.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Eu sou assim como neste soneto

-Foto Beth Q.-SP-


Soneto só pra mim

Vou assim pelas ruas: meus cabelos
libertos, esvoaçando a quatro ventos.
Não os posso prender e nem quero prendê-los
- que eles são braços de meus pensamentos!

Vou assim pelas ruas da cidade:
- gravata frouxa, alma vagando ao léu...
Tenho a cabeça erguida por vaidade:
esta vaidade de fitar o céu.

E vou sorrindo de meus próprios pensamentos!
(alma e cabelos esvoaçando aos ventos)
Eu sou o mais feliz dos infelizes.

É que, em toda a minha vida,
sempre fui como árvore florida,
que ri do sofrimento das raízes...




Ferreira Gullar
(1930)










13 comentários:

Toninhobira disse...

Beleza de Ferreira,ser assim desprendido, mas atento aos movimentos, às emoções,ainda que elas não nos modifiquem.Então que seja assim amiga.
Meu terno abraço.
Bela sexta pra voce.
Bju.

✿ chica disse...

Soneto lindo e bem escolhido mas tua foto,ARRASOU!!! beijos,chica

Celina Dutra disse...

Linda foto, maravilha de Ferreira Gullar. Fica bem, Beth!

Girassóis nos seus dias.
Beijos

Zélia Guardiano disse...

Escolha maravilhosa, minha querida Beth!
Poesia atemporal, a de Ferreira Gullar: 1930!
Fico-lhe grata por ter dividido isto comigo...
Beijos, querida!

Dulce disse...

Que imagem mais linda de um "ser"... A mais perfeita descrição de uma pessoa de alma linda.
Beijos e um bom final de semana

Orvalho do Céu disse...

Querida,
A vaidade de fitar o Céu... igual que eu...
rsrsrs...
A mais feliz das infelizes...
rsrsrs...
Vc começou o dia feliz... a mais feliz das não felizes (será???).
Bjm de paz

Lúcia Soares disse...

Ferreira Gullar toca no ponto certo:
Não os posso prender e nem quero prendê-los
- que eles são braços de meus pensamentos!
Adoro cabelos ao vento!
Bom fim de semana!

Calu disse...

Feliz de quem reconhece as imperfeições e mesmo assim as supera e alçando o olhar além fita a vida em todas as suas nuances belas.
Gullar e vc, Betinha, deram cor , imagem e forma às grandes expressões humanas: os sentimentos.
Muitos bjos,
bom fim de semana,
Calu

pensandoemfamilia disse...

Muito preciso este soneto. Bom final de semana.
bjs

William Garibaldi disse...

Vim e dar um beijo!
e encontei aqui esta arvore do paraíso!

Este poema vivo : que fala tanto de mim... e vc.. dos que amam a beleza da vida!

D "esta vaidade de fitar o céu."

Bjus de bom fim de semana.

Glorinha L de Lion disse...

Eita belezura! Somos deuses e às vezes tão humanos.... cheios de defeitos e falhas, mas que sabem ver a beleza do céu ou de um ipê florido...beijos,

Márcia Cobar disse...

Ah que poema lindo... E leve! Amei!
Bjim
Marcia

Socorro Melo disse...

Olá, Beth!

Incrível! Mexeu comigo. Lindo demais! Santa Inspiração!


Um abraço, amiga
Socorro Melo