.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Tá ruim, mas tá bom!



Ufa!  Sinceramente, não gosto de fazer ginástica.  Adoraria ficar em casa, escrevendo, lendo ou vendo Tv, mas minha consciência dói demais se eu não me mexer, mesmo que depois da ginástica eu coma o resto do pacote de Macarrons deliciosos que comprei na Confeitaria Beira Mar aqui da cidade e que, gente, é melhor do que o que comi em Londres, muitas vezes melhor. 

Mas, voltando ao tema exercício, digo-lhes que não adianta muito esta minha ginástica, a não ser para o fortalecimento dos músculos e dos ossos, já que além de caminhar na esteira e fazer bicicleta, completando 50 minutos,  e depois pegar firme em abdominais e pesos tem sido minha sessão dia sim e dia não.  Claro que sinto-me com aptidão física e fortaleci meu tônus muscular nestes últimos 3 anos, mas emagrecer ... é ruim, heim!

Hoje, enquanto fazia minha sessão de tortura levantando um pesinho de 7kg, reparei que meus braços estão longe de lembrar aqueles de minha adolescência, pois não eram braços, eram dois palitos longos e finos que me envergonhavam e sempre pedia à minha mãe uma roupa que tivesse manguinhas para cobrir aquilo que me incomodava. Na verdade, eu tinha vergonha do meu corpo, achava-me muito magra e de braços finos e desajeitados, os seios quando começaram a despontar, me deixaram super envergonhada diante dos meus coleguinhas e do meu irmão em casa que só vivia apontando e dizendo que eu ia ficar peituda que nem minha tia Marthinha.  Aí eu tinha até pesadelos, tudo menos aquilo, queria ser mais cheinha e ter peitos pequenos que era a moda nos anos 60/70.  Adolescência é um período complicado e estamos suscetíveis ao juízo que os outros fazem da gente, por isso queremos ser iguais para evitar erros.

Mas, não é de hoje que jovens têm vergonha de seus corpos, alguns sofrem na hora de se expor numa praia ou piscina e inventam coisas do tipo; não vou porque estou gripado ou meu tio morreu e tenho que ir ao velório dele.  Podem também partir para o extremo como vemos acontecendo hoje em dia na escalada absurda do corpo perfeito, meninas ainda muito jovens, lipoaspirando barriga, culote, botando silicone nos seios e quando mais velhas, pensando que ainda não estão no ponto, dão continuidade ao estica e puxa e acabam com cara de tamborim que nem a ... deixa pra lá!

Bom, eu não gostava dos meu bracinhos finos aos 13 anos e andava meio corcunda até,  para não dar na pinta de que já usava soutien , aquele com bojo e bicudo, um horror! Mas hoje, do alto dos meus "enta e poucos anos", estou satisfeita e aceito minha realidade, não poderia pensar como uma adolescente que quer se encontrar nos grupos ou ser uma 'igual', pelo contrário, quero ser mesmo é diferente, ter um visual que seja só meu, por isso às vezes invento umas idéias meio estrombólicas, tipo:  hoje quero usar chapéu e lá vou eu!  Costumo fazer isso lá na serra, onde me sinto mais à vontade.

E você, já se sentiu assim na adolescência?  Tinha vergonha ou não se entendia com alguma parte do seu corpo?




P.S.:  O título é um jargão que minha amiga Teresinha inventou e vive me falando e achei que combinava com meu texto de hoje.


















28 comentários:

Liza Souza disse...

Beth,
sempre tive trauma da minha voz por que ela eh realmente fina e eu esperava que ela engrossaria depois que eu ficasse mais velha. Doce engano! O engracado é que até hoje as pessoas ligam e pedem pra falar com os meus pais e já tive que ouvir isso até em alemao. Outras pessoas que nao me conhecem bem, acham que faco charme e que afino a voz por querer, como se eu tivesse escolha. Outro trauma da adolescencia: nao tinha bunda (meus irmaos me apelidaram de aBunda. rs)e meu nariz grande. O problema do bumbum se resolveu e aprendi a aceitar o nariz enorme. rs Com o tempo a gente aprende a aceitar melhor o que nao gosta no corpo da gente por que passa a perceber que digno de preocupacao é o que a gente carrega dentro da gente.
Beijos querida!

Luciana Klopper disse...

Adorei!! A ginástica a gente deve fazer mesmo por questões de saúde, uma alimentação o mais balanceada possível afim de ser viver mais e melhor, mas nunca deveremos buscar padrões de beleza, somos unicos, cada um com seu cada um..né? Aprender a viver, se amando...SEr igual a todos? que graça tem isso?

Luciana Håland disse...

Beth, eu estou com o problema inverso ao seu, pois não aceito agora, não que eu esteja encucada com o problema, mas não aceitei meus quilos extras, e nem vou aceitar. Mas também não me movo pra fazer nada contra, finjo que faco dieta, como uma saladinha (dois pratos) e depois por ter comido salada eu tomo sorvete e me dou a desculpa de que ta tudo bem. Não tá, eu sei, e nem faco ginástica, como fazia no Brasil, e assim vou empurrando com a barriga que tem crescido. Mas pior, esse ano eu engordei em dois meses 4 quilos, estacionei, pois perdi um e näo recuperei, mas no final estou 4 quilos mais gorda do que em janeiro.
Prometi para mim mesma que amanhä comeco a me movimentar, vamos ver.
Já na adolescência eu tinha motivos para ter complexos, pois minha mãe dizia que eu e irmã não devíamos usar shorts pois tinhamos pernas finas, depois não podíamos usar biquini, depois dizia que eu tava gorda, e minha irmã sempre era magra demais, e por aí vai. Era muita cobranca pela estética, coisa que ainda rola até hoje, ai de mim se não perder esses quilininhos extras antes de ir ao Brasil. Eu não ligo, nunca liguei. Meu problema é somente comigo mesma, a minha insatisfacäo atual é de olhar no espelho e ver, näo do que me falam.

Devo seguir seu exemplo: dia sim dia näo, vamos nos mover.

Beijo

Mila Viegas disse...

Tadinha da tia Marthinha... kkkkk....

Na adolescência eu tinha muita espinha no rosto e isso me incomodava bastante... odiava! Isso e tb o meu cabelo que parecia Clara Nunes depois de levar um susto! Mas adolescente faz muita tempestade em copo d'água tb. Esses sentimentos só terminaram quando me vi obrigada a raspar a cabeça maquina zero... aí percebi que eu não era tão ridícula quanto eu pensava, mesmo sem cabelos! rs.

beijocas

manuel marques disse...

"Elegância é a arte de não se fazer notar, aliada ao cuidado subtil de se deixar distinguir ..."

Beijo querida amiga.

Beta disse...

Eu sempre fui bem descolada... Não me importava muito com isso não...
As vezes batia uma deprê de 5 minutos e passava...rs
Hoje em dia ainda é assim...

bj

Mari disse...

Eu tb tinha uns probleminhas com a aparência qd era adolescente...Mas passa. Pelo menos pra mim passou.

Lu Souza Brito disse...

Ai Beth, olha nós falando da ginástica de novo né? Eu voltei a malhar na segunda e estou me sentindo muito bem. Foi como você falou, melhora a musculatura, dá um up na estima, mas emagrecer emagrecer...nada. Eu sempre malhei, meu maior orgulho sempre foi minha cintura fina e a barriga lisinha. Agora eu faço mais por questão de saúde (por conta da artrite, preciso fortalecer a musculatura, assim sinto menos dor).

Mas vamos aos traumas: sim eu tive, muitos. O pior deles é que sempre fui magra, mas com a cintura fina e um quadril largo, o que chamava muito a atenção dos meninos e me matava de vergonha.
Outra coisa: braços fininhos sempre tive, mas nao incomodava com eles, mas os seios, Jesus: eram enormes Beth. Todo mundo dizia que eu ia ficar peituda igual a mi nha irmã. Consequencia: meu sonho era fazer uma cirurgia plástica para retirar metade do seio. Mas o tempo passou, eu "cresci" ao redor do seio e acredite se quiser, hoje em dia eles são menor do que eu gostaria. Eles diminuiram conforme foi passando a adolescencia.
Hoje já penso em colocar silicone, se eles continuar a diminuir. Imagina depois que eu amamentar? Vou ficar despeitada, ahaha.
Mas agora me aceito bem. Gosto de ser diferente. Minha maior aceitação foi meu cabelo, agora totalmente original, sem querer o liso negro das demais amigas. E cada dia que me conheço vejo o quanto especial eu sou justamente por nao ser igual aos demais.
Pena que a gente so começa a pensar assim quando já sofreu barbaridades para ser aceito, etc...

Lucia Cintra disse...

Eu ja sou o contrario, tinha um corpaco qdo era adolescente e nunca tive implicancia. Hoje em dia eh que nao ponho um biquine nem morta, antes de perder meus quilinhos a mais. A unica implicancia que tinha na epoca era de ser baixinha, hoje eu nao ligo.

E concordo contigo, detesto fazer ginastica, mas eh algo mt importante pra se deixar de lado, fora que vc se sente super bem assim que acaba de fazer. Bjos

Lucia Cintra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renata disse...

Minha amiga, nada como ter 40 e poucos com corpinho de 40 e poucos...e não precisar ficar sofrendo por causa disso!!!
Com algumas excessões, é claro, hoje me sinto liberta de todos os preconceitos relativos ao meu corpo...curuz!!!

Mas em compensação, minha filhotinha de 15 anos pra sair de casa é uma luta, cada hora cisma que tá com alguma coisa fora do lugar...pra ir à piscina então é
uma luta...mas não adianta, só o tempo pra fazer ela entender que por mais que a gente esteja caída, tem sempre alguem muito mais caída que a gente, e que não tá nem aí!rssss

Lúcia Soares disse...

É isso, Beth. Tá ruim, mas tá bom...
Podia ser pior...Antes, pelo contrário...rsrsrr
Beth, eu era a rainha dos complexos, pois era a terceira filha, as 2 mais velhas eram altas, loiras, eu sou baixinha,cabelos escuros; tinha um dente defeituoso, que só depois, no final da adolescência, já com quase 20 anos é que fui arrumar, por pura displicência de minha mãe e minha falta de atitude...Enfim, sofri muito, acho que por isso mesmo não ligo a mínima pra estética, mas me protejo de todas as maneiras, sem pernas à mostra, sem braços à mostra, sem decotes, sem roupas justas...enfim, sou quase uma sombra...rsrsrs
Detesto aparecer!
Bj

Glorinha L de Lion disse...

Oi Web Mana! Já sabia do filho da Marta...ela me mandou um email ontem...fiquei com peninha, mas ele já está melhor...quanto ao corpo...sempre gostei do meu corpinho...era muito bonitinho mesmo! (metiiiiida!!!!!) mas depois que casei, tive filho, pronto ! Acabou a lua de mel comigo mesma...sempre me achava gorda e tome de remédio pra emagrecer, dietas loucas...hoje, tb nos enta, me aceito mais...queria tirar uns pneus, mas acho que nem tenho mais coragem...agora vou morrer pelancuda mesmo...marido não reclama e como não pretendo ter um amante, vou levando...e me consolando com a frase: o que importa é o conteúdo! hehe. beijão!

Tati Pastorello disse...

Eu era aquela que inventava o resfriado para não ir à praia ou piscina. Era magra, na realidade, vendo hoje, tinha um corpo lindo, mas morria de vergonha de "ser olhada". Depois meus seios dispararam Eu tinha 15 anos) e como fazia hipismo era um horror aquele sacolejar de mamas... esteticamente ficava feio no esporte. E nos anos 90 ainda não era a "moda dos peitões". Eu comprava soutian de velhinha... horrorosos, cor da pele, gigaaaantes. Fiz redução de mama com 16.
Hoje gosto muito de quem sou. Meu pacote é do tipo pague 2, leve 3 (por imposição), mas marido gosta! Então tá bom!!
hehe
Beijos.

ML disse...

Pois minha "barriguinha charmosa ;>) da adolescência continua firme e forte. Eu, até hoje, sonho em perdê-la, mas continua difícil...

bjnhs

Cris França disse...

meu prof de educação física me fazia fazer exercícios pros braço, quase não tenho força na mão e nos braços, mas melhorou com a idade.

no algo da vida, eu tinha um corpaço de tanto dançar, porque pra me tirar de uma pista de dança so com reza brava...rs

depois natação

e depois mais nada.....kkkkk

oh vida cruel...como é duro adolescer.....

ai minha envelhecência....

bjs querida!

Cris Caetano disse...

O meu é ao contrário, como comecei no ballet clássico muito novinha (5 anos) nunca tive problemas com o corpo, mas agora é: ginástica pro braço senão dar "tchau" nem pensar, pra perna continuar grossa, pra bunda não cair e pras costas não doerem pelos bicos de papagaio. Saudades da adolescência...

Beijinhos

Bia Mendonça disse...

Vergonha, vergonha eu nunca tive... principalmente pq sempre fui gordinha. Por um tempo emagreci, mas ai minha vida de intercambios começou e pronto, adeus (ou melhor, sejam bem-vindos novamente) o peso perdido. :P

Eu sempre quero me cuidar melhor e quando estou disciplinada até consigo perder peso rápido... o problema é essa tal de disciplina viu, dá uma preguiça que só! hahaha

Agora tenho certeza de que quando chegar no Brasil, mesmo em pleno inverno, vou ter vergonha de estar quase verde de tão branca! E vou apelar pra o maiô!

bjs!

P.S.: morri de rir com seu comentário lá no blog! :D

Astrid Annabelle disse...

Olá Beth!
Muito gostosa toda essa conversa...
Eu nunca tive problemas com o meu corpo...sempre gostei muito dele. Eu hoje aos quase sessenta e dois anos posso falar..era muito bonita na adolescência...(não querendo ser...sendo metida, como disse a Glorinha)rsss
Mas aos onze anos aí o bicho pegou...porque cresci tudo de uma vez. Então eu era a mais alta, a que tinha o maior pé...(um horror)e me sentia a desingonçada da turma...como sofri!!!Aos quinze ficou tudo em ordem...os outros cresceram!!!!hahaha
Hoje estou bem e com um corpo razoável, embora se perdesse uns três quilinhos aí ficaria ótimo! Mas não me ocupo com isso...eu precisaria andar que todo o resto ficaria bem...mas, e a preguiça???
Valeu...quem sabe começo a andar amanhã!!!!!
beijos alegres.
Astrid Annabelle

*~* Coisas da Bruxinha *~* disse...

Beth querida como vai vc ??? Ah e eu venho aqui logo num dia de um post polemico ??? Eu quero continuar me fazendo de louca e nem pensar nos quilos a mais, deixar pra pensar amanha e assim por diante, quero é viver. Só tenho medo quando vejo que por causa disso posso ter problemas de saude que não me deixem viver em paz e feliz, hehehhhehe, no mais acho que gostaria de ficar mais magra mas não quero fazer regime, ginastica eu odeio e caminhar não posso mais, lesionei o joelho feio na esteira , depois disso tb cai duas vezes e tb machuquei os dois pes, ligamentos, ai danou-se. é a desculpa que tenho para nem andar muito, pq doi tudo rsss.
Ui, vou me embora antes que resolva fazer regime, kkkkk, bjs Leila

rocosta disse...

Beth se hoje peso menos que 50 kg imagina na minha adolescência... era retinha!! Fiz minha mãe me levar ao médico para saber por que minhas primas tinham corpão e era aquela vareta hehehehe
Beijão!

Teresinha Ferreira disse...

Pois é, tá ruim, mas tá bom!!!kkkkk...Ai ai ai.
Como sempre, fico aqui rindo dos seus CAUSOS.
Então minha amiga, eu nunca tive esses problemas de braço fininho, perninha etc...Mais juro, como gostaria de ter aqueles braços de qdo tinha 13 anos...
Tá ruim, mas tá bom...Hoje estou indo todos os dias para academia. Adoro a aula de body combat...Estou seguindo minha dieta e seja o que Deus quiser...Às vezes, realmente, dá um desânimo danado, mas...Coloquei na minha cabeça que quero o melhor para o meu corpo, independente de qualquer coisa do dia a dia.
Viva a vida e a academia!!!! rs
(pelo menos, falando assim, fico mais disposta.kkkkkkkk)
Fique bem.
Bjs mil

efeitoseconceitos disse...

Ah, eu tinha o maior complexo porque era muito magras.Alçém disso eu também era a mais alta da minha turma e me achava desengonçada.Hoje, eu adoraria me sentir muito alta e muito magra.Heheheh
Bjo
Yoyo

Ivana disse...

Beth, ate os meus 22 eu tive muito preconceito comigo mesma! Me achava gordinha e, pior, peituda! Odeeeeo!!
Aos 22 fiz dieta e eliminei 7 Kg. Fiquei xuxu! Me achava lindona e tudo me vestia bem. Os peitos diminuiram e ficaram proporcionais. Essa lua de mel comigo mesma durou ate os 28, mantendo o peso. Ai mergulhei nessa vida doida da hotelaria e me larguei... Ja ate consegui emagrecer algumas vezes, mas acabo recuperando meus klgs extras...
Os peitos nem preciso te dizer que chegam primeiro em qquer lugar! Alguem ai aceita 10kg de cortesia? To dando!
Beijos!

Lucia Cintra disse...

web-mae, voce sumiu! Vc recebeu o meu email com o endereco do blog novo, ne? bjos

orvalho do ceu disse...

Oi, querida
Paz!
Passo para convidar vc a participar da BLOGAGEM COLETIVA ESPIRITUAL QUE PRÉ LANCEI DIA 12 E QUE SERÁ DIVULGADA HOJE: DIA 13Conto com sua participação, na certa, vc muito nos acrescentará!
ENTRETANTO, FIQUE À VONTADE!
Bj no seu coração

Gisa disse...

Ai ai ai Beth, não me faça lembrar que a praia está ali do lado e não tenho coragem de acordar as 5hs pra dar uma corridinha... tudo muda com a idade. Eu tb era cheinha na adolecencia, e... continuo cheinha kkkk

Eu ainda não estou satisfeita com meu corpo não, não cheguei nesse estágio, sou muito exigente comigo e vivo querendo ficar melhor... mas tb não sou daquelas que acha que morre ao ver umas godurinhas :)

Gosto muito de passar por aqui, você é divertida demais.
bjssss

Dani dutch disse...

Beth, tudo bem?
Eu posso diminuir minha comida, comer pão integral, arroz integral, mas se não andar os 7 kilomentros, os kilinhos não vão de jeito nenhum... e mesmo assim foi um processo super demorado, foi 1 ano pra perder os 10 kilos.
E quando tinha 12/15 anos usava duas calças porque eu era muito magra.. de repente depois dos 22 comecei a engordar..
Mas agora meu objetivo é outro, é fortacer minha musculatura e cuidar da saúde..
Comecei há uns 5 meses atrás fazer umas posturas de Yoga, no começo fazia a postura e não conseguia ficar nem 1 minuto nela, com o passar das semanas fui tentando e tentando, até conseguir,e foi muito bom pra controlar também o medo de dirigir, além de tudo isso já percebi melhoras no cotovelo, e nas costas também ( com ajuda das palmilhas).
Tenho uma bicicleta em casa, mas fico nela só 20 minutos, na minha do Brasil conseguia ficar 1 hora, mas a daqui não. bjuss