.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Um exemplo real e atual do que é ser um grande líder político.


Líderes políticos são pessoas que se doam de verdade por seu povo, que não pensam no que vão ganhar com isso ou aquilo, que não se corrompem e nem acobertam os erros à sua volta,  seu propósito maior é deixar para a posteridade grandes feitos e ter seu nome lembrado com admiração e amor. Que seja inspiração para outros que acreditam na democracia, na liberdade de expressão e nos direitos humanos.

Estes que vimos sendo presos em nosso país atualmente, não nos representam, não passam de bandidos, oportunistas, aproveitadores, semeadores de desigualdades e sugadores da esperança de um povo.

Mas, existem pessoas que, ao contrário, fazem muito pelos seus, a ponto de sacrificarem a sua própria felicidade por uma causa maior, mesmo vivendo dentro de um regime hostil, cruel e repressivo, mas conseguem lutar pacífica e orgulhosamente por seu povo.

Aung San Suu Kyi, esteve presa na antiga Birmânia, hoje Mianmar, sob aquele regime autoritário por 24 anos. Filha de Aung San, o herói nacional da independência da Birmânia, assassinado quando Suu Kyi tinha apenas dois anos de idade.
Depois de ter vivido e se casado em Londres, Suu Kyi regressou ao seu país de origem em 1988, por ocasião da doença e morte de sua mãe. O seu retorno à Birmânia coincidiu com a eclosão de uma revolta popular espontânea contra vinte e seis anos de repressão política e de declínio econômico no país. Em pouco tempo, Suu Kyi tornou-se a líder do movimento de contestação ao regime militar. Sua história de devoção e de compreensão humana deram a ela o Prêmio Nobel da Paz em 1991.  Não pôde ir recebê-lo em Oslo, sequer ver pela televisão a entrega do prêmio que foi entregue à sua família, pois continuava presa em sua própria casa, com a luz cortada e sem contatos telefônicos.


Este pequeno e esquecido país, a oprimida e isolada Mianmar, fica no sudeste asiático e tem a poderosa China em uma de suas fronteiras,e ninguém no planeta quer comprar briga com esta grande potência, então os monges budistas, figuras reverenciadas pela população, defenderam a liberdade e a democracia, reagindo em protestos pacíficos, pedindo diariamente pela liberdade de Suu Kyi que, embora tenha ganho as eleições em 1990, a ditadura militar negou–se a reconhecer os resultados. Casada com um intelectual britânico, não pode sair do país, nem mesmo para ver o marido na Inglaterra que morria pouco a pouco de câncer e seus dois filhos que estavam impedidos de visitarem-na.

Somente em 2010 foi libertada e eleita deputada nas primeiras eleições realizadas na Birmânia em mais de 20 anos.

Suu Kyi, mantendo-se em seu país, marcou resistência pacífica e firme ao regime autoritário. Um sacrifício de duas décadas na luta pelos direitos humanos, uma grande mulher, um exemplo do que realmente significa um líder, um iluminado.

"Nunca deves permitir que os teus medos te impeçam de fazer o que tu sabes estar certo."   - Suu Kyi-


O filme Além da Liberdade (The Lady), conta a história desta mulher admirável que enfrentou a distância e o sofrimento pelo amor ao seu país, através dele pude tomar conhecimento e admirar sua trajetória até os dias de hoje.  Comprei o DVD nas Lojas Americanas, recomendo.´



* * * * * * * *





15 comentários:

✿ chica disse...

Exemplos assim fazem acreditar que o mundo pode ser diferente. Aliás, BEM DIFERENTE do nosso mundinho político porco aqui!
Maravilhosa mulher! Não assisti o filme, mas parece ótimo! beijos,lindo dia ,chica

Maria Célia disse...

Fantástico Beth, confesso minha ignorância a respeito desta mulher de garra e valor, um exemplo para o mundo.
Gostaria muito de ver o filme, vou procurar.
Valeu a recomendação e a informação tão preciosa.
Um beijo.

Calu B. disse...

Que maravilhoso exemplo desta valorosa cidadã birmanesa.Lembro-me da referência na época do Nobel dado á ela, mas depois a mídia a esqueceu e consequentemente nós ocidentais também.Uma vida de doação à luta pela justiça e pela liberdade de um povo jamis poderia cair no esquecimento, porém, nisto a web contribui positivamente ao permitir o reavivamento dos fatos.
Já tomei nota do filme e irei atrás tão logo possa, Betinha.São histórias como a dela que nos fazem alimentar esperanças.
Teu post é de enorme importância para todos nós, brasileiros.
Bjkas, minha amiga.
Calu

Elisa T. Campos disse...

Beth
Esta maravilhosa postagem traz uma esperança tão sonhada por todos nós.
Ante a falta de credibilidade que temos pelos nossos governantes, que líderes políticos como Aung San Suu Kyi possam um dia aparecer neste país tão sofrido.
Obrigada pela dica do filme.

Dia iluminado para você.
Bjs.

ManDrag disse...

Ainda há esperança. Terá sempre de haver esperança nos corações de bem!

Abraço!

Nina disse...

ahhhh esse filme, outro dia passei por ele e nao me deu vontade de ver, agora, bem, vou assitir ;-)
valeu Beth!

Márcia Cobar disse...

Vi o trailer do filme mas ainda não o assisti!
Retrata uma bela luta... Acho a cena dela em frente aos homens com fuzis muito forte, Betinha!
Boa dica!
Beijo e ótimo fim de semana!!!
Márcia

Anne Lieri disse...

Ah,Beth! Eu assisti esse filme! É mesmo maravilhosa a história dessa mulher e me emocionou! Lindo seu texto e seria bom ter mais politicos com essa ideologia! bjs,

Marli Soares Borges disse...

Beth, eu só vi o trailer desse filme. Fiquei com vontade de assistir, mas acabei me esquecendo, aff. Mas pelo que vc conta é um exemplo maravilhoso, uma mulher de garra, uma líder verdadeira. Lendo seu post, lembrei da época do Nobel, e agora consegui ligar os pontos. Bota vida nisso, hein Beth, doação, despreendimento e objetividade. Exemplos de vida para que as novas gerações busquem inspiração.
Bjsssssss, amei o post.

ONG ALERTA disse...

Seria um ideal...mas se doar é acreditar em algo!
Hoje os políticos acreditam no dinheiro...
Um belo filme, beijo Lisette,

Cristina Pavani disse...

Oi, Alfazema!
Belíssima história de uma mulher forte... acredito que a mudança política esteja mesmo em nossas mãos!
O protagonismo feminino cresce a olhos vistos, trazendo-nos empoderamento para melhorar a sociedade, ainda centrada no poder (e no prazer) masculino.


Beijitos.

Silvana Haddad disse...

Beth:
Isso sim é um belo exemplo de liderança, de devoção e luta por um ideal.
Hoje estou passando pra agradecer seu voto no meu blog.
Se tiver curiosidade em conferir o post de agradecimento que eu publiquei, acesse esse link:
http://www.meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/2013/11/o-desconhecido-te-aguarda.html
Bjs.:
Sil

ML disse...

Aqui, eu já nem queria alguém tão altruísta, Beth, bastava ser, simplesmente, minimamente honesto.

bjnhsssssssssssssss

Silvana Haddad disse...

Beth:
Agradeço sua participação na sinopse semanal.
E aproveito pra te desejar um linda e radiante semana.
Bjs.:
Sil

Lúcia Soares disse...

Sem dúvida, um filme que quero ver.
Beijo, Beth.