.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Dias difíceis de se entender.

-Pinterest-

Logo nas primeiras horas de hoje, uma notícia ruim pelo rádio, acidente numa das vias principais da cidade e com mortes. 

Descaso, negligência, desrespeito, falta de educação, de fiscalização, de punição.

Lembrei-me desse poeta que li a algum tempo e guardei uma de suas poesias para ilustrar num dia como este.
Ele é brasileiro, nascido em 1958 em Cuiabá - Nicolas Behr, ousado e criativo, do tempo em que era proibido dizer, mesmo em poesias, o que era a verdade deste país.  Então, em 1977 lançou seu primeiro livrinho impresso em mimeógrafo, vendendo mais de 8000 exemplares.

RECEITA
Ingredientes:
2 conflitos de gerações
4 esperanças perdidas
3 litros de sangue fervido
5 sonhos eróticos
2 canções dos Beatles


Modo de preparar:


dissolva os sonhos eróticos
nos dois litros de sangue fervido
e deixe gelar seu coração.


leve a mistura ao fogo
adicionando dois conflitos de gerações
às esperanças perdidas.


corte tudo em pedacinhos
e repita com as canções dos beatles
o mesmo processo usado com os sonhos
eróticos mas desta vez deixe ferver um
pouco mais e mexa até dissolver.


parte do sangue pode ser substituído
por suco de groselha
mas os resultados não serão os mesmos.


sirva o poema simples ou com ilusões



...**...**...**...**...**...







27 comentários:

Maria Luiza disse...

Beth, encontro aqui fartura de bem escrever,de ideias diferenciadas para se matutar. Estou tremendamente inoperante à partilhar senão que demorei, mas vi até com sofreguidão belas imagens, assuntos demais de bons e só consigo dizer um beijo, querida, após ter ido ao velório por duas vezes hoje, despedir-me de duas pessoas amigas! Ah! Às vezes, viver dói!

✿ chica disse...

Fantástico esse poema e não conhecia o autor,confesso!

E há dias mesmo assim, onde nada entendemos e ficamos pasmos.Mais uma tragédia...bjs praianos, fica bem,chica

Calu B. disse...

Aroma ácido se desprende dos versos e se espalha por toda a cidade manchada pelas tragédias repetidas.A poesia aferventa as emoções.

Vc nos presenteia com tua aguçada sensibilidade sempre belamente ordenada, Betinha.É uma satisfação especial lê-la, minha amiga.Procurarei saber mais sobre esse poeta
Um belo dia aí.
Bjnhos alvorescentes.
Calu

Pitanga Doce disse...

Ei Beth! Agora podemos dizer tudo o que vai no país e não se diz e não se grita e não se vai. Parece que até os poetas que naquela época diziam por nós, se limitam a olhar. Outros tomaram o rumo errado e perderam o discurso ou discursam igual aos que estão no poder. O dia de ontem foi pesado.

Beijos, amiga... e Sol dentro de nós.

She disse...

Oie minha querida! Realmente essa notícia foi muito triste... achei lindo o pema, não conhecia e amei a imagem que você escolheu.
Beijo, beijo
She

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Beth
Ainda estou chocada e hoje morreu mais uma vítima...
Vc tá passando de carro e, de repente, se depara com a morte de uma maneira atordoante... sem necessidade de ter acontecido... Meu Deus!!!
Os compostos do poema dão a pauta de como andamos agressivos e outros derivados...
Bjm fraterno

Yasmine Lemos disse...

Vendo pela TV ,descaso,entre tantas coisas que ficamos impotentes.Eleições vem por aí.Atentai!
beijos Beth

Misturação - Ana Karla disse...

Quantas tragédias que vem acontecendo, não é Beth? E essa é lamentável.
Também não conhecia o poema, e claro que adorei, pois vindo de você só podia ser bom.
Xerossssssss

Wilma Santos disse...

Beth!! mais próprio pra esse momento impossível...já naqueles idos o autor já traduzia tão bem esses sofrimentos urbanos/humanos. Achei-o verdadeiro, sangue fervido e esperanças perdidas não faltam nessas prateleiras do dia-a-dia. RA!!

António Jesus Batalha disse...

Estive a ler e a ver não só esta postagem mas uma parte de seu blog,e gostei, dou-lhe os parabéns pelo blog por seu trabalho e obrigado por partilhar.
Ficarei muito feliz se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais,
decerto que vou seguir também o seu blog.
Deixo as minhas cordiais saudações, e muita paz.
Sou António Batalha.

cristiane de paula goiatá goiatá disse...

Espetaculoso!!!!
Olá Beth!!!
Lamentei muito esse acidente!! Um triste modelo dos acontecimentos no país, nada nunca se resolve, não aparece nenhuma autoridade competente que ponha força na sua voz e faça com que o povo acredite que amanhã será melhor!
Tudo porque no nosso país desde o ano passado se cala com agressão, violência e ameaças!!
Adorei o poema! Forte, tocante, estranho!
Apareça no Blog!
Desejo uma noite melhor, uma quarta de mais sorrisos!
Beijos e mais beijos
te espero no meu canto!
Cris

*Escritora de Artes* disse...

Um belo texto para aliviar momentos tao difíceis ...

Abçs

Célia Rangel disse...

Momento de uma notícia que mais uma vez fica nítido odescaso com a vida! O poema traça em seus versos dignamente esses conflitos humanos!
Abraço.

Maria Célia disse...

Oi Beth
Não resta dúvida que é uma forma bem diferente de escrever, mas mostra a situação caótica que predomina neste nosso mundo.
Beijo

pensandoemfamilia disse...

Bela ilustração do tema em imagem e poética. Ah! que mundo é este?
bjs

Silvana Haddad disse...

Beth:
Sua escolha foi propícia e condizente com o acontecimento.
Poema incrivelmente bem escrito, que complementa a situação drástica que escutamos e vemos diariamente nos jornais.
Bjs.:
Sil

Camille disse...

Lindo post, com a imagem e a poesia ilustrando. Esse mundo esta mesmo tao complicado. Preferia outra coisa. Nos que fazemos o mundo? Como fazer para muda-lo se uma andorinha nao faz verão? Bjos amiga,
Cam

Anne Lieri disse...

Oi Beth! Não conhecia esse poeta,mas gostei muito da sua receita. Bem ao tempo da ditadura. E hoje podemos falar mas ninguem nos ouve! Tanto descaso, tanta injustiça,tanta falta de tudo nesse país! Tb fiquei super chateada com esse acidente na linha amarela do Rio. Excelente post! bjs,

Ana Paula disse...

Uma receita tão ácida para estes dias tão difíceis onde a gente fica se perguntando se há um porquê, se tudo poderia ser diferente...
Beijo.

Lúcia Soares disse...

Beth, não conhecia o poeta.
Triste e dramática, condizente com tantas tragédias que se vive pela vida...
Boas férias.
Beijo!

Elisa T. Campos disse...

Noossa Beth.

E nada muda neste país.
Não conhecia esse poeta. Obrigada por mostrar em sua linda postagem de muita sensibilidade como sempre.

Bjs.

Nina disse...

Oi Beth querida!!
Como vc ta meu bem?
ta passeando?

Essa época é mesmo mt dificil no Brasil, mts chuvas, mt irresponsabilidade...

da uma tristeza ver as noticias :-(

Toninho disse...

Que beleza de partilha Beth, não o conhecia nem tinha lido sobre.
Há dias na vida que a gente pensa mesmo que não vai conseguir como se diz numa musica.

Sem calor desejo um feliz fim de semana nos ares da serra.
Meu terno abraço.
Beijo de paz e luz amiga.

Lu Souza Brito disse...

Oi Beth,

Imagem linda e triste, para um poema com a mesma proporção, mas ainda assim, muito verdadeiro.
Que fazer nos dias de hoje? Gritar, ir as ruas? Acho que a resposta mesmo se faz nas urnas, ainda assim com muita dificuldade, pois se há algum candidato de valores, não consegue chegar sequer ao conhecimento do povo, pois é corrompido ou devorado no meio do caminho.

Beatriz disse...

Ótima receita Beth!
Nos dias de hoje, principalmente no Rio, está difícil imaginar a paz que todos desejamos.....o triste fim do cinegrafista no centro da cidade atingido por um um morteiro, foi muito triste. Onde está o amor? certamente, na cabeça desses jovens "manifestantes" assassinos não está!

Beijo

Bia

Rosamaria disse...

Oi, Beth querida!
Como sempre, teus posts são ótimos. E que bom te visitar, aqui é tudo lindo, de bom gosto. Simples assim.
Bjim, cosquirídia

ML disse...

Realidade "gótica", Querida Beth!

Amei! bjssssssssssssss