.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Você também tem uma Grande Família?


http://canalmatriz.zip.net/images/AGrandeFamilia.jpg


Quem não gosta de embarcar nas deliciosas confusões desta Grande Família?

Desde os anos 70 eu embarco e é sempre uma satisfação assistir a este programa que a Globo mantém semanalmente, coisa rara nos dias de hoje em que tudo se degringola, principalmente quando é coisa boa.

Como a gente ri com este pessoal que se renova de tempos em tempos! O Agostinho (Pedro Cardoso*) é o máximo e até o visual misturado que escolhem para seu figurino já é o suficiente para se começar a rir. E agora tem um personagem que consegue superá-lo com suas burradas antológicas, parodiando o borracheiro da esquina - é o Paulão de Evandro Mesquita apaixonado pela manicure escalafobética Marilda (Andréa Beltrão). Noutro dia ele solta uma de se rolar de rir com uma palavra trocada (pedófilo/peidófilo) pérolas assinadas atualmente por diversos e bons autores.

As loucuras dessa turma agradam tanto, porque justamente é a cara da família brasileira, são sempre inspiradas nas brigas e situações familiares mais típicas e o melhor de tudo, sem apelação, sem mulher pelada, sem vulgaridades e baixarias. Uma fórmula simples que está no ar há simplesmente 37 anos. Vocês já tinham pensado nisso, que o programa é tão antigo assim? Seu primeiro episódio foi em 26 de outubro de 1972 e alguns atores já foram pro outro lado da vida, mas ficaram em nossos corações e lembranças, como o Tuco de Luiz Armando Queiroz e o vovô seu Flôr (Rogério Cardoso).

A gente sempre se vê num ou noutro personagem e aqui em casa, costumo apontar as trapalhadas e preguiças do Tuco com meu filho Daniel e ao mesmo tempo seu carinho com os que o cercam, e as coisas certinhas que o Lineu faz, lembra meu marido, pelo lado justo e honesto de ser. Eu não posso dizer que pareço com a Dona Nenê, sou mais moderninha que ela, mas de vez em quando me acho parecida no que se refere à sua capacidade incondicional de amor à família, sempre pensando no bem estar de todos.

Lembrei desse tema, porque conversava hoje com o amigo Alexandre lá na ginástica, e diizíamos o quanto adoramos este programinha e de que como fazer rir, sem maldade e temas do dia a dia são agradáveis de se ver e que a televisão poderia fazer mais programas em cima de idéias como esta. Vocês também concordam que A Grande Família é um grande barato?!



http://itvibopedatv.files.wordpress.com/2009/06/a_grande_familia.jpg
(Formação atual do programa)

http://f.i.uol.com.br/folha/ilustrada/images/0714468.jpg
(Evandro Mesquita, Marisa Orth e Andrea Beltrão)


Jorge Dória
Eloísa Mafalda
Osmar Prado
Luiz Armando Queiroz
Djenane Machado
Paulo Araújo
Brandão Filho

(Primeiro elenco em 1972)




(*) A atuação marcante de Pedro Cardoso, como Agostinho, lhe rendeu a indicação no Emmy[1] O International Emmy Awards, ou simplesmente Emmy, é o equivalente ao Oscar da televisão internacional 2008 de melhor ator. (Wikipédia)



20 comentários:

Nina disse...

oi, Beth!

Conheci seu blog, li vários textos, adorei!

Apareça sempre no Menina de Cachos!

beijos!

Luciana Klopper disse...

Aqui em casa todos adoramos, mas que mais gosta mesmo é minha filha..programinha bom, suave, pena que é tarde pra quem precisa levantar tão cedo..será que sai o filme deles numero 2?

Heloísa disse...

Beth,
É realmente um grande programa. Como já falei no meu blog, não sou muito de TV, mas há alguns programas que me atraem e esse é um.
Como você já disse, os atores fazem graça sem apelação e todos são ótimos nos seus papéis. Realmente vale a pena assistir.
Beijos.

Lúcia Soares disse...

Beth, você tem uma visão totalmente diferente da minha, sobre os personagens d'A grande família. Mas nem vou dizer o que penso de alguns. O que digo é que a gente se diverte muuuuiiito, agora principalmente com o Evandro Mesquita e seu Paulão com seus erros impagáveis. Ele troca todos os nomes dos personagens, é uma graça total. Gosto demais do programa pelos atores em si, mas tenho restrições quanto aos personagens (alguns). Enfim, eu sou chata mesmo e por isso me destitui de ser "amor de pessoa". Sabe que há meses (desde que comecei a blogar, praticamente) sempre quis falar do programa mas nunca o fiz. Sei que vão "cair de pau" se eu escrever. Mas qualquer dia o faço. Bj e esperemos amanhã, pra rir com eles, mais uma vez.

Grace Olsson disse...

Beth, eu tenho a minha. é uma mistura tremenda.

Veja só:

MINHA FILHA CASOU COM O MEU ENTEADO.
Meu ex-marido adotou um menino. Depois, deixoua e esposa e ficou a crianca com a minha ex-sogra. Nós mudamos da Suécia apra Maceió..Adotamos o menino...kkkkkkkk
Viemos a morar na Suécia....e o menino, volta e meia vem cá....kkkk
E quando perguntam a ele o nome da mae, ele diz que tem 3.....kkkkk
GRande Familia...Nao vejo a hroa de chegar ao Brasil apra asssitir..
bjsa e dias felzies


graceolsson.com/blog

Sonia H. disse...

Beth,
Eu ri muito no último episódio que eu vi... a Nenê fazendo cursinho pre-vestibular... e falando como a garotada... Engraçado demais.
Também gosto muito desse programa. Infelizmente não vejo sempre por que eu acordo cedo no dia seguinte.
Beijos,

Blog do Óbvio disse...

Beth, de fato você tem razão. É um humor sadio e transmite com ironia a fotografia da família média brasileira. Valeu sua postagem. Beijos paulistas.

Beth/Lilás disse...

Pessoal,

Eu pouco assisto TV, nem a cabo que tenho e nem dou bola.
Mas, sempre me lembro de ligar a tv nas quintas-feiras que é quando leva A Grande Família.
Curto muito o programa e não vejo maldade, gosto das baboseiras e das cafonices, dos exageros, quase caricatos dos personagens que lembram famílias das zonas mais simples de qualquer cidade, não só do Rio de Janeiro.

Como a Lúcia foi a única que não concordou com o que acha dos personagens, estou morrendo de curiosidade de saber o que ela tem pra dizer a esse respeito, por isso aguardo o dia em que puder postar algo sobre eles.

um grande abraço a todos.

Lúcia Soares disse...

Beth, eu concordo que o programa é ótimo, adoro os atores, mas alguns personagens são difíces de engolir. O bom é que os atores que os fazem são tão sensacionais que a gente até esquece as "qualidades" dos personagens. Não é nada demais, concordo, sim, que é um grande programa, só não concordo que seja um retrato da família brasileira. Cruz credo, da minha não!!!Rsrssr
(E mais nã falo!!!! rsrsrsrs) Beijão.

Fernanda disse...

Eu assistia toda semana, me veio ateh a musiquinha na cabeca agora. Deu saudade.

Wilma disse...

Beth, assistia muito quando o Osmar Prado trabalhava, era muito fã dele, aliás ele anda sumido da TV, ou eu, rsrsrs mas hoje em dia, às poucas vezes que assisto acho divertido, mas sempre esqueço de ver quando posso.

Lucia Cintra disse...

Estou por fora. Nunca ouvi falar desse programa, nem mesmo quando morava ai, que estranho! bjos

Luciana Håland disse...

Beth, também gosto do programa, mas já faz um tempinho que não vejo, pois no justin passa quando ainda estou na escola, e com tanta coisa pra fazer também tem me faltado tempo, mas me deu saudades do programa lendo seu post.
Minha família também é bem grande.

Beijo

Lu Souza Brito disse...

Oi Beth...eu me divirto também com a Grande Familia, suas trapalhadas e um final sempre bem humorado. O Evandro Mesquita com certeza que é a "sensação" do programa. Não diria que é o retrato da familia brasileira, mas volta e meia a gente vê algum vestigio da nossa familia nas confusões deles.
Uma coisa que percebi nos últimos tempos (positivamente) é que eles mudaram as atitudes do personagem "Augustinho Carrara". Porque no início o cara fazia as maiores sacanagens, passava a perna em todo mundo e se dava bem sempre, sem mostrar o maior arrependimento. Agora, se você reparar bem, no final ele esta sempre se desculpando, corrigindo uma má ação, como foi naquele epísódio do jantar da fortuna em que ele pegava o dinheiro e comprava um taxi novo emquanto a Nenê, envergonhada perante a vizinhança, oferecia serviços gratuitos para pagar a dívida! Acho que esta revisão de atitudes foi muito oportuna, afinal, sendo um programa tão "família" deve mostrar o dia a dia como é, mas nao forçar muito para "dar mau exemplo".

É isso. Beijokas.
Lu

Beth/Lilás disse...

Lu, querida!
Perfeito o que você disse!
Eu também venho notando isso, estão humanizando mais o Agostinho ou Augustinho, nao sei, mas o fato é que ele vem se comportando mal e se arrependendo depois, fazendo mostrar sempre que o mal que cometeu é pela ignorância e ao mesmo tempo os maus hábitos em que fora criado.
É aí que o tal programa cresce, ganha audiência e a gente observa isso, apesar da Rede Globo nos achar idiotas e ignorantes, mandando só abobrinhas através de outros programas que ela empurra goela abaixo do povão.

Legal sua observação!
beijussssssssssss

Georgia disse...

Beth, eu conheci a primeira grande familia com o Jorge Dória, era fantástico. Quando fui ao Brasil algumas vezes trouxe alguns DVDs da atual grande familia que é mesmo sensacional.

Todos nós temos na nossa família um desses personagens, nao é mesmo?

Um grande beijo

Ciça Donner disse...

Mana eu nao perdia um capitulo, mas desda gravidez da bebel acabei me perdendo. vc tem toda razao... um otimo humoristico SEM APELACAO

Rosamaria disse...

Beth, meu marido nunca queria ver este programa, a esta hora víamos filmes.Agora, durante o tempo em que estive na casa da filha, depois da cirurgia, ele só tinha que assistir, pois ela não tem tv a cabo ainda. Pois virou fã, não perdeu mais A Grande Família nem o Toma lá, dá cá, que tb acho fantástico e dou muitas risadas. O filme ficou pra depois do programa, afinal dormimos tarde.
Bjim.

monica lidizzia disse...

Já eu, Beth, não sou fã do programa - tenho "preguiça" de assitir a seriados, semanais, etc (fico com sono - excessão: A Feiticeira, Jeanne é um Gênio, Sex & The City - acho que só gosto de coisa de mulherzinha :>)
MAs o barato da Grande Família (e quem chamou minha atenção foi a minha irmã) é o figurino e a decoração.
Claro que o desempenho dos atores - feras - é impecável, mas a caracterização dos caras, fala sério!
As roupas combinadinhas da Nenê, a camisa volta ao mundo" e a calça de Tergal do Lineo (um funcionário público, acomodaaaaaaaaaaaaaaaddddddddddddddddoooooooo nos anos 60), a filha "fashion victim", a amiga perua na idade da loba - Desperate no Housewife - , tudo é tão perfeito que hoje (5ª feira) eu não perco. Brigadão pela lembrança.

bjnhs

PS: Adorei seu post.

Silvia Masc disse...

Beth, pouco vejo TV, mas para mim, esse é um dos o melhores programas da TV aberta, senão o melhor.
Rio muito, a começar do figurino, os estampados com xadres do Agostinho... o jetão todo policamente correto do Lineu, o carinho da Bebel com a mãe... adoro.
Adorei o post.
beijinho