.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O que você acha?





Essas duas imagens  são de uma campanha francesa antifumo.
A campanha, lançada pela Associação Direitos dos Não Fumantes (DNF), tem como slogan “Fumar é ser escravo do tabaco”. O objetivo da organização é “mostrar que o fumo é uma submissão”.

Europeus ainda gostam bastante deste hábito e percebi que o número de jovens fumantes por lá é maior do que aqui, embora nossos jovens consumam mais e abertamente o álcool.  Este início de semana mesmo, meu marido me contou que um de seus colegas de trabalho que tem três filhos jovens, tirou por um mês o direito deles dirigirem o carro que fazem uso, pois ele soube que tinham consumido bebida alcoólica neste feriadão, comprado engradados de cervejinha e deixaram no carro as marcas suspeitas, assim serão punidos para que se conscientizem que não podem mesmo beber e dirigir.

Não acho nenhuma das duas drogas interessantes nem nunca incentivei meu filho a fazer uso delas, pelo contrário, quando eu tinha lá meus 30 e poucos anos ainda gostava de um cigarrinho e foi ele, o filho, quem me chamou atenção para que não era 'uma boa' fumar, que fazia mal e que eu poderia morrer cedo, coisa que ele devia ter medo, talvez,  de ficar sem a mãezinha prematuramente.  Parei no dia seguinte e nunca mais voltei a fumar.

Campanhas mundiais são feitas para atingir principalmente este alvo - os jovens - inclusive aqui no Brasil. 
As campanhas feitas contra o cigarro são até bem chocantes  e estão em todos os maços de cigarros nacionais.  Noutro dia, num bar em que entrei para comprar água mineral, vi estampadas figuras horríveis de gente machucadas pelo uso indiscriminado do tabaco.  
Como adulta e com uma considerável bagagem de experiência na vida, fiquei pensando como isso destrói o ser humano, como causa dor ao próprio e às famílias, senti mesmo muita pena dessas pessoas que não conseguem reagir contra um vício e se destroem e fiquei aliviada de ter deixado de fumar a tempo. Mas, será que um jovem veria e pensaria assim como eu, será que eles se atém a estes detalhes da propaganda? Acho que não!

Mas, a verdade é que tais campanhas, parecem não atingir realmente aqueles que precisam delas, ou seja, não causam medo aos jovens, pelo menos à maioria. Muitos só acordam para isto quando acontece com um amigo ou parente próximo, enquanto isso vão achando sempre um jeitinho para beber uma cervejinha ou duas e dirigir em seguida, comendo chocolates e muita água
para disfarçar o cheiro. 

No caso do cigarro, a luta se perde quando campanhas como esta não atingem verdadeiramente seu objetivo, servem apenas para chamar atenção sobre quem fez, idealizou e gerou polêmica através da mídia.

As imagens acima fazem parte deste assunto que está na BBC Brasil de hoje; não deixem de ler e dar aqui sua opinião sobre a eficácia desta campanha.





17 comentários:

Lucia Cintra disse...

Eu nunca fumei na vida, nem mesmo sequer experimentei um cigarro. Sou completamente contra, pois eh um veneno. Eh um vicio mesmo, pois as pessoas que conheco que fumam sao muito inteligentes e sabem bem o risco, mas continuam fazendo.

E posso dizer que o cigarro eh o motivo principal de meu marido e eu quase nunca pisar na casa dos seus pais, pois eles fumam tanto, que fica ate uma neblina dentro da casa deles. Nao da pra respirar e se eles nao tem respeito pela saude dos outros, eu eh que nao vou me expor a isso.

Ja ate falei brincando pro meu marido que se um dia eu ou ele pegarmos cancer de pulmao, vou processar os pais dele.

bjos

Somnia Carvalho disse...

preciso pensar mais...

achei meio chocante... rs

ML disse...

Beth:
Que cigarro não é boa coisa todo mundo já sabe, inclusive esta (infelizmente) fumante que vos tecla.
Mas esta campanha, fala sério, aliás, alto lá!
Que idéia mais indigesta, que nojo!
Não quanto ao sexo oral ou ao cigarro, o formato da campanha é que é nojento, de uma infelicidade e grosseria atroses.
Será que pararam por ai ou vão apelar pra outra forma de analogia se é que vc e seus leitores me entenderam bem?
Quem aprovou uma baixaria dessa?
Só falta o fundo - musical - ser o "rebolation' :>)

bjnhs

PS: hoje, procurando seu endereço no meu blogrool vi que ele tinha, simplesmente, desaparecido.
Não me pergunte porque - eu tô procurando entender até agora.
Bom, já resolvi o "probRema".
Desculpas, de todo o modo, embora eu não tenha deletado - imagina - o meu querido "Mãe Gaia".

ML disse...

Beth: fiz um post lá no blog citando vc - espero que goste.
Queria ter "importado" a foto da vitrine da Hermes mas não achei.

bjnhs

Léo C. disse...

Acho que essas campanhas de certo modo ajudam a trazer os assuntos centrais ao debate. Acho que são eficazes no que eles propôem. O presidente da tal DNF (Direitos dos Não-Fumantes) disse:

"les bonnes campagnes sont celles qui choquent, qui entraînent des opinions très divergentes, des très pour et des très contre" [as boas campanhas são as que chocam, que causam opiniões divergentes tanto muito a favor quanto muito contra].

Ou seja, que se discuta o assunto já é um adianto. E os franceses adoram "brincar" com aspectos morais pra chocar.

Eu acho válida como choque, mas o problema é que pode levar as discussões pra bem longe do cigarro.

Georgia disse...

A bebida é drástica pelos danos que ela causa. O cigarro causa danos de modo diferente, mata somente a ela mesma. Mas sem sombra de dúvida sao vícios que incomodam. Por aqui ninguém fuma.

Bjao

Dani dutch disse...

Oi web-mãe, tudo bem?
E como fumam, assim qeu pisei aqui fiquei abismada com a quantidade de cigarros nas ruas.
As escolas tem até big cinzeiros para os estudantes,
É super normalmente alguém de 10,11,12 estar fumando, e muitas vezes para até ser aceito no grupinho de amigos.
BJusss

Liza Souza disse...

Beth,
tbm achei a campanha meio forte e nao gostei da analogia. Agora quanto as campanhas publicitarias em geral e a imagem que muitas vezes a TV nos passa através de alguns programas como as novelas que atingem diretamente a grande parte dos consumidores desses tipos de drogas é que fumar e que beber trazem um tipo de status. Geralmente as propagandas de cerveja sao as mais divertidas, trazem cantores admirados pelo público e despertam ainda mais o desejo de se tornar "legal" quanto aquelas pessoas que aparecem na TV.
Agora as propagandas que trazem os prejuizos do fumo e do alcolismo nem de longe despertam a mesma admiracao.
Beijinhos

Silvia Masc disse...

Confesso que achei a idéia nojenta e burra, e a cada campanha errada, o efeito é bem ao contrário, lembra, do Bráulio, o assunto ficou focado no nome do piu-piu e o assunto que interessava mesmo, era secundário.

Eu confesso que fiquei orgulhosa de SP quando foi precursora da proibição de fumar em áreas fechadas, mas mesmo não fumando, não gostei do tom, terrorista que a campanha foi feita, até porque eu abomino quaisquer tipo de patrulhamento.

Assim como camisinha, a questão do cigarro, bebidas e drogas, deve ser abordada desde cedo.Mas não com analogias descabidas como essa. Socorro!!!!

Beth/Lilás disse...

Léo, Liza, ML e Silvia! (vocês leram de verdade o link que coloquei)

É verdade, não só franceses como alemães investem em campanhas mais diretas, um pouco fortes para o nosso gosto burguês e religioso, inclusive falei sobre isto neste post aqui abaixo, veja:

http://supremamaegaia.blogspot.com/2008/12/o-cuidado-com-nossos-jovens.html

Mas, ainda concordo com as amigas ML e Silvia que lembrou da tal campanha do Braúlio e que não serviu para nada, apenas fazer chacota com quem tem este nome.
Agora, o assunto 'sexo' interessa em muito aos jovens, talvez isso chame mesmo muito atenção sobre eles, mas do ponto de vista em que está baseada a metáfora, não vejo absolutamente nenhum impacto para deixarem de fumar.

abraço a todos

Glorinha disse...

Beth querida, como adoro uma polêmica, acho que essas campanhas são pra chocar e chocam!
Se não fazem as pessoas pararem, pelo menos as faz pensar no assunto...eu fiquei chocada com o desrespeito a quem não fuma na Europa, em todo lugar que se vai tem alguém fumando, as ruas são lotadas de guimbas de cigarros no chão! E as lixeiras lá, mas ninguém joga!
Agora, parece que em alguns países é proibido fumar em locais fechados...mas o europeu fuma demais, muito mais do que aqui...e bebem demais tb! Acho que mais até do que nossos jovens...lá eles bebem por causa do frio, mas o alcolismo na Europa é caso de saúde pública!
Agora, acho que a pessoa só pára se resolver consigo mesma, não adianta ninguém falar.
Vc me deu uma boa ideia de post, amiga!
Beijos.

Lúcia Soares disse...

Beth, não achei chocante a imagem, achei foi desnecessária. Não entendo que sexo oral seja "submissão". Faz quem quer. Usar o cigarro também usa quem quer. A melhor maneira de ensinar os jovens a não fumar, e a não beber, é não fazer isso na frente deles. A maioria dos pais fuma, então como dizer a eles que não o façam?! Beber também é um problema que começa em casa. Embora eu conheça pais que fumam e os 2 filhos, homens, odeiam cigarro. Pais que não bebem e os filhos sim. Pais que bebem e filhos que detestam. Não há uma mágica, acho que a pessoa já nasce com a predisposição. Eu não fumo. Meu marido, sim. Só um dos meus filhos fuma, justamente uma...Mas ela o faz "escondido", nunca a vi com cigarro na mão e nem fuma dentro da minha casa. Faço de tudo pra demovê-la desse vício ridículo (como todos em geral).
Resumindo: achei a campanha de mau gosto. E não creio que surtirá efeito positivo nos jovens.
De todo modo, levantou polêmica, mesmo que por outros motivos. Melhor isso do que a omissão total.
Bj

Sonho Meu disse...

Beth, eu acho que essa coisa de fumar tá no sangue (sei que é uma teoria furada minha).
Veja bem, eu nasci e fui criada no meio dos cigarros. Tive namorados fumantes roxos e eu até acendia o cigarro pra eles furmarem (acredita?), tentei dar umas tragadas mas era tao incompetente que sempre terminava me engasgando. Tambem nunca achei graça no cigarro. Achava fedorento e nao gostava do bafo de um fumante. Eca ! Graças a Deus eu escapei ilesa. Quando tive filhos nao precisei nem falar pra eles , que eles ja sabiam do perigo e caminho sem retorno da fumaça.
Sobre bebidas alcolicas, eu acho uma tristeza e ela corroi a familia mais que o fumo. O fumante se mata a se proprio e o alcolatra mata a sí e a familia.O alcool corroi igual um ferrugem.
bjs pra tí.

Wilma disse...

Oi Beth, sei bem como é, para os filhos tudo, ou quase, já que são únicos. Aqui também é assim, o melhor computador é o dela, o meu desk pifou, o positivo mobile está com teclado ruim e por isso voltarei dps para comentar e ler tudo!!!

Georgia disse...

Beth, nao reparei no link, nao foi por ser grande nao, rs.

Acho apelativo a campanha, foi como alguém abordou e as pessoas que sofreram abuso sexual? Por causa de gente que fuma vamos estragar a vida das outras pessoas que já passaram por um pesadelo. Ah, quer saber? Tem coisa muito pior nessa vida do que fumar. O povo tá se incomodando com quem fuma? Tinham que se incomodar com quem está passando é fome.

Bjao

Paty disse...

Oi, Beth,

Achei esta campanha meio sem pé nem cabeça, bem no estilo que querer chamar mais atenção pra "criatividade" do publicitário que bolou isso aí do que para o tema em si.
Não fumo, odeio cigarro e aqui em casa não entra. Quem vem aqui já sabe: não há nem cinzeiros, pq aqui é "zona livre de fumaça". Se quiserem fumar, que vão pra fora de casa e segurem suas guimbas nas mãos...
Não é questão de ser grosseira... Só acho que as pessoas têm que ter mais educação e consideração pelo próximo, pq a fumaça que eles exalam também me prejudica... Sou tolerância zero e chata mesmo em relação a isso... Beijos!

Luma Rosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.