.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Um precioso néctar


Mas não é possível, 5 garrafas em Niterói e 3 em Petrópolis! Assim não pode! Isso tem que ser consumido em 1 ano, senão estraga! Foi o que eu disse ao marido ontem na hora do almoço.

Se há um produto alimentar que aqui em casa é consumido demais e que acho sempre um enfiado em algum canto da despensa, porque meu marido e filho veneram e não podem ver um com acidez inferior a 0.5% que compram, este produto é o Azeite de Oliva.
Mas não é pra menos, afinal é um produto milenar e clássico da nossa culinária, herdada com certeza da gostosa comida portuguesa.

Como sabemos o Azeite é cheio de história e é até considerado um símbolo cristão, assim como desde a Grécia antiga seu uso foi descrito até na Mitologia grega e usado até hoje e endeusado por alguns como uma verdadeira dádiva dos deuses.
Nós, aqui na terrinha, adoramos o azeite português que compramos e consumimos com facilidade, mas nem atentamos para o detalhe de que para se fazer 250 mililitros são necessárias de 1.300 a duas mil azeitonas (segundo a Wikipédia).

Todavia, uma coisa nos chama a atenção, porque o alimento é fantástico, bonito de se ver, gostoso de se saborear sobre determinadas comidas, mas em certos países como Estados Unidos e Canadá, dão pouca importância ao mesmo, além da Alemanha e países junto à Holanda, não fazem parte da mesa nos restaurantes. Para tê-los é necessário solicitar ao maitre ou garçom.
Meu marido conta que certa vez, num razoável restaurante em Calgary (Joe Tomatos), pediu ao garçom o azeite, pois seu prato tinha legumes e verduras e a gente sabe que isso vai bem com um azeitinho. O azeite chegou quase 15 minutos depois e com o selo do preço que tinham acabado de comprar.
Nos Estados Unidos também notei que o azeite é menosprezado e em todos os restaurantes de rede, como o Sbarro por exemplo, o líquido era acondicionado em recipiente plástico (que heresia), sem rótulo nem charme. E quando perguntei se tinham azeite, o garçom me olhou com
cara de espanto e me ofereceu uns molhos estranhos, dessas misturas que fazem para saladas, tipo aqueles que o Paul Newmann fabricava.

É uma pena que a 'turma' não valorize este alimento tão nobre e importante, benéfico à nossa saúde, uma vez que se trata de um alimento totalmente natural, sem transformações e aditivos químicos como quase tudo que consumimos hoje em dia. Li que foi constatado pelos cientistas que os povos das regiões do mediterrâneo tem vida mais saudável com baixo nível de infarto e câncer, por serem os maiores consumidores do óleo de oliva.

Eu fui pesquisar sobre este valioso líquido e por isso resolvi fazer este post, assim não vou brigar com o maridex pela mania tresloucada e apaixonada quando olha uma garrafa deste líquido dourado e compra mais uma para a despensa.
Porque salada pode até não ter, mas o azeite de oliva terá na mesa aqui em casa, com certeza!



(Oliveiras em Portugal-fotos daqui)




14 comentários:

ML disse...

Eu também adoro azeite - aliás, adoro vinagre, mostarda, pimenta...
Mas não os molhos "mix" industrializados.
Azeite eu coloco em quase tudo - e dizem que uma colher pela manhã tb faz bem (mas isso eu nunca testei pq acho que ia deixar o estômago bem enjoadinho).
Achei super engraçada a história de seus "meninos": azeite maníacos.
bjnhs

Lu Olhosde Mar disse...

menina, meu sangue portugues é misturado com azzeite! deliiicia!! vou procurar a revista q vc falou. beijo!

Ana disse...

Simplesmente "AMO" azeite!
Não vivo sem!

gabriela disse...

Olá Mãe Gaia

POIS EU TAMBÉM GOSTO MUITO DE AZEITE ALIÁS É A UNICA GORDURA QUE USO NA COSINHA.
Já agora peço desculpa de entrar aqui sem bater, mas eu gostei do seu cantinho.
Achei linda a foto das oliveiras do meu portugal

Lucia Cintra disse...

Web-mae, mas como voce nao encontrou isso por aqui, eles tem em todos os restaurantes que vou. Se chama olive oil aqui - sera que pediu o certo?

Olha so, voce tem recebido meus emails? Fazem meses que nao recebo uma resposta aos que mandei. Me avisa, ta? bjos

aminhapele disse...

Uma "dica":qualquer azeite puro dura muito mais que um ano.O meu,na talha de barro,dura seguramente muito mais.
Os que têm tratamento,para serem comercializados,também têm um prazo de duração muito maior.
Quanto a acidez,depende dos gostos.Para a cozinha,creio que o sabor melhor se obtem entre o 0,75 e 1.Para utilizar cru,nas saladas por exemplo,o 0,5 é bom.
Agora imagine um bacalhau,ou outro peixe,grelhado.
Aqueça o azeite(0,75) com alho e tempere o peixe...
Experimente.
Um abraço.

Heloísa disse...

Beth,
Por aqui também gostamos muito de azeite.
Acho que é o sangue português.
Beijos

Meire disse...

Adoro Azeite extra virgem de Oliva.
Moro no berço da cozinha mediterranea e ele nao pode faltar.

Bjs
Meire

Luciana Håland disse...

Beth, vou seguir sua sugestäo e comecar a adicionar o azeite de oliva na minha alimentacão, porque apesar de gostar, foi um hábito que deixei no Brasil.
Semana passada estava no supermercado e olhei exatamente os azeites, depois pensei que ia engordar mais e deixei lá mesmo, mas depois lembrei que é gordura do bem.
Bom ter lido aqui e aprendido mais.

beijo

Lúcia Soares disse...

Meu marido também adora azeite. E tem estoque e mais estoque. É só ver um preço "digno" na prateleira que vai e compra 4,5, de uma vez. Também sei que a validade é mais longa, isso ele sempre administra, não deixa passar o prazo da embalagem. Daí que algumas vezes já teve que distribuir entre filhos, sobrinhos e irmã, porque não daria pra consumir a tempo todo o estoque que tinha! E não é só com azeite que ele se perde, do que gosta vai fazendo estoque e depois há uma "overdose" daquilo,e a gente tem que comer direto pra que não perca a validade...Cada um com suas manias, né?

Georgia disse...

Beth, postei no ano passado tb falando da quantidade enorme de azeitonas para se fabricar 1 litro de azeite.

Apesar de gostar demais e só cozinhar com azeite, reduzi muito o uso dele, pois ele nos faz engordar.

Para cada salada, somente 1 colherzinha de chá e para o arroz tb, é super calórico, e se usado além disso, ele aumenta o colesterol. O que eu nao sabia, pois achava que ele cuidava de levantar o colesterol bom, mas só se usado em medidas baixas como uma colherzinha de chá.

Bjus

Fernanda disse...

Eu amo azeite, na salada, nos legumes, no arroz, ateh o feijao, ovo, e molho pra macarrao eu coloco azeite. Tudo de bom!

Renata Lopes Costa disse...

Adorooo, e diz que é muito bom para o estômago,pâncreas e funciona como protetor do intestino contra o cancêr.

Vai bem sempre!

aminhapele disse...

O azeite é como tudo:nada de exageros...
Mas você que gosta de barrar o pão com manteiga,ou com doce,experimente barrar com azeite.
Quando falo de azeite,só falo de azeite puro de oliveira.Se se chama virgem,ou extra virgem,eu não sei!Só conheço o que sai dos lagares,depois de colhida a azeitona!
Mais uma dica:
Quando fizer uma grelhada de peixe,em casa(eu costumo fazer no terraço e no quintal),utilize como prato uma fatia de broa de milho.
Deixe que a gordura do peixe se entranhe no "prato".Depois,ponha o "prato" nas brasas e prove!
Sei que faz mal,mas é muito bom e,como não se fazem grelhadas todos os dias,o físico recupera rapidamente.