.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Não se afobe não, nada é pra já ...




Mergulhador que usa escafandro (vestimenta impermeável, hermética, provida de um aparelho respiratório, e própria para mergulhos demorados) (Aurélio)


Por duas vezes nesta semana ouvi a bela música de Chico Buarque "Futuros Amantes" e de tão linda e perfeita não me sai da cabeça, agora mesmo acabei de ouvi-la e fui buscar sua letra que faz a gente mergulhar literalmente no tema.

Experimente realizar o que este poeta maravilhoso diz:



Fico a imaginar se num futuro distante, o Rio ou outra cidade qualquer venha a ser apenas vestígios de antiga e estranha civilização como diz Chico, mergulhada muitos metros no oceano e aí, um escafandrista (palavra estranha também e soa tão antiga) lá, revirando os objetos que tinham em minha casa, minhas pequenas coleções, minhas gavetas com os bilhetes amorosos que meu marido me mandou nos aniversários de minha vida ou os retratos da família de tantos natais e festas.

Já pensaram sobre isto, alguém explorando suas casas, suas coisas, tentando decifrar o eco de antigas palavras?!

Tem coisa mais lírica que isso, gente? A suavidade da música e a mensagem ao mesmo tempo, quer nos fazer ver que tudo na vida passa, tudo é nada, nada é pra já, não nos afobemos pensando no dia de amanhã, pois amores vêem e vão e os que vierem serão também amáveis se deixarmos este 'vestígio' para as próximas gerações.








(Post escrito em Setembro/2009 e reeditado agora)









16 comentários:

pensandoemfamilia disse...

Bela e intensa reflexao.
Sabe que tem momentos que fico realmente a pensar sobre tudo isto. Quando estava fazendo pesquisa para minha dissertação de mestrado, eu entrevistava as pessoas, ouvia as suas histórias passadas e presentes para linkar os fatores socio, economômico, culkturais e psicológicos e poder analisar. Li muitos autores sobre tempos passados, cartas, enfim vários instrumentos que guardam históricas de uma época. E assim, acontecerá. Imagine, nossos blogs serão grandes instrumentos de interpretação de nossos tempos.
É fenomenal, não é mesmo.
bjs

Somnia Carvalho disse...

Lilllla querida,

nao se afobe nao que nada e pra ja...

obrigada pelos versos! adorei! adoro essa musica e adoro essa frase!

beijocas na sua bochecha!

ah! a tela vai de sampa pro rio pra voce... nao postei a tempo do empacotamento!

beikjos

Mariana disse...

O amor não tem pressa , mas devemos sentir e cultivá-lo sempre.

Mariana disse...

Não sei se foi o comentário que coloquei.
O amor não tem pressa, até pq ele é eterno, como não somos, devemos senti-los sempre.

Yoyo Pizy disse...

"Não se afobe, não...Nada é pra já..."
Estou em uma fase da vida que essa frase tem muito valor para mim.
Bjo no core

Lucia Cintra disse...

Ja pensei nisso sim, MUITAS vezes ao longo dos anos. Toda vez que releio minha caixa de bilhetinhos trocados quando adolescente, toda vez que releio minhas agendas... Isso me vem na cabeca. De um estranho um dia reler todas essas minhas coisas e tentar pesquisar sobre a pessoa que fui.

Da mesma maneira que ficaria no ceu, se pudesse encontrar "reliquias" assim de mulheres que viveram na epoca medieval. Fico pensando que talvez um dia, eu mesma seja medieval pra alguem do futuro...

bjos

Regina Coeli disse...

Olá minha Querida Beth,
Realmente tudo na vida passa, tudo é nada, nada é pra já..
Não adianta afobar pensando no dia de amanhã, pois amores vêem e vão..
Precisamos deixar "vestígio" para as próximas gerações...
Seu POST nos faz repensar a vida, isso é um ótimo exercício...
Quanto a postagem da PIMENTA BIQUINHO, sinta-se vontade para divulgar como você achr melhor.
Sinto-me honrada em colaborar com supostagem!!!
Abração carinhoso.
Regina Coeli

Nilce disse...

Fiquei aqui, Beth, pensando em alguém remexendo minhas coisas.
Não seriam de um passado tão distante, mas mesmo o que guardei ontem, arquivei com carinho...
nossa...me parece surreal.
Mesmo se de pouco tempo tenho coisas indecifráveis.
Mas, o amor, ah o amor não tem pressa. Ele pode esperar em silêncio, sim.
Amei o post, querida.

Bjs no coração!

Nilce

monica lidizzia disse...

Querida, voltei da serra hoje: sol "invernoso", lua crescente, vento uivante (literalmente, nesta madrugada), frio aconchegante! Tava ótimo D +!

Abro o Mãe, dou de cara com esse post vintage: nem me lembro se ou o que respondi à época, mas... agora penso que a letra do Chico Buarque poderia ser uma... grande sátira.
Porque "o amor é pra já", afobemo-nos, sim, afinal... o que pode esperar?

bjnhs

PS: 1 copo de vinho (importa quantas vezes "reenchido"?) não faz diferença. Faz? ich! :>)

Cucchiaio pieno disse...

As vezes penso nisso também. Tento imaginar o futuro, como estara' a humanidade! Quando isso acontece, como essa semana, começo a doar tudo que penso que não usarei tão cedo, me torno ainda mais carinhosa com meu marido, comigo, com a vida...
Na minha eterna nostalgia, estou sempre olhando os álbuns de fotografias, relembrando belos momentos e pessoas, isso me faz muito bem!
Ai Chico, te amo cara. Esses seus olhos azuis, cheios da tua poesia, ai, ai... (meu marido que não fique sabendo desse amor - hehehe)!
Bjo grande
Léia

Lúcia Soares disse...

Pois é, Beth. Uns querem que tudo seja pra "ontem" e outros querem poder esperar.
Pra algumas coisas sou imediatista e pra outras acho que acontece quando tem que acontecer...
Também gostaria de ler o post "antigo". Pode nos dar o link dele pra que a gente veja nossa opinião à epoca, nos comentários?
Já tentei procurar e não consegui. Seria uma boa ideia?
Beijos!

Bia disse...

Eu nunca tinha pensado sobre isso. Me causa certeza estranheza pensar em alguém mexendo em algo nosso dessa forma que vc descreveu no futuro, mas acho que pra acontecer desssa forma, vão ter que se passar muitas décadas e/ou milênios! :)

Sobre a depilação a laser: O doí que eu falei, é que vc sente. Não é um processo completamente indolor como eles divulgam. Mas para mim, doí muito menos do que depilação com cera. E a 'dor' é só bem pouco na hora. As vezes, com o anestesico em algumas areas nem se sente. O queixo mesmo não senti dor nenhuma, mas na região do 'bigode', que quando o laser pegava nos labios eu sentia um pouco.
Mas, de verdade, dá para aguentar tranquilo! E olha que eu sinto muita dor, e aguento esse tranquilamente!

bjs

Glorinha L de Lion disse...

Eu adoro essa música, mas nunca tinha realmente pensado nessa letra...vc traduziu com perfeição o que o poeta Chico quis dizer. Eu preciso aprender a não ter pressa, a não querer tudo pra já...até hj ainda fico ansiosa, roendo as unhas...mas realmente, a paciência é uma virtude que estou aprendendo, à duras penas a conquistar.
Beijos amiga!

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Fiquei aqui refletindo e cheguei a conclusão que tudo é tão simples quando está escrito no papel. Quando estava lendo pensei em não ter pressa e tentar fazer ou mesmo levar a vida com a maior paz e tranquilidade. Fazer coisas em seus devidos momentos. Mas... Na teoria é tudo tão simples...Vivemos com tanta pressa que nós não nos damos conta de captar a verdadeira essência de uma letra de música.
Por isso que, a cada dia, percebo que você tem uma sensibilidade extrema. E quer saber?? Deixe que os escafandristas descubram, sobre os escombros, passagens tão lindas de nossas vidas!!! Já pensou, esses seus bilhetes sendo decifrados. Ai ai ai..rsrsrs...
Fique bem minha amiga.
Bjs mil

Françoise disse...

Que linda esta musica, é bom ouvi-la no silêncio do coração e pensar na letra... agora então neste escurinho que já passa da meia noite.....
Desta forma fez toda a diferença.
Obrigada ,
Beijos

Ivana disse...

Beth, eu amo esta música! A primeira vez que ouvi foi quando minha saudosa tia me levou pra assistir no cinema o filme Pequeno Dicionário Amoroso, um dos filmes mais lindos que já assisti! Esta música tocava no final, quando o filme deixa a mensagem que o amor sempre vem e que não devemos nos afobar...
Um beijo!