.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 3 de junho de 2012

A vida merece que a gente tenha tempo para ela


Nós sabemos disso, muitos de nós praticam estes atos ainda, graças a Deus, mas na correria dos dias vemos tantas pessoas sem estes cuidados, sem esta atenção para com seus semelhantes ou pela natureza, um desmerecimento total pela vida.
Seria tão maravilhoso se esta claridade que Lya Luft propõe, inundasse o mundo, e as observações que o autor fez abaixo em sua crônica, não mais fossem vistas e sentidas; quem sabe então a Vida seria mais elegante, mais bonita e feliz para todos?

Sempre me espanto com a pressa dos outros. Vivo na ponte aérea Rio-São Paulo. 

Quando o voo é anunciado, é o estouro da boiada. Os passageiros correm em busca dos primeiros lugares na fila. Quem tem prioridade amontoa-se na frente. Já presenciei uma senhora com um filho pequeno ser expelida para fora da área VIP por um bando de executivos de terno e gravata, certamente preferenciais por milhagem.

Quis ajudar:

– Vá para a frente. Está com criança.
Abanou a cabeça, desconsolada.

– Melhor não. Eu espero.
Certamente, atropelariam o garotinho!

Impossível entender tanta pressa no embarque. O lugar está marcado. Todo mundo vai sentar. Até para acomodar a bagagem de mão tenho problemas. Outro dia, uma senhora volumosa recusou-se a esperar enquanto eu botava a maleta lá em cima. E me amassou no corredor estreito. Quase derrubei a mala em sua cabeça.

Quando o avião aterrissa, é pior que incêndio. Todos querem sair o mais rápido possível. Se estou no corredor, o passageiro do meu lado levanta-se e fica curvado, à espera de que eu abra caminho.

A essas alturas, iniciou-se um empurra-empurra no corredor. Pegar minha bagagem é uma façanha. 

Desembarcar é mais fácil:
 os que estão atrás me atiram em direção à saída. E depois passam por mim correndo em direção à escada rolante. No avião, o povo já esqueceu a cortesia.
No avião, no carro, no shopping, a pressa está em todo lugar.

Gastar uns minutinhos a mais, que diferença faz?

Já aconteceu comigo e outros amigos. O veículo de trás buzina quando a gente para no sinal vermelho! Depois o motorista xinga quando ultrapassa, como se o errado fosse eu! A estrada para o Litoral Norte de São Paulo tem só uma pista de cada lado. A velocidade é bem sinalizada, considerando as curvas, subidas, descidas. Adianta? Se sigo as placas, alguém cola atrás, me atiça para correr. Dá até medo!

Diz um sábio, amigo meu:

– Trânsito é igual a capitalismo selvagem. Todo mundo quer passar por cima do outro.

Voar numa estrada perigosa para ganhar meia hora no final da viagem, qual o sentido?

Fui para a Bahia, no lançamento da minha novela Gabriela, inspirada no livro de Jorge Amado. Encontrei com outro escritor no final da tarde. Ele estava lá havia um dia.

Relatou:

– Fui ao Pelourinho, à Igreja do Carmo, à dos Negros, à exposição da casa de Benin, à Fundação Casa de Jorge Amado, vi o acervo, olhei a casa da Gal Costa que agora vendeu e vai ser um hotel de charme, a do Caetano, conheci uma mãe de santo que me leu os búzios e disse que terei muito sucesso, almocei uma moqueca num restaurante típico, passeei na praia, conheci o Mercado Modelo, fui no trapiche, comi um acarajé que dizem que é o melhor daqui...

Só de ouvir, que cansaço!

Perguntei, discreto:

– Veio participar de uma gincana?

Já viajei assim, que arrependimento! Certa vez fui à Grécia com um grupo de amigos. Chegamos de noite em Santorini. Disparamos para os penhascos de manhã, observamos rapidamente os restos das construções de antigos espartanos, passamos pelas vitrines das lojas de suvenires sem tempo para entrar, voamos até as praias só para ver, sem poder mergulhar por causa da agenda, não almoçamos por falta de tempo e desmaiamos cedo nas camas para acordar às 4 da manhã e pegar um voo para Rodes, com conexão em Atenas. Repetimos a correria ilha após ilha. Comentou o amigo sábio:

– Bem, foram os gregos que inventaram a maratona... Foi uma homenagem?

Cheguei ao Brasil exausto das férias.

E os executivos? Tenho um amigo que marca dois, três almoços de negócio por dia. Come um pouco em cada um. Está tratando da úlcera. E o que é pior, com tanta pressa, dá para resolver alguma coisa?

Já vi um sujeito se comportando como um boi furioso simplesmente porque uma senhora andava devagar a sua frente, no corredor do shopping. Esbarrou nela ao ultrapassá-la rapidamente. Gastar uns minutos a mais, que diferença faz?

Todo mundo parece tão apressado que às vezes também sou compelido a resolver as coisas velozmente. Mas faço um esforço para me acalmar.

Até hoje me arrependo da pressa na Grécia. Não conheci o povo, não me dei tempo para simplesmente desfrutar a viagem. Melhor seria ter ido para menos lugares. Quando vejo esses roteiros turísticos prometendo a Europa em 20 dias, dá uma preguiça!

Nada é tão urgente que não possa esperar mais um pouco, penso eu.

Ceder passagem a alguém, segurar a porta do elevador... Pequenas gentilezas criam um astral melhor, fazem com que a gente troque sorrisos. O maior beneficiado sou eu mesmo. A vida merece que a gente tenha tempo para ela.

WALCYR CARRASCO
é jornalista, autor de livros, peças teatrais e novelas de televisão  






21 comentários:

Luciana disse...

Não podia deixar de concordar TOTALMENTE com Walcyr Carrasco, tambem observo sempre essa pressa, mas não me deixo contaminar.
Não sei quantas vezes ouvi amigas contar sobre viagens como essas que ele narrou, uma correria, tem que ver tudo, mas na verdade não se ver nada, não se curte nada, a viagem na verdade eh um desperdicio, mas acredito que nos dias atuais, pra muita gente, o importante eh ir a um lugar, fazer uma foto e correr pra postar nas redes sociais, pra marcar: Olha, estive aqui, sou chique, sou viajada, to podendo, to feliz. Mas na verdade mal estar vivendo.
Ainda me reservo ao direito de curtir, curtir intensamente um lugar, pra mim mesma, sem pressa.


Eh tudo uma loucura hoje em dia, um texto como esse, tão interessante, nem sempre eh lido por quem passa aqui, não na integra, as pessoas não querem mais consumir com demora, se o texto tiver cinco linhas beleza, uma lida rapida, afinal ja querem passar pra ler o que vem depois, deixa um comentario rapidinho pois afinal tem que marcar presenca, e assim vai. Ontem eu estava pensando sobre isso, sobre essa pressa que se instalou no mundo.

Beijo e um otimo domingo.
Vou votar sim.

✿ chica disse...

Maravilhoso, verdadeiro texto.Pra que tanta correria e pressa/Para no fim da vida parar?rs beijos,chica

Bia Jubiart disse...

Bom dia Beth!

Walcyr tem razão! O que se ganha com a pressa? Excelente texto para se refletir no domingo... Aqui batendo uma brisa fresca, maridão dando atenção para o filhote, euzinha na oficina dando a atenção que não dei na semana p/ os amigos, depois vamos sentar na frente da loja (está aberta), tomar uma cervejinha básica e sorrir para quem chega ou passa com pressa...

Tenha um domingo maravilhoso!

Beijoooooooooo

Calu disse...

Infelizmente , toda esta pressa louca tem acometido a todos em variadas situações e como citou o Walcir, até nos momentos que deveriam ser de desfrute, calma, apreciação, as pessoas se envolvem numa corrida contra o tempo, desenfreada e desprovida de lógica.No trânsito é esta insanidade que nós vemos a todo instante, né Betinha?
Haja aceleração!E pra quê?
Uns minutos a mais podem fazer diferença quando se trata de salvar vidas, mas na maioria dos casos, trata-se de "perder" vidas.
O lindo cartão com a mensagem está perfeito no contexto reflexivo.
Adorei!
Um claro e calmo domingo, amiga.
Bjos,
Calu

Lúcia Soares disse...

Concordo com o Walcir, a gente vê isso tudo, o tempo todo. É geral. Acho que ni fundo, no fundo, as pessoas estão é mal educadas.
O comentário da Luciana foi ótimo, o da Chica resumiu tudo: "Pra que tanta correria e pressa/Para no fim da vida parar?rs".
Beijo, boa semana!

Toninhobira disse...

Em primeiro lugar grato pelo envio do excelente e estimulante video, de que a humanidade tem cura,adorei e curti. Mas esta pressa para no final não dar em nada Beth é uma cosntante na vida de todos nós, é preciso policiamento mesmo para não embarcar nesta nave.O que se relata é visto por todos nós nos ambientes citados ilustrados.O que mais me irrita é buzina pois ela é erroneamente usada.Lembro que em viagem para a ALemanha, o que mais me chamou a atenção foi a ausencia deste som em momentos que aqui seria uma orquestra.Belo texto e que saibamos frear nossa pressa tola.
Meu abraço mineiro de flor a voce com minha admiração.
Claro que li e votei e ri muito.
Bjo de luz no seu coração.
Uma linda semana de paz e alegria na familia.

Maria Célia disse...

Ei Beth
O texto é muto bacana, e é um retrato fiel do mundo e das pessoas de hoje.
Nunca vi correria mais desenfreada do ser humano.
Pra ganhar alguns minutos ou mesmo segundos no trânsito, a pessoa arrisca a própria vida e a dos outros.
Coisa de doido.
Beijo.

Márcia Cobar disse...

Belo texto Beth, obrigada por compartilhar. Eu me vi em várias situações descritas. Há dias em que simplesmente estamos menos tolerantes, menos gentis e indispostos a cooperar com um mundo mais amoroso.
Mas precisamos ir contra essa maré de pressa e incompreensão. Afinal de contas, devemos ser a mudança que queremos ver no mundo.
Beijos querida
Márcia

jose claudio disse...

Oi, Beth! A melhor tirada que ilustra isso é assim: dizem que os paulistanos vão para o litoral nos fins de semana para "desestressarem-se". Chega à tardinha vão a uma pizzaria e fazem seus pedidos. Vinte minutos depois já começam a gritar com os garçons: Ô mano, não vai sair essa pizza, não? Se fosse lá em São Paulo, já teria vindo há muito tempo.

Acho que não vão desestressar. Vão é levar o estresse deles para transmitir para os outros.

Usei o exemplo de SP porque a piada é assim, mas isso acontece com todo mundo em todos os lugares.

A loucura humana não tem cura, eu acho.

Um calmo abraço e uma semana tranquila. Paz e bem.

Dulce disse...

E quanto mais avançamos pela vida, mais entendemos a preciosidade dessa afirmativa, Beth.
E que texto primoroso, não?

Beijos e um bom dia

Regina Rozenbaum disse...

Ah que crônica perfeita! Outro dia parei o trânsito (não pelos meus dotes físicos, que fique claro rsrs). Conto-lhe: o sinal estava fechado quando um segundo depois que abriu ouço uma buzina estridente. Num guentei Betita... Puxei o freio de mão, desci do carro, bati na janela da "apressada" e simplesmente doei-lhe um BOOOOMMM DIIIIA FLOR DO DIA! O resto do povo ficou olhando quietinho messsmo rsrs (será que pensavam que iria ter um assassinato ou um BARRACÃO?)Entrei no carro e arranquei e o sinal continuava verde! "Nada é tão urgente que não possa esperar uns segundos" né mesmo?!
Beijuuss n.a.

Menina no Sotão disse...

Eu confesso que nunca entendi porque as pessoas tem pressa. Nunca chegam a lugar algum. Isso sem dizer que na maioria das vezes nem mesmo saem do lugar...
Eu sempre deixo o outro passar. Sempre deixo o outro ir na frente. E não me arrependo... Isso me lembrou um texto de Rubem Alves que eu li na noite de ontem. rs

bacio e boa semana pra ti

casa de fifia disse...

olá beth
infelizmente
as vezes não dependem de nós.
até queremos parar e apreciar a passagem,ou conversar com as pessoas,mas o relógio è cruel,
nem sempre deixa o tempo para as relações humanas.

baci

Valéria disse...

Oi Beth!
A vida tem sido mesmo uma assustadora correria. Digo assim porque me vejo algumas vezes presa nestas ciladas. rss
Tem dia que estou suuuuper tranquila, fico um dia numa fila, mas há outros que saio em disparada a resolver tudo. Sou meio bipolar.rsss
Mas esta crônica está perfeita, precisamos dar valor ao que vivemos, com calma para desfrutar e dar valor a todos os momentos.
Beijinhos e uma linda semana!

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
concordo plenamente com o texto e procuro sempre VIVER plenamente o momento mesmo quando tudo pode estar dando errado, pois o que sobra como lembrança sempre são os momentos bons, principalmente quando envolve outro ser humano.
bjs
jussara

Nina disse...

Ai que perfeito! Bom de ler. É mesmo impressionante como a gente tá hj em dia, ou sei la, como sempre estivemos. De fato, aviao e aeroporto é lugar perfeito pra se ver coisas extraodinárias. É um laboratório... a gente tá cada dia mais indelicado com a desculpa de falta de tempo, nao é Beth?
Onde vamos parar?

Wilqui Dias disse...

A vid realemnte merece mais tempo, em todos os sentidos Beth, o que mais me doe nao é o tempo que nao temos mais pra fazer o que gostamos, mas sim ra amar aquilo que temos pressa em ter ou ser, confuso!!
Meu amor obg pelo carinho, e claro pelo TEMPO que vc dedica a mim viu!!
Um grande abraco de primavera. bjs

Teresinha Ferreira disse...

Beth, fiquei aqui rindo. Só quem pode fazer isso (e olhe lá), são pessoas que tem fobia e querem sair correndo do avião e tocar o chão.kkkkkkk.
Infelizmente, vivemos numa correria só. Algumas pessoas atropelam umas as outras para recuperar tão poucos minutos, né?
Beijos mil

pensandoemfamilia disse...

Muito real, infelizmente é assim que se vive. Tanta pressa que a vida se vai e nã atentga-se para o que é mais belo, o entorno.
bjs

Renata Lopes Costa disse...

Oi Beth...que saudades de ti!

Ando um pouco sumida, pois meu tempo anda bem corrido, Sabe como é com duas crianças em casa...tempo livre da mamãe é quase zero! Hehehe...

Bela reflexão...me policio para não deixar passar pequenos momentos sem que dê seu devido valor, sem que aprecie a paisagem! Há uns dias atrás, quando a casa silenciou, fui até o lado de fora e me deparei com a lua linda entre os galhos de uma árvore. Só pude agradecer à Deus! Aquilo alimentou minha alma.

Acho que o mundo não tem mais volta, as pessoas só pensam em ganhar, ter, conquistar coisas materiais e esquecem de desfreiar para olhar para o próximo e fazer algo por eles e por si próprios.

Beijos com saudades e carinho!

Misturação - Ana Karla disse...

Perfeito o texto Beth.
Só de pensar na correria dos outros, eu também fico cansada.
Por isso que digo sempre que sou uma mulher de tempo, pois eu tenho tempo para tudo.
Não gosto quando alguém diz: "não fui por que não tive tempo"
Tempo é algo precioso e que todos podem administrar muito bem.
Sem correrias.

Quanto ao trânsito, digo sempre que é um jogo de vídeo game, cheio de obstáculos, mas o game over é fatal.

Adorei o post amiga.

Xerossss