.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Buscando o sentido da vida.


Um dia eu fiz a mim mesmo uma pergunta:
Qual o sentido da vida, digo, o verdadeiro?
Complicado ... eu sei!
E suponho que você também já tenha se perguntado isso.
Então, eu comecei a observar as coisas ao meu redor: natureza, animais e principalmente pessoas.
Cada uma andando por aí, indo para o trabalho, para a escola, falando ao celular, ouvindo música,
ou em momentos de lazer, brincando com o cachorro, fazendo algum exercício, inventando coisas, namorando...
E pensei: o que move esta gente, porque fazem todas estas coisas?
E depois de muitas observações, reflexões e muitas conclusões, apenas uma me agradou:

A morte - sim, a morte!

É uma palavra forte, impactante, eu sei, mas define bem muitas de nossas ações.
Por qual outro motivo faríamos tudo que fazemos nesta vida?
É o fato de saber que um dia morreremos, que nos faz dar valor a tudo isso e a lutar por isso.
É por saber que um dia morreremos que amamos, perdoamos, sorrimos, choramos e sonhamos. É por saber que não temos todo o tempo do mundo e por querer aproveitar este precioso tempo que corremos atrás dos nossos objetivos.
Por isto nos entristecemos quando um erro nos coloca mais distante de outros ou de alguém.
Nosso tempo é ilimitado e curto, embora nunca seja tarde para se começar algo ou recomeçar.
Então ... ame, perdoe, sorria, chore, invente e aproveite.
Esteja perto de quem você ama, faça algo de bom para as pessoas, porque quando tudo isso acabar e você se for o que ficará será apenas o que você foi para as pessoas, a importância que teve na vida de cada uma delas e para o mundo, suas ações.
E mesmo que não esteja em presença, continuará vivo na memória de cada um.
Pense nisso!




Estas palavras estão num vídeo de John Von Achen sobre inspirações para quem busca o sentido da vida, como eu venho buscando a cada dia em que o sol nasce e eu me levanto, a cada noite em que a lua derrama sua luz sobre nossa Terra e me deixa intrigada com sua beleza e sua influência sobre nós,
quando vejo que as guerras insanas continuam a ceifar vidas e o ser humano cada vez mais fazendo tudo e se corrompendo pelo vil metal.

Neste processo fluente, cada experiência, boa ou má, nos ensina uma lição para que enfim encontremos o sentido da vida.
Eu, você e todos, estamos nesse processo, caminhando, aprendendo e ensinando. A morte nada mais é do que um outro estágio de nossa infinita existência. Assim eu acredito ... e você?



Entre o estímulo e a resposta existe um espaço. 
Nesse espaço está o nosso poder de escolher a nossa resposta. 
Na nossa resposta encontra-se o nosso crescimento e a nossa liberdade. 


 Viktor Frankl


Imagens Pinterest.








10 comentários:

Ana Paula disse...

Eu também acredito que seja um outro estágio Beth.
Adorei as palavras que você nos trouxe para essa reflexão. Aprender a cada dia para não desperdiça-lo.

Também adorei que você tenha nos trazido notícias da querida Calu!
beijo.

✿ chica disse...

Beth, que bom te ve4r e trazendo mais um lindo texto, falando de verdades e questionamentos. Realmente temos que curtir cada dia, olhar, com olhos de ver e perceber, tudo o que nos rodeia, valorizar cada dia, cada espaço de férias, de trabalhos...Tudo isso há de terminar nessa etapa..Depois seguiremos em outra vida... Mas temos que passar por essa! beijos, tuuuuuuuuudo de bom,chica

Dra. Cristiane Marino - Mulheres em Círculo disse...

Olá Beth,

Adorei a imagem e post!
Sim é verdade, a finitude pode trazer sentido à existência, mas desde que estejamos preparados para encará-la seriamente e à partir daí fazer a escolha de viver o momento.
Bjs

Ivone disse...

Amiga Beth, ótimo texto reflexivo sobre o sentido da vida, sim, é bem assim, se teme a morte, se teme que "ela" nos pegue desprevenidos, portanto viver é estar ciente de que a vida é curta por aqui e que nem sempre se tem oportunidades de se corrigir erros graves!
Viver bem e ser feliz é também proporcionar felicidade aos que nos são caros e nos rodeiam, o próximo, pois é, amar ao próximo como a si mesmo é amar a família, amigos e todos os que são colocados em nosso caminho, até amizade virtual faz parte disso, somos sim um em todos e todos em um, leveza em acreditar nisso é o que sinto e escrevo sempre lá nos meus espaços!
Amei ler aqui, deixo abraços bem apertados!

Maria Célia disse...

Oi Beth
Com sempre palavras sábias, verdadeiras. Eu acredito que exista algo, um céu, a face de Deus para reencontrarmos do outro lado, senão qual seria o sentido de passarmos pela terra, sofrermos, lutarmos e depois simplesmente desaparecer, seria muito cruel.
Mas para que isto aconteça precisamos cumprir nossa missão muito bem, tentando melhorar a cada dia.
Beijos.

Tina Bau Couto disse...

Para refletir mesmo
E para elogiar seu apoio a Calu
Td de bom pra ti

Beatriz disse...

Que lindo Beth!
Nosso tempo é realmente curto,vejo isso a cada dia! Se não procurarmos fazer o melhor que pudermos, vamos passar por esta vida, e só. Vale ao menos tentar. É muito bom também estar perto da natureza e sentir toda a sua força! Sinto a maior falta disso, ainda mais morando numa cidade grande, envolvida com trabalho e tudo o mais! Temos que dar os passos certos nessa longa caminhada que temos pela frente.
Um belo domingo Beth!!!

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Teresinha Ferreira disse...

Olá amiga,
Temos que agradecer e dar valor a pequenas coisas e gestos. A vida é breve e rica demais para sofrermos por tão pouco.
A cada dia estamos numa verdadeira batalha. Uns com muita ganância e outros vivendo o dia a dia e aproveitado com seus pequenos prazeres.
Vivendo de forma prazerosa, não importando só com bens materiais.
A vida passa... A morte chega. Pena que não se fala muito sobre ela e não nos preparamos para a única certeza.
Devemos viver amplamente os estágios oferecidos...
Grande beijo

Lúcia Soares disse...

Às vezes acredito em outra vida, às vezes me apavora pensar que pode não haver uma...
Para mim, o sentido da vida é...viver. Sem pensar no que virá, não com irresponsabilidades, mas deixando que os dias se encarreguem de nos trazer as respostas.
Quando mais nova, jamais pensei que viveria para morrer um dia. Só agora tenho a certeza da morte e nem sempre é confortável pensar nela. Aliás, nunca o é, para mim...rs
Mas não podemos ignorar que para morrer bem, temos que viver bem...
Beijo, Beth.

Toninho disse...

Beth muito boa abordagem como sempre e quando se fala em morte é sempre um tabu, um incomodo. Olhar a morte como um passo a ser dado, como uma referencia de nossas ações é preciso. Digo sempre que vivemos num intervalo e que este deve ser vivido com toda arte. Quando os jovens brincam que não podemos levar a vida à sério pois nao vamos sair vivo desta tem fundamento, mas é preciso saber, que deve ser com responsabilidade e com muito amor, para ter uma ida leve desimpregnada de atos que nos levam ao tal de remorso ou arrependimentos.
Vivemos para morrer, mas antes devemos acontecer em todos os sentidos.
Gostei Beth.
Com carinho meu abraço amiga.
Bju de paz.