.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Garis ou Malabaristas?



(Ilustração-Leandro Robles)

Gari - uma profissão que pode passar despercebida pela maioria do povo, confundem-se na profusão de cores e coisas de uma cidade grande, tornam-se o que chamamos de 'invisibilidade pública',  mas são eles os responsáveis pela limpeza das ruas, coletas dos lixos residenciais, comerciais, industriais, praças e parques, assim como também capinam grama, lavam e desinfetam vias públicas.  Portanto, uma profissão importantíssima na nossa organização social.  O que seria de nós ao término de um carnaval gigante como o do Rio de Janeiro e todo este excesso de sol e verão nas praias com gente  mal educada sujando por todos os lados!?  O que seria de mim, quando pela manhã vou andando até minha academia de ginástica e não fosse a simpática gari de minha rua, a Jandira, retirando todos as titicas dos cachorrinhos de apartamento e que saem cedo com seus donos inconsequentes levando-os pela coleira!?

E vocês sabem porque este nome; Gari?  
É uma homenagem que fizeram ao tal engenheiro francês - Aleixo Gary -, que em 1895 foi trazido ao Brasil para instalar, no Rio de Janeiro, um sistema de limpeza urbana.  Naqueles tempos ninguém aguentava mais o cheiro e a sujeira que tinha se instalado na capital brasileira, jogavam tudo nas ruas, inclusive os penicos cheios pelas janelas.  Um horror, bleh!

Hoje em dia estes profissionais precisam passar por um concurso bastante disputado aqui no estado com muita prova física, consistindo de testes dinâmicos de barra fixa para os candidatos do sexo masculino e teste estático de barra fixa para as candidatas do sexo feminino. E o mais curioso é que no concurso do ano de 2009, até candidatos com doutorados se inscreveram. (veja aqui)

Não sei como é tal profissão na Europa, por exemplo, ou nos Estados Unidos, mas aqui, o concurso é bastante procurado e o salário (em torno de  300  Dólares) não é lá estas coisas, mas para uma cidade inchada de pessoas que vêm de longe atrás de oportunidades de trabalho que não encontram em suas regiões, ganhar um pouco mais do que o salário mínimo e ter direito a ticket saúde, ticket refeição e vale transporte, passa a ser interessante até.

Massss, me digam, vocês que moram fora e de outras capitais; Como o profissional de limpeza  trabalha em seu país?  Por um acaso eles ganham somente isto e vão assim, pendurados atrás de um caminhão sujo? Agarrados a uma barra e que qualquer freada do motorista ou um simples descuido deles mesmos, depois de uma jornada de trabalho, podem ser ejetados para longe; assim como não é nada agradável ir ali, sentindo o cheiro fétido do lixo que recolhem no dia a dia!


(Fotos minhas feitas ontem à noite em Itaipú-Niterói)

É! Parece que não evoluimos tanto desde 1895, agora o problema é com o ser humano e com seus direitos.  
Afinal, como fazer para que estes homens não tenham que trabalhar desta forma vergonhosa?  Além de perigoso é completamente anti-higiênico, ficam expostos à doenças e imagino que num país evoluído não seja utilizado este precário sistema.

Eu sei que muita gente pode achar que isto é besteira, que estou sendo exigente demais e que é assim mesmo, pois já estamos acostumados a ver e aceitar os erros neste país, mas digo sinceramente, estas coisas me incomodam, não consigo entender como podem existir ainda em nossa sociedade atual,ou melhor, entendo sim - é um problema de gestão política, de ética e falta de respeito com a sociedade. 


É difícil ficar indiferente a uma situação como esta, pelo contrário, a sensação  que tivemos atrás deste caminhão, de dentro do nosso carro com ar condicionado e conforto, foi de vergonha diante daqueles trabalhadores.









28 comentários:

Lúcia Soares disse...

Beth, é uma categoria que trabalha perigosamente, mas já reparou como estão sempre sorrindo, principalmente os lixeiros?
Hoje em dia temos é que sair por aí, rindo da vida, mesmo quando ela não é lá essas coisas, pois podia ser pior...O mais triste é saber que a educação não está valendo nada: graduação, pós, mestrado, doutorado..títulos vazios, parece!
Emprego nenhum é vergonha. Ganhar a vida honestamente é o certo. Mas me dói saber que tão pouco vale "ralar" nos bancos de escolas. Depende de nós mudar isto.
Mas quando?!
Bj

Beth/Lilás disse...

Lúcia,
Então, minha amiga é isso o que eu penso também, emprego como este não é vergonha nenhuma, pelo contrário, são super úteis e importantes para uma sociedade, mas o descalabro do salário e as condições de trabalho precárias são vergonhosas e dá muita raiva na gente em saber que nossos governantes não cuidam disso, mesmo viajando toda hora pro exterior para, segundo eles, aprenderem como são as coisas por lá. Humpt!
beijocas

----------------------------------------------------------------------------------

ML disse...

Beth: minha mãe - sempre ela - disse, outro dia, uma frase simples, mas extremamente importante, como costumam ser as maiores verdades, ne?: "não adianta a gente querer que isso "aqui" seja um lugar desenvolvido.
Já que a gente nasceu aqui e optou por não viver fora,"é isso aí"..."
O Br é esta porcaria mesmo, e meu medo é que essa Dilma se eleja.
Sonho de consumo: ela entra, eu saio.
Acho que ficará no sonho, mas, pelo menos, eu sonho...

bjnhs

PS: parabéns por + 1 post excelente.

Beth/Lilás disse...

ML,
O pior de tudo é que o povo está acostumado a estas migalhas, alguns acham que progredimos muito e está tudo se encaminhando para que o país seja notado lá fora, mas notado como? Como uma grande bagunça, uma falta de respeito ao cidadão?!
beijo querida
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Jarid Arraes Singh disse...

Concordo 100% contigo.

A profissão é uma das mais importantes no que se trata de bem-estar público, aqui na Índia é de enlouquecer o quanto essa profissão é desvalorizada e só é feita por pessoas consideradas "de baixo nível". E quando é feita, porque as ruas são imundas, com lixo transbordando por todas as partes e os mais varidos tipos de nojeiras.

Desejo uma vida melhor pra essas pessoas, que parem de ser vistas como inferiores, sujas... se eu tivesse pique com certeza me arriscaria de gari.

- x -

E Lindoooona, obrigada pelo comentário super lindo lá no bloguxo! Já comecei gostando do "Lilás" no teu nome. Hahahaha!

Que bom saber que você conhece a Camila, ela é uma pessoa linda. Eu vou estar no Rio agora em Março, vamos fazer um piquenique indiano. Será que você não quer e pode ir?

Beijões!

Luciana Håland disse...

Beth, que curioso, eu não sabia a origem da palavra gari. Aqui é diferente, quase nunca vejo, mas eles não vão pendurados assim, o carro tem um sistema que recolhe a lixeira, acho que no máximo eles colocam a lixeira encaixada, não sei se no Brasil também. A gente leva a lixeira até um ponto da rua e depois recolhemos pra casa, eles não passam de casa em casa pegando o lixo, e acredita que tem gente que reclama muito porque vai deixar a lixeira num ponto da rua?
Não tem varredor de rua, é um carro que faz o servico, passa varrendo e aspirando a rua. Aqui na minha rua nunca vi passar, mas tá sempre limpinha. Mas ao contrário do que pensam nem sempre as ruas são limpas aqui, o povo ainda joga lixo nas ruas, infelizmente, mesmo tendo lixeiras por todo canto, como também levam cachorros para fazerem seus 'servicinhos' e não recolhem, mesmo tendo leis dizendo que devem recolher.
O salário deve ser um salário como de muitos profissionais aqui, e vou até postar sobre isso, o povo pensa que aqui se ganha muiiiiito bem, e realmente os salários são bons, mas o custo de vida é altíssimo.

Menina, vi esse jogo do raspa gelo, achei interessantíssimo tambem, nem sabia que existia, inventam cada coisa. Entäo, o que digo de circo é isso, a gente poder se dar o prazer de ver, ler, fazer, coisas somente por prazer, sem precisar ter um cunho intelectual. E concordo com você, programas como o Big Brother são apelativos, os papos säo péssimos, e olhe que você nem assistiu, até pedir pra simularem sexo oral nesse pediram, mas vejo também com um senso crítico ligado, e acho que é um termômetro pra ver como está a cabeca dos brasileiros em geral, já que tem muita coisa na internet, as votacões,... E chega a ter cada 'pérola' de surpreender. Meu post foi mais do tanto que vi, nem cheguei a ler direito, sobre o programa ontem na internet, e o tanto de censura que está tendo porque a moca, doutora em linguistica, participou.
Vejo os programas que você mencionou, também gosto, mas minha tv tá com problemas essa semana na antena, acho que congelou, kkkkk, mas marido está resolvendo. O comentário virou quase uma conversa, ...
Beijo

Georgia disse...

Beth querida, sei que parece chocante quem estudou estar se candidatando a uma vaga na Comlurb mas acho legal que isso esteja acontecendo, vejo de um outro jeito. Somente com pessoas que estudaram pode-se mudar talvez esse sistema de trabalho, trazer novas idéias, assim como esse engenheiro francés Aleixo Gari trouxe a implantacao de sistema urbano no Brasil. Veja nao foi um coletor de lixo e sim alguém que estudou. Se queremos mudanca devemos empregar pessoas assim. Dói, o salário mínimo que é? Dói sim, mas também nem tanto. É melhor receber salário mínimo do que ficar sem fazer nada buscando terapia porque está frustrado por ter estudado e nao ter emprego. Que legal ticket refeicao, transporte e outras coisas que eles até recebem, salubridade inclusive por causa do risco de saúde, esse ai, nao tem dinheiro que pague.

Mas me acredite: É melhor ter um emprego do que nao ter nada.

Aqui é dividido por sistema de bairro. Como os nossos bairros sao pequenos sao eles quem recolhem o lixo sujo mesmo e mais o do bio num outro dia. Eles também vao pensurados no caminhao como no Brasil, mas sao somente 2 e sao sempre os mesmos.

Esse seu post sobre o gari me lembrou o escândalo do comentário do Boris Casoy na época do Natal. Lembra? Senao o vídeo está aqui.

http://www.youtube.com/watch?v=FniBbpt8_yA

Já pensou ele tendo que trabalhar um dia como gari?

Bjao e parabéns pelo post.

Heloísa disse...

Beth,
Juro que fico trsite quando vejo críticas tão contudentes contra nosso país. Parece que tudo que existe lá fora é melhor, mas não é bem assim.
Claro que temos muito para melhorar. Nada é perfeito em nenhum lugar. E é importante que enxerguemos as deficiências e vejamos o que podemos fazer para eliminá-las.
No caso do recolhimento do lixo podemos começar embalando bem aquilo que jogamos fora.
Beijos.

Somnia Carvalho disse...

Lilla,

nao sei se e concorrido aqui ou nao... so sei que quase nao tem.. sao maqunas que limpam e um cara so que opera... ai tem um ou outro, mas e quase gato pingado..

o cara do lixo tem, mas pra todos esses servicos exige se nivel escolar e sei la mais o que... eles na oganham mal nao...

seu post e super bonito e sensivel...

sobre o problema do lixo ja pensei em escrever varias vezes e nao fiz...

gari nao sei se por conta do que sempre vi no brasil me da uma pena... sempre falo, bom dia! toda atenciosa sei nem direito porque.

mas gostei de saber de onde vem os nomes etc...

Beth/Lilás disse...

Jarid,
Legal você ter aparecido aqui para o comentário sobre este tema e vejo que, pelo menos em relação à India estamos melhor.
Acho que vou aceitar o convite sim, depois nos falamos então.
------------------------------------------------------------------------------------

Lu,
Olha só que bacana este sistema utilizado por aí, quem dera por aqui as ruas fossem aspiradas ou lavadas!
beijos

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Georgia,
Aquela do Boris foi inadmissível, ele parece inteligente, mas agiu como uma anta.
Quanto ao serviço dos garis é aquilo que eu disse, ou seja, "Portanto, uma profissão importantíssima na nossa organização social." e é claro que é preferível um salário mínimo do que nada, jogado por aí como tantas pessoas que precisam trabalhar e não têm oportunidades.
O que estou me referindo é quanto às condições de trabalho dos mesmos, pois duvido que um gari alemão estivesse assim pendurado, em quatro, sob um calor de 40 graus por volta de 20 horas retornando para o lugar onde deixam os caminhões. Fiquei pensando muito se onde eles iriam deixar o caminhão se teria um lugar para tomarem banho antes de irem para suas casas em ônibus ou vans dessas do RJ.
Obrigada pela participação e beijos.

------------------------------------------------------------------------------------------

Helô querida!
Desculpe-me se mostro às vezes nossas mazelas, infelizmente, não dá pra tapar o sol com peneira, nem fingir que estamos num país das mil maravilhas como alguns do governo alardeiam por aí em campanhas que prometem, viajam pro exterior dizendo que vão para aprender com povos mais desenvolvidos, mas na verdade tais encontros são de ordem particular ou para suas acompanhantes comprarem os últimos modelitos para as próximas estações ou tomarem vinhos magníficos nas caves francesas.
Eu não gostaria nunquinha de mostrar isso, mas ultimamente meu coração não vem suportando tanta coisa errada e por isso ando de máquina em punho, sempre buscando estes lances, como também já mostrei coisas lindas aqui do estado, principalmente a beleza natural que é fantástica.
Desculpa tá!
beijinhos
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Beth/Lilás disse...

Soninha,
Por aqui, exige-se no máximo até a 4a. seríe do primeiro grau, mas como vc viu, tem gente até com nível superior concorrendo, a coisa tá difícil mesmo!

Fiz o post não só para mostrar esta condição tão rim desses trabalhadores brasileiros, como também para saber qual o sistema que vocês vêm aí no país em que moram.
Depois vou juntar as idéias e mandar pro nosso governador querido que vive viajando para buscar idéias novas, mas até agora... necas!
Valeu! beijocas

---------------------------------------------------------------------------------------------------------

RaH disse...

Noossaa!
Que bacana!
Adorei este post!
Super-interessante!

E esta é sim uma profissão muito digna e respeitável.
Nem comento estas pessoas que desfazem deles...

Beijo carinhoso pra tii!

"Uma Mae das Arabias" disse...

Web-Mama,

Quando morava no Egitao, lembrei muito desses prefissionais. Como eles faziam falta. Ruas sujas, lixo aberto, doencas ali na nossa frente. Claro que o Brasil esta longe de ser perfeito, mas estamos na frente de muitos paises.

Acho que meu blog nao atualiza na sua listinha, pq o que esta ai eh o endereco antigo, nao seria isso??

Beijos saudosos

Fiquem com Deus

Barbrinha e Kassem

Cristiane A. Fetter disse...

Beth, aqui na minha área eles são contratados, nada de concurso, aliás como acontece com as escolas públicas também, com exceção dos diretores, o resto é contratado por seus méritos de profissional.
O que acho certo pq se não fizer o trabalho direito, leva cartão vermelho, isso não quer dizer que os garis no Rio ou Margaridas em Sampa não façam direito, ou até os professores brasileiros, só estou dizendo que a forma de contratação aqui faz com que todos prezem em seguir suas metas.
bjks

Sonho Meu disse...

Beth,
em dez anos de States nunca, nunquinha mesmo ví garis aqui limpando rua.
O condado aqui, acho que terceirisa esse tipo de trabalho. Temos uns caminhoes caçambas imensos com um motorista so que faz todo o trabalho mecanizado. Pois bem esses caminhoes vem no seu bairro (talvez dois ou tres por bairros) umas duas ou tres vezes na semana, recolher automaticamente os grandes lixeiros onde os moradores colocam o seu lixo. Esse lixeiro fica numa area reservada e cercada.
Limpeza de rua tem um carro com um vassourao que passa rente as calçadas varrendo, lavando e limpando. Mas Beth aqui as pessoas nao sujam as ruas, dificilmente se ver cascas de banana, saco plastico, coco de cachorro, copos vazios nas ruas. Ah e quando tem os proprios moradores apanham. Meu marido mesmo é um que quando sai pra caminhar leva um saco plastico pra ir colocando o lixo que encontra. Eu como brasileira da gema acho um absurdo, porque nao fui eu que sujei e nao coloco lixo na rua de jeito nenhum. Enfim as ruas sao limpas. As vezes se encontra um coco ou outro de dog deixado pra tras, mas te garanto que se a policia flagra o momento, o dono do dog vai pagar 100 dolares de multa. O proprio cidado pode chamar a atencao do nojento do dono do carro e ele fica tao envergonhado que jamais ira deixar de apanhar a bosta.
Quando o Brasil se conscientizar dos direitos do cidadao, nao precisara de um batalhao de limpadores de ruas e outras coisitas mais.
Entao é isso aí...cada qual com seu cada qual !
bjs,

Beth/Lilás disse...

Oi, RaH!
Obrigada pela visita, volte sempre, tá!
beijão

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Barbrinha,

Imagino como não é o lixo no Egitão, pois tanto lá quanto na Índia as coisas são meio parecidas, mas aí não dá mesmo para se comparar com nosso país.
beijocas

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Cris,

Eu acho muito boa esta forma de agir aí nos States e de uma certa forma, estes trabalhadores fazem um trabalho bem menos pesado que os nossos, pois os lixos aí são reciclados e tratados com cuidados pelas pessoas.
Eu, faço a minha parte, sempre selecionei lixo reciclável, tenho 2 lixeiras e nunca coloquei vidro ou espelho quebrado de qualquer forma na lata de lixo, isso ajuda em muito o trabalho desses profissionais, certo!

beijão

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Beth/Lilás disse...

Elena querida!

Você disse tudo nesta frase final - "conscientização" e com ela não precisaríamos de tanta gente para fazer este tipo de trabalho.
Sabe quando chegaremos a um nível desses?
Nunca, jamais, never!
bjs
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Heloísa disse...

Beth, querida,
Me desculpe pois acho que não fui muito clara no meu comentário. Eu não estava me referindo ao seu post (muito bom para provocar o debate), mas sim a um dos comentários que antecedeu o meu. Nele está escrito que "o Brasil é esta porcaria mesmo" e que "não adianta a gente querer que isso aqui seja um lugar desenvilvido".
Achei muito chocante a forma em que essas coisas foram ditas.
Eu não acho que devemos tapar o sol com a peneira, nem acho que não podemos falar e criticar aquilo que existe de errado. Podemos, sim, falar que não concordamos com uma série de comportamentos, e que há muito para ser mudado. Assim, não fiquei trsite com o seu post,e sim ao ler que esse país é "uma porcaria" e que "não adianta a gente querer que isso aqui seja um lugar desenvolvido".
Espero que você entenda que meu reacado não era para você.
Beijos.

(Já havia escrito quando caiu a internet. Talvez você receba duas vezes).

Beth/Lilás disse...

Helô, querida!
Ah que bom! Pensei que vc não estivesse de acordo com minhas reflexões sobre o assunto, apesar do que acho que ninguém tem mesmo que concordar com tudo que falo ou penso e às vezes eu ando meio chata mesmo com tudo. Tenho que aprender a aceitar mais as coisas, mas ando num momento meio crítico sobre as coisas.
Obrigadão, você me é muito importante nos seus comentários sempre muito consensuosos.
beijos
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Paty disse...

Beth,

Vou tentar tirar umas fotos dos garis daqui. Vc vai cair durinha!
A falta de estrutura é tanta que a Comlurb parece primeiro mundo perto da companhia de limpeza de Bahrain!!! Uma época, os cinemas passavam uma propaganda antes do filme para educar as pessoas a não jogarem lixo pela janela, exatamente como vc citou que acontecia no Brasil normalmente há mais de cem anos. Não que as pessoas tenham parado de jogar lixo pelas janelas (especialmente, as dos carros), mas aqui é muito mais. Canso de ver gente abrir a janela e jogar coisa nas ruas. Me dá raiva! As pessoas não jogam lixo na sala de casa, por que fazem isso na rua? Custa guardar em um saco ou na bolsa e jogar fora quando chegar em casa?
Aliás, uma vez fui à Comlurb fazer uma pesquisa de segurança do trabalho. A empresa é organizadíssima, um exemplo a ser seguido... O problema é o ser humano, que se arrisca à toa e não segue as precauções mínimas.
E gari é mesmo uma das profissões mais injustiçadas! Trabalham duro, com uma coisa nojenta (que é o lixo) e ainda assim, ganham esta miséria... Triste mesmo...
Estou adorando estar de volta. Ainda meio enferrujada, me acostumando com a rotina nova, doida pra conseguir acompanhar os blogs amigos, mas aos pouquinhos, chego lá! Beijos. ;)

Beth/Lilás disse...

Oi, Paty!
Que bom vê-la de novo blogando!
Pois isto aí no Bahrein tem que ser consertado rapidamente, afinal eles estão tão ricos, têm que investir mais em educação e boas condições de trabalho para o povo, senão de que adianta tanta riqueza!
beijos

-----------------------------------------------------------------------------------------------------

Glorinha disse...

Mana Beth, eu já tinha escrito um coment enoooorme, mas como não saiu...lá vai...acho que hoje em dia, tem-se mais é que agradecer quando se tem um emprego digno...pior do que gari ou lixeiro, embora tb ache as condições de trabalho deles péssima, é trabalhador de obra, furando asfalto com britadeira, debaixo de um sol de fritar ovo na cabeça...e, até esses tem que dar graças a la vida por ter emprego! e nós, por nossa vez, dar graças por ter gente pra fazer esse tipo de serviço, pois num país com tanta miséria e tanta bolsa esmola, periga daqui a pouco neguinho não querer mais trabalhar, ficar em casa só recebendo bolsa isso, bolsa aquilo...bolsa celular e em breve bolsa-banda larga! Aguardem!
BEIJOS.

Beth/Lilás disse...

Maninha,
Você tem razão, porém o Estado como legislador, deveria dar o exemplo e não permitir que seus funcionários (garis) trabalhem sob essas condições tão insalubres.
beijocas

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

Lucia Cintra disse...

A Elena so "Sonho Meu" explicou direitinho como eh aqui. Eh assim mesmo com esses caminhoes aqui na PA tb, mas como ela disse, raramente voce ve lixo na rua, pois as pessoas nao fazem isso.

E de acordo com o Al, lixeiro eh uma profissao que te paga extremamente bem. Nao deixa de ser um trabalho super pesado e exaustante, mas eles pagam excelentemente bem aqui. bjos

Wilma disse...

Beth, já falaram tudo, e concordo que a culpa maior é do cidadão que em pleno século 21 não aprendeu a usar a lixeira, não sabe ensacar o seu lixo e também há poucas lixeiras públicas nas ruas, outro dia em frente as barcas estava um horror, as lixeirs transbordantes com lixo no chão.Já vi na TV programas sobre o lixo nos EUA e é beminteressante, mas o melhor q vi foi na Suécia (em um bairro) quase todo o lixo sai das casas por meio de tubos subterrâneos e são reaproveitados, as pets são trocadas por ticks para usar em lojas, quase uma perfeição, rsrsrs

Beth/Lilás disse...

Lucinha,
Quer dizer então que os lixeiros aí são muito bem pagos!? Não sabia dessa, achei ótimo, afinal o trabalho é dos mais difíceis mesmo!
beijos

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Vivi,
Olha, sobre o lixo aqui desta cidade nem me fale, acho um absurdo a falta de lixeiras públicas suficientes e de um tamanho que pelo menos dê o suficiente para certos locais, o que vejo são pequenas lixeiras e abarrotadas sempre. Tristeza!
beijão

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Silvia Masc disse...

Beth, aqui em Sampa, a limpeza das ruas está péssimo, me refiro ao centro, nos bairros é boa, poderia ser ótima. Quanto a coleta, admiro esses homens, e se ao coletarem ficar resíduos no caminho, a culpa é de quem não embalou como devia, fora o que não coletam lixo que não possa ser triturado, e algumas pessoas ainda não se deram conta disso e colocam objetos que acabam não sendo recolhidos (até móveis que as vezes não cabem na tritutadora). Respeito e tenho admiração por eles, inclusive, como coletam a noite, melhorou muito no sentido de que antes, faziam um barulhão, com gritos e assovios ao motorista, agora o serviço é bem silencioso.
Outro dia voltando pra casa fiquei atrás de um dessas caminhões, e observei o preparo físico desse pessoal, mesmo com chuva lá estavam eles Já imaginou se durante o dia tivessem alimentação correta e assistência esportiva? Poderiam ser excelentes atletas.
PS. Margaridas, não são coletoras, são varredoras de ruas.
Ótimo post
beijos

Silvia Masc disse...

A título de informação;
Devo mudar-me em 30 ou 60 dias, falando agora com meu filho, sobre o que vamos levar, o que vamos doar e o que vamos descartar, nos ocorreu sobre a questão do descarte.
Liguei para a prefeitura, para colher informação.
Em São Paulo Fone: 156
Nos deram todas as informações, Temos aqui serviço chamado "Cata Bagulho", é coleta de itens que o caminhão não pode recolher, é feita 1 vez ao mês.
Existe também, um serviço chamado "eco ponto" estão em inúmeras ruas de São Paulo,(inclusive na minha) normalmente sob viadutos que foram fechados com aramado, lá também você pode levar os objetos, e a prefeitura
providência a retirada.

beijinho