.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Titica no, no, no!


A imagem é estranha e engraçada, mas se o cachorro pensasse como um ser humano bacana e educado, faria a mesma coisa depois que usasse o meio público para deixar seus dejetos.  Como ele não possui esta nossa inteligência, imagino que alguém um dia vá conseguir treinar o pobrezinho para isso, mas enquanto isso não acontece, o que fazer com tanto cocozinho deixado pelas vias dos bairros, praças e praias?

A cidade em que eu moro é bem semelhante à cidade de Santos.  Cheia de prédios e condomínios verticais e muita gente morando neles.  A cada esquina tem um novo mega empreendimento imobiliário e no lugar onde havia uma ou duas casas, erguem-se agora espigões com muitas famílias morando e, muitas delas, além das pessoas que as compõem, tem um cachorrinho ou cachorrão de estimação.  Portanto, não é incomum vermos pelas manhãs ou anoitecer, alguns donos passeando com seu pet a fim de que ele deixe nas ruas suas necessidades.

Noutro dia eu vi o cúmulo da atitude anti social, uma mulher com um cachorrinho branco, gracinha, peludinho, estava em frente à garagem de uma casa e aguardava-o tranquilamente fazer suas necessidades. 
Assim que ele acabou, ela pegou-o no colo, abriu um carro estacionado ali mesmo na rua, entrou, bateu a porta e foi embora.    Eu estava a pé, mas minha vontade foi correr atrás dela e dizer-lhe algumas palavrinhas simpáticas.

Bom, mas campanha para educação ou incentivo a não praticarem esta atitude, simplesmente não existem.  Não sei se na sua cidade vocês têm o mesmo problema, mas por aqui é coisa rotineira.
Nos cinco anos em que moro aqui, nunca vi nenhuma atitude da prefeitura neste sentido, aliás dizem que o prefeito daqui estava com uma doença e muito mal, mas isso foi depois que aconteceu aquela tragédia que todo mundo viu pela mídia, o tal desabamento do Morro do Bumba.  O sujeito sumiu, tomou Doril e ficou quietinho até agora, quando enfim, ressurge para candidatar-se à mesma Prefeitura desta cidade.  Coisa de um país que não é sério, ainda.  
E o povo, de qualquer classe social, só acerta o passo quando as leis são vigorosas ou mexem nos seus bolsos.

Então, haja cocô de cachorro nas ruas!  Um ou outro cidadão mais consciente, sai com seu cãozinho e leva um saquinho plástico para fazer a limpeza.

Mas, acontece que lendo agora a respeito de sustentabilidade (aqui), constatei que o cocô recolhido em sacolinhas plásticas, além de aumentar o volume de lixo urbano, libera metano, um gás de efeito estufa 23 vezes pior que o gás carbônico.

Entretanto existe uma saída, alguns designers da cidade de Cambriedge, no estado de Massachusetts (EUA), parecem ter resolvido o impasse: usar os excrementos animais para gerar energia em praças e parques.



O Park Spark Project sugere que os donos dos cachorros recolham o cocô em sacolas biodegradáveis e a joguem em um digestor de metano, instalado nesses locais públicos. A queima do metano alimentaria os postes de luz, não apenas impedindo que o gás fosse para a atmosfera, como também economizando energia vinda de outras fontes poluentes como o carvão.



Esta será uma solução maravilhosa e quem sabe poderão utilizar em várias outras cidades do mundo, principalmente estas com grandes populações urbanas como as do nosso país.

E tem também uma outra saída que o governo da cidade de Nova Taipé, no norte de Taiwan, apostou para incentivar os moradores a recolher as fezes de seus cães, que andam emporcalhando as ruas da cidade - uma barra de ouro por um pouco de titica canina.  
Isso porque, apesar das campanhas públicas de conscientização, os taiwaneses parecem resistir a adquirir esse hábito, quando saem para passear com seus bichinhos de estimação, transformando o cocô dos animais em um dos maiores problemas da cidade. Diante da situação, o governo resolveu adotar uma nova medida: a partir de 10 de agosto, quem apresentar, às equipes de limpeza do governo, as fezes do seu cachorro poderá ganhar até US$ 2.100.
Na verdade o cidadão receberá um tíquete que poderá participar de um sorteio que premiará três moradores da cidade com barras de ouro avaliadas em US$ 420, US$ 630 e US$ 2.100. O número de tíquetes por pessoa é ilimitado – ou seja, a cada passeio com o cachorro, as chances de ganhar aumentam – e o resultado do sorteio será divulgado em outubro.

Estão pensando também em lançar outra ação - recompensar os cidadãos que tirarem fotos daqueles que não limparam a sujeira dos seus animais e as enviarem às autoridades, com o endereço do local.

Estes métodos empregados servirão para gerar energia a fim de iluminar praças e parques.

E eu fico aqui pensando com meus botões - esses políticos viajam tanto para verem as novidades implementadas lá fora e o que fazem quando retornam? 











23 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Idéias ótima, será porquê não são aproveitadas???? Os interesses políticos direcionam estes aproveitamento- enfim só o que lhes é favorável, infelizmente...
bjs

✿ chica disse...

Sabem o que eles fazem???}
Aumentam a quantidade do que deveria ser transformado em energia: só fazem mais Cagadas,rsrs... beijos,chica e linda semana!

ML disse...

Os políticos viajam... a lazer, Beth!
bjnhs e ótima semana

Cacá - José Cláudio disse...

Oi, Beth! Essa situação é tão irritante e as pessoas que fazem isso são, na maioria das vezes tão arrogantes, que a vontade que dá é de ter uma matilha (pelo menos uns 10 cães), ficar vigiando-os e quando a gente notar que fizeram isso nas ruas, levar a matilha até a porta de suas casas e deixarem os dez descarregarem bastante fezes lá. rsrs. Aqui , de cada dez pessoas que você vê passeando nas ruas com os bichinhos, um ou outro recolhe as fezes. Abraços e ótima semana.

William Garibaldi disse...

Oi Beth! Amei a imagem da postagem de sabado! Lina mesmo! Que belas palavras... realmente as pessoas tem medo de poesia... ou não tem o espírito certo para ler...

Agora utilizar a caquinha dos caes pra gerar energia é genial! Sabe que pode ser possível mesmo! Muito legal!

Bjus de Boa semana!

Valéria disse...

Oi Beth!
Moro em um condonínio grande e o que mais vemos é isso, lá fora claro, porque a administraçaõ não permite nem que os animais andem no condomínio, tem que sair no braço. Fora do condomínio pe cheio de morrinhos de caquinha. Um horror! E isso que tem um cesto de lixo na entarda do condomínio!
Estas propostas são bem interessantes, mas como não vai trazer nenhum retorno para eles fica só no papel.

Beijos e uma semana de paz!

Wilma disse...

Nada mais irritante do que essas titicas pelo caminho, essas pessoas são totalmente sem noção, sem respeito ao próximo. Essa idéia dos gases,nos EUA, ser for mesmo verídico muito interessante. Uma ótima semana.

Luciana disse...

Beth, eu não sabia nada desses detalhes sobre o cocô dos cachorros e muito menos desses métodos para reaproveitar, menina, isso é complicado, pense que aqui o povo também leva os totós pras ruas e deixam o cocozão lá jogado, como eu já mostrei em fotos lá no blog antigo, um nojo. Em Natal eu ficava doida pois tinha um nojentos que deixavam o cocozão do cachorro na porta lá do prédio onde eu morava, que ódio.
Vou espalhar seu post amanhã, quem sabe alguém ler e comeca a pensar.

Bom, quanto a Gilvânia Machado, ela é uma amiga de Natal, escreve poesias e poetrix, acho que no momento ela se dedica mais ao poetrix. O blog dela é o Passagem das Horas, tem na minha lista de blogs, mas vou deixar o link aqui. Ela ficará super feliz se vocë ler uma das poesias dela.

http://passagensdashoras.blogspot.com/

Beijo

Ângela disse...

Ola Beth, tudo bem com você?

Os cachorros não tem controle sobre seus dejetos, mas os políticos têm e mesmo assim continuam fazendo suas necessidades em nossas cabeças,odeio políticos e adoro os cachorros. Beth, não precisa de muita coisa para resolver esse problema, "claro, se as pessoas tivessem consciência", o que nem sempre acontece.
Basta esperar o cãozinho fazer o seu coco na rua, pegar com um saquinho, LEVAR PRA CASA, JOGAR O TAL COCO (sem o saquinho) NO VASO SANITÁRIO E DAR DESCARGA...
Se o cãozinho pode dormir na mesma cama que o dono pq. não pode usar o mesmo vaso sanitário?????

Quando eu tinha minha cachorrinha era assim que fazia.



beijos querida e uma otima semana.

gabriela disse...

Oi Beth,
Por aqui isso também acontece embora haja vários pontos com os saquinhos para apanhar os dejetos, já há muita gente civilizada mas outras continuam burras havendo um parque verde só mesmo para os animais ,mas os seus donos preferem ignorar.
Beijo grande

Mari Hart disse...

A magem é engraçada mesmo! E fico pasma qdo colocam a "culpa" no cão. Há umas 2/3 semanas fui a praia, Pedro brincava na areia com seus brinqueods, fazendo castelinhos, túneis e afina, qdo chega de supetão um lindo husky siberiano e defeca em cima dos brinquedos. ALém do pavor do meu filho em ver aquele cão enorme correndo em direção dele, chorou dizendo "como vou brincar agora>!"

E os donos a 1km d edistânica batendo papo como se fosse a coisa mais normal do mundo! meu marido deu um esporro que eles nem tiveram como responder de tão errados que estavam. lamentável.

Celina Dutra disse...

Beth,

Os cães quando treinados aprendem, os humanos inteligentes nem treinados aprendem educação elementar.Uma pouca vergonha!

Girassóis na sua semana.
Beijos

Camille disse...

Aff, essa das sacolas biodegradaveis é otima, mas acredito que aqui no Brasil uma coisa de cada vez. Se nao houvesse tanta corrupçao no governo as pessoas levariam itens de cidadania mais a serio. Ainda estamos com aquela coisa da lei de Gerson, feito essa mulher que o cachorrinho foi fazer suas necessidades na caçlçada de outros e ela simplesmente o pegou colocou no carro e se mandou...
Que pena, mas aos poucos a mentalidade muda.
Beijo da Cam

www.comtextosdavida.com disse...

Coincidência ou não, ontem a noite eu estava em frente a um prédio e vi está foto colada no poste. Achei-a super criativa. Pensei em fazer um texto sobre isso, mas ainda não o fiz. O seu texto está ótimo, e eu fico com a alternativa de fotografarem o dono do cão e multá-lo, ou melhor, fazer o dono comer as fezes do cão. Aqui na minha cidade acontece o mesmo e pasme, tem gente que sai com a sacolinha na mão mas deixa as fezes lá no chão.
bjs Lais

Isabel disse...

Beth,
que ideia excelente essa dos técnicos de Cambridge. Espero que essa medida seja implementada em Lisboa um dia. É que por aqui o cocozinho também é uma praga em certas zonas da cidade :)
Haja paciência para donos menos civilizados que os próprios animais!
Bjs

Menina no Sotão disse...

Difícil a vida dos cães, mas eu acho que esperar deles o que mostra a imagem é irreal, afinal, nós humanos jogamos lixos nas ruas, nos bueros, calçadas e por aí vai...
Enfim, eu tenho cão e não deixo restos dele por aí, mas não uso sacolinhas plásticas não, eu o eduquei para usar a caixa de areia e ele não se adequa a lugares públicos e detesta que alguém fique olhando pra ele quando está em seu momento de "intimidade". kkkkkkkkkkkkk


bacio

Rosane Castilhos disse...

NÃO QUERO TE DESANIMAR, MAS...
ACHO MUITO DIFÍCIL AQUI NO BRASIL SER IMPLANTADO ESTE SISTEMA, TOMARA QUE EU ESTEJA ERRADA.
E PARA ISSO FUNCIONAR O POVO PRECISA COLABORAR E SE CONSCIENTIZAR, VEJO TANTA BARBARIDADE PELAS RUAS, LIXOS SENDO JOGADO PELA JANELA DO CARRO, ETC, ETC!
TODOS TEMOS QUE NOS REEDUCAR PARA TUDO ISSO DAR CERTO!
TOMAR QUE UM DIA SEJAMOS MAIS EVOLUÍDOS DOS QUE OS CÃES, AS VEZES OS HUMANOS PARECEM TÃO IGNORANTES.
MAS TENHO A ESPERANÇA ACESA DENTRO DE MIM!!!!
ADOREI O TEMA!
BEIJINHO E UMA LINDA SEMANA

Macá disse...

Beth
Adorei a resposta da Chica. É bem isso mesmo que eles fazem né?
Não conhecia não esses projetos sobre os dejetos rsrsrsrsrs
Mas que seria bom se isso chegasse aqui logo, seria.
Mas o que falta no povo que deixa tudo na rua é educação mesmo. E como você mesma contou, não é de gente pobre só que estamos falando não. A mulher saiu de carro, pra levar seu cãozinho passear e sujar a frente da casa dos outros.
beijos

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Esse assunto é ótimo. Detesto ver pessoas saindo com os bichanos e deixando as lembranças pelas calçadas. Ai ai...
Menina, fiquei aqui pensando sobre a volta das viagens desses políticos e não cheguei a nenhuma conclusão. Acho que eles nem pensam sobre o que viram. Ficam pensando nas próximas viagens.kkkkkk
bjs mil

Somnia Carvalho disse...

ai que legal este post!

eu fui a uma conferencia de sustentabilidade esses dias a convite de uma amiga e juro! fiquei com vontade de largar tudo na vida e so pensar nisso!

lilas, e certissimo! sacola com coco nao esta no script de desenvolvimento sustentavel nem cuidado com natureza...

quando fui a lisboa, muito tempo atras, acho que uns 10 anos, havia lixo diferente para colocar coco do cachorro, e ao lado havia sacolinhas de papel, como esse de pao, oferecido pela prefeitura... a pessoa pegava, colocava e jogava...

agora essa solucao de jogar na terra e demais!

mas pensa bem! nem o nosso coco a gente solucionou! ainda jogamos no rio e no mar! em pleno seculo 20!
eita brasil!

Toninhobira disse...

Penso que as pessoas que gostam e amam tanto seus animais,deveriam ensina-los a fazer em suas proprias casas.Onde moro Beth, além do descrito em recente cronica, ainda o incoveniente de derrapar num coco de cachorro, dos donos cachorros.
Venho para lhe deixar meu terno abraço de muita paz neste fim de semana.
Que voce possa sair da rotina e soltar a mente e o corpo.
Tudo de bom na vida amiga.
Bju de luz nos seus dias.

Gina disse...

Aqui não é diferente. Saímos para passear com nossos cachorros, sempre com saquinhos para recolher suas necessidades. Mas o que presenciamos a todo instante é que muitos não recolhem.
Minha filha está montando sua casa e, mesmo ainda não morando lá, tem que recolher com frequência os dejetos deixados no canteiro.
Quanto aos políticos, não fazem nenhum esforço para "limpar" a classe.
Bom final de semana!

Lizete Delmonte Ferraz disse...

Tenho meu lindo cachorrinho (ão), meus 3 filhos e marido saem com ele 3 x ao dia. Sempre recolhem as titicas. Recebem sempre elogios dos vizinhos. Isso chama-se pensar no outro.

Belo texto, Beth...
bjs