.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sábado, 12 de dezembro de 2009

Você é hospitaleiro?

http://www.digsdigs.com/photos/christmas-mantel-decorations.jpg
(Fonte /www.digsdigs.com)

Além das compras, presentes, comidinhas e as várias arrumações para estas datas tão festivas de Natal e Ano Novo, aqueles que vão receber em suas casas parentes ou amigos, têm sempre uma dose maior de trabalho, mesmo dizendo que fará pouca coisa ou que será tudo bem simplinho, mas existem pequenos detalhes que são imprescindíveis para bem receber os que vão se alojar por ali naqueles dias.  

Queremos que o conforto, acima de tudo, seja o melhor, então pensar nas camas para cada um, ou se não tiver suficiente, ao menos um bom colchonete e uma roupa de cama cheirosa e macia, não esquecendo as toalhas de banho que não podem ter cheiro de armário e devem estar bem ventiladas.  Depois, tem a mesa, que para nós latinos é um ponto alto, adoramos ficar em volta dela, conversando e comendo.  

Para um evento desta magnitude,  uma mesa com as nossas melhores louças, guardanapos que podem ser até de papel (tem cada um lindinho hoje em dia),  taças  para o vinho e para água, velas e um enfeite natalino ou floral, tudo  feito cuidadosamente para receber quem nos é querido. Enfeitar a casa também é muito importante, tem que ter aquela atmosfera mágica do natal.   Depois da ceia, podemos servir um chazinho para acalmar e ter uma noite relaxante e bons sonhos natalinos, claro!




Vejam o que diz  Lícia Arena Egger-Moellwald
Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, diretora da INTRA Consultoria & Treinamento e co-autora dos livros “Etiqueta Corporativa: o sucesso com bons modos” e “Competência Social: mais que etiqueta, uma questão de atitude”.

Hospitalidade não é um conceito simples, uma vez que está apoiado nas ideias de dar, receber e retribuir, coisas nada fáceis no mundo contemporâneo.

Quando o assunto é a nossa casa, a hospitalidade envolve de um lado abrir as portas para receber no nosso mais íntimo refúgio os que vem de fora e, de outro, para quem vem a responsabilidade de receber a hospitalidade dos que abrem a sua intimidade, obrigando-se depois a retribuir o que foi oferecido.

Embora pareça complicado, fazemos isso com uma certa naturalidade desde que o mundo é mundo. Histórias e diários revelam que quando nossos ancestrais recebiam um semelhante de fora, viajante ou peregrino, costumavam ser muito hospitaleiros…a palavra-chave aqui,  “semelhante”, referia-se em geral a alguém que compartilhava a mesma fé.

Apesar de evoluídos, graças a Deus neste quesito não mudamos muito, quando recebemos gente de fora ou queremos mais intimidade com alguém, a maioria de nós, faz  das tripas o coração para receber bem.

Algumas pessoas são tão deliciosamente exageradas quando a questão é receber que não se contentam em preparar a casa e a mesa para serem compartilhadas. Exageram tanto que acabam por tornar a recepção uma overdose de carinho, atenção e cuidados.

O mesmo pode-se dizer de quem recebe a hospitalidade, eu mesma já recebi em casa pessoas maravilhosas que para serem gentis e agradecerem o convite, gastaram tanto dinheiro e trouxeram tantos presentes que nunca deu para eu retribuir.

Exagerados ou não, quem recebe se obriga a dar o melhor de si, o que não tem nada a ver com dinheiro. Para receber bem e da forma a mais hospitaleira possível é preciso lembrar que quem vem de fora, mesmo que só para compartilhar uma refeição, merece toda a nossa atenção.

Isto fica claro nos detalhes que são visíveis, a arrumação, a limpeza e é claro o que nos propomos a servir. Para quem é recebido, a responsabilidade não é menor, porque é preciso deixar-se experimentar, sem criticas o mundo de quem recebe e depois lembrar de retribuir.

Ninguém nasce hospitaleiro, mas vamos aprendendo com a experiência, que dar, receber e retribuir são uma arte que deve ser cultivada.


Lembrei desse artigo quando li hoje pela manhã o post da amiga Mila, contando sobre os muito caras de pau que aparecem nestas épocas.

16 comentários:

Lucia Cintra disse...

Eu adoro receber visitas e quando comprar minha casa, quero um quarto dedicado a elas. Gosto nao so da companhia, mas como disse aqui, de arrumar tudo bonitinho e direitinho ate virar bagunca de novo com a visita tb, haha (comigo nao tem jeito meeeesmo.

Mesmo quando tenho alguem pra jantar conosco, arrumo a mesa direitinho, coloco as melhores loucas e tenho prazer de fazer isso. Acho o preparo tao gostoso quanto a companhia. bjos

Kálita disse...

Oi Beth!

Olha fui lá ler o post da Mila, e já me aconteceu assim também.Gosto de receber, embora não tenha muito tempo por causa do trabalho, chego tarde em casa e meus fins de semana são super ocupados, mas quando consigo trato as visitas super bem, deixo-os á vontade e tudo o mais , mas que tem gente que abusa, ah, isso tem aos montes...

Beth um feliz fim de semana...beeeijos

Heloísa disse...

Beth,
Ser hospitaleiro é uma grande qualidade. Acho que a hospitalidade deve ter uma grande dose de cuidado e carinho, mas sem exageros. Caso contrário o hóspede não se sentirá à vontade.
Beijo.

Fernanda disse...

Beth, eu aprendi a ser hospitaleira com minha mae que sempre foi uma anfitria maravilhosa. Eu adoro receber gente em casa, gosto de mimar, agradar, etc...o Leon ri e diz que eu sou uma "mama latina" daquelas que adora cozinhar pra familia toda rs.
Beijinhos!!!!!

Marilac disse...

Beth,
Cresci sempre cercada por muita gente, meus pais são do interior e sempre havia algum amigo ou parente hospedado em casa.Adoramos receber, somos hospitaleiros sim!!!
É tão bom quando somos bem recebidas não é verdade?
Um belo post!!!
bjs
Marilac

gabriela disse...

Beth eu não recebo muita gente, eu acho que nós aqui não temos muito o hábito de receber amigos,depende á alguns sitios em que isso se faz com alguma frequência por exemplo na minha terra tem-se muito esse hábito, é gente que gosta de receber amigos.
Eu quando recebo alguém, normalmente são da familia, olha o ano passado o Natal foi na minha casa,sabes quantos eramos a mesa 34 pessoas, só os meus irmãos e sobrinhos, este ano é em casa da minha irmã, mas não é só nesta altura que nós nos juntamos, é várias vezes no ano, para mim não há coisa melhor eu adoro estar com a minha familia.
Querida Beth desejo-te um bom fim de semana muitos beijinhos

Luciana Håland disse...

Beth, fiquei curiosa sobre os transtornos de quem tem quarto de hóspedes, que você mencionou lá no post de Lucia (Novidades).
Eu gosto de receber, mas visitas que vem e väo, nada pra ficar pra dormir e passar dias, essas eu corro longe, não dou conta, principalmente se querem vir com criancas.
Mas para um almoco, um jantar, um café, acho muito agradável receber, e adoro cuidar dos detalhes, preparar tudo com carinho, sem over dose.
Muito legal o post e a matéria em quadro, menina, sseu blog tá super organizado, parece uma revista, um dia mudo o meu...
Agora vou ler o post da Mila, fiquei curiosa.

Super beijo!

Ana Paula Soldi disse...

Adoro receber visita, gosto de pensar em todos os detalhes e fazer a visita se sentir bem, este fim de ano sou eu a visita lá na casa da minha mae.
beijusss

Lúcia Soares disse...

Oi, Beth. Hospedar é uma arte e o hospedado tem que ser um "artista" pra não dar trabalho. Tanto tem-se que receber bem quanto quem é visita tem que saber "se comportar".Eu sou ótima hóspede, deixo tudo arrumado, não dou trabalho nenehuma quem me recebe.
Quanto a recepcionar, tenho "neura" com roupas de cama limpas e cheirosas e toalhas idem. Acho fundamental as pessoas ficarem bem acomodadas.
Bj e bom domingo!

Ivana disse...

Beth, acho que já comentei contigo que não sou muito prendada e porque tenho uma vida muito louca de trabalho e moro longe de minha familia e de meus melhores amigos, recebo raramente alguém na minha casa. Aurélio também. Talvez por isso eu não ligue muito para louças, apetrechos e outras coisinhas lindas que eu adoro, mas não tenho em casa.
Agora, quando acontece de eu receber alguém, com certeza é uma pessoa muito especial (como a Veronica que veio de Belém e fiz um post sobre), eu limpo a casa, compro coisinhas gostosas, etc. mas sempre com muita simplicidade. Porém acredito que ainda assim, sou hospitaleira no carinho, na atenção que dou e no que faço para que a pessoa se sinta muito a vontade na minha casa.
Beijocas!

mônica lidizzia disse...

A guirlanda mais fofa é a que parece ser feita de jujuba (que eu adoro!).
Minha decoração de Natal resume-se a uma guirlanda na porta - árvore, enfeites e festinha é lá na casa da minha mãe (que adora decorar a a casa nesta época e sempre fica com pena de retirar os enfeites de Natal lá em janeiro).

Belas dicas de recepção: o cuidado tem de ser enorme, vc lembrou até de toalha com cheiro de armário (tem coisa mais chatinha?).

bjnhs e um ótimo domingo

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo ebm?
Eu adoro receber pessoas em casa, e normalmente, dou uma ajeitada a mais na casa, e fico atenta aos detalhes, gosto de ver tudo bonitinho do jeito que eu planejei .. e estou correndo também, porque o Ano Novo vamos passar na casa do Chris então, preciso cuidar de uns detalhes.... bjusss

Mila Viegas disse...

kkkkkkkkkkk... é complicado, sabe? Eu gosto de receber visitas, mas tem limite e tem medidas. Eu penso que para receber é preciso ter postura, sabe? Senão as pessoas abusam mesmo. Claro que não todas, pois existem as que têm bom senso.

beijos

Georgia disse...

Beth, que beleza.

Quando crianca tivemos uma vizinha que pintava em tecidos e ela junto com a irma pintavam as cortinas da casa toda para o natal, pintavam as toalhas de mesa, guardanapos, as fronhas e lencóis. Elas comecavam uns 3 meses antes, pois além de pintar tudo, elas costuravam. A cozinha toda decorada com esses panos pintados combinando. Eu nunca tinha visto aqui na minha vida. Talvez essas coisas marcaram minha vida.

Bjus

Silvia Masc disse...

Eu adoro receber visitas, e capricho, independente da data, e adoro recebê-los com "ar" sincero de alegria, talvêz por isso detesto visitas surpresas, salvo de pessoas íntimas, já dei jeito de antipática e nada hospitaleira, quando marido me comunicou que um amigo a quem eu não conhecia, solicitou nossa casa para hospedar-se durante um curso,eu estava fazendo minha pós, enlouquecida, deixei claro, que poderia oferecer a minha casa, apenas como dormitório, nada além disso. Preparei o quarto,tudo em ordem, roupa de cama e de banho, porém só. Eu sabia que se resolvesse recebê-lo de outra forma, no 3o, dia já estaria fazendo cara de saquinho cheio. Pode parecer grosseira a minha atitude, mas ainda assim, acho a sinceridade a melhor opção.

beijinho

Lu Souza Brito disse...

Eu sempre gostei de receber também Beth (na casa da minha mãe). Aliás, nossa casa sempre foi uma farra. Sempre tinha alguém de fora e é delicioso.
Eu sou dedicada e caprichosa quando recebo alguém. Gosto que a pessoa se sinta muito a vontade e querida, mas nao gosto de folga. Como hóspede, sei me comportar sem "dar trabalho" e parto do principio que o hóspede deve ser agradável e cooperativo (o que nao significa que tenha que ir para a pia lavar a louça). Vai da atitude de cada um.
Quando tiver minha casa propria, quero poder reunir pessoas queridas, ao menos em datas especiais. Faz tão bem né???