.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 13 de maio de 2012

Família - À Moda da Casa"




Já ouvi dizer tantas vezes por aí  que a família está falida, assim como o casamento é hoje uma instituição fadada ao fracasso.  Mas, não concordo com isso, pois também vejo muitos casamentos que deram certo e famílias que mantêm os elos básicos unidos, reforçando a certeza de que no futuro a família sairá vitoriosa, mesmo com todas as crises inevitáveis.  Crises podem também ser um tempo de oportunidades para um maior fortalecimento nas relações.


Noutro dia ouvi um homem religioso dissertando sobre a família e achei super válidas suas palavras quando disse que:  'quem faliu, na verdade, foram as pessoas que a compõem',  já que falidos estão o respeito mútuo, a capacidade de perdoar, as pontes de comunicação, a fidelidade entre os cônjuges e a habilidade de compreender falhas uns nos outros, assim como o amadurecimento para não cometer egoísmos e individualismos que só levam à solidão.  Acredito, portanto, que podemos manter estes elos, desde que tenhamos, além de habilidade, paciência e vontade de fazer acontecer a família em todos os sentidos.

Um dos livros que já li há tempos e me cativou bastante, o qual trago alguns trechos para ilustrar este post, chama-se O Arroz de Palma de Francisco Azevedo e versa sobre a família, o envolvimento e a valorização dos sentimentos de cada um dentro desta complexa célula mater da sociedade.
Vejam que versatilidade e conclusões verdadeiras nas cenas comuns em que o escritor dedicou para exemplificar o que é viver em família:


- é preciso diálogo -


"Acredito no diálogo.  Sempre acreditei.  Mesmo no mais duro, no mais áspero, ponho a minha fé.  Na busca sincera do entendimento ou do convencimento, admiro as falas de cada um.. A palavra certa no momento exato, o xeque-mate.  Ou o discurso equivocado, mas cheio de verdadeira paixão.  O falar pausado ou o desmedir a voz.  O adicionar o choro, o recorrer ao berro.  O calar súbito que surpreende e o recomeçar no tom baixo que desarma.  Reconheço até que o chutar o balde faz parte do diálogo.  Permite às vezes que a conversa vá adiante.  Tudo vale quando se quer chegar ao outro honestamente..."


- família é prato difícil de preparar -


..."São muitos ingredientes.  Reunir todos é um problema - principalmente no Natal e Ano Novo.  Pouco importa a qualidade da panela, fazer uma família exige coragem, devoção e paciência.  Não é para qualquer um.  Os truques, os segredos, o imprevisível.
... Não se envergonhe se chorar. Família é prato que emociona.  E a gente chora mesmo. De alegria, de raiva ou de tristeza.
... Atenção também com os pesos e as medidas. Uma pitada a mais disso ou daquilo e, pronto, é um verdadeiro desastre.  Família é prato extremamente sensível.  Tudo tem de ser muito bem pesado, muito bem medido.  Outra coisa: é preciso ter boa mão, ser profissional.  Principalmente na hora que se decide meter a colher.  Saber meter a colher é verdadeira arte.


- Tudo ilusão -


"...Não existe "família à Oswaldo Aranha", "família à Rossini", "família à Belle Meunière" ou "família ao Molho Pardo" - em que o sangue é fundamental para o preparo da iguaria.  Família é afinidade, é
"À Moda da Casa".  E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito.
Há famílias doces.  Outras, meio amargas.  Outras, apimentadíssimas.  Há também as que não têm gosto de nada - seriam assim um tipo de "Família Diet", que você suporta só para manter a linha. Seja como for, família é prato que deve ser servido sempre quente, quentíssimo.
Uma família fria é insuportável, impossível de se engolir."


"...Enfim, receita de família não se copia, se inventa.  A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia-a-dia.
Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete."

-Imagem Marco Cabalero-


E, hoje, data em que comemoramos o dia das mães, esta blogueira aqui, mãe também e cheia de erros, dúvidas de o que fazer corretamente para que tudo fique legal, bacaninha e perfeito em seu lar e
mantenha a tão querida união familiar, afirma aqui, portanto, que tudo que fez, certo ou errado, foi por amor, sempre pensando no bem estar e felicidade dos meus. Consciente cada dia que passa de que os filhos não nos pertencem, derrapando às vezes em lágrimas, achando que não foi suficientemente uma boa irmã ou filha, mas foi o melhor que pode ser ou fazer nas limitações do ser humano.  Reafirmo, então, que AMO cada um de vocês dessa minha linda e tão querida família.









* Este post é uma proposta que Norma do Blog Pensando em Família está promovendo em homenagem ao Dia Internacional das Famílias em 15 de Maio.


- Imagens de famílias variadas em todo o mundo - Corbis








34 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Oi querdia Beth

Que post rico de definições, imagense sentimentos sobre esta diversidade/semelhanças que constituem as familias.
Grata pela participação e por valorizar pontos significantes deste contexto fundamental para todos os seres humanos.
bjs

Toninhobira disse...

Otima participação Beth com belas ilustrações de gurpos que formam familias.Uma coisa voce cravou bem, a familia sobrevive de dialogo,conversa e assim haverá a cooperação para convergir numa só direção da promoção de todos.
Uma bela semana a voce e parabens pelo dia.
Meu carinhoso abraço.

Rose disse...

Que maravilha de post......

RUTE disse...

Oi Beth,
cá estamos de novo juntas numa roda de interação, desta vez sobre Familia.

Adorei a mensagem e as fotos. Achei genial o paralelo da culinária com a familia.

Familia "à moda da casa" é nota 10!!
Genial a abordagem. Familia é mesmo aquela que a gente mexe a panela pacientemente que é para não pegar, nem queimar.
Beijinhos.
Rute

Nina disse...

Tbm nao acredito que familia seja algo que faliu.. quem faliu foi uma parte podre da humanidade.

Amei mt esse texto cheio de amor que vc compos, Beth, e as fotos escolhidas,sinceramente, tao lindas que quase me levaram as lagrimas. Mt mt mt lindo!

a familia sabe desse amor todo, ela sabe.

✿ chica disse...

Parabéns,Beth! Fizeste um lindo passeio pelas diversas famílias e ao final, a conclusão maravilhosa: erramos, tentamos acertar, mas bem ou mal, vamos conseguindo manter nossa família unida. Essa união nem precisa ser física, mas existe sempre... O vínculo é o amor!


Linda tua participação! beijos,tudo de bom,chica

Misturação - Ana Karla disse...

Beth, primeiro parabéns por ser mãe e posso imaginar a grandeza de mãe que és.
Segundo parabéns por esse post sensacional que expressa tudo o que tenho pensado, principalmente o último parágrafo.
Vou enviar esse para uma pessoa muito especial em minha vida, mas já não sei o tamanho da importância que tenho pra ela, ou se tenho alguma, o se sou digna de alguma consideração.
Valeu!
Boa semana
Xeros

Yasmine Lemos disse...

Perfeito Beth, as pessoas mudaram, tudo mudou ,mas ainda vale a pena acreditar na familia.
bjs Bomd ia

Maria Célia disse...

OI Beth
Adorei sua postagem, muito bacana. Penso que família não está falida, alguns membros dela sim, são esquisitos, estranhos não dão o valor devido a elas.
Entretanto, quando as coisas vão mal, as dificuldades batem à porta, aonde elas vão procurar abrigo e proteção? Em suas famílias, que estão ali sempre prontas a ajudar, dispostas a fazer o melhor possível por aqueles desgarrados e um tanto ingratos.
Beijo e bomm dia pra você.

Heloísa disse...

Beth,
Eu também acredito na família, e no casamento, embora perceba que hoje os conceitos mudaram bastante.
Pessoas bem formadas lutarão para manter essas instituições, tão importantes para uma vida plena.
Beijo.

Regina Rozenbaum disse...

Que participação bacanérrima! Nunca compreendi muito bem pessoas que são desvinculadas...Família pra mim é tudo: pacote completo! E agradeço tooodos os dias pela minha.
Beijuuss, amada, n.a.

Anne Lieri disse...

Beth,ficou perfeita a sua participação e interessante abordagem!Sempre queremos acertar e fazer o melhor para nossa familia e, de fato,não há receita pronta,vamos vivendo e fazendo acontecer!Bjs e boa semana!

Georgia disse...

Beth querida, tudo bem?

Como foi o dia de ontem?

Espero que bem.

Uma vez fiquei chocada com o que ouvi de uma amiga, o qual freqüentávamos a casa. Ela disse: Casamento é uma instituicao falida.

Disse a ela: Nossa estou chocada. Mesmo que casamento e familia precisamos muitas das vezes engolir muita coisa até que possamos encontrar o momento certo para uma conversa, mesmo assim é a maior e melhor instituicao que Deus já fez e consagrou.
O mais chocante foi que meses depois o marido dela cometeu suicidio dentro de casa.
Imediatamente me lembrei desse comentario dela.

Viver em familia nao é facil. Requer muito jogo de cintura da mulher. Uma vez meu professor de filosofia na faculdade me disse: Para que um casamento dê certo ele depende 99% da mulher.
Hoje em dia sei bem o que ele quis dizer com isso.

BJao e uma linda semana

Renata Boechat disse...

Minha amiga, concordo plenamente com o autor quando ele diz que família é um prato difícil de preparar, até fiz um post sobre o livro algum tempo atrás...pois nunca ouvi uma definição de família mais certeira do que esta...e eu diria mais, família é um prato dificil sim, de preparar, mas é uma delicia de degustar...entre erros e acertos, a gente vai compondo esse prato, e no final, a gente torce pro banquete dar certo, que todos saiam felizes e satisfeitos, e quase sempre dá certo, depende só é de nós mesmos...não é?

Léia Silva disse...

Querida Beth
Hoje estou especialmente com saudade da nossa amiga:( Fui no seu blog, vi o vídeo que ela fala do livro... sinto uma saudade profunda. Oro todos os dias, para que ela esteja a cada dia melhor e equilibrada!

Também não concordo que a família e o casamento estão falidos!
Realmente ter paciência e vontade são armas poderosas para manter a harmonia nos lares! O respeito também é de suma importância.
Um abraço apertado.
Saudades
Bjim
Léia

Wilqui Dias disse...

Eu faço couro com os acima, que a família nao fali nao!!
Acredito que o amor familiar é o sentimento mais forte e puro que temos por outros seres humanos.
Eh muiiito bom ter uma família, ser filha de uma, ser esposa de uma, ser mae de uma deve ser magico(eu nao sou mae mas imagino).
Eh nela que aprendemos tudo que somos, no dia que a família falir a humanidade tb falirá penso eu....
Beth querida, muiiiiiiito obg pela palavras,mesmo de longe elas chegam aqui com forca total, até imagino sua voz me falando o que vc me escreveu, muito obg querida. Um grande abraco pra vc.

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Espero que o dia das Mães tenha sido cheio de alegrias e amor.
Família, nosso alicerce. Como a minha família é muito pequena e o fato de morar longe das ramificações. Assim como mãe e irmãos, fica mais fácil e gratificante os encontros que são feitos eventualmente.
Às vezes, não sabemos mesmo se fomos boas filhas ou se o nosso papel de mães tem sido 100% correto. O importante é que tentamos dar o melhor de nós mesmas para obter sucesso, não é?
Amei o post.
Beijos mil...Sexta-feira estou indo para Itaipava..Viva!!!!

Lúcia Soares disse...

Beth, lindo post. Ganhei "O arroz de Palma" no meu aniversário e acabei de lê-lo ontem. Ia falar dele no blog, minha postagem será no dia 16/05, acho que ainda vou achar frases bacanas pra colocar lá, pois o autor falou muito bem. Amei o livro. Lembro-me que já há uns 2 anos vc falou dele e fiquei curiosa na época, mas nunca o procurei para ler.
A sobrinha que me deu o livro falou que estava sem ideia do que comprar e o vendedor disse a ela para levar este, que falava de família e era muito bom.
Fui lendo e marcando com marca-texto as frases simplesmente geniais que ele fala sobre a família. E que família, heim?
Seu texto, perfeito, como sempre.
Acho que o dia que as famílias deixarem de existir, a humanidade perde o rumo.
Beijo!

Pitanga Doce disse...

BETH, fico feliz que penses assim e que continues pensando assim por muito tempo.

beijos pitangueiros

Luma Rosa disse...

Um super post!! Muito bem elaborado e certeiro! Também acho que a família não está acabando, muito pelo contrário, pessoas que vieram de lares desfeitos querem agora ter uma família sólida, pois sabem por experiência própria que separação não é uma coisa boa. Penso que agora as pessoas têm escolha e casam porque querem. Lógico que também separam porque querem. O casamento está reciclado e mais aberto, sem a desconfiança de segundas intenções como havia no passado - casamentos arranjados, sem envolvimento emocional.
Eu sei que você faz tudo com amor :) Está escrito na sua cara e no seu jeitinho de ser!
Beijus,

jose claudio disse...

O autor fez da metáfora "um porto seguro" que a família simboliza, um apanhado cheio de maravilhosas analogias com o preparo daquilo que nos alimenta o corpo e foi muito feliz. Muito bom mesmo, Beth. Abração e um ótimo dia.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

lindo post, Mãe Gaia! é verdade, é só dar o tempero certo que a tal da família fica uma delícia rs. faliu, acabou, que nada... é bobagem que esse povo inventa.

e como foi de dia das mães? foi bom né?

adorei aquela foto que vc me mandou no Facebook. eu acho que tenho mais saudades do Rio que de São Paulo, ahhaha é sério!

bom dia pra vc querida mãe Gaia!

William Oliveira disse...

Beth!
Eu também acredito na família, e sei que 'o que faliu foi as pessoas ''!
Verdade istO!'
Como é importante a familia... a familia inicial... genética, a família de amigos afins!

Beijo Grande!


William

Helena Chiarello disse...

Coisa boa ler isso, Beth!
Acho que é assim mesmo. A gente faz "das tripas coração" pra que tudo corra sempre direitinho e esse "prato à moda da casa" seja super especial e único!
Lição de viver você trouxe aqui!
Um beijo e meu carinho!

Valéria disse...

Oi Beth!
Sensacional seu post!
Estas definições são bem interessantes e muito verdadeiras. Família é mesmo muito complexa.
Beijinhos!

ML disse...

Post impecável da Mãe Gaia, a começar pelo título!

Parabéns, querida, bjnhs

PS: a família desta que vos tecla é maravilhosa - do nosso ponto de vista, é claro... ; > )

Denise disse...

Oi Beth, gostei muito do teu texto, vc abordou pelo menos duas coisas muito importantes: a oportunidade que os momentos de crise oferecem para o crescimento de todos os membros, e o diálogo. A comunicação é a alma das interações, valendo todas as formas da arte de se comunicar - e suas implicações graves quando a comunicação fica com ruídos...
Importante tb reconhecer que a família é um prato difícil de preparar, como maravilhosamente escreveu Francisco José Azevedo.
Completa a linha de pensamento que nos ofereceu para reflexão, adorei!
Bjo

Maria Luiza disse...

Nossa, Beth, eu ficaria lendo sem parar, pois você foi engendrando de uma maneira muito cativante. Adorei esse trechinho:"Não se envergonhe se chorar. Família é prato que emociona. E a gente chora mesmo de alegria, de raiva ou de tristeza." O livro que vc citou deve ser de uma ajuda incrível. Grande abraço, linda amiga! Obrigada pela sua presença na minha BCAP.Beijos!

Cláudia disse...

Beth, gostei muito de ler o seu texto. As citações são excelentes e as imagens foram "escolhidas a dedo", ilustram na perfeição.
Eu acredito na importância da família e adoro a minha, mas já na instituição casamento eu não acredito muito não. Mas isso provavelmente é por motivos pessoais (rs), mas olhando à volta, eu vejo um casamento que eu acho "exemplar" no meio de muitas dezenas de casamentos de fachada ou que se mantém por razões estranhas e que eu nunca aceitaria. Mas cada um tem as suas vivências, e não é por para mim não fazer sentido que vou pôr em causa. Mas para mim família faz muito sentido, com casamento ou sem ele.
bjs

Camille disse...

Que lindo Beth, que beleza de retrato de respeito a familiae aos seres humanos que a compoem.
Fico feliz de ver voce no blog novamente. E eu tb ja tehno um blog novo.
Meu endereço é
cameliadepedra1.blogspot.com

Deixa eu te perguntar uma coisa: seu pai é americano?
Beijos e muito carinho,
Cam

RUTE disse...

Oi Beth,
obrigada por avisar em nome da Calu.
Vocês são duas meninas muito atenciosas. Admiro muito isso.

Bom, entretanto, aproveito para te desafiar... Não quer participar na BC Amor aos Pedaços? Se quiser ainda pode publicar para a 3ªfase - Esperança. Ainda estamos aceitando entradas no fim da lista.

Amanhã teremos chamada para 4ªfase (dia de participação 15 JUNHO). Pode entrar em qualquer uma e não precisa manter o compromisso nas fases vindouras.
Beijinhos.
Rute

Orvalho do Céu disse...

Querida
A imagem do pai com os filhotinhos e a mãe me fez enternecer o coração... valeu pelo post todo muito bem elaboradinho como sempre vc faz...
Bjm de paz

Calu disse...

Betinha,
que painel maravilhoso, doce e instigante, bem à moda da casa, da tua casa,espaço de acolhimento, amor e diálogos temperados pelo bom-senso, regados á ternura, salpicados de carinho.Nesta atmosfera vicejam as relações familiares, estreitam-se os laços e confirma-se a infinitude da família.

Vc representa este laço amoroso para os teus e p/ nós que te sabemos amorosidade natural.
A analogia com o livro coube lindamente no conjunto da obra.
Uma leitura fluída e preciosa, amiga.
Bjos,
Calu

Márcia Cobar disse...

Oi Betinha!!!
Venho aqui comentar seu post com um super atraso, mas eu bem que tentei comentar do celular algumas vezes e não deu certo...
Eu simplesmente amei seu texto e a menção à instituição que mais prezo na vida: a família.
Bela coleção de fotografias e citações. Achei a "família diet" bem engraçada, e confesso que tentei achar um adjetivo para definir a minha, mas foi difícil...
Querida, que Deus abençoe sua família, você, sua Mãezinha, filho e esposo!
Beijos
Márcia