.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 1 de julho de 2014

A busca pela Paz e Sobrevivência.

Via Jamal Dajani

Esta é uma das mais dramáticas fotos do mês, capturada de um helicóptero da marinha italiana. Nela, imigrantes (africanos e sírios) amontoados como sardinhas em um pequeno barco, tentando chegar a Europa para uma vida melhor.

E nela poderia estar eu ou você.  Por isso como ignorá-la, como não ficar com o olhar pregado um certo tempo imaginando-me ali, apertado, sofrido, cansado, doente, passando calor,  frio e fome e tendo como única esperança o ronco do motor funcionando neste barco que os levará a um destino incógnito para a maioria?

Quantas pessoas sofrem neste momento violências, guerras e conflitos neste mundo! 

Há uma enorme movimentação de seres em busca de sobrevivência e paz. Cada dia mais precisamos desenvolver sentimentos socialmente compartilhados, pois não podemos falar em paz e desejá-la como sendo algo para uns poucos. A paz precisa do coletivo, da bondade, da tolerância, da amorosidade e compaixão entre todos os humanos.

Não falo aqui de religião ou religiosidade, falo de uma forma de Educação para que tenhamos paz e isso foi um pressuposto apontado fortemente por Paulo Freire, nosso grande educador, pedagogo e filósofo, que ao receber o Prêmio Educação para a Paz da Unesco em l986, deixou bem claro qual era sua convicção:



"De anônimas gentes, sofridas gentes, exploradas gentes, aprendi sobretudo que a paz é fundamental, indispensável, mas que a paz implica lutar por ela.  A paz se cria, se constrói, na e pela superação de realidades sociais perversas.  A paz se cria, se constrói, na construção incessante da justiça social.
Por isso, não creio em nenhum esforço chamado de educação para a paz que, em lugar de desvelar o mundo das injustiças, o torna opaco e tenta miopizar as suas vítimas."


Paz é tudo que as pessoas dentro deste barco querem e necessitam urgentemente.  E a Paz só se alcança com a anulação de todas as faces da violência, e só há justiça se todos tiverem paz. 
Portanto, que lá no novo continente onde  irão buscar trabalho para suas sobrevivências, que não encontrem de novo o que atravanca a vida entre os homens - a violência e intolerância - que encontrem Paz!
















14 comentários:

Maria Célia disse...

Oi Beth
Que cena triste e deprimente, pobre povo, abandonar sua pátria pelo desconhecido e o incerto, isto quer dizer- a situação lá era tão precária e sofrida, que preferem passar por todo este sofrimento e humilhação.
Lamentável, nossos semelhantes serem tratados desta maneira.
Um beijo.

Antonio Reis disse...

Deprimente Beth esta imagem, a auto escravidão na procura de um sol, uma paz,uma vida.Lembra a outra escravidão de seres que nao tinham a opção e se amontoavam nesta condição sub humana.
Quanto custa esta paz, que sonhamos para todos os seres do planeta.
Vejamos os pássaros, aves que migram para encontro do melhor.
Boa postagem amiga para repensar nossa responsabilidade neste universo de tamanha injustiça.

Uma linda semana a você com meu carinhoso abraço amiga.
Beijo

✿ chica disse...

Beth, essa cena é tremendamente chocante e quantas vezes se repete? pessoas que não aguentam mais suas vidas nos lugares e fogem, oprimidos, desesperados em busca desse sentimento tão imenso, profundo e que cabe em apenas 3 letrinhas:PAZ! Pena! beijos,tudo de bom,chica

pensandoemfamilia disse...

Beth
Concordo com o Toninho, para se ter a PAZ tão almejada temos que olhar para nós mesmo, nossas ações e atitudes, pois é por aí passa a educação. Lutarmos por justiça e igualdade, sem elas não haverá a paz.

Marli Soares Borges disse...

Oi Beth
Infelizmente a paz implica em guerra. Guerra contra as injustiças. A paz é indispensável, mas ela não vem de graça. Temos de ir à luta, ir à guerra para, pelo menos, nos aproximar de alguma coisa que a gente possa chamar de paz. A paz se constrói passo a passo, lutando para melhorar e ou superar as realidades sociais que retiram a dignidade dos indivíduos.
Bjs
Marli
Blog da Marli


Francisco Domingues disse...

Olá, caríssima Beth!
Drama e tragédia (são muitos os que morrem!) juntam-se, ali, na dor e no sofrimento. Ali, se apresentam também as duas faces da violência: a guerra e a religião, neste caso, muçulmana. Matam-se pelo dinheiro dos fabricantes de armas, e... em nome de Alá!
A Europa, neste momento, confronta-se com um gravíssimo problema de imigração vinda do norte e centro de África e do Médio Oriente. À procura de emprego muitos, outros de subsídios, outros - perversamente! - para islamizar a Europa que os acolhe solidariamente e imporem os seus bárbaros costumes como a chária, a burka, a escravidão da mulher. A França é o exemplo mais preocupante: já são mais de 5 milhões de muçulmanos... Oxalá isso não aconteça no Brasil (que já tem problemas de sobra...). Vamos a ver como a Europa se vai libertar deste pesadelo. Até lá, tanto sofrimento inútil, santo Deus, e de tantos inocentes!
Infelizmente, além de denunciar, pouco ou nada podemos fazer contra os senhores da guerra e das religiões!
Resta-nos o sorriso e pensar em tantas coisas boas e belas, da Terra às estrelas...

Calu B. disse...

Uma dura realidade cada vez mais presente, infelizmente, Betinha.A cena nos toca profundamente porque sentimos empatia aos ecos das dores que tantos humanos sentem pelo mundo afora, nas paragens rasgadas por guerras, conflitos de todas as espécies, sofrimento imposto e covardemente ignorado pelos poderosos.
As gerações presentes e as futuras estão feridas no corpo e n'alma.
Nas palavras do grande mestre Paulo Freire reside a pureza de ações necessárias e tão ignoradas.Isso é lamentável!
Pungente grito de alerta.Bravo!
Bjos,
Calu

Regina Rozenbaum disse...

É mesmo uma tristeza sermos testemunhas de tanta desigualdade nesse mundão de D'us! É mesmo inaceitável tantos que poderiam fazer cruzando seus braços e ignorando essa e outras realidades.
Beijuuss

Cantinho da Selminha disse...

É Beth está imagem nos faz refletir, é tanta gente reclamando de tudo! Muitas pessoas não tem forças nem pra reclamar , não tem nem escolha, tem que fugir pra não morrer, e lutar pela sua sobrevivência, acho que todos nós podemos orar pela paz no Mundo, e como você disse não é questão de religião e sim de educação, quem é educado faz de tudo pra não ferir seu próximo, um grande beijo!

Bia Hain disse...

Oi, Beth, como vai?
Que situação, hein? Sempre que me pego me queixando da vida, procuro lembrar das pessoas que sofrem por esse mundo. Ter paz e condições de vida deveria ser algo natural, e não uma busca a qualquer preço. Solidariedade faz bem e o mundo carece dela. Um abraço!

Anne Lieri disse...

Beth,de chorar a situação dessas pessoas e seu texto disse tudo! Se temos que ter intolerancia frente a alguma coisa que seja contra a violencia dos governos e suas artimanhas! Lindo texto! bjs,

cristiane de paula goiatá goiatá disse...

Oi Beth?!
Que texto lindo e também triste o início!!
Quantos já não passaram por isso não é?
Infelizmente ninguém toma uma providência cabível que melhore o mundo nesse intuito, ter paz!
Querida, obrigada pela adorável visita! Muito valiosa!E eu aqui já curiosa para ver o novo visual que virá!
Obrigada amada!!
Ótima sexta!!
Beijos mil
Cris

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Como é triste essa situação! Por uma vida melhor as pessoas enfrentam tudo e nem pensam nas consequências e nos perigos. Infelizmente essa é a realidade de muitos que procuram um lugar ao sol.
Bjs mil

Vulgo Emilie disse...

Só posso pensar que tenho sorte por não sofrer privações desse tipo.