melhor amiga exatamente dessa maneira, envolvendo cola, rs. Uma estoria ate engracada que vou deixar pra uma outra vez.

bjos

manuel marques disse...

Sempre me dei mal com o copianço.

Beijo..

Fênix27 disse...

Olá, muito bom este texto, mas quem não colou?quem tambem não ajudou o colega?.Raro quem nunca fes uma colinha.Em matemática Deus nos acuda,só tendo uma ajudinha.Mas bem adorei o seu blog e já estou na cola rsrsrsrs!!!!!,digo,já sou uma seguidora.
Felicidades no seu caminhar.
http://wwwavivarcel.blogspot.com/

Menina no Sotão disse...

Nunca soube colar, mas colei uma vez, em geografia. Odiava a matéria e detestava o professor e sua metodologia. Enforcava suas aulas com a estratégia básica "posso ir ao banheiro?" e não voltava mais. No dia da prova, abri o livro e pronto, copiei tudo. Ele não viu, ninguém viu e eu continuo sem nada saber sobre as planícies e serrados. Não faz falta, posso lhe assegurar. kkkkkkkkkkkkkk

bacio

Manuela Freitas disse...

Olá querida Beth,
Claro que eu também fiz as minhas «maroscas», mas ia sempre muito nervosa, ficava meia parva, se por um lado isso me intimidava e ficava com cara de comprometida, uma vez aconteceu escrever na mão uma fórmula de química e esqueci-me completamente, ainda não tinha lido o teste todo e já estava na rua!
No ensino superior não copiava, era muito complicado, podíamos levar uma cronologia e depois dissertávamos, claro que se fosse igual às sebentas ficávamos sobre suspeita!
Beijinhos,
Manú

Paloma disse...

BETH, seu texto me trouxe uma doce lembrança. No Ginásio, feito no SENAC, eu tinha um colega de turma,que foi meu primeiro namorado. Eu lhe passava cola de inglês, matéria que eu gostava muito. Ele sentava na fileira de trás e eu colocava minha prova de lado, para que ele pudesse ler e copiar. E, com que emoção e prazer eu lhe dava cola!!!

Beijos

Heloísa disse...

Beth,
Você acredita?
Eu nunca colei.
Talvez porque sempre tenha gostado muito de estudar, e não tenha ido fazer provas sem repassar toda a matéria.
Beijo.

Somnia Carvalho disse...

heia! que eu vim correndo ver o que a senhorita ja tinha feito de feio na vida! hihi... colou? mas que feio!!

e verdade sim! eu era toda certinha e tirava nota boa, mas tambem tive os dias aflita tentando colar... eu era meio burrinha pra colar... rs.. ja estampava culpa na cara...

tem coisa que a gente nao pode mais de jeito nenhum faer hoje em dia! tipo: tirar a calcinha do fiofó no elevador porque sempre tem camera!

nem uma colinha na escola inteira e como se nao tivesse tido infancia! rs...

William Garibaldi disse...

IUUUHUUU! Adorei!
Colar tem arte!
Eu colei moooito! KKK
Eu tinha um codgo e escrevia tudo e nunca descobriram !HUHUAHUAHAU
Com este método de ensino ultrapassado tem mais é que colar mesmo! Feio isso que eu disse né!
Mas pra que decorar formulas se tem nos livros todos os resultados prontos!>? Maldade isso!
Mas eu to maldoso esta semana!

Bjus!
Amei a neveeee! Ta um gelo mesmo hein!
O Cristo tá de sobretudo!
E eu to envgordando só no chocolate quente!

Bejus friorentos!

Teresinha Ferreira disse...

Eu também fazia como você. Uma cola enorme. Só que na hora da prova não conseguia nem abrir o papel. Ficava nervosa e não consegui. Já escrevi nas pernas, nas carteiras e nas mãos.rsrs...Que época boa!!!!
Bom final de semana.
Daqui uns dias vou ao Rio. Te ligo, quem sabe podemos nos encontrar.
Bjs mil

Beatriz disse...

Que engraçado Beth, eu fazia exatamente assim!!!!
Minhas colas eram tão bem feitas que muitos queriam até comprá-las, é mole! Eu mesma morria de medo de usar na hora e elas sempre voltavam para casa intactas. E eu? Passava, é claro, e sem colar!
Beijocas
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Socorro Melo disse...

Oi, Beth!

Que delícia de post! Passou um filminho agora na minha cabeça... bons tempos aqueles...
Atirar a primeira pedra? Não me atrevo. Cá pra nós, eu colei sim, kkk
Mas, colei pouquinho, pois era aplicada, estudiosa...
Quantas vezes copiei as malditas fórmulas de matemática(meu calo)...
Dei mais colas, que recebi, é vero, kkk Mas, confesso, colei.

Beijos e bfs
Socorro Melo

Uma Mae das Arabias!!! disse...

hahhaha... sensasional!!!

Eu colei uma vez na prova tbem, com essa de colar do livro.

Uma menina entregou a prova dela e contou que eu estava colando.

Levei nota E e ainda um escrito bem grande: Colou na prova.....kkkkk

Nunca mais tive coragem!

Afff.....medrosaaaaaa

Beijos e fiquem com Deus

Barbrinha

http://graceolsson.com/blog disse...

Beth, eu tremo, mas tremo tanto que nao dar apra colar...MAS EU DOU COLA, SIM...
(eu sempre fui CDF....kkkkestudo oito horas por dia....quer tenha ou nao provas)

Aqui, se o aluno é pego colando,e le é expulso...sai até no jornal...kkk
Mas, antigamente, nao era assim, nao é mesmo???
dias felizes....

Cantinho She disse...

Hahahahaha muito bom! Viajei ao túnel do tempo tb! ;)
Bjo, bjo!

ML disse...

Pois eu só tentei. 1 vez, e me deu tanta taquicardia que acho que o prof percebeu, mas finjiu que não viu. Só deu tmpo de eu jogar o papel fora e... me ferrar na prova.
Foi quase uma auto delação sem prêmio ; > )

bjnhs