.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

domingo, 1 de novembro de 2009

As extremidades de nosso ser

(A execução de Lady Jane Gray na Torre de Londres-1554 - Paul Delaroche-1833-National Gallery London)



Eu amo olhar pinturas, quadros, galerias de arte, fico tão feliz que quando saio dali minha cabeça sai tão leve como se estivesse sido purificada com as pinceladas e matizes dos artistas que, desde os primórdios dos tempos, nos transportam para suas telas e em algumas, se a gente observar bem os detalhes, como o fiz nesta tela acima de Paul Delaroche, em que as expressões faciais, o lugar, os adereços e roupas de época, o brilho dos metais, as sombras e claridades, tudo parece feito para aguçar nossos sentidos e fazer uma total interação do espectador com a cena.

Esta incrível tela acima, tem um tamanho ao vivo gigantesco numa das paredes do National Gallery de Londres e retrata a execução de Lady Jane Grey na Torre de Londres, reinando apenas 9 dias e morrendo assim, tão jovem e bela, sendo chamada então Rainha dos 9 Dias.
Fiquei olhando para a tela e imaginando, quase sentindo, a tristeza das pessoas em sua volta chorando, a beleza da moça e sua pele alva e seu vestido acetinado tudo se interpondo ao olhar calmo e de espera do carrasco preparado para seu ato absurdo e fatídico.
É o tipo de pintura que não somente se vê e admira o talento impressionista do artista, mas tudo o que ela conta na forma que é apresentada.

Deixou a muitos boquiabertos, que nem eu, e as crianças que, em grupo escolar, ouviam atentamente as explicações de um guia do próprio museu sobre a história daquela personagem saxônica. Esta, com certeza, foi a tela que mais me chamou atenção e que ficou na minha lembrança para sempre daquele local e aí vim pesquisar na Net para mostrar a vocês também.

Então, como veem a pintura pode impressionar e marcar nossa memória para sempre.
O artista que a pintou em 1833, talvez não soubesse o quanto ela seria admirada e como influenciaria em nossas mentes tão profundamente.

Agora, vejam estas outras pinturas abaixo. São bonitas e teem um outro estilo.
Gosto muito também e imagino que quem as observasse, principalmente ao vivo num grande salão, ficasse impressionado ou se identificasse até com alguma delas.
Vejam que suavidade e leveza de cores e traços. O autor parece ser uma pessoa que observa e ama sua cidade, provavelmente européia, Viena talvez, quem sabe.

Agora, lhes pergunto, quem seria o talentoso e delicado artista, alguém tem ideía?











A resposta é:
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Adolf Hitler

"
Nascido em uma família de classe média alta, Adolf já tinha interesse em artes. Desde pequeno ele pintava quadros. Seu sonho era ser um grande pintor no futuro, como seu ídolo Monet. Sua família não o incentivava, preferindo que Adolf seguisse a carreira futebolística. Com 18 anos, e um objetivo a ser conquistado, Adolf sai de sua casa e tenta ser aceito na Escola de Arte de Viena. Foi 7 vezes rejeitado, pensando em desistir da carreira de pintor."
(Wikipédia)







19 comentários:

Lucia Cintra disse...

Voce ja leu a historia dela? E das outras executadas nessa mesma torre? Tenho um livro de Anne Askew, presa na torre de Londres e tb executada, mas antes escreveu sobre a injustica e seus ultimos dias naquele lugar. O livro nao conta a historia dela, o livro eh escrito por ela, o que me fascina e sou louca pra visitar esse lugar devido a historia.

Maravilhosas as pinturas e tb me perco com essas coisas. Me fazem viajar no tempo, imaginar que estou ali presenciando o acontecimento, nao sei nem explicar! Me perco mesmo no momento de admiracao dessas reliquias. bjos

Ivana disse...

Beth, nunca imaginei que fossem dele... Não conheço muito da vida de Hitler, além do que sabe a grande maioria, mas vi em um documentário que ele também projetava construções, desenhando as plantas baixas e tinha amor pela arquitetura... Imagina quantas frustrações acumulou durante a vida este homem e quanto talento ele tinha! Pena que escolheu a pior maneira de entrar para a história.
Beijos e bom domingo!

Liza Souza disse...

Beth,
quem diria que uma mente tao brilhante e sensivel para as artes pudesse ser capaz de maquinar tanta maldade, nao eh? Pena ele ter optado por seguir o caminho do mal, pois poderia ser lembrado atualmente por trabalhos lindos como esses, ou poderia ainda estar por ai ensinando outras pessoas uma arte tao linda quanto a pintura.
Beijos

Lúcia Soares disse...

Oi, Beth. Recomeço minhs leituras pelo seu blog, claro! E vou direto na última postagem...rsrsrsr.
Realmente, ele era um bom pintor, aquele louco! Já tinha lido que ele pintava, tem um livro que é a história dele e da Eva Braun, de , especulando que eles tenham vivido além do tempo mostrado, que eles tinham forjado suas mortes e continuado a viver como cidadãos comuns, em Berlim. O livro chama-se "O sétimo segredo", de Irving Wallace e vale a pensa ser lido, é um belo romance, com mistério, muitos fatos reais e sei lá se o resto é ficção ou não. Só sei que a leitura é ótima. Bj

Heloísa disse...

Beth,
Esse quadro da National Gallery é lindo.
Fiquei surpresa com as informações sobre o Hitler. Pena que ele tenha sido rejeitado na Escola de Arte de Viena. Talvez, se tivesse se dedicado à arte, a História teria sido escrita de outra forma.
Beijo.

rocosta disse...

Que pena ele não ter sido aceito e seguido a carreira de pintor.
Beijos!

Rose disse...

Já assiti a um filme que conta a triste história dessa rainha. Chama-se "Lady Jane" e é muito emocionante! A tela que você nos trouxe também impressiona pela riqueza de detalhes!
Um abraço, Beth! E bom feriado!
Rose

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem?
Sumi quase 2 semanas, estava trabalhando direto aos sabados e domingos também, e este fim de semana fui visitar meus sogros, e sem contar que peguei uma gripe que não me abandona.
Bjusss

Isabel disse...

Concordo com a Heloísa, é uma pena ele não ter seguido a carreira de pintor, maldita hora que entrou para a política :(
O quadro que retrata a morte de Lady Jane Gray é realmente fabuloso, mas não me recordo de o ver na National Gallery. Provavelmemte vi, mas no meio de tanta maravilha, não damos a devida atenção a algumas obras primas!
O museu é imenso :)
Bjs

Luma Rosa disse...

A segunda tela achei que fosse um Monet! Que pena! Se a escola de arte tivesse aprovado o Adolfinho, ele seria mais calminho, né?

Ser mulher na antiguidade era bem complicado! Até mesmo hoje vivemos o patriarcado, veja o caso da Uniban. E muitas mulheres oprimem as outras, influenciadas que estão pelos homens. Não, não sou feminista! Mas fico revoltada com essas mulheres que receberam tudo de graça e ficam aí dar risadinhas das conquistas do passado.

Bom feriado! Beijus,

Heloisa disse...

Difícil de acreditar que as pinturas sejam de Hitler.
Se ele tivesse sido aceito pela Escola de Arte de Viena talvez o rumo da história do mundo teria sido diferente...
Talvez!...

ML disse...

Que ironia do destino, hein Beth?
Fico imaginando se Hitler tivesse sucesso na carreira de pintor, será que suas pinturas seriam tão singelas? Ou ele ia "soltar a franga" e intar catástrofes como fez quando esteve no poder? Que criatura perigosa, né, acho que era um psicopata que enganaria muitos por muito tempo.

bjnhs e boa semana, querida.

Sonia H. disse...

Beth, amei o teu post,
Primeiramente por causa do assunto - também gosto de apreciar pinturas e me perco nos museus por horas....
Este quadro é lindo demais, ao mesmo tempo que nos proporciona uma viagem no tempo, ao nos fazer sentir um pouco daquele momento triste da morte de Lady Jane - uma imagem impactuante, congelada no tempo, e que nos emociona.
Como se não bastasse, você me surpreendeu com aqueles outros quadros - JAMAIS poderia dizer o nome Hitler como autor delas. Fiquei pasma... por que não combina com as atrocidades e maldades que causou a tanta gente.
Excelente post!
Amei de verdade,
Beijos,

gabriela disse...

Amiga vai ao blog da minha filha para ver a Matilde fazer broas são uns bolinhos desta época, beijinhos muitos

Georgia disse...

Beth, que post magnífico e me deixou sem fôlego.
Acerca da condenacao de Jane Gray lembro que a historia conta que o juiz Morgan, que pronunciou a sentença contra ela, caiu louco depois de tê-la condenado, e em seus delírios clamava continuamente que tirassem lady Jane da frente dele, e assim acabou sua vida.

Quanto as pinturas fiquei surpreendida em ser do Hitler. Acredito que os sentimentos sufocados dele o levou a provar ao mundo a sua capacidade. Infelizmente um desastre para o mundo. Mas nao devemos esquecer que mesmo ele usando toda a sua capacidade para a maldade ele usou as pessoas para várias descobertas na medicina; um caminho doloroso, mas que no fundo ele nao deixou de provar a sua multi capacidade; com certeza ele era um psicopata. Ele já nasceu louco.

Um beijo

aminhapele disse...

Custa-me muito a acreditar que a autoria seja verdadeira.
Aqueles pinceis tinham que ser manejados por alguém de grande sensibilidade...

Giselle Costa disse...

Beth, impressionante a sensibilidade de Hitler ao pintar estes quadros. Sinceramente não conhecia estes trabalhos, uma pena não lembrarmos dele de uma forma positiva.

Valeu pela postagem

bjs
Gi

Somnia Carvalho disse...

oj Lilasisima ate deu um frio na espinha...creda!
haha... apreciar obra do homem! hahaha...

eu sinto o mesmo que vc quando vou a um museu ou vejo obra de alguem que me toma de jeito, entende?

nos museus de londres o que mais amei, dentro desse realismo ou naturalismo que vc citou ai em cima, foi Dante Rossetti e John Millais... voce viu?

eu nao conseguia esquecer a pintura etc... e mesmo o Lucian Freud que na epoca eu nao conhecia me deixou sem folego...

normalmente nao me pega pintura muito realista... eu entendo a perfeicao, entendo como aquilo e maravilhoso do ponto de vista da tecnica, mas nao sinto quase nada. Me pega sao os modernos, que a gente chama de modernos, mas que ja estao quase solidicados como algo classico tambem, como os impressionistas e expressionistas...

sobre a pintura do bicho mal eu nao sei o que dizer... nao tinha gostado ate mesmo antes de ler o nome, so gostei dos dois primeiros desenhos, quer dizer, achado mais sensivel... mas nao ha nada de novo na pintura dele, entao so sendo mesmo uma grande tentativa de ser como monet e o resto porque ele tinha mesmo era talento pra ser tranqueira... hehehe brincadeirinha

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem?
Nossa eu estou de boca aberta, nunca imaginei que fosse ele, ou melhor um artista,.. e tudo o que aconteceu com a guerra, nossa !!!
Talvez se ele fosse aceito na escola, o mundo não teria vivido e experimentado a Segunda Guerra.
bjusss