.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Um Escafandrista revirando suas coisas

Mergulhador que usa escafandro (vestimenta impermeável, hermética, provida de um aparelho respiratório, e própria para mergulhos demorados) (Aurélio)



Por duas vezes nesta semana ouvi a bela música de Chico Buarque "Futuros Amantes" e de tão linda e perfeita não me sai da cabeça, agora mesmo acabei de ouvi-la e fui buscar sua letra que faz a gente mergulhar literalmente no tema.

Experimente realizar o que este poeta maravilhoso diz:


Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
Milênios, milênios
No ar
E quem sabe, então
O Rio será
Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos
Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização
Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você


Fico a imaginar se num futuro distante, o Rio ou outra cidade qualquer venha a ser apenas vestígios de antiga e estranha civilização como diz Chico, mergulhada muitos metros no oceano e aí, um escafandrista (palavra estranha também e soa tão antiga) lá, revirando os objetos que tinham em minha casa, minhas pequenas coleções, minhas gavetas com os bilhetes amorosos que meu marido me mandou nos aniversários de minha vida ou os retratos da família de tantos natais e festas.

Já imaginaram isso, alguém explorando suas casas, suas coisas, tentando decifrar o eco de antigas palavras?!

Tem coisa mais lírica que isso, gente? A suavidade da música e a mensagem ao mesmo tempo, quer nos fazer ver que tudo na vida passa, tudo é nada, nada é pra já, não nos afobemos pensando no dia de amanhã, pois amores veem e vão e os que vierem serão também amáveis se deixarmos este 'vestígio' para as próximas gerações.

Ofereço esta música para a minha amiga Elizabeth que lanchou comigo hoje à tarde. Beijo.



13 comentários:

Ivana disse...

Beth! Quando li o texto do teu post, antes mesmo de abri-lo, eu pensei nesta música!! Eu amo o Chico e sua sensibilidade. E essa música é tão especial pra mim... A primeira vez que ouvi foi qdo fui assistir no cinema com a Tia Stela (sempre ela) o filme Pequeno Dicionario Amoroso, e esta música faz parte da trilha sonora, entre outras tantas múxicas lindas demais. Chorei taaaaanto nesse filme. Aaah, muito bom lembrar e ouvir, até pq nem tenho mais este cd...
Obrigada Beth!!!

Ciça Donner disse...

Beth assisti hoje o primeiro capitulo da nova novela das 8 e só lembrei de vc e de seus post sobre Buzios. Mana, preciso ir naquele lugar!

Camila Hareide disse...

Beth, ótima maneira de começar meu dia!

obrigada por dividir...

beijo

RoCosta disse...

Beth... adoro essa música. ;-)
Beijos!

Georgia disse...

Beth, que música linda.

Obrigada por dividir conosco.

Bjus

Lúcia Soares disse...

Oi, Beth. Música linda, que não conhecia! Adoro Chico mas há um tempo não escuto rádio nem coloco um CD pra rodar! Pelo menos uns 2 anos! E tenho um rádio-relógio-cd na cabeceira da cama! Sou um caso perdido. Vou reverter essa situação. Atualmente até procuro uma música ou outra pra colocar no blog e fica só nisso. (Até já parei, tirei o rádio, percebeu? Não sei o que me move...).
Já pensei nisso, de alguém revirar meus pertences...Não gosto da ideia! Bj

Mônica Souza disse...

Beth,
Legal, tô postando depois de minha irmã querida!!!
Olha, amo Chico!!!
Acho que a obra dele é simplesmente emocionante.
Ah, obrigada pela visita no meu blog!!!!
bjos

Wilma disse...

Beth, ainda pouco estava lendo algo sobre a d�cada de 80, como o pop era "intelectualizado" ou bacana, essa m�sica com esta palavra pouco conhecida, pra mim, � um exemplo. Al�m da bela melodia as letras do Chico s�o lindas mesmo e cada verso � um mergulho. Hoje os jovens t�m poucas chances de ouvir coisas assim novas, s�o cada letra hoje!!! salvo algumas excess�es...brinco sempre com minha filha quando canta essas letras antigas e digo, orgulhosa, essa � do meu tempo, hahahaha...

ML disse...

Que resgate maravilhoso, Beth!
O Chico Buarque já fez tanta letra linda que meu pai (que é fãzaço) se pergunta aonde foi a inspiração dele?
Porque ele não escreve mais música, só livros?
De todo o modo, o gênio está na história da MBB (música boa brasileira, popular ou não).
Quanto a algum escafandrista vasculhar as minhas coisas... gosto da idéia não.
Prefiro um bando de cachorros invadindo a casa e fazendo uma grande bagunça ;>)

bjnhs

Elizabeth disse...

Amiga.... Obrigado por ter me dedicado essa musica tao linda.

Liza Souza disse...

Mais uma música linda para alegrar meu dia!

Dani dutch disse...

OI Beth, tudo bem?
Cá pra nós tem coisa mais bonita que esses momentos da nossa vida, onde o amor está presente.. é tudo tão mágico...
Mas como vc disse tudo passa, e deixa lembranças, ou melhor boas recordações..
Bjusss

Mila Viegas disse...

Menina, não tinha parado para pensar nisso! Caramba! Mas acho que um dia irá acontecer - algum dia muito distante. E quem sabe não serei eu mesma o escafandrista a vasculhar minhas coisas das vidas passadas? Imagine!
Sei que agora viajei na maionese... rs. Já pensou? Acho que vou escrever alguns fatos sobre a minha vida e guardar em algum lugar, mas não adiantaria se a água do oceano manchasse a tinta.
Ih, já to viajando no futuro! rs.

Beijos mil!