.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

"Tempus Fugit" - vamos aproveitar.

Foto com mais de cem anos, feita por Sergei Mickailovich, um fotógrafo russo. Nesta imagem está um homem idoso que trabalhou como Supervisor de Comportas por mais de 66 anos para o Império Russo.
Fonte Obvious

O tempo está passando e estamos ficando velhos, a gente descobre que o tempo é curto e inevitável, mas de uma coisa eu tenho certeza, já não se fazem mais velhinhos como antigamente. Hoje, um homem ou mulher com mais de 60 anos podem confundir cabeças, principalmente se estiverem fazendo ginástica, dirigindo seu próprio carro ou viajando por este mundo afora.

Encarar os fatos é uma maneira bastante sadia de envelhecer, não ficar lutando contra a maré ou se fingindo de mais novo, usando subterfúgios que aparecem na cara, mesmo quando a plástica é feita pelo mais renomado cirurgião plástico. Envelhecer com dignidade e amor próprio "é o que há", como dizem os mais jovens.

Tem gente que não aceita de jeito nenhum, para não não dar na pinta, os benefícios para a terceira idade e perdem, por exemplo, pagar meia no cinema outra vez, como se fosse estudante. Eu estou usando este privilégio e tô bem contente, embora o rapaz da bilheteria tenha duvidado e eu tivesse que mostrar meu RG.

O chato mesmo, como diz nosso querido Rubem Alves, é quando "as pessoas passam a nos tratar por diminutivos, como fazem com as crianças. “Você está doentinho?” “Quer um docinho?” É humilhante."

Assim como é humilhante o desrespeito que alguns têm para com idosos e aposentados.
Esquecem da contribuição que estas pessoas deram ao seu país e os tratam desrespeitosamente.
Um fato vergonhoso aconteceu ontem no Parque da Àgua Branca em São Paulo, quando um ignorante segurança chegou a empurrar um senhor aposentado que fazia ali sua ginástica ao ar livre. Veja a notícia aqui do Estadão.

Por isso que tirar alegria das pequenas coisas, passa a ser uma vontade imperiosa em alguns e eu estou nessa, quero comer os morangos e não ficar me preocupando muito com o que está por vir, citando mais uma vez meu ídolo Rubem Alves na historinha que ele conta para ilustrar a velhice diante do imponderável:

"Gosto de contar a história de um homem que ia caminhando pela floresta, a mata estava escura. De repente, ele ouve o rugido de um leão e sai correndo, mas como está escuro ele cai num precipício. Ele se agarra a um galho preso no abismo, olha para cima, o leão, para baixo, o abismo; então ele nota que bem à sua frente está brotando um galho com uma fruta vermelha. É um morango. Ele estende o braço e come o morango e se delicia. As pessoas perguntam - qual o final da história? O homem caiu? E eu respondo, não tem final, é só isso mesmo. Você não entendeu? Quem está pendurado sobre o abismo sou eu, é você , todos estamos sobre o abismo, portanto, o que nos resta a fazer é comer os morangos."

À propósito, quais são os morangos que você tem apreciado ultimamente?

E, cuidado, não se fazem mais velhinhos como antigamente!  Espia este tiozão no vídeo abaixo.






_* _ * _ * _ * _ * _ * _







24 comentários:

Pandora disse...

Beth, minha avó diz: velha é a estrada. Meu avô então nem se fala, as vezes ele é mais jovem que eu. Outro dia que eu tinha 18 anos, hoje estou quase no 28 e acho que 18 era muito chato, começo a pensar que quando eu chegar aos 38 corro o risco de pensar o mesmo do 28, cada faze da vida tem sua luz, cabe a gente viver cada faze, não guardar arrependimentos e aproveitar... Há velhos de 18 anos e jovens de 80 já me disseram um dia desses!

✿ chica disse...

Lindo e bem significativo teu texto e apanhado dele. Temos que apanhar morangos, coisas que nos façam bem...O tempo passa, nós mudamos e depois não adianta mais querer fazer algo, já não podemos. Estamos na praia em férias e pretendo muitas coisas lindas aqui!bjs,chica

Yasmine Lemos disse...

Seu texto está redodinho,mas não velhindo,inho rsss beijos Beth

Célia Rangel disse...

Como meus morangos, sem dúvida alguma dos meus 68 anos muito bem vividos e, como diz Rubem Alves, minha bacia de jabuticaba está acabando, ainda assim, não temo saboreio-as roendo até os caroços... Nada temo, pois o essencial para mim é viver a vida com dignidade. E, ser velho é um patrimônio de quem soube viver.
Abraço.

VERINHA TIBURSKI disse...

Olá Beth
Gostei muito de seu texto e concordo inteiramente quanto ao fato de envelhecer aceitando a verdadeira idade, sem correr para métodos cirúrgicos, mas claro que respeitando aqueles que preferem viver assim, cada pessoa tem que fazer o que lhe faz feliz. Acho lindo como as pessoas querem envelhecer mais com saúde, vivendo em função de se cuidar, malhando e tomando cuidados com o que come e bebe. Eu sou um zero a esquerda em questão de fazer exercícios e olha que moro bem próxima a uma academia... rsrsrs . Já sinto minhas limitações e já dói aqui e ali, mas estou bem e feliz, pois já sou avó de um belíssimo neto João Gabriel e isso me completa. Não havia prestado atenção quanto aos diminutivos e é muito triste que tratem as pessoas mais idosas com desdém, estas pessoas deveriam ser tratadas como heróis pois já venceram muitas batalhas e a guerra pior é aturar pessoas sem respeito e moral.
Linda imagem do senhor que demonstra o que digo sobre heroísmo (grande homem).
O vídeo me surpreendeu do começo e mais ainda no final... Adorei.
Um grande abraço e dias espetaculares. Vamos que vamos.

Maria Célia disse...

Oi Beth
Impressionante o vídeo do tiozão, que final legal.
Na minha opinião o pior de envelhecer não são as rugas, a flacidez, a gordurinha que teima em ficar, mas sim, as doenças, a debilidade física e a dependência, esta muito triste.
Beijo

Calu B. disse...

Ora Viva, todos nós,novos velhinhos, sábios comedores das delícias da vida.Ando às voltas com morangos e jabuticabas suculentos e aproveitando o doce de cada um,mesmo que por vezes haja um azedinho num ou noutro.

Já estou em contagem regressiva pra fazer como vc, amiga: utilizar todos os benefícios aos quais terei direito, afinal, contribui muito para a formação cidadã do país.

Este é o nosso tempo da boa colheita, então cá estamos nós e nossas cestinhas.
Bjos e belo fim de semana.
Calu

Nina disse...

Entao a senhora está indo ao cinema pagando metade do preco,rindo discretamente qd duvidam da idade da coroa, comendo morangos e curtindo a vida é? Que coisa mais bonita de se ver. Eu admiro vc Beth, é uma pessoa querida demais e sábia.

e Rubem Alves também viu?!

Pitanga Doce disse...

Beth, quando li o comentário da Nina lembrei do jargão que o Jô Soares tinha: "tirou daqui, ó!" Lembra? Pois é. Ela disse tudo o que eu penso. E aos morangos junte cerejas, pitangas e todos os frutinhos vermelhos que dão a maior moral, bela. hehehe

beijos pitangueiros

Crista disse...

Gostei tanto da tua postagem que vou dar teu endereço no meu facebook...
Beijão,blogueira linda!!!!

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa noite,Beth
que belo escrito...
...Kyrie Irving joga muito...assisto muito NBA, apesar de eu ser um péssimo jogador de basquete .
...e a idade chega para todos...e tudo se dá um jeito, para quem é muito “neurado” com isso! Só que , embora a ciência tenha avançado , ainda não foi descoberta a fonte da juventude, se é que um dia descobrirá.Portanto, não é possível frear o envelhecimento e impedir as mudanças que ocorrem com a idade...então, eu, ao ficar mais tiozão, ao invés de usar de artifícios ou dissimulação ...vou escutar o que cada ruga tem de história boa para contar...e à esses que não respeitam, saibam que "a hora vai chegar"...
agradeço pelo carinho,obrigado, belo domingo,beijos!

Regina disse...

Respeito é uma questão de educação...desde bem pequenos. Se não preservarmos e respeitarmos a estrada histórica percorrida como as novas gerações irão "viajar"? A experiência ainda ensina e aprende quem é sábio. Colhamos os frutos!
Beijuuss amaaada

Elisa T. Campos disse...

Oi Beth

Adorei. E pensar que conheço muitos jovens já velhos.
Temos um vizinho aqui que é exemplo de jovialidade com seus 84 anos faz tudo que um jovem não faz. Sempre vem consertar algum defeito que surge em minha casa. Tenho também um querido tio com essa mesma idade que fez questão de ajudar até a pintar a minha casa. E não adianta recusar, que eles ficam ofendidos.

Aqui, basta amanhecer que mil passos estão na trilha. Apreciamos morangos todos os dias, como você. Carpe Diem.

Maravilha de postagem.

Beijos.

Simone Felic disse...

Mesmo que o tempo passe , temos que ser tratados do mesmo modo!
beijinhos
http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Toninho disse...

Beleza de texto e reflexão,bem como as ilustraçoes sobre.
Melhor mesmo é saborear o morango.
Linda semana Beth,
Um abração mineiro de flor amiga.
Bjo.

Van disse...

Oi Lilás

Muito bacana esta reflexão que seu texto propõe.

Os morangos estão disponíveis para todas as idades, mas talvez só depois de adquirida alguma sabedoria é que se tem a noção de que abismos sempre existiram e continuarão existindo, daí não perder a chance de saborear nada que nos seja possível, é tão importante.

Ainda bem que as pessoas tem envelhecido cada vez melhor, cada vez com mais vigor físico e emocional.

Beijos

Van disse...

Oi Lilás

Muito bacana esta reflexão que seu texto propõe.

Os morangos estão disponíveis para todas as idades, mas talvez só depois de adquirida alguma sabedoria é que se tem a noção de que abismos sempre existiram e continuarão existindo, daí não perder a chance de saborear nada que nos seja possível, é tão importante.

Ainda bem que as pessoas tem envelhecido cada vez melhor, cada vez com mais vigor físico e emocional.

Beijos

Anônimo disse...

Just want to say your article is as surprising. The clarity to your put up is
just excellent and i could think you are a professional on this subject.
Well along with your permission let me to take hold of your RSS feed
to keep up to date with drawing close post. Thanks a million and please keep up the rewarding work.


Here is my web site norske spilleautomater - http://www.norskespilleautomaterspill.com/ -

Luma Rosa disse...

Oi, Beth!
Educamos os nossos filhos para respeitar os mais velhos, pois assim também fui educada. Sempre gostei de conversar com os mais velhos e muito aprendi com eles. Há dois dias recebi em casa um amigo do meu pai. Hoje ele está no CTI, mas ontem estávamos no terraço da minha casa e ele me contava histórias dos dias em que conviveu com meu pai. Vim agorinha do hospital e ele sem chances de viver - O que aconteceu? Um dia estamos aqui e no outro não estamos mais e com cara esticada ou não, o que levamos dessa vida?
Se não pudermos despertar nas pessoas bons sentimentos, não vale a pena viver.
Boa semana!!
Beijus,

Teresinha disse...

Olá Beth,
E vamos comendo morango...
Os idosos de hoje, realmente nem se comparam com os de ontem. Fico lembrando da minha avó. Quanta coisa mudou desde então.
Concordo plenamente em relação a cirurgia plástica. Nossa, acho que é melhor ter alguns ruguinhas do que ficar com o rosto deformado com uma pele esticada demais. Tudo tem limite. Respeitar os mais velhos é fundamental e prazeroso. Pena que nem todos pensam assim.
Você tem mesmo que mostrar o RG...
Adorei o vídeo.
Beijos mil. Saudades.

Lúcia Soares disse...

Que delícia de texto, Beth.
É isso, cada fase da vida tem seus encantos e por isso mesmo passei daquela de pintar os cabelos e vou viver a minha "juvelhice" muito bem.
cada um faz como quer e gosta, mesmo que possa ficar ridiculamente falso, né?
Não acredito em gente que se recusa a ver a passagem do tempo, querendo não perder o viço da juventude, mas não há plástica nenhuma que ajude nisso!
Mais vale sermos jovens eternamente, na mente e no coração. Isso ninguém pode nos tirar e combina perfeitamente com rugas, flacidez, cabelos brancos.
O vídeo é ótimo. Ainda bem que tenho um felling legal, mas vi desde o começo que o "velhinho" era fake. rsrs
Beijo!

pensandoemfamilia disse...

Ah! Beth, vou pegando vários morangos e fazendo deles uma inspiração.
Cada momento da vida é único, assim vamos nos reconstruindo e saboreando muitos morangos.
Acabei de saborear um -Morro de São Paulo, e já estou pensando no próximo, Cabo Frio. bjs

Silvana Haddad disse...

Beth:
Quando era adolescente, tinha uma enorme preocupação com o envelhecimento.
Mas, não era receio da velhice em si, e sim o medo de parecer ridícula, pois queria continuar usando minhas calças jeans, tênis e camiseta, rsrsrs.
Ainda bem que hoje em dia, a terceira idade é ativa e eu não preciso aprender a fazer crochê, nem adquirir uma cadeira de balanço.
Quanto ao seu comentário no meu blog, também estive em Trancoso na década de 80, mais precisamente em 87 e não tinha nem luz por lá, era tudo na base do lampião e a hospedagem era na casa dos pescadores.
Atualmente, tem até um modesto shopping center.
Coisas da modernidade,....
Bjs.:
Sil
http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

ML disse...

Perfeito,Beth! Coisa mais triste é tratar quem tem mais idade como se fosse criança. Tb já ouvi a turma mais velha reclamar do termo "melhor idade", acham "sem noção".
Dignidade em qualquer idade, né?

bjnhsssssssssss