.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

sexta-feira, 5 de março de 2010

Ativando,criando, exercitando o Cérebro.


 (Don Hammond/Design Pics/)


Ultimamente, talvez pelo fato de ver minha mãe envelhecendo e pensar quase todos os dias sobre o medo em perdê-la, obrigo-me a olhar para mim mesma, com um olhar atento sobre coisas que nunca me importei tanto.
Me pego lendo artigos ou comentários a respeito de como aproveitar melhor, saber utilizar e ativar este orgão tão complexo que é nosso cérebro.

Já li coisas do tipo:  Exercícios físicos, mudanças de rotina como - aprender um novo idioma, fazer palavras cruzadas, viajar, ler, estudar, escrever com a mão esquerda, tomar banho ou caminhar pela casa às escuras, jardinagem, observar a natureza, aprender música ou qualquer forma de arte, muito ajudam na ativação dos nossos neurônios e a envelhecermos mais tardiamente.

E nessas reflexões, volta e meia mudo uma coisa de lugar, como por exemplo,  a lixeira ao lado da mesa do computador e aí fico por alguns dias tentando colocar o lixo no lado em que sempre esteve aquele objeto e que eu estava acostumada, mas depois, meu cérebro aprende e aí, percebo que forcei-o a isso e que no final das contas foi um ótimo exercício para minha memória, como se meu cérebro fizesse uma ginástica apropriada.

Conservar nossa memória é um exercício e tanto, mas precisamos esforçar-nos, por isso quando quero falar o nome de um filme ou de uma atriz e não me recordo no exato momento, não me dou por vencida e fico pensando naquilo, rebuscando lá nos confins do cérebro até chegar no arquivo guardado e fechado à sete chaves.  Sou daquelas teimosas neste sentido!

Num desses artigos que li há pouco tempo, o autor lançava desafios para que as pessoas descobrissem  novas e interessantes atividades com aquelas características e que possam também dar prazer. 

Deixo aqui a pergunta aos amigos; quais são as suas descobertas neste sentido?


No meu caso,  exercitar o bom humor e rir com amigos, coisa que adoro fazer,  é um excelente indicativo de que estou bem e com muita saúde mental.  Então, rir é também um ótimo remédio para males do cérebro.



9 comentários:

Georgia disse...

Oi Beth, o pior que penso que poderia me acontecer seria perder a memória, ou entao ter alguns lance de realidade. Nao reconhecer mais seus filhos na velhice deve ser doloroso para os filhos.

Bjao

Glorinha L de Lion disse...

Beth querida! Como acabamos falar sobre isso, vou te dizer o que eu faço: muito sudoku, muita leitura, programas intesressantes e documentários na Tv,escrever meu blog, que me faz ter contato com inúmeros modos de pensar iguais e diferentes do meu...pesquisas quando vou falar de uma assunto que não domino, mas como me interesso por quase todos os assuntos, fica mais fácil opinar sobre tudo e trocar ideias sobre tudo tb.
Mas não pense que tb não ando esquecida! Estou sim! Mas acho que isso tb é decorrente dos tempos que estamos vivendo: stress, correria, violência, luta pra sobreviver...mas quando não lembro, faço como vc, me esforço até conseguir lembrar...isso é um ótimo exercicio...mas gostei da sua ideia de trocar coisas de lugar...vou agora, mudar minha lixeira para o outro lado!
Beijoa amiga querida!

Liza Souza disse...

Beth, penso como voce: rir é um excelente remédio. Tbm acho que devemos exercitar o cerebro sempre e uma das coisas que me apavora é pensar em perder minha saúde mental. Para falar a verdade sempre fui muito preguicosa em relacao a isso, demorei tempo demais para aprender que ter essa saude mental e que ter os meus neuronios sempre ativos só depende de mim e do meu esforco diário. Para mim o principal é nao se entregar a essa loucura do dia a dia, nao trazer o estresse do trabalho para a vida pessoal, nao ficar correndo o tempo todo. É ter um momento pra gente, fazer o que se gosta, estar onde vc se sente bem, se alimentar de uma maneira saudavel, praticar exercicios fisicos e sempre se dedicar a algo novo e desafiador.
Beijos

Eduardo disse...

Ola, Beth, muito apropriado esse seu tema sobre o cerebro. Segundo os entendidos, o cerebro pode e deve ser exercitado toda a vida, caso contrario perde suas funcoes. O corpo age pelo principio da economia. O que nao esta sendo utilizado eh eliminado, assim temos deterioracao de musculos, ossos, capacidade mental e outras funcoes, quando nao ha exercicio. Eh muito importante manter a mente ocupada, principlamente com exercicios de memoria, de aprendizado e de pensamentos complexos. Essas tres funcoes exigem muito do cerebro e provocam a participacao de neuronios em varias regioes ao mesmo tempo. Como a memoria eh "armazenada" em pelo menos 5 regioes distintas, o exercicio de memoria eh um dos mais eficazes para se manter a mente sa. Com a continua exigencia dessas regioes o cerebro mantem essas areas ativadas, caso contrario elas podem ser desativadas para sempre por falta de uso. O raciocinio logico e emocional eh muito bom por solicitar os dois hemisferios respectivamente. Por tudo isso nao existe idade para parar de aprender, para evitar desafios e pensamentos complexos. Isso tem que ser feito toda a vida. Ocorre morte de neuronios com a idade mas podemos reduzir essa taxa e redirecionar funcoes para outros neuronios se nao ficarmos inativos. Importante eh evitar a rotina que nao exige quase nada do cerebro.
Um abraco
Eduardo

Lu Souza Brito disse...

Olá Beth,

Achei muito interessante a sua "ginástica cerebral", vou me atentar a isso também. a coisa de mudar objetos de lugar e insistir em fazer igual acontece comigo. Tinha uma mesinha no quarto, bem ao lado da porta. Assim que entrava, colocava as coisas em cima. Mudei a mesa e no lugar coloquei um puf. volta e meia eu vou na direção para colocar algo.
O blog da Silvia (Longevidade) tem abordado bastante este tema ultimamente, acho bacana.

Pra exercitar a memória, ah, além do que você falou eu amo palavras cruzadas...

Beijoooossss

Luciana Klopper disse...

Beth, questão importantissima que vc abordou aqui no blog, muitas pessoas não se dão conta que envelhecemos de dentro pra fora, e só querem cuidar do que é visto! Mas esquecem que o cérebro é nosso maior caixa forte, nele guardamos todo nosso tesouro, memórias, sentimentos, recordações, aprendizagem!

Eu aprendi a pouco tempo a jogar Sudoku, acho que melhora muito o racicionio lógico!

ML disse...

Esse negócio de perder a memória é coisa muito séria. Com a minha sogra a coisa foi galopante.
Mas como ela não percebe, tudo bem.
O exercício mental que já ouvi que é muito bom é palavras cruzadas. E acho que quebra cabeças também.

bjnhs e um ótimo final de semana.

Heloísa disse...

Beth,
Muito oportuno esse seu post.
Sem dúvida, precisamos sempre estar atentas para conseguirmos envelhecer bem.
Ginástica física (caminhadas) e ginástica mental.
Acho que nós, blogueiras, sempre estamos ativando nossas memórias, nossas funções cerebrais.
Junte-se a isso os outros exercícios, como palavras cruzadas, sudoku etc. e acho que estamos fazendo nossa parte.
Mas muito importante, mesmo, é também desenvolver o bom humor e rodear-se de pessoas alegres.
Beijos.

Dani dutch disse...

OI Beth, minha vó guarda as coisas e não lembra, minha mãe é igualzinho, vira e mexe quando nos falamos por telefone, ela me diz Dani lembra daquele objeto que vc pediu pra guardar, achei ele hj..
E falando em novos idiomas, Beth eu misturo holandês com inglês o tempo todo, mas descobri na Yoga um poder enorme para controlar meus medos ( principalmente o de dirigir)
bjuss