.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Em Um Mundo Melhor


-Imagem Google-
Ontem à noite assistimos um filme em DVD e gostaria de falar sobre ele com vocês, assim como aproveito para indicar-lhes algo diferente e de bom conteúdo, que se visto junto à família, poderá render conversas a respeito das várias situações ali formadas e ajudar a lidar com a complexidade das emoções humanas, como a dor, a perda, as desigualdades sociais, a miséria, a exploração e a violência, que culminam em guerras.

"É assim que as guerras começam" foi a frase que o pai utilizou para expressar ao filho sobre o bullying que vinha sofrendo na escola e a forma como ele reagiu.  O filme EM UM MUNDO MELHOR quer mostrar que a violência que se alastra com a vingança, assim como a ausência de comunicação entre as pessoas, é que propiciam o crescimento do ódio, intolerância e as guerras.

A autora norueguesa Suzanne Bier, demostra com clareza,  o tema de ausência de comunicação e da incapacidade dos pais em identificar as insatisfações de seus filhos e de se fazerem entender em suas posições sobre fatos que, na cabeça das crianças não têm sentido porque vão de encontro contra tudo aquilo ao que vêem e aprendem de violência no cotidiano da vida - através da televisão, no videogame, nas ruas ou na escola.  Mas, será que temos que fazer como o pai neste filme, em que para provar que violência gera violência, apanha de um homem na frente de seus filhos e não faz nada, gerando neles, os filhos, a vontade de vingar, de não tolerar abusos e revidar.

No filme há um paralelo interessante entre a existência no mundo de hoje,  numa África devastada pelas guerras civis, onde líderes tribais não respeitam nada e até as crianças, meninas, são esfaqueadas e violentadas pela facção de criminosos dominantes, enquanto do outro lado do mundo, depois da globalização da violência,  onde crianças sadias e loiras, num país em que não se espera jamais um ato de violência, através da arma possante da internet e da pouca relação familiar e humana, criar mentes que podem fabricar bombas e destruir também o ser humano. Seria isto um sintoma das doenças gerais da humanidade?

Bem, você poderá ver esta trama inteligente e que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro de 2011 e depois tirar suas próprias conclusões. 
De minha parte, digo-lhes que fico muito satisfeita em ver que existem pessoas como esta diretora dinamarquesa,  mostrando que a realidade global está chegando a todos os cantos do mundo e atinge até mesmo os povos desses países maravilhosos, onde tudo parece tão equidistante, mas depois da desgraça que aquele atirador norueguês levou ao seu país no ano passado e espantou o mundo, temos que ter os olhos bem abertos a todas estas questões e o filme é  um belo exemplo a mostrar como a mesma violência presente na escola européia, ganha proporções colossais em países subdesenvolvidos.





22 comentários:

Aleska disse...

Fiquei até emocionada aqui. É o tipo de coisa que acredito. uma violencia menor que seja pode se tornar uma bola de neve. Tenho um amigo que diz que o problema é de quem se magoa e não de quem fala, mas se é possivel evitar-se de falar coisas ruins aos outros, porque fazê-lo? Por que deixar alguém triste por esporte? Na vida tudo é ação e reação, embora para nós seja impossivel dizer com exatidão o que causou o que. Beijos!

Regina Rozenbaum disse...

Ainda não assisti e sua sinopse Beth, aguçou ainda mais o desejo. Obriagada pela dica!
Beijuuss n.a.

Camille disse...

Assisti esse filme, realmente é excelente. Eu ja recomendei varias vezes aos professores da escola da minha filha. Importante reflexao.
Beijos da Cam

Heloísa disse...

Beth,
Também assisti esse filme há alguns meses, e adorei.
Pena que ele não teve a divulgação que merecia.
Na época, não sei se você se lembra, eu falei sobre ele no meu blog: http://www.blogdavovohelo.blogspot.com/2011/06/cinema-triplo.html
Beijos.

Aleska disse...

Que bom que aderiu a ideia! Vou conversar com minhas parceiras de blogs pra ver o q rola.

Maria Célia disse...

Oi Beth
Que ótima sugestão você nos deu, e sua sinopse ficou ótima.
Valeu a dica.
Bjo e boa noite.

Bombom disse...

Magoa-me demais este tema da violência, do bulling,da permissão do uso de armas em muitas escolas (europeias e nos EUA), da ausência de direitos em muitas sociedades, dos fanatismos violentos sobre criaturas indefesas!....Não vi o filme, mas acho realmente importante este debate nas Escolas, com Professores, Pais e Alunos. Só o esclarecimento e a discussão destes temas pode ajudar a ultrapassar esta grave problemática. Bjs. Bombom

She disse...

Nossa que maravilha! Amei a forma que vc contou sobre o que o filme passa e a dica, parece mesmo ser ótimo mesmo! ;)
Bjbj
She

PS: Qdo puder me dê notícias... ;)

Márcia Cobar disse...

Boa dica, Bethinha! O assunto é antigo e atual, imagino que a abordagem cheia de sensibilidade da dinamarquesa fez por merecer o Oscar! Vou assistir e te dou um feedback!
Beijos
Márcia

dina vanessa mercado disse...

great blog!!! following you now...

visit my blog...!

http://voguelyvan.blogspot.com/

kisses!!!

Calu disse...

Betinha,
este tema é assunto para mais de metro.Causa indignação mas não pode ser varrido pra baixo do tapete.Tem de estar sempre em pauta para que gere consciência acerca das posturas a serem tomadas para sua não proliferação.
Anotei a dica do filme, aliás, não perco um que vc indica, pois confio em teu aguçado dom.Ficará sempre a pergunta no ar: qual caminho seguir para educar com sabedoria nossas crianças e jovens, neste mundo de podres poderes e ambição desmedida?
Daí, concluo que havemos de continuar perguntando e tentando achar as respostas, pô-las em ação e quiçá usando um pouco de poesia, como o fiz lá no Fractais(por coincidência)alinhavando esse teu oportuno post.
Bjkas,
Calu

Kinha disse...

Valeu a indicação!

✿ chica disse...

Deu vontade,Beth.Gosto muito de filmes assim.

Obrigado pelos carinhos, beijos,tudo de bom,chica

Toninhobira disse...

Bela indicação Beth, mas a violencia é globalizada,por isso nada nos assusta.As vezes fico olhando o que a Globo faz com a divulgação da violencia dos morros cariocas,como se só e somente lá estas coisas acontecem.Estamos ilhados em qualquer lugar e cidade.Basta ver a violencia nas pequenas cidades da Bahia, vitimas de roubos em bancos.

Um abração Beth.
Bju.

Celia disse...

Agora, de volta das 2 maravilhosas semanas no Brasil. Foi td mto bom. Como foram as festas do final do ano? Agora é curtir o novo ano, desejando que seja bom pra todos nos. Um abraco

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Beth
Esse mundo melhor já se inicia dentro de nós...
Hoje mesmo eu poderia sair com um saldo negativo do dia... mas pedi ao Deus Amor que me banhasse com sua Unção e saio melhor...
Levar mágoa vai atraindo outras... vamos ficando, internamente, cada vez piores...
Bjm de paz e alegria

Menina no Sotão disse...

Dica anotadíssima. Não o conhecia, mas parece ter um conteúdo interessante. Um olhar para nós através do outro. Eu não me ligo nessa coisa de Oscar, nunca sei quem ganhou o que. rs
Vou mais por indicações, como essa feita por ti. rs

Bacio carissima e que 2012 esteja caminhando bem para ti.

Ps. Dei uma sumida, meu blog está hibernando. nada de palavras por enquanto.

Georgia disse...

Bethinha, tudo bem?

Anotada a dica, vou ver por aqui.

Vc como sempre nos trazendo algo que nos acrescenta.

Obrigada


Bjao

Nina disse...

Ainda nao vi e já vou providenciar. Parece mt bom mesmo. O tema é ótimo principalmente para os pais.

Tuas dicas de filmes sao boas Beth. Outro dia vimos aqui o Midnight in Paris, que comprei por indicacao tua. Antes sabia que iria ver, mas foi tua postagem que me animou a ver logo, entao tenho o dvd aqui agora e claro que amei o filme.
Valeu!

Cucchiaio pieno disse...

Querida Beth
Irei procurar esse filme por aqui, pois fiquei curiosa!
Infelizmente as videotecas daqui estão fechando, as pessoas não querem mais pagar para alugar videos, pois "pegam" via internet!
Bjos
Léia

Jô Bibas disse...

Já tinha visto esse filme na locadora, até passei um tempinho com ele na mão pela loja. Acabei desistindo, mas agora me animei a ver!

www.arteamiaga.wordpress.com

rocosta disse...

Nossa fiquei curiosa... vou pegar o filme pra ver, obrigada pela dica.
Beijos, muitos!