.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 17 de março de 2013

Ativando, criando e exercitanto o cérebro


 (Don Hammond/Design Pics/)


Nos últimos tempos, talvez pelo fato de ver minha mãe envelhecendo e pensar quase todos os dias sobre o medo em perdê-la, obrigo-me a olhar para mim mesma, com um olhar atento sobre coisas que nunca me importei tanto.
Me pego lendo artigos ou comentários a respeito de como aproveitar melhor, saber utilizar e ativar este orgão tão complexo que é nosso cérebro.

Já li coisas do tipo:  Exercícios físicos, mudanças de rotina como - aprender um novo idioma, fazer palavras cruzadas, viajar, ler, estudar, escrever com a mão esquerda, tomar banho ou caminhar pela casa às escuras, jardinagem, observar a natureza, aprender música ou qualquer forma de arte.  Tudo isso ajuda em muito na ativação dos nossos neurônios e a envelhecermos mais tardiamente.

E nessas reflexões, volta e meia mudo uma coisa de lugar, como por exemplo,  a lixeira ao lado da mesa do computador e aí fico por alguns dias tentando colocar o lixo no lado em que sempre esteve aquele objeto e que eu estava acostumada, mas depois, meu cérebro aprende e aí, percebo que forcei-o a isso e que no final das contas foi um ótimo exercício para minha memória, como se meu cérebro fizesse uma ginástica apropriada.

Conservar nossa memória é um exercício e tanto, mas precisamos esforçar-nos, por isso quando quero falar o nome de um filme ou de uma atriz e não me recordo no exato momento, não me dou por vencida e fico pensando naquilo, rebuscando lá nos confins do cérebro até chegar no arquivo guardado e fechado à sete chaves.  Sou daquelas teimosas neste sentido!

Num desses artigos que li há pouco tempo, o autor lançava desafios para que as pessoas descobrissem  novas e interessantes atividades com aquelas características e que possam também dar prazer. 

Descobri também que  exercitar o bom humor e rir na companhia de bons amigos, coisa que adoro fazer,  é um excelente indicativo de que estamos bem e com muita saúde mental.


Deixo aqui a pergunta aos amigos; Quais são as suas descobertas neste sentido?

Uma semana de muitos sorrisos para todos!


"Esta é a verdade: a vida começa
quando a gente compreende que 
ela não dura muito."
(Millôr)


(Este post foi escrito em 5/março/2010 e se quiserem ver alguns comentários, cliquem aqui)




17 comentários:

Calu disse...

Pois, somos duas, amiga, a termos atenção para a ginástica cerebral.Também venho já há algum tempo lendo e me informando sobre o assunto, mas não só, busco agir sobre, fazendo cursos, artesanatos, leituras clássicas e de entretenimento, enfim, cuidando pra ganhar mais "massa"nos neurônios, rsrsrsrs
Uma linda semana, Betinha.
Bjos,
Calu

William Oliveira disse...

Oi Beth!
Não sei exatamentente, mas 2010 hoje voltou a tona em minha vida...
Acredito em tudo isto... a novidade, o ritimo, agir,... mover-se. Isto tudo ajuda e mantêm bem o cérebro, o corpo, e até retardam as ruguinhas.
Sei que sorrir é o melhor remédio... mas existem fases... Asim pra fases difíceis, algumas afirmações positivas ajudam e muito do tipo: "Eu melhoro a cada dia em todos os sentidos, pois Deus está em mim e eu estou em Deus e Ele é a perfeição suprema! " Este pequeno 'fiat' pode ser repetido ao longo do dia, antes de dormir ou pela manhã. Ajuda e conserva o ar renovado nos pulmões!
Outras dicas:
Se afastrar de filmes, programas de tv, novelas, musicas que o levem a sentir tristeza, raiva, comoção exagerada. Isto especialmente em momentos em que realiza suas refeições.
Lendo estas dicas todas, percebemos o quanto a gente se afastou do modo saudável de viver.

Bejuh

Saudade de vir aqui te ler.
Ando tão relapso na net.

;)

William

Beth/Lilás disse...

Querido William!
Que prazer vê-lo de novo por aqui, você é muito sensível e suas colocações foram tão expressivas que complementaram meu post.
Tens toda razão! Afastar-se destes vícios que comentou é uma das primeiras coisas que devemos fazer para ter uma vida mais sadia e mais feliz.
Adorei tudo que disse! obrigada!
beijos cariocas
===================================

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Beth
Eu ainda não descobri o meu caminho, mas tenho um grande exemplo em casa. Minha mãe está com 89 anos, absolutamente lúcia, ativa e feliz. E incrível o seu bom humor e a disposição para viajar. Não tem empegada e faz a comida para nós todos os dias. É vaidosa e não perde uma festa, adora a casa cheia de gente, e ainda trabalha como voluntária em uma instituição espírita.
Vou ver se consigo imitá-la, acho difícil rsrsrs
Bjux

✿ chica disse...

Texto maravilhoso o teu,Beth e essas coisas nos preocupam mesmo. Também vejo minha mãe que um dia sabe tudo e cinco minutos depois, nada entende. Conversar com ela é fogo, mas temos que aceitar. Fazer o melhor pra fazer de seus últomos anos , pelo menos com carinho...

Aqui, procuro exercitar escrevendo bastante, palavras cruzadas e tem um site tri legal , com um joguinho que adoro e sempre que dá, apareço> O jogo é o LETROCA. Temos que formar o máximo de palavras com as letras dadas. Muito legal!

Experimenta! beijos,chica, linda semana

Pitanga Doce disse...

Beth, há muito tempo que venho "exercitando" sentimentos, que ajudam a exercitar o cérebro. Prestar atenção em pequenas coisas, em como elas são feitas, olhar para fora da janela do carro e não deixar passar batida a queda da flor que, ontem, estava lá e sobre tudo escrever, escrever, escrever... e por incrível que pareça, falar sozinha. É. Eu penso alto quando estou sozinha. Ouço a minha voz e vejo como as palavras soam. Esquisito, não é? Mas dá certo.

beijos e boa semana com chuvinha maneira.

Não esqueci do teu mail. Escrevo quando voltar da fisio.

Isabel disse...

Beth,

depois que o meu pai foi diagnosticado com Alzheimer comecei a pensar bastante sobre isso e a ler sobre o assunto. Estou motivada para tentar manter o meu cérebro saudável e activo por muito tempo :)Para além de todos esses exercícios que você falou também temos que ter em atenção a alimentação. Cortar o açúcar pq aúcar em excesso faz mal ao cérebro e comer regularmente aqueles alimentos que activam o cérebro como nozes, amêndoas, bagas, etc.
Bjs

William Oliveira disse...

:))))))))))))))))))))))!

Teresinha disse...

Olá Beth,
Vou pensar em mudar as coisas de lugar para exercitar meu cérebro. Faço palavras cruzadas.
Precisamos nos preocupar, pois a idade vai chegando e as coisas vão se complicando.
Hoje mesmo falei isso na academia...Já não basta a velhice??? Pra que outras complicações, né?
Beijos mil

pensandoemfamilia disse...

Oi Beth querida
Estou estudando neuroanatomia e estou impressionada com o nosso cérebo, a perfeição do fluxo dos neurônios e uma das coisas que eu não sabia que sem água e glicose eles não sobrevivem.
Temos que nos preocupar com as gináticas do cérebro e principalmente o que ingerimos, pois se as substãncias ingeridas forem recnhecidas vão sendo usadas em nossas funções.
bjs

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida amiga Beth
Desde os 50 (há pertinho de 10 anos atrás) vim trabalhando a Melhor Idade dentro de mim convivendo com eles (em diversos grupos) e na hora que meu papai amado mais precisou fui eu a estar do ladinho dele e aprendendo com ele... nunca trocou meu nome (foram só 3 qua não se esqueceu) apesar de ter tido Alzeimer (discreto e sem agressividade)...
Caminhou comigo até pertinho de partir... de braço dado, arrastando-o quase mas não deixei-o parado de todo..
Ler, escrever, passear, cuidar, rir muito de mim também e dos outros... das coisas e das situações (depois de chorar até)... fazer caminhada, e tudo que tenho direito por aqui onde moro(o físico vai direto pro mental - para mim, funciona assim)...
Leio a vida também... diariamente quando oro e medito... contemplo muito tudo o que vivi e tiro uma bela lição: se as pessoas pensaram mais em si mesma, eu vou pensar mais nos irmãos necessitados porque eles me ajudam a não endurecer e a envelhecer o coração (que é pior do que ao corpo)...
Fazer a Universidade da Terceira Idade é um desejo ainda (moro distante da capital)...
Bjm de paz e bem

Lúcia Soares disse...

Beth, leio muito sobre o envelhecimento, mas pratico pouco. O que gosto é o básico: ler, escrever, palavras cruzadas, sudoku, alimentação o mais saudável possível.
Preciso movimentar mais o corpo, só essa vontade ainda não me veio!
Beijo!

Léia Silva disse...

Querida Beth
Também procuro fazer esses pequenos exercícios!
Sempre gostei de fazer palavras cruzadas, mas desde que vim morar na Itália não fiz mais, pois não consigo fazer aquela italiana!
Mês passado descobri o Sudoku (palavra cruzada com números) e estou adorando. Nas primeiras me senti bem "burrinha", pois achava algo quase impossível, após uma semana estava no nível intermediário:)
Exercitar sempre!
Muito obrigada pelas dicas lá no blog. Graças a Deus já estou bem melhor!
Um grande e forte abraço
Léia

Priscila Ferreira disse...

Adorei o post, rir com vc é mesmo bem divertido!
Acho que viajar é meu melhor ponto,rs

beijos e saudades

She disse...

Minha querida, eu amei o seu post! Sabe, perdi os meus avós paternos para o Alzheimer e é uma doença muito triste porque leva a dignidade de uma pessoa. Agora estou vendo os meus avós maternos aos poucos se destruindo com o reflexo de uma idade muito avançada e a esclerose cada vez mais acentuada... acho triste também... só que ao mesmo tempo que é triste vê-los partir parece que a vida nos dá um sacode e exige que cuidemos de nós... daqui a pouco verei os meus pais entrando também em dificuldades e limitações da idade e mais uma vez será a vida gritando para que eu me cuide cada vez mais... ;)
Beijo, beijo
She

Somnia Carvalho disse...

Amiga, que post lindo! e senti uma pena de ter tido uma vida no qual não tenho colocado visitar os blogs amigos nas tarefas diarias... fui deixando ter tempo, deixando e ai acabamos nas coisas simplistas como facebook...

olha só, este tema e lindo, mas dolorido demais pra mim..

Minha avo tem alzheimer e, segundo a historinha que conto pra mim mesma, eu, minha mae a gente e muuuuito desligada, muito ruim de memoria...

Nos ultimos tempos, anos, eu tenho me preocupado com isso, mas ja fui tambem ao medico. Ela me pediu cem exames pra fazer porque eu cismei que estou cada dia pior.

O que descobri com pesquisas e que se diagnosticado cedo é possivel começar com os remedios e retardar os efeitos... mas eu nao sou otimista. Lembro que para saber do assunto vi o filme Iris, mas fiquei arrasada porque e uma historia veridica de uma suuuper intelectual, professora, cheia de vida e alegria que teve um diagnostico suuuper precoce. Claro que a historia se passa ha alguns anos entao pode ter havido algum avanco na medicina, mas nao tanto pelo que eu saiba...

eu esqueço do assunto, ai tem dias que me lembro e vem aquele medo de acontecer comigo.

Ah! dizem que o filme Amor e de matar sobre o mesmo tema! mas eu... eu nao vou ver nao!

beijos!

ML disse...

Joy de vivre, certamente ajuda muito!
E nisso a gente pode incluir até palavras cruzadas.
Não se deixar vencer pelas "intempéries" da vida ; > )
E rezar para, se perdermos a tal da Razão, não perceber ; > )))

bjnhssssssssssssssssssss