.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 28 de junho de 2011

Estrela Cadente



Quando eu estiver
com o olhar distante,
maninha,
com um jeito esquisito
de quem não está presente,
não se assuste,
ó maninha,
fui logo ali,
no quintal do céu,
colher uma estrela cadente.


Poemas de Céu, ed. paulinas
Roseana Murray
escritora e poetisa





16 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Oi querida
Lindo o poema, fiquei curiosa e fui conhecer o site e gostei de muitos poemas, son tiram os pé do chão e nos levam até a lua ....
bjs

Toninhobira disse...

Lindo demais Beth.Lembrei de uma musica onde se dizia para a maninha mandar um pouco de terra molhada.Mas esta de colher estrela cadente ficou um mimo só.
Uma bela noite e lindo amanhecer.
Bju de luz.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

são muito bonitos os poemas desta escritora, gostei de conhecer.
bjs e bom dia querida mãe gaia Beth

Taia Assunção disse...

Lindo poema...Obrigada pelo carinho lá no blog. Segurança em primeiro lugar, não há de faltar oportunidade para essa viagem. Beijocas!

✿ chica disse...

Lindo e tão doce!beijos,lindo dia!chica

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Adoro, amo Roseana!! poema lindo...está triste hoje?...estou por aqui...
bjs com carinho...

Glorinha L de Lion disse...

Que lindo Betita! Bonita forma de se começar o dia, colhendo estrelas cadentes....beijos,

Mari Hart disse...

Que fofo! =]

Pitanga Doce disse...

Imaginar uma visão assim é tão lindo!

Sol e vento quentinho do lado de cá da poça.

beijos Beth.

Celina Dutra disse...

Lindo! Poema e ilustração delicadíssimos! Obrigada pela indicação do site! Gostei muito.

Amei o pai do post anterior. Parabéns! Mesmo os adolescentes sabem entender, respeitar e amar atitudes feitas com criatividade e amor!

Muitos Girassóis hoje pra vc.

Beijos

Calu disse...

Roseana Murray sempre fez parte da lista de literatura recomendada aos meus alunos.Cativa pela delicadeza dos versos em figuras simples e tocantes.
Que tua colheita se repita todos os dias, Betinha.
Noites estreladas p/ ti.
Bjos mil,
Calu

Macá disse...

Olá Beth
Ao ler o poema me lembrei da música do Chico
"Mas não me deixe assim, tão sozinha
A me torturar
Que um dia ele vai embora, maninha
Prá nunca mais voltar..."
Mas colher estrela cadente é tudo de bom heim?
Li alguns dos seus posts anteriores (já que eu estava de férias).
Passei uns bocados com meu filho também nessa época. Mãos dadas? Nem pensar. Beijinho de despedida? É ruim heim?
Mas hoje ele é bem amoroso.
Ah! e a sua Petrópolis está linda.
beijos

Cacá - José Cláudio disse...

Que mimo mais lindo, Beth! Me fez lembrar uma canção que Chico fez para Miucha (Maninha). Abraços. Paz e bem.

Manuela Freitas disse...

Olá querida Beth,
Que simples e lindo! Conseguir-se na simplicidade atingir o belo não é fácil!
Beijinhos,
Manú

Wanderley Elian Lima disse...

Simples e lindo. Amei.
Bjux

Paulo Rideaki disse...

Novamente eu, com o velho drama, e dificuldade pessoal de fazer comentários, quando os amigos blogam , um poema.
Acho que sou muito chucro, para não dizer ignorante, tal a minha incapacidade de fazer comentários relevantes(neste caso).
Pois confesso não consigo interpretar de forma real a subjetividade das palavras, que formam um poema.
E por temer fazer um comentário totalmente fora do contexto, a minha criatividade fica totalmente bloqueada.
Mas apesar da falta de compreensão, acho muito bonito a harmonia que existe entre as palavras, e sei que o significado delas devem ser tão bonitas quanto elas próprias.
Beijos e abraços fraternal, te adoro, NAMASTÊ!