.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Cada qual vê o que quer, pode ou consegue...

Às vezes preciso reler poemas ou textos significativos para poder entender alguma coisa à minha volta. Fui atrás da resposta para algo que tem me afligido o pensamento e encontrei nele, o grande Fernando Pessoa, numa de suas poesias, nas entrelinhas, o que eu também sou e o que pareço e vejo muitas vezes. O que acho mais interessante é como um poeta consegue exprimir tão bem, aquilo que eu preciso ler e interpretar para entender melhor a vida!


Onde você vê um obstáculo,
alguém vê o término da viagem
e o outro vê uma chance de crescer.

Onde você vê um motivo pra se irritar,
Alguém vê a tragédia total
E o outro vê uma prova para sua paciência.

Onde você vê a morte,
Alguém vê o fim
E o outro vê o começo de uma nova etapa...

Onde você vê a fortuna,
Alguém vê a riqueza material
E o outro pode encontrar por trás de tudo, a dor e a miséria total.

Onde você vê a teimosia,
Alguém vê a ignorância,
Um outro compreende as limitações do companheiro,

percebendo que cada qual caminha em seu próprio passo.

E que é inútil querer apressar o passo do outro,
a não ser que ele deseje isso.

Cada qual vê o que quer, pode ou consegue enxergar.

"Porque eu sou do tamanho do que vejo.
E não do tamanho da minha altura.".

13 comentários:

Karine disse...

Fernando Pessoa é o cara e consegue expressar muito bem a vida de uma forma tão simples, tão doce. Te faz pensar: "Como é que não pensei nesses versos antes?" - te faz viajar, te faz observar que a vida não é tão dificil o quanto achamos e percebemos claramente e até por porcentagem o quanto a complicamos.

Adorei o post, um beijO!

Lu Souza disse...

Oi Beth! Estou bem sim. Brigadaa pela atenção! :)

Ah, que tudo este poema. E a vida é bem assim mesmo né. As vezes as pessoas querem "nos aconselhar" a fazer ou deixar de fazer certas coisas, pq julgam saber qual será o resultado daquilo, ignorando que cada um tem seu tempo, sua propria historia e vivencia e que nem sempre nossa verdade e nosso conhecimento simplismente não se aplica aos demais.

Um beijo pra vc e tenha uma boa semana!

Lu

Ana disse...

Lindo texto!

E gosto do cuidado que vc tem em escolher a imagem!

Post bom para os olhos e para o coração!

Kálita disse...

Oi Beth, tudo bem minha linda???
Já voltei das férias!
Nossa tanta coisa pra ler aqui, aos pouquinhos vou me deliciando tá?

Um beijo e boa semana

Lúcia Soares disse...

Ele fala mais ou menos do otimismo e do pessimismo. Cada um vê a vida pelo lado que sabe...Eu sou um pouco dos dois. Mais para otimista. Meio Poliana, se é que se pode ser "meio otimista". É o caso do copo com o líquido pela metade: alguns o veem meio cheio e outros o veem meio vazio. Tudo depende da ótica, afinal... (meio vago, mas "entendível", não?!)

Clecia disse...

Este texto é lindo, lindo, Beth! Obrigada pelas visitas!Ando em falta contigo, né? Mas é falta de tempo mesmo.Uma correria só por aqui! Afe! Bjos e tudo de bom!

Sonia H. disse...

Disse tudo, Beth.
A poesia é um antídoto para podermos ver melhor sim, ela nos dá inspiração. Com certeza, Fernando Pessoa também traz alento ao meu coração.
Beijos,
Sonia

Ciça Donner disse...

É quando tento lê e interpretar a vida que percebo o quanto sou dislexica

Lucia Cintra Stevenson disse...

Mesmo sabendo disso e conscientemente sabendo que as coisas so dependem de mim, precisava ler algo assim. Obrigado por postar esse texto maravilhoso que me ajudou mt nesse momento. Bjos

As aventuras de uma brasileira no Egito disse...

E quanto mais eu leio esse texto, mas tenho sobre o que pensar....cada frase eh tao significativa e cheia de verdades que engloba quase tudo em nossa vida......

Te mandei e-mails e deixei um recadinho pra vc la no blog....ok?

Beijos e fiquem com Deus

Barbrinha

RoCosta disse...

'No fim tú há de ver que as coisas mais leves são as únicas que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento' - Mário Quintana.

Adoro poemas, como voce.

Forte abraço, Lilás.

ML disse...

Oi, Beth:

Em 1 lugar, você acertou: estava sob aquele nosso conhecido ventinho gelado à noite, aquele solzinho esquentando os ossos de manhã, passarinhos livres, leves e soltos avisando que "a hora da preguiça acabou"...
E meus mais queridos logo ali.
Tudo perfeito...

Em 2º, esse seu post é perfeito: parafraseando Pirandello, "assim é se lhe parece".
Quem quiser reclamar que vá em frente, quem quiser se motivar também.
Ou quem conseguir.
Já tinha lido, mas só hoje realizei que vc se define como uma "especialista em relações humanas".
Eu sou (se é que sou) especialista em relações "animais": realmente me "entendo com os caras".
Adoro, me sinto à vontade, pertenço à "família".
Tenho muito o que aprender com relação a pessoas - por isso não faço questão de visitar um lugar tão especial como o "Mãe Gaia".

bjnhsssssssssssssssssss

Teresa Soares disse...

Maravilhosa esta poesia de Fernando Pessoa