.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Ai Weiwei - e nosso momento atual.

Sementes de Girassol
-Pinterest-

Exposição de cem milhões de peças em porcelana pintadas a mão, imitando sementes de girassol no Tate Modern - Londres

-Ai Weiwei-

Em outubro de 2010 o artista chinês Ai Weiwei instalou e expôs cem milhões de sementes de girassol feitas em porcelana no Turbine Hall do Tate Modern em Londres. Estas milhares de sementes foram pintadas durante dois anos, por 1600 trabalhadores em Jingdezhen, lugar famoso pela sua produção de porcelana que remonta uma antiga dinastia chinesa.

Eu descobri este incrível artista e ativista através de um documentário pela tv a cabo, enfatizando sua performance artística carregada de referências políticas, econômicas e sociais. Weiwei, bravamente resiste, mostrando ao mundo, as questões de produção em massa, o trabalho explorador sobre seu povo, o barato 'made in China" das exportações globais, a fome no mundo, a total falta de individualidade num universo superpovoado como a sociedade chinesa e os riscos à saúde surgidos nos produtos alimentares.

Nada parece ser o que parece. Estas milhares de peças representam a imensidão de variáveis do povo chinês, mesmo sendo tão semelhantes. O artista usou das sementes de girassol porque elas significam muito para ele e para outros milhões de chineses: "Na China, quando eu era uma criança, não tínhamos nada, exceto talvez uma cama, um forno, um banco ou uma cadeira. Tudo aquilo que se vê hoje, não tínhamos. [...] Mas mesmo os mais pobres tinham um tesouro que eram as sementes de girassol", conta ele numa entrevista.

Ai Weiwei é também arquiteto e uma de suas belas obras é o Estádio Nacional de Pequim, obra conhecida por Ninho de Pássaro que vimos nas Olimpíadas de 2008.

Este incrível artista tem sido perseguido pelo governo chinês e passou mais de três meses sumido, interrogado dia e noite pelas autoridades de seu país,  e quando retornou, pela força de protestos no mundo todo, foi obrigado a se calar e pagar uma multa absurda em milhões de dólares, mas centenas de pessoas ao redor do globo o ajudaram a saldar esta dívida e, mesmo estando em liberdade condicional, escreveu em seu Twitter em 2009: "Se uma pessoa não tem liberdade, então eu não tenho liberdade; se uma pessoa é humilhada, então eu sou humilhado. Se uma pessoa é ferida, então eu sou ferido. Ouviram e compreenderam?".

Não são suas belas e reconhecidas obras que incomodam o governo comunista chinês, e sim sua postura em declarações públicas através do Twitter e redes de comunicação, cada vez mais ouvidas nas mídias do ocidente, onde declara abertamente culpa ao governo chinês, como por exemplo quando do terremoto na província de Sichuan em que lançou uma investigação sobre as condições que levaram à morte mais de cinco mil crianças soterradas sob as suas escolas, a má qualidade de construção das mesmas e a corrupção que está por trás de tudo naquele país. Ele soube usar tais redes sociais como plataformas na luta para a democracia e liberdade de expressão em seu país, e é hoje considerado o artista mais poderoso desta geração, reconhecido pelas revistas News Week e Art Review.

Nos dias atuais em que vemos o Brasil erguendo vozes jovens, através da mídia e pelas ruas, pedindo pela ética e punição à corrupção que nos assola, o exemplo de Ai Weiwei com a exposição das sementes de girassol, a Sunflower Seeds, nos impulsiona a refletirmos e não nos impressionarmos com números. Que olhemos melhor e percebamos que cada um de nós é único, mas que se unirmos forças num só ideal, seremos fortes e capazes de grandes feitos.


“Desde muito pequeno eu comecei a perceber que um indivíduo precisa ser um exemplo para a sociedade. Nossos próprios atos e comportamentos vão dizer ao mundo quem somos, ao mesmo tempo em que pensamos em que tipo de sociedade deveríamos estar”.

-Ai Weiwei- artista e ativista chinês 



**********



Leia mais sobre Ai Weiwei aqui.










21 comentários:

✿ chica disse...

Lindo trabalho dele, belas reflexões nos remete! Gostei muito de ler e ver! beijos,chica

Ivone disse...

Linda postagem nos incentivando a olhar os bons exemplos dos que não se intimidam diante da opressão!
Abraços Beth, tenhas um lindo começo de semana!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

É um grande artista, que ta aí se mexendo pra fazer alguma coisa mudar na China. é exemplo para os nossos artistas, q simplesmente já não tem engajamento com mais nada, a não ser com eles mesmos e os bolsos.

é preciso coragem pra alguma coisa mudar né Mae Gaia?
bjs e boa semana

Léia Silva disse...

Querida Beth
Não conhecia esse artista e encantei-me com o seu talento e principalmente pela sua humildade e sabedoria!
Um grande abraço e tenha uma linda semana.
Léia

Priscila Ferreira disse...

Adorei o post, que artista hein?!
adorei as sementes de girassol!
beijos :)

Felisberto Junior disse...

Olá!Boa tarde
Beth
Ai Weiwei ...minha família, que está no Japão, me enviou e tive a oportunidade de ouvir seu primeiro single, uma canção, em que critica o governo da China e denuncia abusos de poder por parte do Estado no país.Penso que, ele é, realmente, o provocador contraponto ao discurso oficial do Partido Comunista.É necessário sempre que tenhamos a
capacidade de se conscientizar sobre a exploração e a alienação da qual somos vítimas.Por conta disso ou melhor ainda, por aqueles que não querem enxergar, ou, aceitam sem discutir a vida lamentável que é planificada. A renúncia e a resignação são a fonte da desgraça...de qualquer sociedade que queira ser justa e democrática.
Obrigado pelo carino da visita
Bela semana
Beijos

Calu disse...

Suprema e exemplar comparação, Betinha.Quando as artes se fazem arautas das injustiças, dos descalabros sociais amplificam as vozes que ecoam nas ruas elevando-as para aqueles que fazem ouvidos moucos.
Um artista aguerrido e engajado faz a diferença em seu meio e em sua sociedade, assim como nas demais.
Prestigiosa informação/reflexão.Bravo!
Bjkas,
Calu

ONG ALERTA disse...

Que maravilha....
Beijo Lisette

Maria Célia disse...

Oi Betty
Que sementes lindas, assim como a postura do Ai Weiwei, lutando pelas injustiças e opressão do seu povo.
Muito bacana.
beijo.

Pequeno Príncipe disse...

Olá Beth,muito boa sua postagem!
Fiquei feliz super com o seu comentário. Venha sempre que quiser!
Um abraço com carinho.
Pedro

Paulo/Expresso Moda disse...

Interessante esse trabalho!Belo post!


bjs,Beth e obrigado pela visita!
Uma ótima semana!

Lúcia Soares disse...

Não conhecia o artista, Beth. Gostei muito do que ele representa, do que é. Tomara que sua voz seja ouvida pelo mundo afora, onde precisamos tanto de pessoas que se posicionem contra um sistema arcaico e injusto. Não é só no Brasil que se sofre, já sabemos.
Vou ler mais sobre ele.
Beijo!

SANDRA disse...

Beth Querida,

Obrigada pelo carinho que sempre deixas lá no meu blog.
Tu és uma Queridaaaaaaaaaaa!

Este ano eu e minha filha faremos um repeteco do ano passado, iremos passar 10 dias no Rio no final do Ano.
Até lá a gente combina de como fazer para nos encontrarmos!

Bjsssssssssss

Márcia Cobar disse...

Oi Betinha!
Obrigada por compartilhar conosco a luta, a história e a arte do Ai Weiwei!
Assisti ao vídeo, ele é um belíssimo transgressor cuja voz ecoa no mundo inteiro. Admiro pessoas assim, que batalham com inteligência e sensibilidade.
Adorei conhecer mais do artista.
Bjos
Márcia

Bombom disse...

Excelente post, excelente tema. Não conhecia Ai Weiwei, mas agradeço-te muito por o teres trazido ao nosso conhecimento. Ele será um "farol" a iluminar os passos de todos aqueles que lutam contra a injustiça, a opressão, a corrupção...que grassam neste mundo "cão".
Que as suas palavras e acção nos incentivem a tomar as atitudes certas e a estar atentos ao que se passa à nossa volta.
Obrigada pela tua visita e pelas tuas doces palavras. Um abraço da Bombom

Clara Lúcia disse...

Não o conhecia.
Não deve ter tido uma vida fácil, mas não abriu mão de uma arma poderosa, que é sua fala, sua opinião e seu maravilhoso trabalho.

Obrigada, Beth, pelo belo post!

Beijos

Marli Borges disse...

Grande artista, engajado, tentando fazer alguma coisa, tentando mudar, acabar com as injustiças sociais. Lamentável que por aqui esses ventos não soprem e nossos artistas continuem plantados no individualismo, só pensando em encher seus próprios bolsos de dinheiro. Nada mudará se quem pode fazer alguma coisa, simplesmente não sai do lugar. Um beijo Beth, lindo post.

✿ chica disse...

Beth, vim responder: É agora, ele está lá! Estavam em Angra, uma semana de chuva e frio. Aí a Neca resolveu ficar no Rio mais uma semana e estão lá!) Com sol e tudo beo!rs beijos,chica

Luma Rosa disse...

Oi, Beth!!
Tinha lido sobre a exposição e fiquei impressionada com a disposição em pintar tantas peças para exemplificar o pensamento. Um pensamento concreto incomoda muito mais, do que aquele que "evapora".
Parece que agora proibiram a interação do público, por causa do pó que solta da porcelana e as sementes serão vendidas em pequenos pacotes, assim as pessoas poderão ter um contato imediato e a ideia pelo tato, de como é deslocar por um terreno cinza, sem colocar a saúde em risco.
Uma pessoa como Ai Weiwei incomoda demais e faz despertar muitas mentes!!
Beijus,

Toninho disse...

Otima partilha Beth tenho lido sobre este senhor resistencia e voce o coloca aqui com muita generosidade e pesquisa.
Assim é a blogosfera e que exemplo assim seja elemento estimulador para o exercicio de cidadania.
Linda postagem.
Abraços.

Dani dutch disse...

Agradeço por dividir conosco sobre ele, pois também não o conhecia.
Tiro o chapéu pelo trabalho que ele faz.
Bjuss