.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Vocês conhecem o MSF?

Crianças do Complexo do Alemão-Rio-imagem Google
Folha Online=crianças no Paquistão



Todos sabemos que o Brasil ainda é considerado um país com uma das piores distribuições de renda, mesmo estando hoje entre os mais ricos do mundo.
Esta ironia social a que estamos acostumados a ver no nosso dia a dia, quer seja pela tv ou por qualquer tipo de mídia, através de nossos carros com vidros escuros atravessando as vias urbanas de nossas cidades ou dentro de condomínios bem guardados para que a violência não nos atinja, acaba fazendo com que nos distanciemos cada vez mais de problemas distantes, à nossa volta ou, muitas vezes, bem perto de nós.

Mas, ainda bem, existem pessoas trabalhando, doando-se propriamente dito de corpo e alma em prol da ajuda e às vezes veem de longe, de outro país, falam línguas diferentes, mas a atuação é simples, porque ela é aquilo que todos nós podemos fazer, podemos exercitar e dar de graça - nossa generosidade, nosso amor ao próximo. Aqui mesmo, no nosso Brasil veronil, temos jovens engajados em prestar ajuda aos necessitados daqui como de qualquer outro país e recebemos também pessoas, como um casal de suiços que meu filho conheceu nestas suas férias de julho no Rio e que estavam trabalhando no Piauí há um bom tempo e até já dominavam o português para poderem orientar pessoas que moram em áreas remotas do país para a devida utilização da terra e da não contaminação do solo.

O ser humano não muda, sempre seremos humanos, mas os graus de nossa humanidade mudam, variam e o maravilhoso é quando melhoramos com o tempo.

Hoje pela manhã, ao abrir um dos envelopes das correspondências que recebemos em Petrópolis, uma chamou-nos a atenção em especial. Era uma dessas cartas endereçadas ao meu marido, solicitando contribuição voluntária, mas tinha um apelo humanitário diferente, pois abrange com atuação em mais de 60 países, claro que na sua esmagadora maioria, pobres.
E nós, que estamos sempre dispostos a ajudar, mas que gostamos de saber se o dinheiro que iremos doar vai realmente para algo que faz de verdade, a primeira coisa que pensamos foi verificar na Internet a idoneidade da organização. Vocês bem sabem o quanto de "pilantropia" existe neste e em muitos outros países, então sempre é bom pesquisar antes de ajudar.

Fiquei satisfeita em descobrir que o MSF atua sem qualquer discriminação racial, religiosa ou política. Em lugares onde ninguém mais quer estar, o MSF leva cuidados médicos, remédios e esperança.

Já imaginaram, quando o tsunami, por exemplo, que causou tanta destruição e mortes, quem começou a trabalhar junto com os governos daquela região? Eles - os Médicos sem Fronteiras - levando os primeiros cuidados de saúde, alimentação, água potável e abrigo aqueles necessitados.

Acho que esta é uma organização séria e que merece a nossa atenção, a nossa solidariedade para que possam continuar fazendo aquilo que gostaríamos e não temos chances ou coragem para estar nestes lugares tão sofridos, levando ajuda às vítimas de conflitos e catástrofes naturais.

Visitem o site: http://www.msf.org.br/brasil/ e colaborem também. Começaremos a partir de amanhã a colaborar para esta organização maravilhosa.

Não deixe de ver:
> Site da Exposição Interativa MSF no mundo (em cartaz no Rio de Janeiro)




12 comentários:

Georgia disse...

Beth, o mundo vive os dois extremos: o de muita pompa e os de nada;
É gritante a diferenca social, é gritante que enquanto um lado do mundo passa fome, o outro passa fome para manter a forma; é uma verdadeira loucura...

Os sem fronteiras sao conhecidos aqui também e há muitos médicos alemaes que trabalham voluntariamente.

Bom dia!

te desejo uma linda semana

Bjus

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem?
Aqui perto da minha casa tem a Cruz Vermelha, e eu adoraria arregassar as mangas e ir pessoalmente lá ajudar, tenho projetos para o futuro em relação a isso. Mas enquanto o dia não chega faço a minha parte em não jogar comida fora, porque a quantidade de pessoas que passam fome é desesperadora..
Bjuss e otima semana pra vc

Lu Olhosde Mar disse...

oi Bethinha!!!! menina, to meio sem saber o que fazer com Mutsi...vixe... tadim! se tiver alguma dica, eu agradeço!bjão!

Michelle Dangeli disse...

Realmente é maravilhoso o trabalho destas pessoas que acreditam que tem uma missão e vão fundo quando acreditam nela.E nós simples mortais fazemos também a nossa parte mesmo que seja pouco.Já abracei a causa. Bjos pra carioca.

RoCosta disse...

Minha filha tem esse sonho, Beth: ser enfermeira ou médica sem fronteiras na África.
Aqui ajudamos o Gacc... minha irmã trabalha lá e até agora é uma instituição séria.
Beijão!

Flávia Fayet disse...

Beth querida, adorei o post! Existe mta "pilantropia' mesmo... Lindo o trabalho do MSF! Obrigada pelo comentário lá no DESABAFO! Qto à minha voz, deve ser de cor roxa! Pois é forte, rouca... Bjsss e uma semana linda p/vc!

ML disse...

É, Beth, e além da "pilantropia" ainda há a ineficiência (ou o descaso mesmo).
Toneladas de alimentos e remédios doados para a penúltima catástrofe em SC apodreceram sem chegar aos necessitados).
Como você bem disse, temos de saber a quem doar.
Escolher as instituições a dedo, para que a jude chegue de fato a quem precisa.

bjnhs

Lúcia Soares disse...

Oi, Beth.
Cada um ajudando um pouco, acaba sendo muito.
Nós sempre ajudamos a insttuições aqui de BH mesmo, idôneas.
Na realidade, mais do que o dinheiro falta é mão-de-obra, presença das pessoas. Pelo menos uns 3 médicos me recomendaram ser voluntária em alguma obra social. Dizem que curam os males da alma e, por consequência, os do corpo. Nunca me dispus e sempre me cobrei isso. Uma pena!

Ivana disse...

Beth, realmente o trabalho do MSF é fantástico. Diria que estas pessoas são anjos na terra. Com a tua indicação vou até conversar com amasiado para que tb possamos dar nossa contribuição. Muitas vezes pensamos em ajudar, mas sempre deixamos a idéia pra lá qdo lembramos que a corrupção anda solta por ai... E afinal, nosso rico dinheirinho não nasce em árvore.
Beijos!

Laura disse...

Aqui eles fazem campanha direto tambem!
Acho valido e interessante!
Beijosss

Wilma disse...

Beth, quis comentar aqui mas a Vivo 3G não deixou. Pois, então, também recebi um folheto dos MSF, mas só guardei o mapa-mundi. São tantas pilantropias que nem levo a sério tudo que me chega.Qualquer hora pesquisarei o site deles.
Quanto a novela, quase perdi, mas tentei assistir o capítulo, até que gostei de ver a fotografia belíssima do Jaime Monjardim, e Búzios sendo mostrada lindamente. Não sou chegada a novelas, mas sempre prometo que vou acompanhar...sempre tira-se algum proveito, o texto final da senhora no monólogo, foi impactante...
A.Silva, em Portugal ou não está sempre por dentro de tudo...ele escreve muito bem no seu blog, e eu me divirto com suas tiradas...

Fábio Mayer disse...

Essa mania brasileira de esconder a pobreza e tentar ignorá-la é um dos fatores que faz o Brasil ser tão violento.

Mas outro fator tão ou mais deletério é o paternalismo.

Pobre no Brasil presume-se bonzinho, o que não corresponde à realidade. Porque quando não se combate, por exemplo, uma invasão de imóvel porque as pessoas não têm para onde ir, e ainda por cima liga-se luz e água para elas na ilegalidade, está se passando a mensagem do vale tudo, e não se exige de tais pessoas o discernimento e a cidadania, que já são fracos entre ricos e remediados, mas são quase inexistentes nas classes menos favorecidas.

O Brasil precisa é acostumar-se com o império da Lei para todos, a dificuldade é como fazer isso se, para políticos tudo vale?

E é verdade, os MSF são uma instituição que pouco se vê, mas que prestam um serviço humano imprescindível ao planeta.

Obrigado pela visita "lá em casa"...