.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Mim, Cara-Pálida?!

 Warner Baxter (1889 - 1951), na garupa de um cavalo rodeado por Índios Pele Vermelha e Mexicanos durante a gravação de um de seus filmes. Estados Unidos, aproximadamente 1930


Houve um tempo de sessões da tarde na televisão, assistidas pelas crianças e alguns pais que não perdiam seriados que ficaram marcados na memória e ao relembrarmos atualmente, trazem aquela sensação boa de dias longos, descanso após o almoço, lanche da tarde após o filme, das trilhas sonoras que cantarolávamos e  que chegam à lembrança de repente, como a que tive hoje ao ver esta antiga foto dos tempos do 'faroeste' americano. 

Os índios pele vermelhas eram os vilões, sempre.  O mocinho, o homem branco, em cima de seu veloz cavalo, um lindo alazão, matava, exterminava, pulverizava, todos os malditos nativos daquelas imensas pradarias cheias de búfalos selvagens que cruzassem seus caminhos.  Caminhos esses que levavam à expansão dos territórios com a marca do cara-pálida.

[O cinema  influenciou sobremaneira  a opinião dos povos.  Começando pelos índios americanos muito mauzinhos, depois vieram os alemães nazistas e cruéis; os russos comunistas que comiam criancinhas; os chineses que eram idiotas, riam à toa e se igualavam aos índios;  depois os japoneses kamikazes e robóticos, após Pearl Harbour e que agora são bonzinhos, ricos e aliados; os italianos mafiosos; os hispânicos traficantes e domésticos e agora, por último, o terror na forma de narigões e lenços árabes.]                                               
                                       
Mas, voltando ao tema faroeste, quantos bons filmes naquela época!  Bonanza, Rin tim tim, filmes do John Wayne, James West, Laramie,  e o charmoso Bat Masterson, o qual a trilha sonora me veio nitidamente hoje à tarde.
Lembram disso? 

No velho Oeste ele nasceu,
E entre bravos se criou,
Seu nome lenda se tornou,
Bat Masterson, Bat Masterson.
É o mais famoso dos heróis,
Que o velho oeste conheceu,
Fez do seu nome uma canção,
Bat Masterson, Bat Masterson.





Se quiser relembrar a musiquinha é só acessar este link aqui.


























18 comentários:

Maria Célia disse...

Oi Betty
Que beleza de post. Todos estes heróis ou filmes, fizeram parte da minha infância e lembro deles com muita saudade. Esta musiquinha do Bat Masterson eu canto sempre.
Filmes de índios na Sessão da Tarde era tudo de bom.
Bonanza à noite era o máximo.
Amei.
Bjos

Glorinha L de Lion disse...

Tu vai ser presa hein muié! Vão te dizer que é politicamente incorreto falar dessas coisas....às vezes o povo entende tudo ao contrário mesmo...hehehe
Eu não lembro de todos esses filmes não! Não eram do meu tempo...kkkkk Até hj no canal 70 da Sky passam esses seriados dos antigamentes...bom de ver. Rever não, que eu era muito criança, um bebê...rsrs
beijos,

Ângela disse...

Nossa Betty, parece que entrei numa máquina do tempo, adorava sessão da tarde, e como disse Mária Célia Bonanza era o máximo, assistia sempre ao lado do meu pai.
bons tempos, otimo post.

beijos e carinhos

pensandoemfamilia disse...

Oi Beth querida

Como não lembrar, fazemparte da minha história, bons tempo.
Sessão da tarde, como mudou???
Por falar emfilme, deixei ontem(08) uma dica de um filme que assisti e gostei.
bjs

Hugo de Oliveira disse...

Beth,

Fiz uma viagem boa agora, lembrando dos filmes que assistir em minha infância.

abraços

Nilce disse...

Nossa Beth que saudades me deu agora.
Adorávamos assistir Bonanza. O pai e seus filhos naquela cabana.
Os filmes de faroeste eram muito bons na época.
Fora as séries de mocinhos conquistando o oeste americano em suas comitivas, os enforcamentos, as flechas. Vichh, e nós nem ficamos com trauma né?
Voltando às séries, tinha:
A terra dos gigantes;
Perdidos no espaço;
Jeannie é um gênio;
A feiticeira;
Tarzan e tantas outras.
Era muito bom mesmo.

Bjs no coração!

Nilce

Alguns ainda passam mesmo, como diz a Glorinha.

Adorei lembrar.

Luciana Klopper disse...

Confesso q ainda espero ansiosa pra ver um filme q presta no sessão da tarde, mas hj qta diferença rsrss

Espero ir mto lá agora, q lugarzinho bom!!! Amei!!! apareça!!

Q bom saber q várias amigas tem esse probleminha e que é simples!! fico mto aliviada..bjs

Lúcia Soares disse...

Beth, fiz uma volta ao passado de novo! Sempre me lembro de filmes que se assistia, que tinham um certo conteúdo, mas eram também carregados de preconceitos.
Mas os românticos dos anos dourados do cinema são imbatíveis.
Faroeste não era muito minha pria, no cinema, mas os seriados da TV eram unanimidade, mesmo porque não tinha muito mais diversão pela vid afora.
Bonanza era o encerramento do domingo, ele acabava e era hora de ir dormir. Mamãe fazia uma "baciada" de bolinho de feijão, que era esperado por nós a semana inteira!
Bons tempos, sem saudosismo, porque estes (fora a violência do mundo) também são bons tempos.
Beijos e bom dia!

Misturação - Ana Karla disse...

Quantas músicas pra relembrar!
Quando criancinha, meu pai tinha uma fazenda e quando íamos nos aproximando dela, ele sempre cantava Bonanza, pois era assim que chamávamos a fazenda.
E essa aí, Bat Masterson, aff maria, ouvi demais,,, aliás, vez ou outro quando estou na casa do meu pai, ela toca.
Ele sempre gostou muito de filmes de faroeste.

Xeros

Pitanga Doce disse...

Xiiii, já vi que somos todos contemporâneos, por aqui! Esses filmes, quando eu via, era na casa da vizinha, que não tínhamos tv.

Entrei aqui pela janela da Nina e teria muito gosto que fosses conhecer a árvore.

Abraços pitangueiros.

Lu Souza Brito disse...

Oi Beth,

Adorava sessão da tarde também, ou o Cinema em Casa do SBT quando eu era criança.
Adoro filme de aventura e os filmes de Indiana Jones era o máximo.
Um beijo

William Garibaldi disse...

Grande postagem Beth!

Eu peguei a época destes filmes! rssss
Adorava!

Eles tem mesmo o valor deles, existem pérolas eternas, como vc mesmo citou!
Gosto de todos!

Mas que formaram uma imagem negativa dos índios vermelhos e ainda distorceram a verdade da ocupação nas terras do norte das américas ah, isto com certeza... brilhantemente descrito também por vc!

Somos gente do bem né Beth!: Sem preconceitos! Só diversão!

Beijo Grande!

Socorro Melo disse...

Claro que me lembro, kkk ...

...E com muita saudade.

Vendo seu post, me veio à mente tantos filmes que vi, na sessão da tarde. E eram sempre momentos agradáveis.
Ah, e a pausinha para o lancre era de praxe, kkk

Adorei.

Beijos
Socorro Melo

welze disse...

quanta lembrança boa, adorava ouvir CARLOS GONZAGA cantando o tema da série. É coisa pra não se esquecer. bom demais. abraços

Chica disse...

Lindo isso,beth e claaaaaaaaaro que lembro dessa mísica e aliás, isso mostra bem o motivo das minhas pelancas, rugas.etc...é a idade,rsrsr beijos,chica

Bombom disse...

Quem não se lembra dos filmes de cow-boys? Mesmo sabendo da ideologia da supremacia americana, eram um bom passatempo para as pessoas da minha geração. Tu é que não, porque eras mais novinha! Assististe foi ao "replay", he,he! Tal como eu mais tarde, quando os filhos eram pequenos e viamos esses filmes na TV.
Pouco a pouco foram-se abrindo as nossas mentes e fomos desenvolvendo o nosso espírito crítico. Por isso hoje já somos capazes de apontar os erros desses tempos e de tentar remediá-los, se isso for possível...
Gostei de recordar esses temas, embora já não possa ouvir as suas músicas.
Recebeste o meu e-mail?
Bjs. Bombom

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

meu pai sempre assistia essas séries antigas...

mas é tudo esteriótipo mesmo, americanos, através de seus filmes e documentários, justificam a bomba atômica, ganharam a guerra do Vietnan, amam o mundo e é povo feliz que há.

brasileiro, se fala de índio, até hoje põe a mão na boca e faz barulho q nem sei escrever, é ou não é? nem sabe como é o índio do país, copia o americano (vilão, claro).

queria mto rever as antigas séries brasileiras... se fez mta coisa boa na tv. Vi alguns Vigilante rodoviário (ainda bem que restauraram), queria ter visto o capitão 7... Lever no espaço (da tupi) rever a versão antiga do Sítio do Picapau amarelo... dá de dez a zero em qualquer porquera importada rs.

bjs

Teresinha Ferreira disse...

Ai ai ai...Fiquei aqui rindo do pessoal de casa, principalmente as meninas...Nossa mãe, como você consegue ver esses filmes.kkkkkk...
Eu como sou fã de efeitos especiais fico sempre observando as mudanças que hoje em dia nos proporcionam momentos tão mágicos.
Como os filmes eram ingênuos de certa forma. Não em relação a sexualidade, mas no modo de gravação, histórias etc.
Ah!!! Relembrar é preciso...Sempre!!!
Bjs mil