.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Uma boa pergunta para todos




Ainda sobre o filme Dança com Lobos e os índios que trouxe o comentário excelente do amigo Eduardo lá nos EUA e ainda propôs a seguinte indagação:


"Deve-se manter os índios e aborígenes em seu status natural e atrasado ou devemos integrá-los?"

"Minha opinião: não existe mais sentido em se manter grupos de pessoas e países a margem do progresso e da globalizacão. Ao mante-lo
s isolados, os estamos tratando como em um zoológico onde vamos matar a curiosidade de ver algo exótico em detrimento do bem estar e do futuro dessas pessoas. Algo como obrigar pessoas a viver no Paleolitico com todo o seu primitivismo porque isso satisfaz nossa curiosidade, mesmo que essas pessoas não se deem conta disso. Sou pela integracão total.
Eduardo"



(índios brasileiros-imagem Google)


Concordo com sua resposta Eduardo, afinal todos somos seres humanos aos olhos do Criador e deveríamos viver e usufruir de tudo de bom que há neste planeta, sem distinção de raça, cor e credo.
Massssssssss, apesar de alguns esforços para que haja esta integração, aqui no Brasil, muita coisa é feita para "inglês ver", porque atrás das Ongs ou entidades do governo, o pobre indígena brasileiro é usado para enriquecer alguns bolsos e lesar pessoas que teem interesse em ajudá-los, injetando verbas para vários projetos. E, depois, mesmo que eles aprendam a língua e consigam alguma integração com a sociedade brasileira, nunca dão-lhes bons empregos como para o homem branco. Sempre haverá a sombra do preconceito, porque nosso país é deveras preconceituoso em vários sentidos, quer seja índio, branco pobre, negro, pardo e minorias.
Acho, também, que a tal integração seria muito boa se deixassem o índio praticar suas crenças e não impor a eles alguma religião como tem sido feito desde o tempo da descoberta do Brasil. Se, primeiro de tudo, respeitassem aqueles indivíduos e lembrassem que eles também teem seu Código de Ética e muitas vezes superior ao nosso, já que ultimamente nossos códigos estão resumidos no Ter e não no Ser. A ideologia do Marechal Rondon, que muito fez pelos índios brasileiros, era que houvesse sim uma integração do índio com o homem branco e muito ele trabalhou para isto no início do século passado.

"Rondon (1965-1958) concluiu que a melhor solução para o índio, para o branco e para a Nação era a integração. Propos aos governos da época trabalhar no sentido de chegar a um País unido e grande e que aceitava a integração e o caldeamento dos três grupos raciais aqui existentes Branco, Índio e Negro." (fonte aqui)



Ficaremos aguardando os comentários do que vocês acham sobre este assunto.


Enquanto isso, vejam o Código de Ética dos Índios Norte-Americanos.
(Fonte aqui)


1 – Levante com o Sol para orar. Ore sozinho. Ore com freqüência. O Grande Espírito o escutará se você, ao menos, falar.

2 – Seja tolerante com aqueles que estão perdidos no caminho. A ignorância, o convencimento, a raiva, o ciúme e a avareza originam-se de uma alma perdida. Ore para que eles encontrem o caminho do Grande Espírito.

3 – Procure conhecer-se, por si mesmo. Não permita que outros façam seu caminho por você. É sua estrada, e somente sua. Outros podem andar ao seu lado, mas ninguém pode andar por você.

4 – Trate os convidados em seu lar com muita consideração. Sirva-lhes o melhor alimento, a melhor cama e trate-os com respeito e honra.

5 – Não tome o que não é seu. Seja de uma pessoa, da comunidade, da natureza ou da cultura. Se não foi ganho nem foi dado, não é seu.

6 – Respeite todas as coisas que foram colocadas sobre a Terra. Sejam elas pessoas, plantas ou animais.

7 – Respeite os pensamentos, os desejos e as palavras das pessoas. Nunca interrompa os outros nem ridicularize, nem rudemente os imite. Permita a cada pessoa o direito de expressão pessoal.

8 – Nunca fale dos outros de uma maneira má. A energia negativa que você coloca para fora no Universo, voltará multiplicada a você.

9 – Todas as pessoas cometem erros. E todos os erros podem ser perdoados.

10 – Pensamentos maus causam doenças da mente, do corpo e do espírito. Pratique o otimismo.

11 – A Natureza não é para nós, ela é parte de nós. Toda a natureza faz parte da nossa família Terrena.

12 – As crianças são as sementes do nosso futuro. Plante amor nos seus corações e ágüe com sabedoria e lição de vida. Quando estiverem crescendo, dê-lhes espaço para que cresçam.

13 – Evite machucar os corações das pessoas. O veneno da dor causada a outros retornará a você.

14 – Seja sincero e verdadeiro em todas as situações. A honestidade é o grande teste para a nossa herança do Universo.

15 – Mantenha-se equilibrado. Seu corpo Espiritual, seu corpo Mental, seu corpo Emocional e seu corpo Físico; todos necessitam ser fortes, puros e saudáveis. Trabalhe o seu corpo Físico para fortalecer o seu corpo Mental. Enriqueça o seu corpo Espiritual para curar o seu corpo Emocional.

16 – Tome decisões conscientes de como você será e como reagirá. Seja responsável por suas próprias ações.

17 – Respeite a privacidade e o espaço pessoal dos outros. Não toque as propriedades pessoais de outras pessoas, especialmente objetos religiosos e sagrados. Isso é proibido.

18 – Comece sendo verdadeiro consigo mesmo. Se você não puder nutrir e ajudar a si mesmo, você não poderá nutrir e ajudar os outros.

19 – Respeite outras crenças religiosas. Não force suas crenças sobre os outros.

20 – Compartilhe sua boa fortuna com os outros. Participe com caridade.




E aminha perguntinha continua:
Porque o filme chama-se Dança com Lobos? Não vale ver no São Google!





39 comentários:

Lucia Cintra disse...

A integracao eh uma ideia boa na teoria, mas eu acho que eles deviam viver como querem. Nao devemos forcar nem impor nossa maneira de viver neles e devemos deixa-los viver sua vida e cultura da sua maneira.

Bjos

Barbie Girl disse...

Nossa que lindo!

Infelizmente não sei se eles seriam mais felizes, se integrando com a sociedade, porque eles tem um valor a coisas e pessoas, muito diferente de nós.
Eles tem direito a tudo e a sociedade, mas será que eles querem isso??

Um beijo

Silvia Masc disse...

Penso que deveria ser dado à qualquer grupo, a opção. Há algum tempo li um livro que me impressionou tanto quanto Dança com Lobos, um grupo da Nova Guiné, que tinha hábitos e rituais pavarosos aos olhos da nossa cultura. Foram catequisados por um grupo missionário do Canadá. Após o processo que durou anos, passaram a viver nas cidades, como: mendigos, alcoolátras e prostitutas. Sabe qual foi o ganho com isso? A terra deles, que era rica em minérios.E não precisamos ir tão longe, aqui mesmo no Brasil, desde a descoberta, sempre houve interesses, levamos à eles maus hábitos e doenças, em troca do que consideramos para nós, mais conforto. Você sabia que índios , não castigam ou batem nas crianças? E enquanto estão sem influência dos "brancos" o grau de stress, e neuroses é quase Zero?. Será que não seria melhor, não mexer com quem está quieto??
beijinho

Heloísa disse...

Beth,
Eu acho que os índios têm o direito de escolher seu presente e futuro. Aliás, entre nós, esse é um direito garantido pela Constituição. Não devem ser retirados de suas terras, nem serem submetidos a formas de vida diferentes das suas. Enfim, devem ser livres. Livres para escolher.
Se quiserem usufruir de algo da sociedade dita "civilizada", não podem ser impedidos. Isso é comum nas comunidades indígenas situadas próximas às cidades.
Beijos.

Georgia disse...

Perfeita a resposta do Eduardo.

Bjus

Nina disse...

Oi Beth vc me chamou eu vim mesmo que seja na correria :)

Hmm, tema complicado! E nao é de hoje.
Eu acho que depende mt, de que índios p. ex, estamos falando. Aqueles que vivem totalmente isolados,lá nas profundezas da floresta, sinceramente, eu acho melhor ninguém se meter. Eles mesmo preferem isso. Se sao tribos próximas da cidade, claro que o melhor seria recebê-los na sociedade, porém, ai está o problema, a sociedade nao tem condicoes de arcar isso, Beth. Como vc mesma falou, somos carregados de preconceitos, eles sofreriam, como já sofrem, no convívio com os "brancos".
E pensando bem, acho que nao temos mt o que oferecer a esses povos, pensamos que somos e temos mt, mas nao sei se temos algo a mais que algumas coisnhas supérfluas pra trocar com esses povos da floresta, o que vamos ensiná-los?? que a última celebridade usa tal moda? Que os peitos caidos das ndias já eram e que precisam urgentemente de uma boa siliconada? Que a comida pre-congelada é melhor que um peixinho fresco?

Nao Beth, se eu pudesse ter voz contra isso, eu a faria alta e clara contra o progresso pra esses povos. Já temos gente suficiente doente de problemas mentais, por conta do que nos transformamos nas grandes cidades.

Beijos
ps. aquela Itacoatiara nao era em Niterói, era no Amazonas, cidade pequena onde morei um tempo :)

Lu Olhosde Mar disse...

aaah não sei... por um lado, acho q todos devem ter as mesmas oportunidades, por outro lado, tb acho que as diferenças culturias devem ser respeitadas. o nosso mundo é nosso, pq somos resultado de uma mistura sem fim de sangues e raças e ingfuencias....e o mundo deles, é aquele.entaoa cho q deveriamso receber bem e dar oportunidade pra quem se dispusesse a sair daquele universo, mas tb deveriamos respeitar quem prefere ficar. sem julgar, cada um na sua.é isso!

Cristiane A. Fetter disse...

Beth, eu acho que a informação trouxe a luz para os "colonizadores" e a palavra respeito entrou para seu vocabulário.
Este respeito tem que continuar e aumentar na medida em que se vai conhecendo os povos indígenas, mas sabemos que estes mesmos povos foram e continuam sendo conrrompidos pelo sistema dos brancos.
bjks

Luciana Håland disse...

Beth, eu passo aqui todo dia, agora um pouquinho mais tarde do que antes, pois estou chegando tarde no computador.
Olha, essa questão é um pouco complicada de responder, estou um pouco por fora das condicões dos índios no Brasil nesse momento, mas até um tempo atrás o que eu via era que levando ou não para eles essa integracão, muitos iam em busca dela. Ou seja, querem preservar a área deles, os costumes e tal, mas ao mesmo tempo querem carro, tv, etc, sem falar que eu ouvi dizer que muitos já até falam inglês. Ao meu ver eles querem os direitos que são proporcionados aos índios, mas por outro lado já não são tão mais índios. Será que me expliquei bem?
Fiquei curiosa pra saber mais sobre isso, final de semana vou pesquisar mais.
E você escrevendo vai nos proporcionando mais conhecimentos.
Beijo

Luciana Håland disse...

Ah, me referi especificamente aos índios no Brasil, não sei como são em outros lugares do mundo.
Beijo de novo

Isabel disse...

Olá Beth,
acho esse assunto muito interessante.
Eu acho que o índio, como qualquer pessoa de qualquer etnia, deve escolher se quer viver na comunidade tradicinal ou se quer se integrar na sociedade moderna. Os índios são indivíduos como qualquer outro e tem direito a fazer as suas próprias escolhas. Acho que não devem ser tratados como crianças, mas também não podem ser obrigados a largar o mato e a instalarem-se na cidade à força.
Antes de tudo eu acho que seria muito importante estudar a cultura índia, para que nada se perca, se um dia os índios optarem por viver uma vida completamente moderna.
Bjs

Elianne Goff disse...

Os indios no Brasil desde dos tempos do descobrimento foram massacrados e aculturados,
muitas tribos foram simplesmente extintas naquela epoca, os que nao aceitaram fugiram para o interior procurando preservar forma de vida e cultura que conheciam inclusive a lingua tupi-guarani. Ja nos USA eu nao estudei muito a historia americana ainda, mais sei que houve mais resistencia e lutas por aqui .
Perto de casa ha uma hora mais ou menos existe uma reserva indiginea mais eles vivem em casas e estao completamente americanizados, tem cassino por la o que e proibido no estado de Idaho mais permitido em reservas indigenas entao dentro dos limites da reserva e legal .
Acho sim que as vantagens tecnologicas , os avancos da medicina, e tudo sao maravilhas da nossa sociedade e deve ser estendidos os direitos a todos agora quanto a integracao total eu nao acredito ser bom , porque uma das coisas que eu penso uma sociedade como a indigena e tao menos complexa que a nossa , exemplo qdo estudava psicologia analisamos que toda essa rebeldia e indecisao dos adolescentes , as vezes depressao, problemas de identidade nao exitiam dentro de uma tribo indigena por que tudo ja esta determinado nao ha muitas opcoes ,nao ha muitas ofertas , nao e uma sociedade criada nas bases " vencedor " ou " perdedor " como a nossa , acho que a moderacao cabe bem , claro dar o direito de escolha oferecer nao impor , acho que naturalmente ja existe um transicao sao poucas tribos isoladas e realmente selvagens nos dias de hoje .... Minha opiniao integracao como transicao de modo gradual se assim for da vontade deles !!!
Bom texto para reflexao !!!

Bom dia!!!

bjs ,

Lúcia Soares disse...

Beth, acho que eles é que têm que decidir suas vidas. O verdadeiro indígena, aquele que preza suas tradições, não se interessa pela vida na cidade. Acho que eles nem saberiam viver numa. O melhor é que fiquem quietinhos onde estão, com seus costumes, usos, tradições. Nós bem sabemos o que o "progresso" pode nos trazer.
Por outro lado, um pouco da nossa cultura, devidamente assisitida por pessoas de boas intenções, poderia ser passada para eles, como hábitos de higiene, estudo, um esclarecimento do que seja a vida "cá fora" e eles optariam por seguir ou não.
Veja bem, você acha que essa nossa sociedade não se encheria de preconceito contra eles? Claro que sim!
Se é pra votar, voto em que eles vivam em suas aldeias, longe do "mundo moderno" mas tendo acesso ao básico em matéria de conforto. Bj

Eduardo disse...

Comparo a situacao dos indios e outras civilizacoes primitivas com os paises do terceiro e quarto mundos. Estes querem ser primeiro mundo um dia. Uma economia globalizada permite que isso ocorra em um futuro nao muito distante. A integracao total eh inevitavel, apenas uma questao de tempo. Nao vejo porque os "selvagens" devam ficar a margem das benesses da civilizacao somente porque se deseja mante-los em um zoologico para satisfazer a curiosidade dos "brancos". Por outro lado enquanto que se abre para eles a oportunidade de integracao, nada de impor religiao, cultura e outras coisas do genero. Eles devem ser livres para adotar o que quiserem desde que integrados a comunidade.
Detalhe: se viver como indios eh tao bom, porque nao mandamos nossos filhos para la para usufruirem desse paraiso?
Eduardo

Karina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karina disse...

Será que estar integrado à essa sociedade desigual e preconceituosa é mesmo uma grande vantagem? Que benesses, como afirmou um post anterior, nosso país pode oferecer à indivíduos que estão à margem da sociedade? Sim, porque os índios que vivem no meio urbano também sofrem de todos os males que o negro e o pobre: dificuldade de acesso à educação, saúde e lazer. Infelizmente a Constituição brasileira é pra inglês ver.

Quanto ao post do Eduardo, são as diferenças culturais que fazem do Brasil, O BRASIL. Nossos hábitos, nossa língua, nossa cultura é uma mistura na qual o índio contribuiu de forma definitiva. Defender a massificação do que desvaloriza o SER, em detrimento do TER até entre as comunidades tradicionais é um crime. Imagina uma tribo falando YES, WE HAVE BANANAS, ao invés do tupi-guarani. Não só ela, mas o Brasil perderia sua identidade. Isso não quer dizer que o vejamos como animais em um zoológico, é uma questão de respeito. E pior, diante do catastrofico quadro ambiental que observamos no país, "civilizar" ou urbanizar", como quiser, a população indígena é perder, raro algumas exceções, um maravilhoso exemplo de respeito a natureza. Coisa cada vez mais rara. Na verdade eles que deveriam vir de vez em quando à cidade nos dar umas lições a esse respeito.

Não podemos, não temos o direito de modificar um modo de vida. O direito de ir e vir é um dos poucos respeitados no país, mesmo assim muitos não querem viver como índios, muitos índios não querem viver como branco. Essa é a logica.

Se globalizar é a ordem, valorizar o que temos é uma obrigação.

Eduardo disse...

Gente, nao estou pleiteando integrar ao que eh ruim para piorar mais ainda a condicao de vida das sociedades primitivas. Nao podemos parar o progresso por causa das mazelas do nosso pais e porque todos os politicos sao criminosos e roubam em muito maior proporcao que qualquer assaltante comum ficando sempre impunes. Pleiteio o acesso ao progresso que eh uma tendencia inevitavel nesta nova era de globalizacao e isso nao implica em destruicao de culturas, apenas o acesso a ciencia e ao conhecimento.
Detalhe; respeito a natureza e uma tendencia moderna e nao uma pratica indigena; eles so nao a destroem porque nao precisam – ainda. Tendo oportunidade nao hesitarao em faze-lo, como pode ser comprovado em inumeras culturas.
Voces ja se perguntaram porque enquanto algumas civilizacoes se desenvolveram e criaram as sociedades modernas, outras como os aborigenes ficaram estagnadas? Esse eh o tema do livro “Guns, Germs and Steel” de Jared Diamond (ja existe em portugues). A civilizacao progrediu no crescente fertil da Mesopotamia devido as condicoes precarias que dificultaram a continuidade de uma sociedade de cacadores e coletores de alimento e propiciaram o surgimento de uma que domesticou animais e plantas. Os indios e aborigenes continuam cacadores e coletores ate hoje. As dificuldades incentivam as invencoes e o progresso. As facilidades favorecem a inercia. As sociedades primitivas acham que nao precisam do progresso porque nao o conhecem e assim continuam na carencia de suas vidas. Voce daria a uma crianca a opcao de nao estudar e so brincar quando ela nao tem nocao de quanto isso iria mante-la atrasada em relacao aos demais? Propiciar o progresso aos indios nao eh impor uma religiao nem tomar suas terras; eh trazer-los para o seculo 21 de uma forma gradual, porem continua. Mante-los na ignorancia eh uma forma de se aproveitar deles.
Eduardo

Beth/Lilás disse...

GENTEEEEEEEEEEEEEMMM!

Quero dizer-lhes que estou adorando este debate de pessoas inteligentes e bacanas, cheias de boas intenções.
A cada comentário fico pensando sobre o assunto e está ótimo asism, pois vemos a cada hora nascer um questionamento mais interessante que o outro e é pra isso que abri o post com a pergunta polêmica do nosso amigo Eduardo.
Valeu, obrigada pela participação de cada um! Vocês honram este humilde blog.

beijocas a todos

Luma disse...

Eu sou a favor da manutenção das reservas indígenas, justo porque estas foram criadas para compensar a apropriação indébita daquilo que eles possuíam antes do branco aportar no Brasil e, em contrapartida, sou à favor da integração do índio à sociedade.

Sabe porque? Uma curiosidade que a maioria das pessoas não sabem: os índios quando saem da reserva, deixam de pertencer à sociedade indígena perante os olhos da tribo. É como se o índio ficasse sujo, manchado, sei lá! Então, existe um preconceito do índio para com o branco.

Portanto, nem todo índio, é indígena, assim como, ao ser oferecida as quotas universitárias, este quesito é analisado. Tem que ser 100% índio para merecer as quotas.

Em São Paulotem um mega projeto em andamento para a integração do índio, se não me engano em Santo André. Vou procurar saber e te falo. Beijus

Silvia Masc disse...

Fiquei curiosa.
Eduardo, como seria essa integração Total?

abraços

Blog do Óbvio disse...

Beth, sou a favor de uma integração a longo prazo. Nós temos nossas tradições familiares e elas são respeitadas. Da mesma forma deve ocorrer com o índio. A integração deve ser entendida não como uma obrigação deles usarem os mesmos costumes que usamos, mas em abrir uma lacuna para os mesmos terem mais acesso ao nosso "modus vivendi" e aos poucos irem se enturmando com o que mais lhes interessasse. O resto ocorreria naturalmente. Seria mais ou menos semelhante a alguém, brasileiro, que vá morar em outro país. Não perde a sua cultura, porém por próprio interesse, vai se adaptando aos costumes do outro país. Passamos por processos discriminatórios e diversas outras dificuldades, contudo, aos poucos, se consegue impor a sua pessoa na lacuna aberta com muita paciência e sem ajuda de Ongs ou politicagens. Não devemos é criar locais reservados para os índios. Isso os isola e dificulta o processo de integração. Tratam os índios como se fossem uns coitados ou até "bobos" e ingênuos. Não é o caso. São pessoas iguais à gente e concorrerão conosco de igual para igual.
Beth, muito interessante esse tema proposto para opiniões gerais. Lendo todas,poderemos tirar uma conclusão bem melhor. O bom é que se é pego de surpresa. Então não há comentário "preparado". Sai da "cuca" na hora e assim fica mais puro de influências exteriores. Beijos. Manoel.

Karina disse...

Ops... Eduardo, os índios domesticam espécies vegetais muito antes dos portugueses chegarem aqui. Você não conhece a mandioca? É a base da alimentação indígena, e é só um exemplo.

Quanto a visão sobre conservação da natureza, é sim um conceito novo e da moda. E é somente porque o progresso nos moldes que conhecemos nos obriga a pensar nisso, na medida em que a degradação ambiental avança de forma catastrófica. Pois se o planeta inteiro tiver acesso a todos os "avanços" do mundo moderno simplesmente ele explode. E como bem sabemos até no mundo "civilizado" poucos tem esse acesso. Aí sim que entra o conceito de sustentabilidade, de desenvolvimento responsável, contudo ainda ausente nas práticas de planejamento.
Nesse sentido, o indígena não conhece o termo, o conceito. Não precisam. Praticam a sustentabilidade muito antes de começarmos a destruir tudo em função do progresso.
O que rege a cultura indígena é a ancestralidade, o lugar, o sagrado, a natureza faz parte disso e ele faz parte da natureza. É nela que encontram os meios de reprodução cultural.

Pensemos em uma coisa:
A construção da Transamazônica tinha o pressuposto de trazer integração regional e progresso ao Norte do país. E o que aconteceu? Completamente o oposto. Desmatamento em proporções gigantescas, marginalidade, dissolução de culturas, além de um imenso desperdício de dinheiro público. Resumindo, um subcapitalismo em plena selva amazônica. Isso é interessante? É o progresso? Acho que não.

(Quem tiver interesse nessa questão, é só assistir ao filme "Bye Bye Brazil", produção brasileira de 1979. Retrata perfeitamente o resultado de uma incompetente política de integração cultural e regional no interior do país.)

Chamar qualquer cultura de atrasada é no mínimo irresponsável. Isso sim é ignorância. Ignorância no sentido de ignorar os outros modos de vida com a certeza de que a nossa cultura ocidental (global ou estadunidense?) é a ideal.

Obviamente, não estou canonizando a população indígena, somos todos conscientes de que a cada dia diminuem as populações que agem em sintonia com a natureza e seus ciclos naturais, atraídas por essa chamada “modernidade”. E o resultado dessa integração não tem sido muito feliz para essa população. Portanto, precisamos ter muito cuidado ao atrelar uma pretensa civilização dos índios ao acesso a todos os “benesses” do mundo moderno. Falácia maior não há.

Kálita disse...

Beth, post bombando...
Sempre achei interessante a maneira como os indios vivem e se organizam, com suas crenças e valores, algumas belíssimas outras nem tanto, o respeito pela natureza é muito forte e bonito
mas tem aqueles casos de homicídio de crianças portadoras de deficiência física, de gêmeos ou filhos de mães solteiras que nos deixam boquiabertos.
Enfim,as experièncias de integração a que foram submetidos até hoje passam pela ganancia, corrupção, falta de respeito e de zelo pela cultura indigena...
não estariamos ferindo o direito deles? o interessante é dar opçoes de escolha, embora nem sempre eles sejam capazes de discernir entre as opções...
complicado viu?

Eduardo disse...

Parece que criei mesmo uma boa polemica; obrigado pelos comentarios.
Sobre o filme danca com lobos nao vi ainda comentario. O titulo vem do nome que os indios deram ao militar representado por Kevin ao ve-lo dancando perto de um lobo que ia visita-lo com frequencia atras de sobras de comida.
Voces concordam?
Eduardo

aminhapele disse...

Ao que conheço,a pergunta é de resposta difícil.
Hoje,para nós "vermos" como turistas,existem alguns exemplares de "índios" numa espécie de reserva,que perderam todos os seus valores e as suas terras e bens,em nome de um prometido progresso e de uma civilização que não era a deles.
Foram "aculturados" e a tal "raça vermelha" só existe nos livros de história antiga e é pasto de antropólogos.
Os poucos exemplos vivos,de "sociedades primitivas" existem em África e em reduzidas zonas asiáticas.
Até os esquimós já foram "aculturados".
Ignoro se são mais felizes,assim.
Ignoro se o que nós chamamos progresso e desenvolvimento,para eles não será uma forma de destruição.
De valores e de vida comunitária,não tenho dúvida que tem sido um massacre,em nome da sacro-santa civilização...
Acha que,hoje,era possível uma dança com lobos,tendo o respeito pelo próximo como paradigma?!

Beth/Lilás disse...

Oi, Eduardo!

Pois é, não consigo deixar uma pergunta sem resposta e foi assim que resolvi trazer sua pergunta para este agradável debate.
Veja você quantas pessoas se interessaram em responder e participar contigo suas idéias. O Brasil tem muita gente boa e pensante, muita gente que poderia estar lá naquela Brasília fazendo deste um país melhor, mas, infelizmente fomos tomados de assalto por ooportunistas que, na verdade, nada conhecem do nosso povo, nenhum interesse teem em fazer crescer e melhorar o país.

Quanto à sua resposta a minha pergunta final sobre o nome do filme está corretíssima. Ele, o personagem de Kevin Costner, foi chamado pelos indígenas de Dança com Lobos, devido à sua interação com aqueles animais e quando estava próximo a um deles, parecia dançar a sua volta. Perfeito!

Obrigada a todos pela participação educada e inteligente.
beijos

---------------------------------------------------------

JAMES PIZARRO disse...

Sou contra o contato de qualquer nação indígena com o homem "civilizado". O índio que NUNCA viu um branco constitui junto com os seus o ÚLTIMO resquício de sociedade feliz na face do planeta. Civilizado é pernicioso à cultura indígena, à sua inocência. Branco só vai levar tuberculose e cachaça para os índios, além de criar neles uma série de necessidades que eles não tinham. Se for missionário religioso então...meu Deus...o estrago é maior ! O índio acreditava na lua e no sol...em Tupã e Jaci...e o branco missionário vai lá ensinar sobre o Diabo, assustar os coitados com as labaredas do inferno...e botar um calção neles porque o nu é imoral...Se dependesse de mim, eu cercava o Xingu e não deixava mais nenhum branco entrar lá. Mas, a essas alturas, com Lula e Carlos Minc, eu suponho que não haja mais mato e malária para todos...

beijo

James Pizarro

Eurico disse...

Com um código de ética como esse, nada deve a civilização dos aborigines ao modo de ver o mundo e a natureza.

Abraço fraterno.

ML disse...

Pouca coisa a dizer perante o muito que aprendo aqui: quem são os atrasados, a bem da verdade?
O que significa, de fato, o progresso?
Será que a convivência não teria, como ideologia, o respeito?
Linda foto, post, e "quizz", Beth.
Afinal, por favor, por que aquele filme chama-se Dança com Lobos"?

Muitos bjnhs

ML disse...

29 coments, Beth?
Parabéns!
E obrigada pela gentiliíssima "solução do mistério"!

+ bjnhs pra Você!

Eduardo disse...

Vou fazer um ultimo comentario sobre este tema, inclusive respondendo a pergunta de como seria essa integracao total. (Karina, voce esta certa, porem os indios embora cultivem certos vegetais, continuam sendo uma sociedade cacadora/coletora como atividade principal. Trata-se de uma definicao de sociedades feita pelos paleontologos e nao minha; voce vai gostar de ler o livro Guns, Germs, etc que sugeri).
Vejo que varias opinioes contra a integracao baseiam-se nos pessimos exemplos do passado e ate do passado recente. Tomar as coisas dos indios, impor uma crenca de missionarios ignorantes, acabar com a sua cultura, reduzi-los a parias na sociedade e muitas outras coisas sao exemplos do que nao se deve fazer. Sou a favor de extender a eles o acesso ao conhecimento moderno em todas as areas, principalmente medicina e a ciencia e tecnologia em geral para melhorar suas condicoes de vida. Comecar com a instrucao das criancas para um futuro melhor. Fazer algo que os ajude alcancar o progresso e manter todas as boas coisas de suas culturas; nunca elimina-las. Integracao brusca eh perigosa, tem que ser gradual; algo como a integraco dos escravos no passado (lei do ventre livre, dos sexagenarios, emancipacao, etc, etc ate a abolicao total)
Num futuro nao muito distante todos os povos terao alcancado uma certa uniformidade, espero que mantendo suas culturas no que tem de melhor. Creio que essa integracao incluira todos os habitantes deste planeta. Se vai levar 10, 100 ou 300 anos isso nao importa; trata-se de um instante na historia da evolucao, mas estamos mais proximos do que nunca dessa integracao.
Obrigado pela participacao de todos neste tema que acabei sugerindo a Beth como penetra neste seu site, e agradeco a forma carinhosa como me acolheu.
Um abraco
Eduardo

Claudia disse...

Beth,

obrigada pelo convite. Sendo bem rápida e sem comentar muito minha opinião é:

Integração é a morte das nações indígenas e é isso o que temos visto nos últimos 500 anos. Violência e morte. O discurso do Eduardo é totalmente ultrapassado, evolucionista e conservador para ser simples e direta. Quem respeita e ama as nações indígenas, mães da cultura do nosso país, vai defender o direito desses povos e deixa-los em paz.

Atrasados são os que não entendem nada do mundo, o que ficam na superfície, aqueles para quem a cultura indígena permanece algo estranho que deve ser adaptado. Atrasada é a sociedade urbana de consumo, essa sim precisa se integrar ao planeta...

Abs,

C.

aminhapele disse...

Um tema bem interessante e com posições controversas.
Neste tema,mas com uma visão diferente,sugiro a leitura de "Papalagui" e a visão de um aborígene sobre a cultura ocidental.
Um abraço.

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem?
Gosto das crenças e a forma deles viverem.
E em caso de integração mesmo que integração a longo prazo, na minha opinião seria complicado, poqrue acredito que eles sofreriam discriminação. E hoje as coisas fugiram do nosso controle, o stress, a corrida pelo emprego ideal, a qualidade de vida.
Bjusss

Luciana Håland disse...

Ih, Beth, o debate aqui parece ter sido ótimo, volto mais tarde pra ler tudo, tenho certeza que vou aprender muito.
O povo participou mesmo.
beijo

blogdoronaldo disse...

Beth, nunca parei muito para refletir sobre isso. Trata-se de um tema complexo. Afinal, nossa perspectiva sobre os índios é a do homem branco. Qual o olhar deles para nós, para o mundo? Não sabemos. Portanto, é simples defender a integração, civilização. Vivemos essa realidade. Eles não. Para os índios significa desenvolvimento ou agressão à cultura e suas raízes? Não sei. Defendo a liberdade de escolha. Talvez pareça omissão não interferir. Mas, por outro lado, parece muita presunção nossa achar que reunimos as condições necessárias para fazermos escolhas por eles, índios.

rocosta disse...

O sol já vem vindo,
Vai passar, passar...
E ninguém sabe para onde vai.
Já não dá mais
Para ver quando se esconde
Atrás da colina.
Mas é bom saber que volta,
Pelo menos ele volta...

Hoje planto milho, feijão, soja,
Uma porção de coisas...
Já não me sobra tempo,
Para admirar o córrego,
Onde aprendi a nadar.
Hoje a tribo é produtiva,
Como o branco quer,
Mas, minha alma nem se acredita mais...

Às vezes conversamos
Na língua da gente...
Mas, a língua do branco,
Já quase que é da gente.
Os novos nem sabem como índio fala!

O branco acho eu,
No fundo é bom.
Deu-nos terra.
Deu para gente,
Coisa que já era nossa...
Negócio de branco...
Não dá para o índio entender...

O que um índio velho pode fazer,
Quando vê seus espíritos sagrados
Sem significado?
Quando vê um índio pequeno ainda,
Trocando seus enfeites divinos,
Por pedaços de papel,
Que o branco valoriza tanto?
Quando vê gente nossa
Com vergonha de andar nua?
Eu só fico olhando,
Mas, me dá muita tristeza,
Muita mesmo...

Eu falo isso só para mim,
O branco não acredita muito
Que índio fique triste,
Quanto mais índio velho...

Tem noites que não acredito,
Que o sol volte novamente.
Felizmente, ele sempre volta,
Pelo menos ele não nos abandonou!
Poema de Frederico Rego.

Beth... Entre a liberdade das florestas e a prisão do progresso penso que é melhor a primeira opção.
Beijos muitos!

Wilma disse...

Oi Beth, o assunto bombou, sinal de que nem tudo está perdido. Demorei a responder porque a pergunta logo me causou espanto, mas creio que com todos os esclarecimentos dados só me resta torcer para que o Eduardo entenda que nenhuma "Cultura" é atrasada, é a natureza de um povo que merece ser compreendida, estudada, trocada, apreciada...há muitos costumes culturais de povos longínquo que nos assusta mas com certeza a recíproca é verdadeira.

Rose disse...

Beth:
Acho que o código de Ética que você publicou, neste post, já nos dá uma noção de que, acima de qualquer opinião pessoal, é preciso saber ouvir e respeitar os princípios dos índios. A História tem nos mostrado que nada imposto é bem recebido. A evolução é um caminho natural a todos os povos. Os índios também farão o seu caminho sem que o branco precise intervir tão radicalmente na sua cultura. Respeito é a palavra de ordem nesse caso, eu creio.
Quanto à razão do título "Dança com lobos", querida, não consegui chegar a uma conclusão. Lembro-me de ter visto muitos lobos no filme, entretanto, não consegui fazer a ligação de sentido.
Quando você dará a resposta? Agora fiquei curiosa! Mas não vou consultar o "São Google"!
Beijos,
Rose.