.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 21 de março de 2010

Outono e o prazer em ficar ao ar livre



Neste final de semana fiquei por aqui mesmo em Niterói e assim meio sem compromisso na manhã deste sábado outonal,  fomos andar "pela aí', como dizem os mais jovens.  A idéia era aproveitar o sol mais suave e o azul do céu para ficar ao ar livre.  Estas redondezas tem muita praia, mas não sou muito adepta de me sentar na areia e ficar olhando o mar, gosto muito dele, mas não é ele que me acalma ou que me mostra diferenças.
Assim,  prefiro olhá-lo de um lugar alto, para ver bem distante o que acontece no vasto mar.


Meu marido lembrou-me que a região dos Fortes aqui dentro da cidade é muito bonita e fomos pra lá curtir a paisagem.  Compramos jornais e revistas, levamos nossas cadeirinhas de praia e o forte escolhido foi a
Fortaleza de Santa Cruz da Barra que, além da bela vista, comporta um restaurante totalmente envidraçado e de frente para o mar com as montanhas do Rio ao longe, pode-se avistar grandes navios que chegam pela boca da baía e com alguma sorte até um submarino em manobra como vimos ali,  sentados próximos a um dos canhões.


"A Fortaleza de Santa Cruz da Barra tem sua origem em 1555 com a instalação, por Nicholas Durand de Villegaignon, de dois canhões em um forte rudimentar.  Localizada na ponta do promontório rohoso que domina a entrada oriental da baía de Guanabra, para a segurança contra intrusos e assegurar circunstâncias melhores no estabelecimento da França Antártica.
Depois da expulsão dos franceses do Rio de Janeiro, em 1567. durante o período em que o Brasil era colônia de Portugal, a fortaleza recebeu os nomes de "Bateria de Nossa Senhora da Guia" e Fortaleza de Santa Cruz da Barra", constituindo parte do sistema de defesa da entrada para a Baía de Guanabara, estabelecendo sua importância durante os períodos: colonial e republicano.
A beleza de seus edifícios, exemplos impecáveis da arquitetura luso-brasileira, nos transporta para o século XVI."




O Restaurante Zéfiro ali instalado, além do visual encantador, preservou a natureza do local, onde uma gigantesca amendoeira sai por um buraco aberto no teto que serve de cobertura para a estrutura que lembra uma grande lona de circo ou velas de embarcação, não sei ao certo.  O bufê a quilo é variado e como muitos restaurantes brasileiros, cheios de opções deliciosas.  Aliás isto é uma característica que faz grande diferença quando viajamos e descobrimos como nosso país tem enorme riqueza de alimentos e que são processados de forma a oferecer pratos fartos, coloridos e diversificados. 

 
Depois do gostoso almoço, ainda ficamos de bobeira olhando o mar lá fora e fazendo a sesta.  Os ares de outono proporcionam uma agradável brisa mesmo com o sol no horizonte, mas já não tem aquele abafamento que este ano levou o carioca a ficar dentro de salas com refrigeração.  As pessoas realmente estavam curtindo aquela tarde luminosa.

Então fomos a outro ponto ali perto, e que sempre passo por ele mas nunca me interessei em subir até ao pequeno monte onde fica localizada a Capela de São Francisco Xavier e que dá nome ao bairro aqui ao lado de minha casa.  Fiquei impressionada com a vista da praia de S.Francisco com uma regata acontecendo, assim como a relíquia que iria descobrir para mostrar a vocês.  Leiam a descrição abaixo:

"Construída no alto de uma colina, entre as praias de São Francisco e Charitas, é uma notável relíquia do Brasil-colônia. Consta ter sido fundada pelo padre José de Anchieta em 1572, embora historiadores reportem sua origem ao ano de 1696. Seu aspecto lembra a maioria de nossas capelas coloniais: paredes grossas, portas pesadas de reduzidas dimensões, bem como as janelas, denunciando um estilo barroco. No interior encontra-se: no altar-mor a imagem de São Francisco Xavier, belo trabalho de madeira, laminada em ouro; a pia batismal feita pelos índios; um armário embutido na sacristia datado de 1696; um relógio de sol voltado para o nascente, com o emblema dos jesuítas; um cruzeiro de madeira e um sino são peças do mesmo período. No sopé da colina, ainda hoje se pode ver um peão de terras de 1727, com inscrições e insígnias dos jesuítas."



Como podem observar, o passado existe e continua presente, basta que tiremos um tempinho para procurar e descobrir ao nosso redor coisas que podem deixar o nosso dia interessante e contemplativo, como fiquei ao olhar para este portal abaixo, feito em madeira rudimentar do ano de 1696 e trazido para dentro desta capelinha no alto da colina e aqui tão perto de minha casa. 





18 comentários:

ML disse...

Eba, Madame, que domingaço!

Hoje, fui caminhar debaixo de chuvisco (um luxo tb, melhor do que andar - se arrastar? - sob 40 graus, né?).

O outono é a minha estação favorita.

Adorei suas fotos, a montagem, os filmes e a paisagem - que beleza, Beth!

bjnhs e boa semana aí.

Bia Mendonça disse...

Ai Beth, inveja... muita inveja do mar, das comidas que me deram agua no boca!!

Aqui tb esta assim, mesmo sem mar, tenho aproveitado o lago e o clima mais quente!!

Boa semana para vc!

bjos

Dona Flor disse...

Lindas as suas fotos! O outono aqui também é lindo, mas eu estou louca pra primavera dar as caras e começar a esquentar um pouco, pra eu tirar o mofo! hahaha

Beijos!

Georgia disse...

Isso que eu chamo de um bom programa acompanhado de uma deliciosa comida.
Deu água na boca.

Boa semana

Bjao

Dani dutch disse...

OI web-mãe, eu adoraria estar com vc neste domingo, sinto falta desses programas, sair pra comer a nossa rica culinária brasileira, ver o mar,
O programa foi agradabilissimo, adorei as fotos.. bjuss

Barbie Girl disse...

Oi querida!!

Adorei a dica do restaurante, anotei para falar com marido, não sabia que lá tb tinha um espaço assim.

Boa semana!! Beijos

Luciana Klopper disse...

Eu tb adoro passear por aí!!!sou de SG, pertinho!

Glorinha L de Lion disse...

Mas isso é o que se chama de uma bela reportagem! Acho que vc tem alma de jornalista! Menina, ficou espetacular...as fotos, a pesquisa histórica e esses slides então? Tô bege....de invejinha...queria ter ido com vc...
Beijos e parabéns pela veia josnalística!

Heloísa disse...

Beth,
Que ótimo programa para um domingo.
E que lugares interessantes que Niterói tem. Ainda preciso conhecer sua cidade, que me parece muito linda. A apresentação das fotos está 10.
Beijos.

Camila Hareide disse...

Fim de semana delícia, o seu! Adorei ir passear contigo, através de seu post!

beijo

Sonia H disse...

Ai, Beth,
Viajei...... não literalmente (risos), mas nas imagens que você publicou nesse lindo post.
Niterói é linda e daí, eu vejo como o Rio é mesmo bonito.
Obrigada por compartilhar. Você sabe aproveitar a vida e está certíssima, viu.
Beijos,

Mariana disse...

Que gostoso!!! Senti o cheiro do mar e da comida daqui :)))
Amei a simplicidade e beleza da capelinha.
Bjs Beth!!!

Ana Paula Soldi disse...

Paisagem belíssima, e ver essas fotos está me dando fome.
Que domingo gostoso.
beijos

Silvia Masc disse...

Belo domingo hein Beth? Lindas as fotos.

Nós aqui passamos o sábado em um shopping, organizando a mala do marido, depois fomos almoçar em um restaurante que eu gosto, por 2 razões, 1o. pq. fica em frente a FAAP, cuja arquitetura do prédio me encanta, 2o. pq tem um badejo servido com arroz de brocólis e um palmito cremoso divino, estava exausta de tanto andar... sentar, tomar uma água geladinha em seguida almoçar... me senti no paraiso.

beijinho

gabriela disse...

Querida amiga, pois é verdade eu tenho andado um pouco fugida,agora arranjei uma brincadeira no facebook,estou sempre lá caida, e você também tem facebook?
Então aí estão a entrar no Outono, aqui estamos agora na primavera, os dias já estão mais quentinhos com muito sol, que bom já estavamos fartos de chuva.
A minha Matilde e os papás estão na Republica Dominicana de férias, tenho tantas saudades.
Gosteidas fotos a igreja parece as nossas é a mesma arquitetura, por vezes temos coisas tão lindas tão perto e nem nos apercebemos, mas por aquilo que li valeu bem a pena.

Beijinhos e boa semana vou aparecer mais vezes prometo

Lúcia Soares disse...

Oi, Beth. Como sempre, adorei o post.
Estou em Londrina, como sabe, e sem tempo pra blogar. Só semana que vem...rsrsrs
Amanhã Estevão faz aniversário e o dia será cheio.
Que bom um domingo passado assim, sem atropelos e apreciando o que se gosta. Eu passei parte da tarde a começo da noite voando pra Londrina, 2 voos. E como detesto, haja coração...Ainda por cima, vim sozinha.
Mas tudo por uma boa causa.
Obrigada por seu comentário lá na Meiroca.
Bj

Lucia Cintra disse...

Sabe o que eu nao entendo? Morei ai por 17 anos e nunca explorei a cidade assim, que desperdicio! Se bem que naquela epoca nao era mt interessada em historia como sou hoje.

Adorei saber desse lugar por vc e da proxima vez, farei questao de tb visita-lo. E que dia gostoso, Web-mae!!!

Bjos

PS: Cresci indo nas praias de Sao Francisco e Charitas com minha mae e irmas... Eta epoca boa!

rocosta disse...

Eu que adoro história, amei esse passeio com voce.
Beijos, muitos!