.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Encontros Possíveis


Em vez de terapia de vidas passadas,
prefiro a terapia das vidas que 
nunca aconteceram.
A alma é literatura.
Está cheia de estórias que nunca aconteceram.
É dessas estórias que a alma se alimenta.
"Nem só de pão viverá o homem 
mas de toda palavra..."

(Rubem Alves)


Amigos,

25 de novembro de 2010 será uma data inesquecível para mim. Foi o dia D, dos Desencontros Possíveis. Ou teria sido o dia Dos Encontros Impossíveis? Não sei dizer. Comecei a sentir algo estranho no ar quando, antes do meio-dia, uma de minhas amigas mais queridas me ligou, dizendo que estava com medo de ir ao lançamento do meu livro. Bem, pensei, não posso administrar o medo alheio. Portanto, não a estimulei a sair de casa, se, de fato, não se sentia confortável para tal. Ao correr do dia, as ligações foram se sucedendo. Pânico na cidade. O editor me ligou, lá pelas 5 horas: “Você não pretende cancelar o evento, pretende?” “Claro que não!” respondi. Já tinha até agendado um táxi para as 5 e meia. Bem, não vou contar toda a história porque ela é um pouco longa e tem nuances surrealistas. Talvez mais tarde, sob a forma de uma crônica, como me sugeriu uma amiga. O fato é que não compareci ao lançamento do meu próprio livro. Chorei muito. Nem tanto pelo livro em si, mas pela festa que se perdeu, pela decepção de não ter encontrado os amigos, de ver tanta energia despendida em vão. Mas uma coisa que aprendi nessa vida é que a gente não deve se lamentar. O carinho que recebi dos amigos, solidários com a minha tristeza, não tem preço. Isso eu jamais esquecerei. Agradeço a todos. À minha irmã Berenice, meus sobrinhos Alexandra e Rafael, meus queridos Giovanna, Cristina, Regina, Pedro e Ida minha eterna admiração pela força amorosa que os impulsionou e não os deixou ver as barreiras que a situação impunha. Graças a Deus chegaram todos sãos e salvos de volta em suas casas.
A todos, sem exceção, o meu amor incondicional.


Encontros PossíveisEste foi o e-mail que minha amiga de longa data 
enviou-me ontem e aos demais amigos que pretendiam estar lá, na Lapa, centro do Rio, na quinta-feira 25, para o lançamento de seu tão esperado e sonhado livro.  


A guerra civil que instalou-se no Rio de Janeiro nos impediu e a ela mesma de ir até o local, mas o livro já está aí para quem quiser conferir e conhecer uma das melhores escritoras da atualidade.


Seu livro ENCONTROS POSSÍVEIS está neste link para compra e eu garanto que irão se surpreender com uma literatura rica e bem escrita por uma pessoa de talento e sensibilidade, luta, garra e determinação que é minha amiga e madrinha de casamento, Sylvia Regina Marin e para quem eu desejo toda a felicidade e sucesso sempre.




"Um país é feito de Homens e de Livros"

-Monteiro Lobato-







28 comentários:

Misturação - Ana Karla disse...

Nossa Beth, que transtorno!
Espero que essa guerra acabe logo e que a paz seja eterna no Rio de Janeiro.
Sucesso para a sua amiga.
Xeros

Luciana Klopper disse...

Eu mesma deixei de ir a um compromisso na semana passada ao Rio por medo, que bom q ficou tudo bem!

Renata Boechat disse...

É um verdadeiro absurdo que a guerra que se instalou no Rio chegue à tais proporções...o impedimento dos seus cidadãos de se locomoverem na sua própria cidade...o medo, o caos instalado, o toque de recolher imposto...nos faz voltar aos tempos das grandes guerras...felizmente parece que a coisa está chegando ao fim, pelo menos temporariamente...esperemos...

Um bom dia,
e boa semana!

Renata

Cucchiaio pieno disse...

Meus olhos lacrimejaram ao ler o e-mail da tua amiga!
Muito sucesso para era grande mulher!
Bjim
Léia

welze disse...

Ô minha querida e nova amiga. Que decepção deve realmente ter sentido. Mas, também realmente, tudo há de mudar e para melhor, esperamos todos. Uma pena ter chegado à esse ponto, mas agora não tem volta e o fim do caminho, penso eu, aponta para algo melhor. Um grande abraço. Boa semana

Nina disse...

Ooohh Beth, to tao triste com tudo isso no Rio... gente! Que triste a tua amiga nao poder fazer o que gostaria, que tantos de vcs nao podem, eu me sinto até mal em poder ainda,viu?!
Entendi teu comentário perfeitamente lá comigo, sobre querer poder empurrar a neve... entendo querida, nao tá fácil, né? Mt chato tudo isso.

ps. depois venho com mais calma ler o post que vc escreveu sobre Bogotá, parece bem interessante.

Um bj pra ti e melhores dias pro nosso Rio LINDO!

Macá disse...

Beth
Aproveitei a entrada aqui para ler este e os demais posts (o último que tinha lido foi o da Frida).
Que pena ela não ter ido ao lançamento do próprio livro. Imagino a dor, a tristeza, afinal, devem ter sido meses de angústia e ansiedade à espera da data, do reencontro com amigos, encontro com novos, o olhar no olho esperando ver uma resposta.
Mas, por outro lado, essa data vai ficar marcada como a, quem sabe, volta do antigo Rio, sem esse bando imenso de traficantes a comandar a cidade. Tomara.
beijos

lolipop disse...

Beth,
É incrível essa situaçãp. Imagino como sua amiga se deve ter sentido.
Mas o mais importante está aí...o livro.E ninguém, por enquanto, nos pode privar do prazer da leitura.
Pode deixar que vou dar uma olhada!
Muitos beijinhos
Boa Semana!

Glorinha L de Lion disse...

Ai! Eu sou solidária à Sylvia, pois tb ía ao lançamento do livro dela! Fiquei com o coração partido! Mas ela, como mulher forte que é, há de superar e fazer uma outra noite de autógrafos, se a Vida permitir, e há de! Quanto ao Rio, queria saber pra onde irão os bandidos fugitivos???? Beijão, muito bonito seu post homenagem à sua, e agora tb minha, amiga. Que ela faça muito sucesso!

pensandoemfamilia disse...

É muito triste o que temos visto e experenciado. Medo, pânico... foi neste ponto que as coisas chegaram. E é assim que tudo chega. Não há medidas preventivas.
Beth querida vou aqui colocar mais uma vez algo que também vem me assustando e que nos levará a mais um caos- o boom imobiliário em Niterói.
Lamneto pela sua amiga também, vou lá conhecer o seu lançamento.
bjs.

Mimo Chic disse...

Querida Beth,
que tudo se acomode, e salve o LIVRO, coisa linda, vou procurar!
Mas gostoso é saber que sempre unidas nos ajudamos, bjs com carinho
Lulu & Sol

Cris França disse...

que post bonito, ai como é bom te ler. bjs querida

LILIANE disse...

Beth
o que me consola é saber que existe a amizade.
Esse sentimento verdadeiro e forte que nos ampara e encoraja nos momentos dificeis.
Certamente, existira uma enorme festa, outro dia muito rico de experiencias felizes para que sua amiga comemore o lançamento da sua obra.
Infelizmente, nem sempre temos o controle de tudo.
E voce é dessas pessos que entendem o valor da amizade, que grandes amigos você tem.
querida, me desculpe a ausencia, não é por mal, minha saúde é que está muito instável,
um beijinho bem carinhoso.

Manuela Freitas disse...

OLá querida Beth,
De facto aí pelo Rio de Janeiro vai um pé de guerra tremendo! Tenho acompanhado pela televisão com correspondentes a fazer reportagem directa. Desejo que o clima de paz volte depressa.
Este teu blogue minha querida amiga é muito especial, é um blogue de afectos, de carinhos e te admiro muito por seres a pessoa que és!...
Beijinhos,
Manú

Ps. Já experimentei o mosaico, já postei, nem sei como consegui, porque não atinava com aquilo! Não está grande coisa, mas a mestra espreite lá, quando puder!!

Luciana Håland disse...

Beth, parabéns para sua amiga e muito sucesso pra ela também.
Adorei o poema que inicia o post, e os peixinhos aí do lado também, já dei uma comidinha pra eles.
Uma boa semana.
Beijo

Dori DLua disse...

Ô Beth, que triste! Imagino como a Sylvia ficou... tanta gente do Rio perdeu tantas oportunidades nessa semana que passou! Me dá tristeza... mas espero que não tenha sido em vão. DESEJO que não tenha sido em vão! Que os próximos eventos dessas pessoas queridas sejam sucesso!!
Um beijo!

Lynce disse...

Pois é Beth, por cá temos acompanhado o que se passa por aí, no Rio, e a coisa parece não estar nada famosa.Mas se calhar é uma guerra necessária, não sei...
Beijinhos

manuel marques disse...

Sucesso .

Beijo.

Leci Irene disse...

A festa será realizada em cada coração, qdo lermos o livro...

ML disse...

Sua amiga fez muito bem, Beth, eu tb não iria ao lançamento do meu se publicasse 1.
Na verdade, na 5a. feira tudo o que fiz foi correr no supermercado e comprar um monte de coisa (estoque de água mineral, inclusive).
Para não ficar faminta aqui no "bunker". Que sustão, né?

bjnhs

orvalho do ceu disse...

OI, querida Beth
Não fui também ao show de lançamento do CD do meu sobrinho. Fiquei decepcionada... num misto de sentimentos... Todos me entenderam,claro!!
Haja frustração!!!
Parabéns à amiga!!!
Bjs de paz

Dani dutch disse...

OI web-mãe, os colegas de trabalho todos me perguntando o que está acontecendo no Rio de Janeiro, e eu fugindo deles pois apesar do que está acontecendo não quero falar do meu país, e ainda mais nestas condições. Só nos resta pedir pra DEus mesmo proteger todos.
Bjuss

gabriela disse...

Oi Beth
Tenho acompanhado pela tv o que se está a passar aí no Rio, até mete medo parece uma guerra.
Lamento pela tua amiga mas de certeza a festa vai acontecer quando tudo estiver mais calmo, obrigada amiga pelas felicitações, um abraço e um beijo grande cheia de saudades

Heloísa disse...

Beth,
Imagino a enorme decepção da sua amiga.
Desejo que ela tenha muito sucesso com o livro, e que tenha a oportunidade de se reunir com os amigos para festejar não mais o lançamento, mas o êxito.
Beijo.

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Fico aqui com o coração apertado...Por todos e pela família que mora no Rio.
Que situação!!!!
Acho que vai melhorar...Tenho esperanças!!!
Tudo de bom.
Bjs mil

Beth/Lilás disse...

QUERIDOS AMIGOS!
Obrigada primeiramente pelas palavras confortadoras no que diz respeito a este triste episódio na cidade do Rio de Janeiro.
Acho ou pressinto que está chegando a hora de as autoridades começarem a fazer alguma coisa de muito sério por nossa cidade e que será reflexo em todo Brasil. O começo foi dado, mas sabemos que é preciso agora investir muito na Educação e apoio social e psicológico para estas pessoas a fim de que possam se unir ao resto da população esclarecida e bem educada. Não podemos mais viver ao ritmo da favela, não queremos isso, queremos igualdade para todos e para isso é necessário uma grande investida na Educação principalmente. Não podemos mais suportar ver entre nós, nas ruas e shoppings da cidade, pessoas que falam um outro idioma, uma linguagem que foi criada pelos traficantes e imitada pela população, pelas crianças e jovens.
É preciso resgatar o sentimento de cidadania entre essas pessoas, não adianta nada que eles tenham o tênis da hora, mas não saibam se comportar publicamente e não serem relegados ou olhados com medo e preconceito.

Minha amiga Sylvia não pode estar presente neste dia tão especial para ela, mas tenho certeza que seu livro será um sucesso como tudo que ela fez na vida até hoje. Ela merece realmente o melhor.

beijos a todos

----------------------------------------------------------------------

Nilce disse...

É muito triste saber de todos os acontecimentos por aí. Mas a paz há de reinar.
Lindo post Beth e muito sucesso à sua amiga.

Bjs no coração!

Nilce

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Oi Beth.
Seu comentário acima foi maravilhoso, é tudo o que penso e espero para essa cidade linda que é o Rio. Pq os problemas da cidade foram causados por nós, humanos. Mas Deus tava muito feliz e inspirado quando fez o Rio, de tão bonito que é, eu amo a cidade!

uma pena que vc não pôde (tem acento?rs) ir ao encontro de sua amiga que lançou seu livro...
uma pena mesmo.

mas que bom vc divulgar! com certeza é um excelente livro!

e parabéns à sua amiga escritora, que ela tenha uma carreira de muito sucesso!
bjs e bom dia