.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Trânsito e Monstroristas

(Google)



De alguns anos pra cá o número de carros cresceu muito nas ruas de todo este Brasil, reflexo da economia estabilizada e com os bancos emprestando a longo prazo. Assim, pessoas que não têm renda podem pagar em até 60 meses e comprar um carro ou, comprar aquele carrinho velho do amigo do cunhado do vizinho. Em geral, estes carros mais antigos, sem a devida manutenção, acabam pifando e atravancando o trânsito e como não há consequência sobre estas infrações, a turma relaxa e até aproveita-se do transporte do reboque gratuito que há nas principais vias ou estradas aqui do Rio de Janeiro, sendo então rebocados, gratuitamente, até uma oficina mais próxima.
Não há punição ou observação para isto como deveria ser em qualquer outro lugar civilizado, já que pretendemos ter uma frota tão numerosa como a nossa.

Nesta última sexta-feira meu marido teve que se esquivar em muitas situações perigosas no trânsito desde aqui de Niterói até a serra de Petrópolis.  O número de carros era assustador sobre a ponte, na Av.Brasil, na Linha Vermelha e só aliviou um pouco no meio da estrada para Petrópolis.  Ufa!  Ok, era a hora do rush, mas nunca havíamos visto tantos veículos e motos.

Devido a toda esta retenção e ao mesmo tempo ansiedade que ficam os motoristas para ter uma estrada livre, alguns quando encontram espaço, pensam que receberam o espírito do Airton Senna e desembestam, tresloucados, querendo aproveitar o tempo perdido no engarragamento.  

E assim, enquanto meu marido prestava atenção ao tráfego que fluía livremente, numa certa altura da estrada, eis que de repente, um desses doublê de piloto de terceira categoria,  vinha 'costurando' (em zig zag) em alta velocidade lá atrás, e meu marido que estava de olho no retrovisor  viu o dito cujo aprontando de longe e se preparou para a aproximação dele que, numa ousada e desastrada operação entrou à nossa frente a mais ou menos 130km/hr.  Tinha espaço para ele entrar, mas não para continuar naquela velocidade absurda e, vocês não vão acreditar, mas ele enfiou o nariz do carro na traseira de um caminhão que nem aí para ele, continuou na sua rota e velocidade como se tivesse sido picado por um besouro.
O homem ao volante, mais ou menos 30 e poucos anos e uma mulher ao seu lado, segurou o carro para não capotar, o que seria desastroso para nós que estávamos logo atrás dele e assistíamos a tudo sem piscar um segundo sequer nossos olhos, incrédulos com tamanha imbecilidade.
Ele conseguiu frear, gastou pneus, deixou um cheiro horrível de borracha queimada no ar e desesperado, colocava as mãos na cabeça e a mulher também, sentindo a tremenda burrice que havia feito, levando o carro para o acostamento e parando em seguida.

Não preciso nem dizer o quanto fiquei feliz de constatar o carro dele, novinho, amassadinho que nem uma sanfona na frente.  Bem feito, disse eu!  Ainda bem que eles não se machucaram ou morreram, pois seria aterrador assistir uma morte assim tão brutal na minha frente, ainda mais no início do meu final de semana.
Mas, juro, precisava acontecer aquilo com aquele idiota, pois quem sabe aprende que o carro é uma ferramenta de locomoção e também de lazer, mas não para ser usado nas vias públicas colocando em risco as suas vidas e de outras pessoas.  São estes os verdadeiros "monstroristas".

Nosso tráfego está ficando cada dia mais violento e conturbado. Permite-se o emplacamento de milhares e milhares de carros novos por mês sem criarem a infra-estrutura para tudo isso. Muitas coisas contribuem para isto, tais como:  a falta de consequência sobre os atos; a falta de vias mais largas; a falta de exigência nas vistorias dos veículos e principalmente a falta de educação do nosso povo.
Vejam como é a realidade atual:














29 comentários:

Turquezza disse...

Oi Beth! Já vi acontecimento igual a este várias vezes.
Indo para Saquarema/Cabo Frio/Búzios, motoristas loucos ultrapassando em curvas na Estrada da Serrinha de Mato Grosso (depois da entrada para Jaconé).
E o trânsito pára: sabe porque? Este mesmo doido, bateu lá na frente em outros carros !!!!!!
Veículos demais. As ruas e estradas são as mesmas do século passado e por aí vai .......
Deus nos proteja.
Beijos.

Hugo de Oliveira disse...

Nossa..são muitas coisas erradas.

Nina disse...

Que absurdo heim Beth? Realmente, ele merecia passar por ese susto, imbecil mesmo, pondo em risco nao só a sua própria vida como a de outras pessoas. Terrível!

Esse negócio de carro velho que vc falou é um grande problema mesmo. Atravanca todo o trânsito. Essa mania que o povo tem de ter porque ter um carro, ai, acho símbolo de país pouco desenvolvido,sabia?
Claro que penso hj assim porque moro aqui e posso ver a enorme diferenca entre os países, qd o sistema público de transporte funciona bem, a gente nem pensa mt em ter um carro..
O Brasil tem um loooooongo caminho pela frente, a comecar por cidadaos como esse, que pensam serem os donos das ruas.

Cacá - José Cláudio disse...

Quem mora numa grande cidade hoje e precisa sair de casa todos os dias (seja por qualqier razão) não tem nada mais estressante em suas atividades do que o trânsito, eu acho. É o caos absoluto e, pelo jeito, sem solução a curto e médio prazos. Um horror!!!!! Abração, Beth! Paz e bem.

✿ chica disse...

Beth, nem te falo...
Ando completamente sem saco pro trânsito e seus motorisats.

Cada dia dirigo menos. uso taxo quando dvo me deslocar pro centro ou lugares onde não posso ir à pé e nem tenho filhos ou marido por perto na hora.

Estou enojada disso tudso...E cada vez vejo mis irresponsáveis, bundinhas idiotas que se acham nas suas máquinas...beijos,chica e lindo dia,sem engarrafamentos, nem de chateações.rsrs chica

Camille disse...

As pessoas mostram no transito a animalidade que muitas vezes mostram em casa tb. Mas se estivessem num restaurante fingiriam que sao civilizados. Aquilo que eu me referia no meu post( adoro seus comentarios) era um pouco metafora um pouco verdade. Se sair na urina, sai com sangue. É coisa muito grave que um dia eu conto sem metaforas.
UIm beijo querida. Um bom dia!!!!

Cucchiaio pieno disse...

Para mim nao tem nada que me estressa mais que o transito!
Assistir a esse vídeo me deu até um alivio, pois moro em uma cidade bem pequena e essas loucuras nunca vi por aqui!
Bjos
Léia

Heloísa disse...

Beth,
Esse número exagerado de carros, tem causado inúmeros transtornos às nossas cidades. E agora, aos carros têm se somado as motos, que correm desenfreadamente, costurando entre os carros.
Minha cidade que, até poucos anos era tranquila, está com um trânsito insuportável.
O pior é que parece algo sem volta.
Beijo.

Mari Hart disse...

É uma das coisas que mais me apavora na vida! Digo que sou "mãetorista" pq passo o dia levando as crianças p/cima e p/baixo, temos que dirigir por nós e pelos outros!

Infelizmente situações como essa que vc relatou são cada vez mais corriqueiras. Acho que as auto escolas e a falta de leis mais duras colaboram muito para tudo isso. Moro em frente a Av. Das Américas(Barra) que ultrapassou a AV. Brasil e está em 1º lugar em avenida mais perigosa do RJ. No sábado vi um motoqueiro morto no chão, e é muito comum, um horror!

O princípio é um só: educação. As pessoas não tem respeito e educação na vida como terão no trânsito?!

Bjão lindoca!

Pitanga Doce disse...

BETH, há dois anos tive que renovar minha carteira e fiz a tal prova de Direção Defensiva. Estudei numa cartilha: máquina, primeiros socorros e conduta no trânsito. Vejo muito pouca gente aplicando aquilo que estava nas letrinhas da cartilha. Continuam "costurando", dirigindo pelo acostamento, e fechando a via quando o sinal não dá tempo suficiente para passar.

Ora bolas para a prova !

Bom dia com Sol daqui do outro lado da poça.

Astrid Annabelle disse...

Beth minha amiga! Tem jeito não.
Ao voltar para casa de São paulo minha filha e genro enfrentaram uma situação parecida. Chegaram a bater no carro dela só que meu genro teve a presença de espírito de acelerar e sair pela tangente o que minimizou o estrago...tudo por conta de um monstrorista que rodou à frente deles.{por ter vindo correndo lá de trás}
Esse é um assunto MUITO cabeludo para o qual eu não enxergo uma solução a curto prazo.
Que Deus proteja os motoristas responsáveis do Brasil!
Beijos
Astrid Annabelle

welze disse...

monstroristas, faliu tudo. nem precisa de comentários. bom dia linda.

♕Miss Cíntia Arruda Leite ღ disse...

Olá querida Beth, cá estou de volta, ao mundo maravilhoso dos blogs e recuperadíssima! hehehehe

Li seu post de hoje e acho que é o que mais, eu e marido, comentamos assim que saímos de carro. É engraçado, mas é verdade, os motoristas devem ter baixado mesmo, o espírito do Ayrton, mas pelo menos, ele era cosciênte, diferente dessas pessoas que não tem a menor noção do trânsito legal, seguro e gentil. Infelizmente, o número de carros aumentam a cada dia, pelos exemplos citados por você e ninguém cria uma infra-estrutura para isso, aliado aos motoristas inconsequentes, tudo vira esse caos.
Quando será que vão acordar? Enquanto isso, o negócio é dirigir pela gente e pelos outros, imaginando o que ele pretende fazer.

Chato. Mas verdade!

Beijos

Lucia Cintra disse...

Olha, quando eu reclamo de nao poder correr com o carro, pois aqui voce toma uma multa feia e tem carros de policia em tudo quanto eh lugar, Al sempre fica me lembrando que pelo menos a gente tem seguranca no transito.

Voce raramente ve coisas assim acontecendo aqui. Alem dos carros de policia, voce eh obrigado a inspecionar seu carro todo ano (pelo menos no estado da PA) e se nao passar inspecao, voce nao pode dirigi-lo mais. Tem que pagar pra arruma-lo. Se for pego sem o adesivo do ano que colocam no carro depois que passa a inspecao, pode ate perder sua licensa.

E os reboques? De graca? Nunquinha. Voce paga pra isso do seu bolso e se voce nao tem um tipo de seguro pra isso, sai bem carinho.

Talvez o Brasil deveria incorporar certas medidas assim, pois sem punicao, as pessoas achando que podem fazer o que querem, vira caos mesmo.

E mesmo ainda gostando de dirigir super rapido, eu ja parei de reclamar quando vejo carros de policia por aqui.

bjos

aminhapele disse...

É uma doença global.
Gostei especialmente daquela divertida pick-up,com carga altamente explosiva!
Um abraço.

Élys disse...

O transito está cada vez pior devido a uma infinidade de fatores, que se não fores solucionados, um dia nãoo mais se conseguirá dirigir.
beijos

Carla Farinazzi disse...

Oi Beth!

Eu mesma já fui vítima desses monstroristas. Não gosto nem de falar nesse assunto, já sofri três acidentes graves, todos com perda total do veículo, e é um assunto que ainda dói muito. Eu percebo que às vezes não adianta nada a gente dirigir com cuidado, pois quando menos esperamos vem um idiota desses e coloca a vida dele e a nossa em risco. Isso que é triste, se fosse só a vida dele, que se dane. Mas nós, que muitas vezes estamos logo atrás do carro do infeliz, arcamos com todas as consequências de seu comportamento desastroso.
É horrível sofrer um acidente, não tem coisa pior. A gente vê, diante de nossos próprios olhos, o quanto somos frágeis e estamos desprotegidos no trânsito.

Beijo, excelente post.

Carla

Nilce disse...

Vemos cada motorista idiota e carros que nem sabemos o modelo e a cor em nossas viagens, Beth.
É mesmo assustador, principalmente porque muitos inocentes morrem em por culpa desses motoristas.
"Tá difícil", mesmo.

Bjs no coração!

Nilce

William Garibaldi disse...

Como é bom saber que existe gente que é consciente feito vc Beth, e sua familia!
Fico com mais esperança ainda no futuro.
Sabe, eu tenho muito pouca paciência com motoristas assim, este tipo é daqueles que gritam pra gente avançar o sinal!... Quando me mudei pro Rio, eu tive muita dificuldade pra me acostumar ( e ainda não me acostumei ) pois aqui os motoristas avançam o sinal fechado! O que contribui pra má fama do Rio... se eu tivesse dificuldade para me locomover, teria morrido, juro! Não tem câmeras nos sinais, nem nas ruas dos bairros.
Que bom que este débio, não morreu, mas torço pra ele ter aprendido... coitada da mulher ao lado... Sabe, eu não entrava no carro do meu ex-sogro, pois ele dirige assim! E imagina o drama que foi!...
Soube esta semana que em sampa, está havendo a revisão dos veículos, mas de que adianta? Se pagar a multa eles liberam na moita... na manha... e a população fica em risco, se for alguém com o carrão novo, eles tbm multam, pois sabem que vc tem dinheiro pra pagar a multa ( e dizem ser sobre aqueles itens intermináveis que os carros precisam carregar! )

Bom, deu pra ver que este assunto me interessa né!?... Lembra de quando vc contou aqui sobre sua chegada em casa com seu filho?
Tbem eu comentei um livro aqui!
rsssssssssss

Bjus!
Parabéns pela consciência da familia!

ONG ALERTA disse...

Quem criou esta bagunça foi o homem agora cabe a ele consertar...
Beijo Lisette.

ONG ALERTA disse...

Quem criou esta bagunça foi o homem agora cabe a ele consertar...
Beijo Lisette.

Palavras Vagabundas disse...

Beth,
que susto! Sempre dirijo bem atenta, principalmente em estrada, tem cada louco! O pior é darem a carteira a qualquer um, aliás como todos sabem, mas fingem não saber, elas podem até ser compradas.
Bjs e òtimo dias das Mães.
Jussara

Lúcia Soares disse...

Um horror mesmo, Beth.
Já falei muito que daqui uns 3 anos não dirijo mais...Está uma loucura, ainda mais em estradas. Nossas estradas (de Minas Gerais) são as mais matadoras do país...Não por elas em si (que já sabemos ser precárias, mal sinalizadas, mal cuidadas) mas principalmente por causa dos motoristas mesmo.
O automóvel foi criado para ser apenas um meio de locomoção, que diminuiria as distâncias, mas acabou virando uma arma, em mãos de irresponsáveis, muitas vezes pais de família, com o carro cheio de crianças e verdadeiros barbarismos nas pistas!
Se não têm amor aos seus, terão a quem?
Beijo!

ML disse...

Essa tchurma é uma bomba à solta: tomara que esses tenham aprendido a lição, mas geralmente essa "manezada" que dirige com desrespeito costuma achar que os "outros" é que são manés...

Ótima sorte na estrada pra nós.

bjnhs

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

eu não consigo entender esse pensamento, as pessoas brincam com a própria vida pra ganhar um ou dois minutos! jogam anos de vida fora para ficar a frente de um outro carro, deve ser complexo de inferioridade.

será que o tal cidadão vai aprender a lição? ou vai achar que "a culpa é do caminhoneiro, da estrada, de não sei quem" e nada muda? é triste né...

que vida que esse pessoal leva, credo...

bjs

Silvia Masc disse...

Assustador! Como já conversamos anteriormente,a falta de educação, reflete em TUDO.
beijinho

Silvia Masc disse...

Assustador! Como já conversamos anteriormente,a falta de educação, reflete em TUDO.
beijinho

Lu Souza Brito disse...

Oi Beth,

Eu vejo cenas assim diariamente. Ainda bem que geralmente estou dentro de um ônibus. Com todo desconforto, me sinto mais segura e protegida que na minha motoquinha no meio dessa gente sem respeito ao proximo. Sem brincadeira, tem dias de ver 2 acidentes com vitimas fatais (entre eles motociclistas) aqui na Rodovia Castelo Branco.
Tem MUITA gente imprudente. Também tem muita gente inexperiente, que, com esta facilidade de comprar um veiculo dando R$ 1,00 de entrada, no dia seguinte já está nas ruas e rodovias sem ter a menor noção. Já vi gente provocar acidentes e continuar como se nada tivesse acontecido simplismente porque nem se deu conta do que aprontou.
Imagina como eu fico todo dia, sabendo que meu marido cruza São Paulo toda noite para ir a faculdade que fica a mais de 50 km de casa. Ou seja, sao 103 km rodados diariamente e ao menos uma vez por semana eu escuto: hoje quase fui atropelado por um caminhao; hoje quase morri. Só Deus para proteger os motoristas dos monstroristas.
Beijinhos

ManDrag disse...

O trânsito rodoviário no Brasil é no mínimo assustador. A calamidade que se passa nas estradas brasileiras parece-me ser fruto de dois factores primordiais; uma política de transportes completamente acéfala e baseada na mais pura ganância; e uma completa ausência de investimentos numa verdadeira educação para a cidadania.

Lamentável toda essa situação!

Quanto ao exemplo que relataste; não creio que o indivíduo tenha tirado do acidente alguma lição ou aprendizado. Aposto que na próxima oportunidade ele voltará a fazer o mesmo.

Um abraço