.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Velhice e cuidados

 (Imagem Gerald French)

Sobre a Velhice 

Por oposição aos gerontologistas, que analisam a velhice como um processo biológico, eu estou interessado na velhice como um acontecimento estético.  A velhice tem a sua beleza, que é a beleza do crepúsculo.  A juventude eterna, que é o padrão estético dominante em nossa sociedade, pertence à estética das manhãs.  As manhãs têm uma beleza unica que lhes é própria.  Mas o crepúsculo tem um outro tipo de beleza, totalmente diferente da beleza das manhãs.  A beleza do crepúsculo é tranquila, silenciosa - talvez solitária.
No crepúsculo, tomamos consciência do tempo.  Nas manhãs, o céu é como um mar azul, imóvel.  Nos crepúsculos, as cores se põem em movimento: o azul vira verde, o verde vira amarelo, o amarelo vira abóbora, o abóbora vira vermelho, o vermelho vira roxo - tudo rapidamente.  Ao sentir a passagem do tempo, nós percebemos que é preciso viver o momento intensamente.  "Tempus fugit" - o tempo foge -, portanto, "carpe diem" - colha o dia.  No crepúsculo, sabemos que a noite está chegando.  Na velhice, sabemos que a morte está chegando.  E isso nos torna mais sábios e nos faz degustar cada momento como uma alegria unica.  Quem sabe que está vivendo a despedida olha para a vida com olhos mais ternos . . .

(Rubem Alves)




Sobre a velhice e os cuidados que deve-se ter com as pessoas neste estágio da vida, não deixem de acompanhar o blog da Dra. Luciana Pricoli Vilela que trata de Geriatria:Medicina e Humanismo.





26 comentários:

✿ chica disse...

Lindo texto escolheste para o tema.

Tema esse importante e que é rodeado de problemas dessa fase...

Um lindo dia,beijos,chica

pensandoemfamilia disse...

Amiga este é um tema que me interessa pessoal e profissionalmente. Ontem, numa consulta de chekup ouvi algo do meu médico clinico que me deu satisfação: que ele me elegeria o símbolo da clínica, e eu indaquei de que?
"De chegar a sua idade como chegou pelos cuidados."
Saúde e bem estar estes são itens importantes para perseguirmos em nosso envelhecimento e podermos continuar a sentir a beleza da vida nesta etapa, é o que penso. bjs. Bom dia

Camille disse...

A velhice hoje é qusse um bonus , um premio qu eoser humano tem por viver tanto, numa sociedade cheia de perigos, onde pode-se morrer precocemente de varias tipos de causas.
É importante como estetica sim, quantas pessoas acham a velhice horrivel e vao tratando de colocar botox nos seus anos vividos nao é? Por um lado estao certas, querer melhorar a aparencia é bom. Dificil é quando ficam obcecadas por isso e perdem a estetica basica. Enfim, estamos numa sociedade de imagem, que pena, o conteudo fica pra la...
A velhice como fenomeno social e psicologico é o mais triste e varia de sociedade para sociedade. Aqui no Brasil segregam os velhos, como se fossem cidadãos que passaram da validade que nao devem trabalhar e agora so devem se divertir em locais proprios- tipo bailinhos de velhinhos. Estudar isso na faculdade me chocou demais. Nao tinha visto que discriminaçao vai tao fundo, antes.
Voce esta muito certa, certissima de levantar essas questoes , trazer esses temas. Velhice é a tal coisa, que -com sorte- todos chegaremos la.
Belo post, bela ilustraçao.
Bjos,
Cam

welze disse...

já que estamos em constante mudança, que seja essa, com evolução para sempre melhor. Agradeço o comentário. Adorei a postagem lúcida e necessária. Boa quinta-feira.

Lucia Cintra disse...

Belo texto e linda a foto! Amei demais essa foto!

Web-mae, esse assunto tem me sensibilizado demais ultimamente, a ponto de me fazer chorar, nao sei porque. Nao sei se eh medo ou algo mais, nao so comigo mas outras pessoas... tenho que sentar e tentar analizar esse sentimento.

bjos, Lu

William Garibaldi disse...

Que mensagem magnífica que vou levar comigo para a velhice! Mas ela ainda nos demora Beth! Ufa! rssss

Verdade, nossa sociedade é encantada pelo eterno jovem= aquele que nunca amadurece, especialmente os homens que ficam presos a luta pelo poder e para isto pensam que jovem eterno ganha mais vezes! O que se enganam!

Vou conferir o Blog!

Bjão!

...............................
Ficou lindo o post do livro da Glorinha, que foto BELA!

Calu disse...

Beth,
vc trouxe em poesia uma prosa real e algumas vezes dolorosa, na imposição da juventude eterna tão em voga em nossa sociedade.Sou, desde muito fã do Rubem,e sabemos que ele traduz o cotidiano cinzento em horas coloridas.A beleza do crepúsculo me atrai tanto quanto a do amnhecer.Cada qual com sua incontestável beleza e significação pontilhando a vida em toda sua pujança.
Tenho comigo a mesma certeza dita no texto, com meio século e alguns anos percorridos, olho o mundo, as pessoas e as coisas com maior admiração e benevolência e sinto-me feliz assim.
Que privilégio é este nosso, o de vivermos nossos dias em plenitude.
Lindo post, lindo texto, linda Beth!
Bjo grande,
Calu

Calu disse...

Recadinho:
Foi uma tarde especial a de ontem, Betinha.Estou radiante em tê-la conhecido e poder chamá-la de amiga.Mais uma vez,esse espaço me proporciona uma grata oportunidade, a de compartilhar amizade com pessoas como vc e Glorinha.Em 11 meses de existência, o fractais tem sido uma boa porta aberta para o coração.
OBS:consegui postar as fotos. Já estou mais saidinha por aqui.Desde o mês passado que remodelei grande parte do blog sozinha, estou me sentindo a tal, rsrsrsrs...
Quando vamos repetir o café?È só marcar, viu!
Bjinhos,
Calu

ML disse...

Bacanésimo, Beth. Uma das coisas que eu acho "péssimo" é gente que não tem respeito pelos mais velhos. Que os trata como "crianças" - alto lá!

bjnhs

CHIC KITA BAKANA disse...

É muito importante falarmos da velhice como algo natural em nossas vidas,pois na verdade é ou deveria ser!!! Convivo com isto desde a minha adolescência, pois minha mãe, que já sofria de depressão, ficou viúva aos 42 anos e se entregou completamente. Eu, como filha mulher, sempre assumi a vida dela, pois envelheceu rapidamente e de uma forma muito triste. Hoje com apenas 68 anos,ela tem uma condição de vida muito inferior à da minha avó de 90 anos. Também faço parte do Conselho Municipal do Idoso em minha cidade, pois penso que as crianças são mais lembradas e acolhidas pela sociedade do que os idosos. Adoro Rubem Alves !!!
Parabéns pelo belo e interessante post !!!

Beijos,

Rita Barroso

http://blogdachickitabakana.blogspot.com/

Do que eu gosto... disse...

Oi Beth!
Está inspirada heim? Belo texto você escolheu par descrever esa fase tão negligênciada. Não me sinto velha como minha mãe era na idade que tenho hoje, há quase 40 anos atrás, mas a tolerância inerente aos mais velhos já se aproxima, assim como a reavaliação de tantas picuinhas e sentimentos menores que às vezes temos quando mais jovens. Bjo

manuel marques disse...

"O verdadeiro mal da velhice não é o enfraquecimento do corpo, é a indiferença da alma."

Beijo meu.

Luciana disse...

Beth, mas seu feriado de páscoa foi tudo de bom, hein?!
São Paulo é realmente uma cidade muito interessante, e vocë ainda conseguiu encontrar três amigas blogueiras, que fantástico.
Só hoje eu consegui ver o post inteiro, com as fotos, nem sempre consigo abrir no dia que você posta, mas tudo bem, venho depois e consigo.

Já quanto à velhice é algo que me assusta, medo de perder a saúde, medo de ver os outros envelhecerem mau. Mas é inevitável pra quem vive.

Muito bonito esse texto de Rubem Alves. Vou conhecer o blog da Dra. Luciana.

Beijo

Glorinha L de Lion disse...

Lindo texto do seu "querido"...lindo mesmo. Ainda bem que pelo menos mais sábios a gente fica...será? Beijinhos,

Paloma disse...

A velhice é um estágio muito triste, de nossas vidas. Com o tempo, tudo se transforma no nosso corpo. Apenas o olhar permanece o mesmo, até o final.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Beth
Existem coisas que só aprendemos com o passar do tempo. O tempo é o pai do conhecimento e esse só chega com a velhice.
Bjux

Carla Farinazzi disse...

Oi Beth!

Lindo texto desse cara fantástico chamado Rubem Alves. O tempo foge, colhamos o dia! E como foge. A gente pisca, já estamos com 30 anos, pisca de novo, já são 40, e assim vai... O melhor é fechar os olhos e deixar a brisa tocar suavemente o nosso rosto, enquanto brindamos por estar chegando o crepúsculo, com seu festival de vida vivida e cores dançando. Brindar por tudo que aprendemos e pelo que continuamos aprendendo, sempre.

Beijos

Carla

Ana Paula Soldi disse...

Beth, boa dica, vou lá ar uma olhada.
Muito bom o texto.


beijocas

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Beth, o comentário vai atrasado pq esses dias tem sido uma loucura de corridos rs. mas estou bem.

pois é, Rubem Alves é maravilhoso, esse texto é lindo. Mas eu acho sim, que o tempo traz uma sabedoria boa pra tanta gente... gosto muito de ouvir os velhinhos e suas histórias, o que viveram, como enxergam o mundo e as coisas, eles tem muito a ensinar. E espero um dia ser um velhinho bacana rs

bjs e bom dia pra vc, querida mãe Gaia

Lúcia Soares disse...

Beth, a velhice com saúde é uma dádiva. Se não há saúde, não vale e pena! Cada idade tem seus encantos, então se podemos nos locomover, se temos a mente e o corpo sãos, uma boa alimentação, presença da família e amigos, envelhecer é apenas um detalhe que o corpo mostra.
Nossa alma pode ser sempre jovem, né?
beijo!

Nina disse...

Que bela comparacao viu Beth? Crespúsculo é lindíssimo e tem uma coisa no ar, uma sensacao meio mágica... Lindo texto mesmo.

Qd vejo um blogueiro justo, me alegro... qd vc coloca o nome do dono do texto que nao é seu, p ex.,sabe? me alegra... to tao chateada com roubalhera de textos em blogs :-(

to chateada demais...
mas vai passar.

Um bom fim de semana Bethinha

Bel Rech disse...

E certamente todos vamos chegar lá, uns com espírito mais novo e outros mais velhos.O que importa mesmo é viver sempre no amor e com o amor...Paz e bem

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Eu não me importo em envelhecer. Apenas me importo e me preocupo com algumas doenças. Queria ser sempre uma pessoa dinâmica. Cheia de energias. Espero que isso aconteça!
Na vida temos diversas etapas. O interessante é desfrutarmos de cada uma da melhor forma possível e sentir a magia de cada momento.
Bons fluidos.

lolipop disse...

Rubem Alves, passou a ser um amigo de cabeceira, graças a vc Beth!

"(...) as palavras dum homem a quem a velhice havia concedido lucidez e coragem para dizer aquilo que via sob a luz do crepúsculo..."

Mil obrigadas!

Silvia Masc disse...

Lindo texto Beth, eu acabo de passar para a Dra, Luciana, o link do seu post...
beijinho

Luciana Pricoli Vilela médica geriatra disse...

Beth, obrigada pelo link!
realmente vc foi mto feliz na escolha do texto! Parabéns pelo blog.
Bjos.