.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Sentar e ver a vida passar



Eu tenho uma amiga de infância que trabalhou fora a vida toda e quando se aposentou há uns 5 anos atrás, dizia-me que não conseguia ficar parada olhando pro nada, relaxando mesmo, vendo a vida passar como se diz, porque sua mãe que morava com ela, idosa e com pensamentos retrógrados,  logo lhe perguntava se não tinha nada para fazer, ou lembrava-lhe algo atrasado e que ela vinha protelando.
Quando ela me contou isso, fiquei imaginando a cena, pois conhecia bem sua mãe e pude imaginar direitinho o modo dela falar aquilo para a filha, mas fiquei também com pena dela, afinal depois de trabalhar tanto por toda a vida, não tinha o direito de se dar um momento de bobeira total.

E é assim que acontece com muita gente, às vezes comigo também, não  dando esta concessão para olhar a vida, sentar e apenas observar, deixando o mundo passar pela gente.

O que é tão importante que não possa esperar até mais tarde? O email deve ser respondido neste exato momento? Será que realmente precisamos  ler todos os artigos on-line, todas as mensagens de outras pessoas, todos os jornais e revistas e ter a televisão, rádio e Internet em todos os tempos?

Eu quero deixar o mundo passar, sabe!

Quando um de nós, sente-se realmente calmo e tranquilo na vida,  se estamos sempre passando com o mundo, carregando nossa ansiedade, sobre o que poderia acontecer - e no passado - o que fizemos de errado, que alguém fez para nós, o que dissemos , o que deve ter acontecido?  Corremos o dia todo daqui pra li e nossas frustrações acabam crescendo quando vemos que o resultado não foi o que esperávamos.

Sentei-me hoje na varanda, numa pausa das arrumações junto com a faxineira, foi então que vi que a obra imensa que está sendo feita mais à frente na minha rua, já tomou forma, um novo prédio vai ali nascer e tem um monte de gente trabalhando naquilo, mas só hoje pude observar o andamento desses trabalhos, vida árdua e poeirenta daqueles homens.  Vi chegar uma van que trazia o almoço para eles e ouvi a sirene tocar para que eles pausassem e fossem almoçar.  Fiquei acompanhando os movimentos daquelas pessoas e depois olhei pro céu, lindo e azul neste outono friozinho, vi um telhado sendo reconstruído nesta época que pouco chove e pessoas andando nas ruas, carros coloridos, bandeiras nas varandas, caminhão de entrega de uma tv grandona de plasma para alguém louco pra ver os jogos da Copa e por aí foi.
Passei ali uns minutos de bobeira total, muito bom e recomendo uma pausa assim vez ou outra.

Estou dando licença para o mundo passar, quero também observar. E porquê não fazer isso hoje, agora!









22 comentários:

Lúcia Soares disse...

Beth, tenho me dado esses momentos. Fico parada, olhando pro nada, pensamentos sem se fixarem e de repente "acordo" de novo. Sempre fui de "primeiro o dever, depois o prazer" mas agora chega!
Pena que não há mais banda pra passar e a gente correr pra ouvir e dançar!
Bj

Glorinha L de Lion disse...

Ô verdade verdadeira! eU PROCURO FAZER ISSO, MAS NA CORRERIA DO DIA A DIA, MUITAS VEZES NEM VEMOS SE TÁ SOL OU O TEMPO TÁ FEIO...TÁ UMA LOUCURA MESMO ESSA VIDA QUE A GENTE LEVA, ai desculpe, sei que vc não gosta de letrão, mas meu dedo esbarrou, agora vai assim mesmo, tô com preguiça de escrever de novo...beijos.

Luciana Håland disse...

Beth, eu nasci com o dom para aproveitar a vida, vê-la passar e curtir isso, sem ter que tá contando o tempo que está passando e as coisas que não estou fazendo, pois como assim?!!! Claro que estou.
Mas as pessoas não aceitam que a gente seja assim, principalmente as mais próximas, comecando pelos pais. Hoje mesmo falando com minha mãe pela internet ela teve que lembrar mais uma vez, das zilhões de vezes que ela já repetiu durante a vida a tal frase pra mim, que não posso perder tempo, que a vida está passando. Me cansa demais tudo isso.

A vida tá passando, passando pra todos, para mim que estou aqui sentada no sofá escrevendo esse comentário e daqui a pouco vou ver aquele filme que você me indicou (Last chance Harvey), como está passando também para aquela pessoa que está trabalhando horas extras nesse momento apenas pra ter mais grana (não me refiro aos trabalhadores que dão duro pra sobreviver, mas aqueles que dão duro pra ter mais e mais, esquecendo de ver a vida, de ver as pessoas ao redor), a vida está passando pra todos, e cada um que saiba curtí-la da melhor forma, porque o fim a gente sabe que é o mesmo, a diferenca vai ser apenas a vida que levamos.

Fui extremamente criticada e cobrada quando resolvi parar de estudar norueguês e ficar em casa aprendendo outras coisas, apreciando a vida, curtindo a casa e meu casamento. Muitos diziam que eu jamais aprenderia a língua, ia me tornar mais uam estrangeira analfabeta e a margem da sociedade, que eu jamais iria trabalhar, que o tempo estava passando e as coisas iam ficar mais difíceis pra mim (pra retornar a vida ativa), como se minha vida não estivesse ativa, kkkkkk
Até teve uns que me cobravam com frases do tipo: - Assuma logo que você vai virar só dona de casa e pronto. Como se isso fosse um problema e como se isso fosse da conta deles, e muito menos como se pudessem me cobrar pra assumir alguma coisa. Mas como sempre acho que muita gente faz isso pra se maximizar tentando minimizar os outros. Pois bem, não dou importância e nem aceito cobrancas, até porque essas não eram as primeiras e não foram as ultimas, e assim caminha a humanidade, pessoas frustradas com a própria vida cobrando dos outros o que elas não poderiam nem cogitar cobrar. Deve ser o caso dessa mãe da sua amiga.

Ih, me alonguei.

Um brinde a nós que sabemos viver e sermos felizes!

Ana Paula Soldi disse...

Achei tao bonito o que voce escreveu, e tenho que refletir muito sobre isso, eu paro tao pouco, muitas vezes vejo que dou tao pouca atencao para o Allan que me pede que brinque com ele e que de atencao, eu nunca posso estou sempre tao ocupada, mais me sinto tao culpada depois... o que custa parar e brincar um pouco? sao nesses momentos que sinto que tenho que parar e aproveitar com ele, estou tentando mudar espero conseguir.

beijocas

Heloísa disse...

Beth,
Como isso é importante. Sempre deveríamos nos permitir paradas para poder observar o que está acontecendo ao nosso lado, o céu, o movimento das ruas, os sons dos pássaros (quando existem)e até para não fazer, nem observar nada.
Adorei sua foto. Estou com muita vontade de voltar a Tiradentes.
Beijos.

Yoyo Pizy disse...

Penso que isso não apenas faz bem como é necessário.
Ah, suas fotos estão sensacionais, hein! Tanto essa quanto aquela no post que a Glorinha fez hoje.
Parabéns!
Bjo e boa noite

Lucia Cintra disse...

Eu ja acho o contrario. Como sua amiga, eu tb nao consigo ficar parada sem ter nada pra fazer. Me bate uma ansiedade!

Ja tive minha fase de cigarra e eh justamente, por parar e deixar parado que estou onde estou e onde nao queria estar. Tudo bem que ha momentos sim que devemos relaxar, mas esses eu ocupo com atividades legais pra fazer. Ficar parada mesmo e deixar a vida passar nao da pra mim, nem faz sentido.

Entrei nessa fase de formiguinha e esta sendo a melhor e mais completa da minha vida, sabe?

bjos

Ivana disse...

Bethinha, é verdade! Eu adoro estes momentos e, principalmente quando estou de folga, é um dos meus grandes prazeres. Fico aqui, simplesmente olhando pela sacada, vendo o movimento do mundo e agradecendo à vida por tudo o que tenho e sou.
Beijos!

José Sousa disse...

Interessante he! Como ´vê estou-lhe seguindo

Fique bem e um beijão

Mari disse...

A dinâmica do mundo capitalista faz com que as pessoas se sintam assim mesmo. Mas somos parte da natureza que flui, e temos que ter momentos como esses, com certeza, para entender do que fazemos parte.

Rose disse...

Beth:
Concordo plenamente!
A vida nos pede ação, mas também pausas para recompormos nossos pensamentos, reorganizarmos nossos projetos e ideais. Exercitar estes dois aspectos é necessário para uma vida plena e saudável!
Além disto, o quanto poderemos ganhar em aprendizado, ao pararmos para observar ao nosso redor, não é mesmo?
Muitas pausas produtivas para você, querida!
Beijos,
Rose.

Cristiane A. Fetter disse...

Beth, eu também já pensava assim, mas vivendo aqui eu pude desenvolver este momento "pausa" na minha vida.
Sempre gostei de sentar e olhar os pássaros (quando morava ho Humaitá eram os miquinhos) e aqui isso é fácil, além de observar os esquilos, marmotas, cervos, raposas, coelhos, etc.
Na primavera então fica mais fácil ainda.
Precisamos destas pausas e momentos de contemplação.
bjks

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Momentos para reflexão.
Quantas vezes não percebemos coisas tão simples a nossa volta, não é mesmo?
Esses dias, lá no Saison, percebi isso. Pra variar, levantava cedo, com aquele frio e ficava caminhando, observando e pensando sobre a correria aqui fora. Ah!!! Temos quer nos dar essa chance de parar, observar e escutar mais. Reservar momentos para uma pausa e apenas relaxar.
Saudades viu?
Bjs mil

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Não tá fácil... realmente a vida da gente hj em dia é corrida demais. Eh mta pressão de tanta coisa, tantos assuntos, tantas coisas q queremos fazer, conhecer. Aqui vejo mta gente fazendo meditação nos parques, ruas... a fim de "baixar a velocidade mental"... e contemplar a natureza, o momento, a paisagem. Senão a vida se acelera tanto que a gente corre e nem sabe porque!

Muito bom o post e a reflexão.

rocosta disse...

Beth tenho um tio carioca que me chama de coruja. Vim ao mundo para observar... falo pouco, mas presto uma atençao! :)
Beijos, muitos.

Quanto ao jogo estar fraquinho começo de copa é assim mesmo... voce viu a favorita Espanha perder para a Suíça... barbaridade tché! :D

Lu Souza Brito disse...

Olá Beth,

Eu confesso que a coisa que mais gosto de apreciar é o tempo: o dia ensolarado, as nuvens no céu, a noite enluarada (ontem aqui tava uma lua linda com umas estrelinhas embaixo). A natureza eu reparo sempre, diariamente, mas outras coisas passam batido no dia a dia.
Segunda feira pela manha (no meu corre-corre para tomar café e pegar moto e sair correndo), a minha sogra veio em contar que o meu marido tinha arrumado uma das máquinas de lavar. Como há tempos tinha um tanquinho encostado sem utilidade eu falei pra ela: Ahhhhh, pelo menos agora vai pegar o tanquinho e jogarno lixo né, porque nao serve para nada.
Só ai ela me disse que o "tanquinho" tinha ido pro lixo a mais ou menos 10 dias e mesmo eu passando todo dia em frente onde ele ficava, nao havia reparado.
Tenho que aprender a deixar a vida passar de vez em quando também,rsrsrs.
Beijinhos pra vc!!!

Eduardo disse...

No mundo de hoje parece que nunca ha tempo para nada. Nao temos tempo para o que eh importante, para nossos divertimentos, para os amigos ... O segredo ai eh priorizar e administrar o tempo. Podemos ser forcados a gastar tempo em algo urgente, mas eh necessario investir o tempo no que eh importante. As vezes dar uma parada eh um investimento de tempo muito importante. Um exercicio recomendado pelos japoneses eh ir a um jardim daqueles tipicos no Japao onde em um local ao ar livre, existe uma area retangular cheia de pedregulho moido e penteado e la se encontram algumas pedras grandes em uma posicao aleatoria nesse pedregulho. A pessoa se senta e por algum tempo esvazia a mente de todos os pensamentos e se concentra numa unica coisa: observar a pedra crescer...
Um abraco
Shrek

cantinho she disse...

Eu achei a reflexão sensacional, sabia! Show de bola!
Beijo, beijo!
She

Manuela Freitas disse...

OLá Beth,
Agradeço toda a força que também me deu, para que o meu blogue continuásse a aparecer por aí. Afinal mesmo longe há empatias, as pessoas se estimam e é muito bom saber isso.
Ainda me sinto cansada, vou regressar lentamente, estava no pico do entusiasmo e depois caí sem pára-quedas! Entretanto como já leu, fui a Roma e fiquei sem «pio», tenho que ter um tempo para assimilar tudo!rsrsrsrs
É bom como a Beth diz, ter um tempo para «faire niente», concordo absolutamente com tudo que escreve, porque tive uma fase de ter que fazer o necessário e depois é que veio o tempo de fazer o que me apetece, o que me dá prazer e, o prazer também está em determinados momentos, ficar a observar a vida e os outros.
Beijinhos,
Manú

Georgia disse...

Beth, dorei o texto. E tem sido isso que tenho feito por aqui já há algumas semanas. Aproveitando o sol, a vida, as plantas e flores no jardim. Assim como vc aproveita do seu jardim, tenho aproveitado por aqui o tempo bom. Afinal, a vida é feita tb dessas coisas.

Um beijao

Wilma disse...

Ih Beth, sou daquelas que se deixar fico a ver o mundo passar e só observando, aiai tenho o defeito de postergar as coisas, sempre deixo pra depois, pois agora tenho coisa melhor pra fazer, como agora, mas já vou lá no banco, senão, fico sem dimdim.

Dani dutch disse...

OI Beth, em casa acordavamos tomamos café, e ja começamos as tarefas, minha mãe nunca parava de trabalhar um minuto, ver ela sentada no sofá assistindo televisão só quando estava doente e olha lá... mas eu e minha irmã estamos conseguindo depois de muito custo mudar a rotina dela.. falamos mãe a senhora precisa viver !!!.. bjuss