.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Pelos direitos dos Animais

(Cachorros de rua em Petrópolis)






No mundo em que vivemos muitos seres humanos se acham superiores, tanto a outros seres da mesma espécie como também aos animais, subjugando-os ou maltratando-os impiedosamente.

Mas, quando se trata de animais, como fazer diante de maus tratos que presenciamos no dia a dia? Constantemente nos deparamos com situação de maus tratos contra animais domésticos ou não. Lojas que abrigam animais em gaiolas minúsculas, sem qualquer condição de higiene, cães presos em correntes curtas o dia todo, proprietários que batem covardemente em seus animais ou os alimentam de forma precária, levando o animal à inanição, cavalos usados na tração de carroças que são açoitados e em visível estado de subnutrição... Estes são exemplos típicos.
Também existem leis a serem cumpridas e aplicadas a quem pratica maldade ou usa um animal sem o devido respeito. Não podemos e nem devemos é ficar calados com relação a estes atos, como por exemplo, lá em Petrópolis, que até hoje tem as charretes para uso de turistas que desejam conhecer a cidade sob um ângulo antigo e que relembre os tempos dourados do império. Então, os charreteiros usavam os cavalos o dia todo, sem respeito, dando-lhes pouca alimentação, não cuidando da saúde do animal e não deixando que descansassem como deveriam, todo dia trabalhando de sol a sol sem a devida atenção. A sociedade reclamou, reagiu a esses descasos e forçou a prefeitura a rever a situação dos cavalinhos que trabalham nisto que chamam de 'circuito turístico', mas que na minha opinião não deveria existir.  Não gosto de ver os bichinhos sendo usados em meio ao tráfego e trotando sobre o asfalto, seria bem melhor se estivessem no campo.

Neste sábado passei em frente a uma Clínica Veterinária e o cão que fazia a guarda do local à noite, um mestiço de labrador com vira latas, veio latindo até o portão, mas quando sentiu que não oferecíamos perigo e ainda falamos com ele docilmente, colocou a cabeça na grade e ergueu a pata. Foi então que vimos um grande ferimento aberto na sua pata direita.  Ficamos com pena do pobre animal que, por incrível que pareça, pertence a uma Clínica Veterinária e deveria ser tratado e observado todos os dias, mas ao contrário, parece ser apenas explorado e nem um pouco cuidado.
Minha unica saída foi deixar um bilhete na caixa do correio da tal clínica, alertando o dono de que o animal que lhe servia à noite estava machucado e poderia piorar, caso não o cuidassem.
Mas, vejam que mesmo quem deveria cuidar não tem um olhar maior para os animais que os cercam.

Outro caso absurdo que lembro de desrespeito a animal era de um enorme leão que morava numa jaula pequena para seu tamanho dentro do parque do Ingá em Maringá no Paraná.  Sempre quando eu ia aquela cidade ia  no tal parque caminhar e ver a natureza e os bichinhos silvestres que tem por lá, a maioria livres, mas aquele leão enorme numa jaula era uma coisa surrealista, eu não entendia e nem gostava de ver.  Soube que Kimba, era este seu nome, morreu em março de 2011 com sérias complicações como artrose e insuficiência renal.  O pobrezinho morou 17 anos de sua vida, que é em média de 20 anos, naquela jaula pequena e eu soube que sua companheira, Doti, continua viva e morando lá também até os dias de hoje.  Que dó!

O Brasil e outros países membros da ONU são signatários da declaração dos direitos dos animais, proclamada em Bruxelas em 1978 e que assegura algum apoio aos bichinhos, mas hoje mesmo, ouvi pelo rádio, que foi aprovado um projeto de lei que proíbe circos de terem animais selvagens ou exóticos  em suas atrações. Pelo projeto os donos de circo que tiverem estes animais em seu elenco, poderão pegar 1 ano de prisão e têm até 2 meses de prazo para enviarem esses bichos para orgãos ambientais ou destinar para zoológicos ou então tentar readaptá-los à natureza.  A presença deles nos circos estimula o tráfico de animais silvestres em escala mundial e acaba com várias outras espécies.

E, por falar em circo, lembrei-me agora de um filme lindo que vi neste último sábado e que indico a vocês, pois apesar de ser uma estória ambientada num enorme circo numa época antiga, quando esta diversão era muito interessante para as pessoas nas pequenas cidades que chegava a troupe, mostra, além da paixão entre dois jovens, a imensa compaixão que os dois tinham pelos animais que eram usados para atrair o público em suas belas apresentações.   O ponto alto é a a elefanta  Rosie que cativa o público pela sua grandiosidade e delicadeza de movimentos.  Abaixo um pedacinho do filme "Água para Elefantes"  adaptado do romance de Sara Gruen que tem o mesmo nome.


Como denunciar:Toda pessoa que seja testemunha de atentados contra animais pode e DEVE comparecer a delegacia mais próxima e lavrar um Termo Circunstanciado, espécie de Boletim de Ocorrência (BO), citando o artigo 32 “Praticar ato de abuso e maus-tratos à animais domésticos ou domesticados, silvestres, nativos ou exóticos “, da Lei Federal de Crimes Ambientais 9.605/98. Caso haja recusa do delegado, cite o artigo 319 do Código Penal, que prevê crime de prevaricação: receber notícia de crime e recusar-se a cumpri-la.
Se houver demora ou omissão, entre em contato com o Ministério Publico ESTADUAL – Procuradoria de Meio Ambiente e Minorias. Envie uma carta registrada descrevendo a situação do animal, o Distrito Policial e o nome do delegado que o atendeu. Você também pode enviar fax ou ir pessoalmente ao MP. Não é necessário advogado.
Para informações sobre MP nos estados brasileiros acesse: www.redegoverno.gov.br
Fonte: Arca Brasil
Abuso e maus-tratos contra animais é crime. Denuncie!







14 comentários:

Lúcia Soares disse...

Beth, tenho também um dó muito grande de animais maltratados. Outro dia mesmo falei dos cavalos dos carroceiros, que me inspiram muita simpatia, num comentário - se não me engano - de um post do Cacá.
Se devidamente cuidados, não acho que os cavalos de Petrópolis devessem parar de levar os turistas.
Em boas condições de saúde e alimentados, é o serviço deles, são animais de carga mesmo, acho até que devem gostar do "trabalho".
Só não vale maltratar, alimentando mal, fazendo-os ficar muitas horas expostos.
Onde ficaria o charme do Central Park, sem seus passeios nas charretes tão bonitas? rsrs
Enfim, nenhum animal tem que ser submetido a algo que seja antinatural, como os de circo vivem, por ex.
Beijo!

✿ chica disse...

Que pena que seja assim , que aconteça ess desacaso com os animais. E sabes se essa clínica fez algo por ele ou ficou asim mesmo?

Deu vontade de saber se sentiram, no mínimo, vergonha na cara! beijos,lindo dia,chica

Maria Célia disse...

Bom dia, Beth
Apesar de não ter animais domésticos em casa e nem quero tê-los, tenho horror a quem maltrata-os.
Os cavalos conduzindo charretes nas cidades turísticas deveriam ser proibidos, como em Tiradentes, São Lourenço e outras. Não combinam mais com as cidades lotadas, carros.
Já assisti este filme, aliás o nome é bem sugestivo 'Água para Elefantes'.
Tadinho do cachorro da clínica veterinária, ferido, prestando serviço aonde deveria ser muito bem tratado.
Um absurdo.
Bjo e obrigada pelos comentários amáveis no bloguito.

Calu disse...

Betinha, mais uma vez vc apontou um assunto pra lá de relevante.
Tenho o mesmo sentimento com relação aos animais e fico indignada quando me deparo com situações de maustratos. Perto de mim, na vizinha, tem um pobre Labrador que vive 12 horas preso num cubículo. Já deixei recados na caixa postal deles, mas nem se moveram em contrário.Isso me choca e irrita demais.
Muito boas as tuas indicações de denúncias.Espero que muita gente adira à campnha de tratamento humanitário para com os animais.
OBS: Estou lendo "Àgua para Elefantes" e gostando.Se vc quiser emprestado é só falar, viu?

Glorinha L de Lion disse...

Ai que peninha...hj em dia nem cachorro de veterinária é bem tratado? Será possíveL? Que horror! Se eu disser que tenho mais pena de bicho que de gente vão cair de pau em cima de mim, mas eu digo. Tenho sim, bicho não fala, não pode se defender como nós...Crianças, velhos (alguns) e bichos são desses que tenho pena...o resto tem como se virar. e vejo que hj em dia tem muita gente que pensa assim...beijinhos friorentos,

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

nossa, se denunciar a veterinária, ela não fecha por causa dos maus tratos? coitado do cachorro.

fico louco se vejo bicho maltratado... se é pra cuidar mal, pra que ter um?

qdo eu fui em petropolis eu não andei nas charretes, pq fiquei com dó do cavalo. ia me sentir mal.

ser humano.... tem horas q a gente se envergonha de fazer parte da humanidade.

bjs e bom dia querida mãe Gaia

Sônia Cristina disse...

Enquanto o chamado "Racional" tiver essa mente pequena, isso acontecerá. Como sou louc apor animais conheco muitos: Os que trabalham por amor e os que fazem da sua profissão somente sua fonte de renda.
Aqui em casa eu tenho 4 filhos de 4 patas, outro dia tive um desentendimento com uma colega de trabalho porque ele queria vir aqui e não gosta de animais, eu disse: Você é meu amigo mas faz parte dog rupo que só encontro do portão de minha casa para fora, para ir lá precisa ser muito mais sensível que você.
Por eles brigo, entro embaixo de enxurrada, para mim são filhos...

Lizete Delmonte Ferraz disse...

OI, querida! queria vir antes, mas o blogger me deixou maluquinha. Desde o dia 16 eles estão me mandando de volta várias postagens que perdi. Eu deixo muita coisa no rascunho e depois vou postando, pois estou ainda montando o blog. Perdi muita coisa. Inclusive comentários (se bem que ainda são poucos). Queria agradecer sua delicadeza de comentar e suas visitas! vc vai acabar sendo a minha fada madrinha! foi a primeira a me linkar!
Beteh, tb tenho um cchorrinho, aliás, cachorrão, é o golden. Ele é nossa paixão em casa. Eu realmente não entendo alguns seres humanos...fico até triste de comentar...amos os pássaros, os cachorrinhos, os animaizinhos em geral. Não sei como conseguem maltratá-los, pois eles nos dão muito amor...e incondicionalmente...
Voce não tem email no seu blog, né?
poderíamos falar mais!!!!
Beijos, te adoro!!!!! Liz

Wanderley Elian Lima disse...

Adoro animais, principalmente cachorros. se pudesse cataria todos da rua e os levaria para um obrigo mantido por mim.
Bjux

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Que tristeza ver o pouco caso com os animais! Ver as maldades e o descaso, né?
Tão indefesos!!!!
Vale a pena denunciar e mostrar a verdadeira realidade de alguns estabelecimentos e de algumas pessoas.
Bjs mil

Mila Viegas disse...

Ai Bethita,
Que absurdo isso, não? Meu coração dói só de saber dessas coisas. Tadinho do cão de guarda negligenciado em plena clínica veterinária. E o leão? Oh dó! Amo felinos e não conseguiria ver esse animal numa situação dessas! Que absurdo mil vezes!
Este é um assunto que me deixa muito irritada!

Vou procurar esse filme aí, deve ser bem legal.

Beijoquitas!

Misturação - Ana Karla disse...

Beth também acho um absurdo o abuso contra os animais.
penso como você: é uma covardia da parte de seus proprietários machucarem seus animais. Me dá uma dó enorme quando vejo cenas desse tipo.
tenho vontade de soltar o bicho.
Grande lei essa, espero que todos denunciem.
Xeros

Lu Souza Brito disse...

Eu nem gosto de ver animal preso. Em casa, nunca aceitamos ter a SOL presa em coleiras. Só colocamos quando vamos passear, paraque ela nao ofereça perigo as pessoas (gosta muito de brincar e pula, assustando os outros) e nao atravesse na frente de um carro, por exemplo.
Mas tem muita gente que judia. Assisti esta semana mesmo uma repostagem sobre as pessoas que abandonam seus caes em plena marginal pinheiros, em São Paulo. Param em plena via e largam os bichinhosm que muitas vezes são atropelados.

ML disse...

MUITO OBRIGADA em nome dos animais, Beth. Vc me conhece, eu não posso nem ouvir notícia de TV que informe maltratos a bichos.
Essas leis são um comecinho tardio, as penas são absolutamente leves e pouco de fato acontece. Cabe às pessoas que sentem e pensam melhor boicotar: circo, tourada, carruagem, "bodinho", bicho com rabo/orelha cortados, etc.

bjnhs e parabéns pelo artigo.