.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Hoje é o Dia do Vamos Esquecer um Livro




Hoje foi 'esquecido' o livro "O Clube do Filme de David Gilmour" num catamarã que faz a travessia da Baía de Guanabara.  Pedi a meu marido que o deixasse lá, num dos bancos para que um próximo passageiro tivesse esta boa surpresa pela manhã.  

O bilhetinho acima, escrevi numa das páginas iniciais e a estas horas já deve estar em outras mãos.  Espero que quem achá-lo curta muito o livro e a idéia.

A amiga Isa do Blog Tantos Caminhos tomou esta iniciativa e hoje é o dia do "Vamos esquecer um Livro".
Estamos juntos com ela neste movimento cultural e social.

Em 2008 fiz várias vezes este movimento e deixei escrito aqui no post "É preciso ler mais", onde contei que quando viajava de ônibus para algum lugar mais distante, costumava deixar o livro de presente para quem o achasse.  A este movimento chamei de "Livro Livre" e hoje, quando mais uma vez esta idéia maravilhosa foi resgatada, uni-me com prazer.

Faça você também este ato, vamos incentivar outras pessoas a criarem o hábito saudável da leitura!


 
Título: Clube do Filme
Autor: David Gilmour
Tradução:: Luciano Trigo
Editora: Intrínseca - RJ
N°de páginas: 239


29 comentários:

Misturação - Ana Karla disse...

Beth, achei maravilhoso o seu bilhete.

E essa proposta está sendo para mim uma novidade, pois tenho poucos livros e os que tenho, quase todos, emprestei para minha mãe, então peguei um dos poucos que ficaram para não deixar de participar, mas logo estarei fazendo com muitos outros.

Boa semana!!!

Isadora disse...

Oi Beth, quando a Luma fez o post que inspirou a ideia e começamos a conversar sobre isso, ela disse sim que há algum tempo você fez algo semelhante.
Que bom que está participando. A essa altura com certeza alguém já encontou o livro.
Podemos trasformar isso em uma iniciativa periódica.
Um beijo e muito obrigada

orvalho do ceu disse...

Oi, amiga carinhosa
Apesar dos nossos gostos em relação aos livrros serem distintos... fico enriquecida quando leio os demais e me alegro porque somos complemento um para o outro.
Gosto das blogagens que elevam à alma da gente e essa é uma delas e vc soube enfatizá-la bem, com sua descrição, como sempre.
Tenha uma deliciosas semana com paz e alegria, querida.
Bjm

Lucia Cintra disse...

Ai, eu ja nao gostei dessa ideia, pelo menos pra mim. Meus livros sao meus tesouros e eu jamais os "esqueceriam" em qq lugar.

Aqui entao, ninguem encostaria a mao neles, entao ficariam pra sempre onde voce deixou...

bjos

Lúcia Soares disse...

Beth, hoje não poderei fazê-lo, pois não vou sair de casa. Mas assim que der, "esqueço" um livro por aí.
Que bom que servimos para alguma coisa, como incentivar a leitura, acolher corações feridos, brindar com um texto engraçado, ou interessante, ou filosófico, enfim, encantar.
Beijo!

Teresa Cristina disse...

Olá eu tenho esse livro e adorei a leitura a mensagem sobre pais e filhos que ele traz. bjuss

Luma Rosa disse...

Beth!! Esse autor é o mesmo integrante do Pink Floyd? Desculpe a ignorância, não sabia mesmo que ele escrevia! :P
Você é presença obrigatória nesta brincadeira!! (rs*)
Boa semana!! Beijus,

Bordados e Retalhos disse...

Esse bilhete ficou um charme!Acho que esse movimento precisa ser constante e precisamos conseguir um jeito de dar publicidade a ele. Bjs

Cucchiaio pieno disse...

Emocionei-me com esse movimento! Muito lindo, parabéns pela iniciativa.
Um grande abraço
Léia

lolipop disse...

Beth,
Pode até parecer uma história, mas é verdade...há algum tempo atrás, visitei duas amigas muito queridas que vivem em Amsterdão, e foram elas as primeiras pessoas a falar-me dum movimento idêntico a esse que circulava por lá, elas tinham achado um livro num café, que pedia para que depois de lido o deixassem para outras pessoas, como elas ainda o tinham, e eu estava para viajar para o Japão, elas acharam engraçado dar-mo para que eu o "esquecesse" em Tóquio. Foi o que fiz, numa esplanada.
Acho essa ideia fantástica, eu passo a vida oferecendo livros de que gostei, a emprestar, a dar muito uso aos que tenho.
Faz-me pena ver livros a morrerem em estantes, sufocados de pó...
Aplausos pois para essa ideia...e pra vc, que quem sabe, a essa hora já está proporcionando um momento feliz a alguém que encontrou seu livro nesse catamarã.
TERNURAS

António Rosa disse...

Olá Beth,

Não foi hoje, mas sim ontem o dia em que deixei 2 livros. Os «Cem anos de solidão» e outro de minha autoria. A estas horas está alguém aflito com um livro de astrologia nas mãos. Ou não, pode até ter gostado.

Zélia Guardiano disse...

Beth, minha querida
Já esqueci o meu, num banco de praça...
Adorei ter feito isso!
Grande abraço,amiga!

Luciana Klopper disse...

Nossa!! Queria ter achado rsrs

aminhapele disse...

Há cerca de dois anos,foi a Beth que me falou no "livro livre".
A partir de então,já me "esqueci" de três.
Nunca tive qualquer retorno...
Mas vou insistir.
Um abraço.

ventosnoturnos disse...

que bilhete e livro maravilhosos. amei demais. cheguei por aqui através de blogs que fizeram essa postagem. e viva os nossos "esquecimentos". bjs. brisa

Somnia Carvalho disse...

Linda Lilas

esse convite e muito bonito e dificil ao mesmo tempo, ao menos para mim... sou grudada nos livros que ja li e vejo que esta ideia de se libertar do objeto e um desafio muito legal! bjsssss

Suzana Martins disse...

Uau, amei esse livro!!

Não conhecia e já fiquei interessada nele!! rsrs...

Adorei seu bilhetinho!!

Beijos querida!!!^^

Nina disse...

Ideia genial né?? Eu tinha visto isso em algum blog, mas nem posso fazer, aqui, aaahh tu sabes né Beth?? tem mais livro que gente... e sempre tem livros dentro de caixas na frente das casas escrito: pra levar! Acho isso encantador, já que nao temos na verdade, pra quem dar livros aqui, pelo menos ainda nao tenho essa informacao. Mas qd for ao Amazonas ano que vem, vou levar alguns livros, ja que essa doacao eu aprendi a fazer, "esquecer" livros, eu acho ótimo, no início é bem difícil se desfazer deles, mas depois a gente nota que nao faz tanta falta assim nao, é tao bom saber que ajudamos alguém no incentivo a leitura, né? além disso, a gente sempre pode comprar, trocar, ou quem sabe, achar um esquecido por ai, né?!
...aahh, o bilhetinho tá bunituuuuu...

Heloísa disse...

Beth,
Essa ideia é maravilhosa.
Eu também já andei "esquecendo" livros para serem lidos por outros, e até contei no meu blog.

http://blogdavovohelo.blogspot.com/search/label/livro%20sem%20dono

Pena que só agora estou podendo navegar pela internet, e só agora fiquei sabendo dessa campanha.
Falhei no dia, mas não vou deixar de aderir.

Beijos.

Maria Célia disse...

OI Beth
Já esqueci o meu numa farmácia. Desejo à pessoa que o encontrou que curta bem a história e depois passe adiante.
Bjos e boa noite.

Tati Pastorello disse...

Oi Betita, adorei o termo livro-livre, eu me coloquei, no meu texto, como carcereira de livros. Na verdade é isso, né? A gente os trancafia nas masmorras de nossas bibliotecas/ escritórios/ home offices, para pegar poeira e os impede de viverem plenamente seus destinos: encantar e esclarecer pessoas.
Senti tanta dificuldade de me desligar de um livro. Vou trabalhar este ponto, em mim, com certeza!
Adorei sua escolha e também a ideia do catamarã. Quem encontrou pode começar a leitura ainda no trajeto. Legal! Beijos.

Ivana disse...

Bethinha, que idéia brilhante! Parabéns por participar!
Beijos!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Que lindo o bilhetinho, Beth!
Acho que quem achar o livro vai ser sentir feliz, sabe qdo vc ganha um presente que nem esperava? a pessoa vai se sentir assim, pq com certeza quem prestar atenção no livro esquecido é gente que gosta de livro.

aqui no Japão esse costume é diferente, na estação do trem tem estantes pra gente fazer essa troca de livros. eu fico contente qdo vou lá e acho um que quero ler, imagine então quem achar por ai o livro que vc deixou.

demais essa iniciativa! bjs

Liza Souza disse...

Muito legal a iniciativa e lindo o bilhete que vc fez com tanto carinho.
Beijos

pensandoemfamilia disse...

Oi Beth
Forma carinhosa do seu esquecimento, o bilhete está bem do seu jeitinho, aliás como imagino que seja.
Só postei hoje sobre o esquecer livro, pois ontem a Série acabou me impedindo de contar como foi para mim esquecer meu livro escolhido.
bjs

Barbie Girl disse...

Eu simplesmente estou encantada com essa iniciativa e uma pena não ter participado! ahh

beijos

Luciano A.Santos disse...

Beth,

Toda essa iniciativa foi maravilhosa, também gostei muito de ter participado.

Abraços.

Luciana Håland disse...

Interessante que na segunda-feira aqui na biblioteca de Sandnes abriram essa ideia também de livros circulantes, dispuseram um mural e uma cestinha na porta da biblioteca para doarmos livros e pegarmos o que quisermos, mas só tinha 3 livros, acho que cheguei atrasada.
No shopping daqui também tem um local onde a gente pode deixar livros e pegar, não lembro se já postei sobre. Sempre pego uns livros lá, quando eu terminar de ler eu vou devolver.
Excelente iniciativa. Parabéns!

***

Vi o post na segunda mas meu comentário não entrou, estou tendo problemas para conseguir ler alguns posts em alguns blogs, uma pena.

Georgia disse...

Beth, que legal isso!

Eu já o faco há 30 anos e já postei algumas vezes sobre isso na Saia Justa.

Parabéns!


Bjao