.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Equador - Miguel Souza Tavares


Mais uma nova estória comecei a ler esta semana.

Já tinha lido a respeito deste romance e fiquei curiosa em conhecer o autor e sua maneira de escrever. Como ele é português, o texto é escrito da forma que se escreve a língua portuguesa em Portugal e o assunto aborda a questão do trabalho escravo numa época em que a escravatura se encontrava já proibida por lei, vivido num período complexo da história portuguesa, no início do século XX e últimos anos da Monarquia.

Quando eu era pequena convivi com muitas pessoas portuguesas e sei direitinho o sotaque e jeito deles falarem, daí que ao ler um tipo de livro como este, fico lendo as falas dos personagens com sotaque lusitano, principalmente porque as palavras e frases são entonadas ou acentuadas diferentemente das nossas, como por exemplo: "Queria apenas dar-te conta..."; "foram objecto de acaloradas discussões..."; "o incómodo de ser o centro de uma polémica...".

É deliciosa a narrativa justamente porque, assim como José Saramago, o autor também solicitou a manutenção da grafia original portuguesa nesta edição.

Então, fica aí a minha dica para uma nova e boa leitura.






6 comentários:

aminhapele disse...

E é mesmo uma boa "dica".
O autor,para além de bom escritor,é um grande jornalista.
Geneticamente,é o que se chama um bom herdeiro.
Filho do Dr.Sousa Tavares,grande político,lutador e jornalista e de uma das maiores poetisas portuguesas do último século: Sophia de Mello Breyner Andersen!
Como o Miguel Sousa Tavares não haveria de ter a categoria que tem??!!

Lilás disse...

Pois então, Rui, estou a ler e a me deliciar com o estilo português tão elegante. Gostastes do jeitinho luso que escrevi?
abraço carioca

aminhapele disse...

Gostei muito.
Gostei bastante do Equador.
É uma "fotografia",historicamente bem investigada e fundamentada,do colonialismo em S.Tomé.
E apreciei a "reclamação" sobre o serviço da Vivo!
Um abraço.b

Fátima disse...

Oi minha queridinha!!! Estou cá a te imaginar com sotaque luso...rssss!!!
És muito gira!!!
Mil beijinhos de uma carioca petropolitana, com legítimo sangue luso nas veias.

Georgia disse...

Eu já ouvi falar sobre esse livro, mas ainda nao o li.

Beijao

Tozé Franco disse...

Grande livro. Já li e gostei muito. Vão fazer uma série de televisão.