.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

terça-feira, 11 de maio de 2010

Liberando Oxitocina

(Imagem Corbis)


Na sexta-feira passada fui ao jantar de aniversário de uma prima em Itaipú, região oceânica aqui de Niterói.
Ela fez a festa em sua própria casa e, como sempre, uma delícia tudo, desde a mesa de entrada ao jantar, sobremesas e vinhos servidos. Ela é ótima anfitriã e tem muitos amigos.

De repente, para refrescar um pouquinho minha alma esbaforida do calor que ainda não me acostumei por aqui, fui para a varanda onde tinha uma mesa comprida e minha prima e outras mulheres ali sentadas mantinham uma  conversa bastante animada.  Reuni-me logo ao grupo, acomodando-me com uma taça de lambrusco nas mãos e as idéias já alegres e descontraídas pelo efeito mágico que o vinho nos causa. E a conversa rolou solta, muitas risadas e estórias engraçadas que cada uma contava, tudo numa descontração geral e parecendo que nos conhecíamos de longas datas.  Na verdade uma ou outra já se conheciam ali, mas a empatia do grupo fez com que nos entrosássemos rapidamente e uma estória dava gancho para uma outra diferente. Não ficávamos caladas nem um minuto, um assunto entrava noutro com a simplicidade e rapidez que só a mulherada imprime nestas horas.

Na mesa redonda ao lado, um grupinho de homens também conversava e dei uma esticada nas orelhas para ouvir do que falavam.  Fiquei curiosa porque eles não falavam com a mesma empolgação que nossa mesa e, de vez em quando fazia silêncio entre eles e nos olhavam com sorriso nos lábios, talvez achando que nossa mesa era mais interessante ou nos achando engraçadas em nosso falatório e gargalhadas.  

Mais uma vez constatei que nós, mulheres, somos mesmo muito diferentes, gostamos de estar juntas e falando ou rindo de preferência.  Lembrei-me de um estudo que li há pouco tempo, dizendo que o processo de conversar, interagir, trocar idéias é próprio do sexo feminino e chega a ser uma experiência de cura.  Através de nossas conversas animadas, liberamos o que chamam os cientistas de Oxitocina que nada mais é que um hormônio ligado ao que as pessoas sentem ao, por exemplo, abraçar seu parceiro de longa data ou ajudando as pessoas a ficarem juntas.  Alguns especialistas a denominam 'hormônio do amor'.  Em outras palavras, a confiança gera Oxitocina e o hormônio estimula a generosidade e os laços entre as pessoas. (fonte aqui)

Eu vejo também que muitas mulheres sobrevivem aos homens de forma consistente, mesmo quando ficam viúvas, pois buscam ajuda nas conversas com amigas, não se isolam.  Afinal não ter amigos íntimos ou confidentes,  acaba sendo tão prejudicial à saúde como o fumo ou quando se carrega um peso extra.  

Acho que é por isso que os homens têm o nível de estresse maior que nós, pois não conseguem interagir dessa forma, fazendo e cultivando amigos ou simplesmente conversando e falando de seus anseios ou dificuldades.  Aliás, isso não fazem de jeito nenhum, mas falam do time de futebol do coração, do trabalho, das viagens, mas de si ... nunquinha!  É notório que quando a mesa é mista, os homens falam um pouco mais, principalmente de si próprios e de suas expectativas diante da vida, mas entre eles, os assuntos não passam do trivial.

Pois eu acho que para nos manter saudáveis e até mesmo acrescentar anos à nossa vida, isto é fundamental. É como uma fonte de força mútua e que acabamos educando uns aos outros ou vendo no outro que tem o mesmo problema, alegrias, anseios ou dificuldades que nós.
Portanto, amigos nos ajudam a viver melhor e é menos provável que tenhamos deficiências físicas ou mentais quando temos uma vida alegre ou compartilhada  em bons relacionamentos.

Não preciso dizer que os homens da mesa ao lado foram aos poucos 'abduzidos' pela nossa mesa alegre e um ou outro já prestava atenção às nossas gargalhadas, curiosos, meio tímidos, mas com uma vontade enorme de sentar ali com a gente.

Por isso mulherada e homarada, não esqueça de liberar hoje ainda sua Oxitocina.  Faz bem e rrrrrrrrecomendo!




17 comentários:

Beta disse...

É...
As mulheres são ímãs por natureza...rs

bj

manuel marques disse...

Vou ver se consigo dinamizar a homarada.Prometo que vou tentar.

Beijo.

Lu Souza Brito disse...

Não sabia deste estudo não Beth, mas faz sentido.
Mesmo porque, depois de dividirmos um problema, uma dúvida ou uma vitória, saimos mais leve, mais felizes da conversa. Efeito terapeutico, com certeza.
Kisses

Glorinha L de Lion disse...

Beth querida! Eu libero a minha todos os dias, seja falando com vc, ou com outra amiga, seja escrevendo no blog e dividindo meus anseios, minhas dores e alegrias, seja falando com meu marido e filhos...sou uma oxitocina ambulante!
Pode crer!
Beijos.

Heloísa disse...

Beth,
Achei esse seu post fantástico.
Como é importante essa troca entre as pessoas, os contatos de amizade, as interações.
E isso já está bem comprovado. Faz mesmo bem para a saúde, e quanto mais avançamos em idade mais devemos fazer para mantermos vivas nossa amizades.
E é por tudo isso que é muito bom ser sua amiga.
Beijos.

Françoise disse...

Ahhh, isso é realmente uma delícia, só não sabia que liberava este nominho aí"oxitocina". Não esquecerei mais. Sabe que me fez lembrar de uma saída minha antes de vir pra cá. Minhas amigas me chamaram p/ um happy hour(que adoro fazer)e só mulheres casadas. A hora voou e no meio a gargalhadas e muita alegria na mesa, uma moça ao lado se levantou a pedido de um moço e veio nos perguntar quantas de nós eramos casadas pois ele disse a ela que não podíamos estar nos divertindo tanto sem a presença de um homem. Acredita? Apostou com ela que das seis , somente uma era casada e éramos todas coitadinho!!!! Precisa ser solteira ou sair pra paquerar com um homem ao lado na mesa pra ser feliz???? Claro que não, nós mulheres adoramos conversar e nos divertir saudavelmente....

Beijinhos Beth!!!

Mari disse...

Ah, então é essa tal substância química que me faz sentir tão bem depois de uma conversa com as amigas! Adorei o que vc escreveu comparando, é assim mesmo!

Barbie Girl disse...

As mulheres são 8 ou 80!

Ou se enturmam rápido ou se odeiam rápido...kkk beijos

Luciana Håland disse...

Beth, concordo demais, nós (mulherada) somos mesmo assim, só não sabia o nome do hormônio.

Ontem eu não consegui postar pra blogagem coletiva, o blog não postou, achei que fosse por causa das fotos, mas hoje consegui sem problema, se bem qeu de outro computador. Perdi um post ótimo no final de semana, era sobre exercitar o cérebro, tinha feito uma pesquisa, daí perdi tudo, näo sei o que aconteceu.


Beijo

Lu Olhosde Mar disse...

sumida nada!!! vc tava comentando lá e eu tava aqui, na varanda com vc!!!! hahaaaah! bjaaao

ML disse...

Engraçado é que eu sempre observei essa tal de... oxitocina (?) em grupos masculinos entretidíssimos discutindo assuntos filosóficos tipo futebol.
As mulheres dessa sua mesa são "top"!

bjnhs

Teresinha Ferreira disse...

Olá Beth,
Pois é, às vezes, precisamos de um pouco de vinho para dar asas à nossa imaginação e deixar fluir altas conversas.
Fico triste por não ter amigos aqui aonde eu moro. As pessoas estão, a cada dia, mais trancadas no seu quadradinho não deixando brechas para novas amizades. Como é bom termos alguém para conversar e deixar a oxitocina fluir e fluir.
Ainda bem que tenho amigos virtuais. Só assim, posso expressar alguns dos meus sentimentos e ser feliz.
Fiquei muito feliz em poder conversar contigo e rir muito. Gostaria que tivesse bis no próximo mês...kkkk
Fique bem...
Bjs mil

Carolina Pombo disse...

Oi Beth! Olha que interessante, eu conhecia a oxitocina por ser um hormônio super ativo no trabalho de parto e na amamentação! Realmente precisamos muito de empatia nessa Hora...rsrs

Seu texto é muito verdadeiro!

Bjs

Tati Pastorello disse...

Beth, até quando estamos aqui é isso que fazemos. Pode ser o que nos faz maioria na blogosfera, essa necessidade de comunicação.
Este período que tenho trabalhado de casa... nossa... como sofro! Que falta do convívio! É muito bom estar entre pessoas e dar gargalhadas.
Seu texto me fez muito bem. Obrigada!!
Beijos.

Ivana disse...

Bethinha do meu coração! Então é este horminio aí que me faz gostar tanto de uma reunião de "Luluzinhas", como costumo chamar! Luluzinhas, é aqueule grupo de amigas com alguma intimidade e que quando se reúne a conversa não pára! E nem as risadas!
Semana passada eu estive reunida com as minhas amigas luluzinhas e saí de lá revigorada! Eu adoraria ter um encontro destes pelo menos uma vez ao mês!
Um beijo!

Gisa disse...

Existe ser mais complexo que a mulher ? rs

Fernanda disse...

Eh bom demais bater papo, dar risadas..engracado que ontem eu fui almocar com duas amigas e conversamos sobre essas diferencas entre homens e mulheres, como realmente damos mais risadas, conversamos mais...tanto que ao passar nessa prova todas minhas amigas mulheres aqui e as mulheres da familia fizeram a maior festa, me abracaram, deram pulinhos e gritinhos de felicidade, e meu marido soh disse assim:
Eu sabia que vc ia passar.

LOL

Beth, ja agradeci seu carinho no meu blog, mas venho agradecer de novo.
Um abraco!!!