.....................................................................................................................................................................Porque não só vives no mundo, mas o mundo vive em ti. .....................................................................................................

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Instante

(Badalin China-Foto Google)


Vês este pórtico? Tem duas faces. Reúnem-se aqui dois caminhos e ninguém ainda os percorreu até ao fim. Esta longa rua que desce, é uma rua que se prolonga durante uma eternidade e esta longa rua que sobe - é outra eternidade. Estes caminhos contradizem-se, chocam um com o outro. E é aqui, neste pórtico que eles se encontram. O nome do pórtico está inscrito na sua fachada, chama-se «instante».

Friedrich Nietzsche


11 comentários:

Lúcia Soares disse...

Nunca li Nietzsche, a não ser em uma ou outra citação, assim como agora. Sempre gosto do que leio.
Cada instante é mágico. Pode ser o último. Certamente sempre é único. Nunca se repete, por mais que assim o pareça.

Georgia disse...

Acabei de receber aqui em casa o livro do Nietzsche...

Bjus querida

Beth/Lilás disse...

Meninas!
Eu também ainda não li nenhum livro deste autor, talvez por medo de encarar algo muito complicado, mas quando leio suas citações fico apaixonada, como esta do post.
Georgia, depois que ler o livro, nos conte sobre o grau de dificuldade para entendermos seu conteúdo, ok?
beijinhos

--------------------------------------------------------------

mônica lidizzia disse...

Pois eu até já tentei, mas ... não passei das primeiras pgs.
Mas vi o filme "Quando Nietzche Chorou".
É lindo - como o pensamento e o pórtico.

bjnhs e bom feriadão!

Dany - Verde Novo disse...

Brava!

Anny disse...

Beth:
Já li Zaratustra, há muito tempo. Estou à procura de um livro dele para ler. Mas quero ler por indicação.
Agora, quanto ao pensamento de hoje!
Uau! Valeu ter vindo aqui comentar.
Beijos.
Anny.

Lara disse...

Teu comentário foi super importante.
Sem noção, eu já tinha desistido de fazer o vídeo, mas quando eu ví alí que tinha alguém torcendo por mim. Me incentivou.
Obrigada Beth.
O link tah lá no blog.
beijos

Lunna Montez'zinny disse...

Sempre achei que Nietzsche fosse uma das melhores formas de silêncio existente na minha breve forma de realidade... Abraços meus carissima

Mila Viegas disse...

"Qui lindu"! Amo Nietzche, mas não conheço tanto quanto gostaria...

Olha Beth, não é tão complicado quanto parece não, viu?

Uma das citações que eu aprecio do livro "Assim falou Zaratustra", 2003, p. 46 (ED. Martin Claret):

"[...] É verdade: amamos a vida não porque estejamos acostumados à vida, mas ao amor.
Há sempre o seu quê de loucura no amor; mas também há sempre o seu quê de razão na loucura. E eu, que estou bem com a vida, creio que para saber de felicidade não há como as borboletas e as bolhas de sabão, e o que se lhes assemelhe entre os homens.
Vou revolutear essas almas aladas e loucas, encantadoras e buliçosas, é o que arranca a Zaratustra lágrimas e canções. [...]"

Beijossss

Heloísa disse...

Oi, Beth,
Estou de volta aos blogs!
Obrigada pelo carinho e pelos votos de recuperação.
Beijos

Lucia Cintra disse...

Nunca ouvi falar dele, mas vou procurar conhecer. Essa foto e' uma das mais lindas que ja vi! Meu sonho e' conhecer dois lugares nesse mundo: Fazer um safari na Africa do Sul e conhecer essa muralha da China. Se um dia conseguir realizar essas duas coisas, morrerei feliz. bjos