.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sábado, 3 de julho de 2010

Invictus, inspiração para Mandela e para todos nós

"Mixed race bathing" on a beach in Durban, South Africa, in 1994 - Corbis


Assisti em casa ao filme Invictus de Clint Eastwood com Morgan Freeman e Matt Damon sobre a inspiração que Nelson Mandela (Presidente da África do Sul) exerceu sobre o time de rugby daquele país que adora este esporte, mas se dividia pela perda consecutiva destes jogadores nos campeonatos e da opressão e apartheid de toda aquela sociedade.
Mandela pede então ao capitão da seleção nacional de rugby para realizarem o impossível; vencer o campeonato mundial, seguindo o lema de "Um time, um país".  Eles, não só os jogadores, como todo o povo sairam vencedores perseguindo este lema e cada vez mais se uniram para formarem o que é hoje aquela nação multiracial.


Um lindo filme que mostra como a linguagem universal do esporte une e impulsiona os corações.

Impressionei-me com os versos “eu sou o senhor do meu destino, eu sou o capitão da minha alma” que Nelson Mandela repetia enquanto esteve preso por 27 anos e que muito o inspirou.  Eles fazem parte do poema Invictus de William Ernest Henley de 1875 que reproduzo abaixo:








Do fundo desta noite que persiste
A me envolver em breu - eterno e espesso,
A qualquer deus - se algum acaso existe,
Por mi’alma insubjugável agradeço.
Nas garras do destino e seus estragos,
Sob os golpes que o acaso atira e acerta,
Nunca me lamentei - e ainda trago
Minha cabeça - embora em sangue - ereta.
Além deste oceano de lamúria,
Somente o Horror das trevas se divisa;
Porém o tempo, a consumir-se em fúria,
Não me amedronta, nem me martiriza.
Por ser estreita a senda - eu não declino,
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou dono e senhor de meu destino;
Eu sou o comandante de minha alma.






   





6 comentários:

Yoyo disse...

Boa dica ,Beth.
Bjo e boa noite.Alias, jé é quase bom dia e deveríamos estar na cama, não acha? hehehe

Isadora disse...

Beth acabei de ver esse filme não tem nem 10 minutos. Que filme lindo, que força desse homem. Quanta generosidade e compaixão pelo próximo.
O poema é lindo e ficamos com lágrimas nos olhos.
O esporte unindo toda uma nação, ainda, tão separada.
Emocionante e recomendo também a todos que tiverem a oportunidade de vê-lo.
Um grande beijo

Marilac disse...

Beth,
Esse filme é maravilhoso, inspirador e nos ensina a admirar ainda mais o grande líder que é Nelson Mandela.
Um homem com grande visão , com sabedoria e com o sonho de um mundo sem preconceito.
Esses versos são mesmo impressionantes:
“eu sou o senhor do meu destino, eu sou o capitão da minha alma”

bjs
Marilac

manuel marques disse...

O bravo não é quem não sente medo, mas quem vence esse medo.

Nelson Mandela


Beijo e bom domingo.

Mari disse...

Que belo poema, Beth! É de arrepiar!

Lu Souza Brito disse...

Também me emocionei muito com o filme Beth.
Exemplo de tolerancia, amor, perdão e determinação.
Este poema é de arrepiar.