.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 12 de abril de 2011

Depois da tempestade vem o relax



Neste final de semana na serra eu fiz absolutamente . . .  nada, ou quase nada.

É isso mesmo!  Depois de dias tão tristes e estressantes cheguei à conclusão de que temos que nos dar este direito, senão a vida não tem graça, é só correria, trabalho e as mazelas do cotidiano.

Olhei com prazer e atenção as flores novas que me esperavam no jardim, plantei algumas sálvias vermelhas ao redor da estátua dos amantes já desbotada de tanta chuva, joguei adubo químico em outras tantas para fortalecerem e se prepararem pro inverno, fiquei esperando para ver se o esquilo aparecia no coqueiro do vizinho que está cheio de coquinhos à sua disposição. Sentei, relaxei, lagarteei ao sol ameno, olhei pro céu, peguei o livro que estou lendo, mas não li quase nada, preferi ficar olhando as árvores se mexendo e o bando de maritacas que voavam pra lá e pra cá, numa alegria de dar gosto em ver. 

A natureza é mesmo uma cura para muitos males, principalmente os da alma.

Fiz um almoço frugal para nós dois,- salada de batatas cozidas com tomates, azeitonas, cebolas e azeite para acompanhar um naco de salmão na brasa com molho de maracujá. Estava bom às pampas!  (gíria antiiiiiiiiga)

Quem me dera pudesse ficar por lá, esquecida da vida, largada, fazendo nada! 
Mas, dois dias já ajudam a dar aquela renovada que precisamos para recomeçar e enfrentar uma nova semana de trabalho, conflitos, preocupações e ansiedades.

Algumas vezes já pensamos em vender este cantinho lá na serra, mas agora vejo que este lugar tem sido um refúgio, um verdadeiro bálsamo depois de dias cansativos e desgastantes.


Claro é, portanto, que nos devemos cercar de Civilização nas máximas proporções para gozar nas máximas proporções a vantagem de viver.
eça de queirós
(A cidade e as serras)

=livrinho que está sempre na minha cabeceira por lá, mas não acabo nunca de ler=



E, por falar em 'fazer nada',  veja que idéia original que o britânico Alex Tew criou para desafiar o internauta a passar dois minutos na frente da tela do computador sem clicar em nada, apenas admirando um lindo pôr do sol enquanto ouve o barulho das ondas.  Afinal, na lista de tarefas para o seu dia a dia ou diante de uma semana pesada, quanto tempo você dedica a não fazer nada?

Uma forma divertida de questionarmos nossa incapacidade de fazermos uma pausa em nossa própria rotina.
“Precisamos de um tempo para simplesmente não fazer nada. Esse projeto é para fazer as pessoas pensarem nisso”, afirma Alex.

Aumente o som, clique e faça nada:  http://www.donothingfor2minutes.com/ 




Fonte: Revista Vida Simples








30 comentários:

Liza Souza disse...

Beth, essa salada me deixou com água na boca. rs A gente precisa mesmo dessas pausas, desses momentos sem fazer nada, apenas descansar, esquecer a correria do dia a dia, absorver boas energias, cercado de coisas e pessoas que nos fazem bem. E ter um cantinho desses vale ouro, portanto voces fazem muito bem em nao abrir mao dele. Gostei da ideia do site; engracado que tive certa dificuldade em ficar dois minutos parada aqui so admirando a paisagem; sinal de que preciso andar mais devagar e me dar o direito de aproveitar mais meu dia.
Beijos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Beth, que bacana esse link dos "dois minutos". Traz uma paz gostosa, é uma meditação rápida.
Essa é uma das essências do Zen: meditar silenciando a mente. Japas vão ao templo, ou aos lugares onde tem natureza e ficam parados, apenas observando a paisagem, sem pensar em nada, mente "branca". dá uma diferença no nosso estado de espírito fazer isso... se dá.

e preocupação não conserta nada, é ocupar-se previamente com algo que não aconteceu e talvez nem aconteça. vc fez mais que certo, relaxou, limpou e arejou a mente, tem mais condições de lidar com os problemas do cotidiano que um estressado e cansado.

NUNCA venda a casa da serra não! é um recanto delicioso, um espaço seu, seu templo shinto!

post excelente, adorei!
bom dia

Georgia disse...

Bethinho adoro este teu cantinho, um dia ainda vou ai te visitar, rs.

Pois é amiga, sem fazer nada nem sempre dá para uma mae com filhos pequenos ainda, mas eu dou sempre um jeitinho de relaxar.

Bethinha fiquei 2 minutos sem fazer nada olhando aquele marzao.

Valeu.

Obrigada

Bjao

Luciana disse...

Beth, isso é uma maravilha, e esse seu cantinho deve ser tudo de bom, eu jamais me desfaria dele se eu fosse você. É maravilhoso ter um refugio assim.
Fiquei com água na boca com sua receita.

Estou também entrando na fase de me permitir uns dias sem fazer nada, que venha a primavera para eu aproveitar.

Beijo

✿ chica disse...

Nem pensa em te desfazer de lá.è o que se precisa!!1Adorei o link do cantinho dos minutos da paz.Lindo ouvir o som ! Obrigado!beijos,chica e lindo dia!

Lucia Cintra disse...

Realmente, fazer nada eh bom demais! Passei umas horas assim no Domingo curtindo o dia gostoso e foi uma delicia! Eu amo morar no meio da Natureza!

bjos

Tina disse...

Oi Beth

Gostoso poder relaxar,admirar as belezas da natureza, as perfeições que Deus nos proporciona e que por muitas vezes não temos tempo de contemplar. Precisamos sim de um tempo, um tempo pra acalmar o coração, a mente.

Tudo de bom essa semana e todo o sempre.

Bjsss

Ana disse...

Concordo inteiramente, Beth!
Não podemos deixar a tristeza e a violência contagiarem nossa vida.
(Não falo em alienação, mas em preservar um lugar de alegria e paz, um refúgio onde possamos recuperar nossas energias!)

pensandoemfamilia disse...

Oi querida
Bom dia
Eu não tenho dificuldades para não fazer nada, inclusive quando caminho, às vezes sento-me a apreciar as ondas do mar e ouvir seu barulho. Este teste, penso que alguns não conseguem realizar.
Seu cantunho na Serra é um tesouro.
bjs

Lu Souza Brito disse...

Olá Beth,

Ahh, se fosse eu nao venderia também não. Imagino que talvez a manutençao de tal espaço nao seja barato, mas você demonstra tanto amor a esse lugar. Pelas plantas, contato com a natureza, além de ser mesmo um refúgio de paz e tranquilidade.

Eu estou doida para 'dar uma fugidinha' também. Mesmo o bairro que minha mae mora na ilha é bem agitado, lá eu me sinto sossegada. Faço trilhas, vou cedinha para a praia e fico lá so observando o vai e vem das ondinhas, os barcos no seu caminho diario...delicia mesmo.

Um beijoo

Bordados e Retalhos disse...

Lendo seu post percebi que preciso lagartear, fazer nada, admirar flores, sentior o sol. Ai que delícia Beth! mas a correria aqui anda tanta que meu corpo deve demorar a se acostumar com o fazer nada. bjs

Wanderley Elian Lima disse...

Isso que é vida, pena não poder sempre assim, afinal ralar é preciso, porque comer também é preciso.
Bjux

Lúcia Soares disse...

Beth, atualmente não dou pausa para pensar em nada...rsrs
Mas sempre me dei o direito de ficar à toa por umas horinhas do dia.
Mesmo quando trabalhava fora, saía periodicamente da sala para dar uma andada pelos corredores, subir um andar, desenferrujar as pernas, parar numa janela e olhar as árvores do parque principal de BH, que estava bem à nossa frente.
Nesse seu paraíso particular é bom demais parar e ver simplesmente a vida lá fora, em meio à natureza deslumbrante.
Não pediu, mas aconselho: não venda! A não ser que seja para comprar em outro lugar.
Beijo!

Turquezza disse...

Oi Beth! Se seu espaço lhe dá mais alegrias do que preocupações, não venda, aproveite!
O vídeo é lindo! Eu faço isso ao vivo e a cores, de vez em quando.
Adoro o mar, o barulho e o vai e vem das ondas, o canto e o vôo das gaivotas, me desligo tanto, que esqueço de onde estou.
Precisamos muito de momentos assim, eles nos ajudam a enfrentar as "intempéries" .............
Paz e luz. Beijos.

Socorro Melo disse...

Olá, Beth!

Que maravilha, hein? Ficar sem fazer nada é quase uma meditação.
Sempre que posso faço isso, ou seja, não faço nada, kkk

Que bom voltar aqui.
Agradeço suas visitas e suas palavras de conforto.

Grande beijo
Socorro Melo

Natália disse...

Oi Beth
Que maravilha,assim vale a pena descansar.
Eu costumo ir para a beira do rio,só olhar,faz-me muito bem,é das coisas que mais me acalma,mas como eu gostava de ter um cantinho como o seu,não se desfaça dele,como deve ser bom estar no meio das flores,num cantinho só nosso.

Beijinhos Portugueses.

lolipop disse...

Oi Beth!

Passei dois minutinhos a "lagartear"...adorei a sugestão e essa sua expressão.
Sinto que precisava de lagartear mais, mas não consigo ter muito tempo...
Essa casinha deve ser um pequeno oásis,um tesouro a conservar.

Mil ternuras

Mari Hart disse...

Oi querida! É isso que eu chamo de felicidade! Essa percepção pela spequenas coisas do dia, do mundo, da vida! Costumo dizer que a nnatureza é minha religião. É nela que renovo minhas frças, energia e bsuco refúgio qdo o negócio não tá bom p/meu lado!

Sabe que hj mesmo pensei nisso!? Levo Pedro p/escola de bicicleta, e no caminho(lindo por sinla!) paramos 3x para admirar passarinhos, borboletas e cruzmaos até com um pica pau! A criança chegou 10min atrasada, mas valeu a pena!

Bjo grande!

William Garibaldi disse...

Que delícia!

gabriela disse...

Hum que delicia esse teu cantinho, sabe bem de vez em quando tirar uns dias assim olhando o céu, faz muito bem á alma.
Eu tenho o meu momento de paz quando vou fazer a minha caminhada logo pelas 7h da manhã, ouvir os pássaros a ver romper os primeiros raios de sol, tudo muito verde a natureza faz-me bem carrego energias para o dia todo.
E esse teu cantinho é um previlégio aproveita cada minuto.
Recebe muitos beijinhos com muita saudade

Malu Machado disse...

Olha, eu simplesmente adoro textos descritivos. Não sei se fiquei com mais vontade de ver o esquilo ou de invadir o delicioso almoço a dois rss.

Não venda,não venda o seu paraíso. É o seu santuário. quando estiver por lá, faça uma oração por nós, amigos internautas.

um beijo grande,

Isadora disse...

Oi Beth gostaria muito de ter um refúgio, assim como o seu para descansar e alimentar a alma. Todos nós precisamos. Em um lugar tranquilo, dois dias parecem quatro e assim por diante.
Os últimos acontecimentos pedem isso.
Pedi para a Glorinha me encaminhar um e-mail com o local e horário.
Tenho uma apresentação para fazer no final de abril e todo o meu tempo livre tem sido dedicado a montá-la, mas vou ver se consigo encontrar vocês.
Um grande beijo

ML disse...

Fazer nada por 2 minutinhos: parece até impossível, mas quando a gente se dá ao luxo...
E essa sua casa lá na serra é mesmo o seu oásis, Beth. Cuidar de plantas, bichos, fazer o almoço, tudo de muitíssimo ótimo!

bjnhs

Camille disse...

Adoro essa idéia de nao fazer nada, que é justamente fazer aquilo de mais gostoso que torna a nossa existencia mais pacifica, gostosa e cheia de sentido. As pequenas grandes coisas da vida.
Beijos e que voce tenha muitos outros fnais de semana assim- sem fazer nada, fazendo tudo de bom.
Beijos!

Astrid Annabelle disse...

Beth querida, eu não tenho mais jardim, em troca tenho o mar atravessando a rua. É lá mesmo que fico apenas olhando e sentindo a natureza ao som do movimento das ondas...delícia!
Vou ver o link agora.
Esse seu almoço foi de dar água na boca,hein?
Lindas fotos, mesmo recortadas.
Beijo grande aqui do paraíso.
Astrid Annabelle

Cucchiaio pieno disse...

Oi querida
Fazer "nada" muitas vezes é necessario!
E fazer nada do teu jeito, em meio a natureza e cuidando das plantinhas é melhor ainda!
Abraços fraternos
Léia

Silvia Masc disse...

Eu também, encerrei a minha semana na quinta, fomos para um paraíso na Bahia, sem notebook, sem celular,e foi maravilhoso, mas confesso que reiniciar a semana na 3a.foi difícil, os meus ouvidos ainda ouviam o barulhinho do mar, decidimos que faremos isso com mais frequência, e depois que por sugestão do maridex, deixei por lá, as minhas "habaianas", meus shampoos, cremes, canga, sapatilha de andar nas pedras e maiô, acho que faremos isso mesmo.

Teresinha Ferreira disse...

Já disse isso antes... Você é privilegiada em poder ter esse canto lindíssimo para se refugiar.
Contemplar a natureza e esquecer o estresse do dia a dia... Sem contar a companhia do maridex que te trata com tanto carinho, né?
Aposto que tudo flui da melhor forma possível nesse lugar encantado.
Bjs mil

Wilma disse...

Pensou em vender?!! acho mais provável vender o da cidade. Apesar de ter vivido 27 anos em plena Tijuca, hoje não concebo viver em cidade grande,ou bairro com selvas de pedras, só gosto para passear,fazer comprinhas, médicos e volto correndo, apesar que no Brasil temos imennnnnsas limitações no interior. Mas a Natureza tão próxima e a tranquilidade é o que compensa.

Carla Farinazzi disse...

Oi Beth,

Gostei muito do post e também da sensação de ver o por do sol ao som das ondas do mar (eu, que estava com essas ondas martelando na minha cabeça, até postei sobre isso; grande "coincidência")
Espero que esteja bem legal o Encontro de Blogueiros no Rio, eu realmente não consegui ir, infelizmente. Mas espero que não falte oportunidade para conhecê-las

Um beijo, e obrigada.

Carla